AMBIENTES DE APRENDIZAGEM E TECNOLOGIAS: os desafios discentes na construção do pensamento crítico em escolas de Cingapura

Palavras-chave: ambientes de aprendizagem; formação de professores; uso de tecnologias; pensamento crítico; integração das tecnologias.

Resumo

O presente artigo é parte de uma pesquisa realizada com alunos em formação docente e  estudantes do ensino secundário de escolas públicas de Cingapura e teve como principal objetivo investigar como os ambientes de aprendizagem, que integram  tecnologías, são utilizados neste nível de ensino. A investigação levantou questões consideradas desafiadoras nas práticas discentes e, para tanto, utilizou-se do questionário CMLES, desenvolvido por Maor e Fraser (2005), analisando as respostas de forma a compreender se o uso das tecnologias auxilia na criação de um ambiente de aprendizagem construtivista.  Em síntese, os resultados demonstraram que, na ótica dos alunos, comparada a dos profesores, é inferior das perspectivas criadas pelos docentes. Além disso, conseguiu-se evidenciar que nem sempre o uso das tecnologias leva o aluno ao desenvolvimento de um pensamento crítico. Assim, de acordo com as premissas de um ambiente de aprendizagem construtivista para que isso ocorra, o professor precisará refletir sobre os tipos de atividades aplicadas e como elas irão auxiliar no processo de aprendizagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nara Maria Bernardes Pasinato, Unicesumar

Doutora em Educação-Currículo na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e Mestrado em Educação na Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Possui Bacharelado em Biologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Licenciatura em Ciências - Habilitação Biologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná e Licenciatura em Pedagogia pela UCB. Pesquisadora da PUCSP e trabalhou como Educational Research Assistant no NIE (National Institute of Education) da NTU (Nanyang Technological University) em Cingapura.  E-mail: nara.pasinato@unicesumar.edu.br.

Noi Keng Koh, National Institute of Education da Nanyang University em Cingapura

Doutora em Educação pela Curtin University of Technology e professora no National Institute of Education de Cingapurara, que é um instituto da Nanyang Technological University . Defendendo a diversidade no ensino e na aprendizagem no único instituto do treinamento de professor, é a principal lider da educação financeira em Cingapura e desenvolve a formação de educação financeira e negócios em escolas de Cingapura desde seus dias  como especialista em currículo MOE (Ministry of Education). Usando pedagogias envolventes e um modelo que tem grande efeito multiplicador, ela posicionou o NIE na vanguarda do trabalho da Universidade nesta área. Ela foi a presidente do NIE Financial Literacy Hub para Professores desde que foi lançado em 31 de outubro de 2007 e é o Presidente da Associação de Educadores de Comércio (ACES) nos últimos 9 anos. Ela foi convidada para fazer parte do Conselho Consultivo do MDIS College e é consultora de várias organizações como LCCI, MYOB, NETS e Citi para programas de educação.

Referências

ALBION, P. R.; ERTMER, P.A. Beyond the foundations: The role of vision and belief in teacher’s preparation for integration of technology. Technology Trends. V. 46. n. 5, p.34-38. Novembro/2002. Disponível em http://link.springer.com/article/10.1007%2FBF02818306

ALMEIDA, M. E. B. ; VALENTE, J. Tecnologias e Currículo: trajetórias convergentes ou divergentes? São Paulo: Paulus, 2011

BAI,H., ERTMER,P.A.. Teacher educator’s beliefs and technology uses as predictors of preservice teachers’ beliefs and technology atitudes. Journal of Technology and Teacher Education. V.16, n.1, p.93-112, 2008.

BROWN,D., WARSCHAUSER, M.. From the university to the elementery classroom: students’ experiences in learning to integrate technology in instruction. Journal of Technology and Teacher Education. V.14, n.3, p.599-621, 2006

CHEN, A. Y.; KOAY, S.L..Transforming Teaching, Inspiring Learning: 60 years of teacher education in Singapore, 1950-2010. Singapore: NIE, 2010.

CRESWELL, J.W. Projeto de Pesquisa. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

CRESWELL, J.W. Educational Research: Planning, conducting and evaluating quantitative and qualitative research. 4 ed. Harlow: Pearson, 2014.

FIGUEIREDO, A. D.; AFONSO, A. P. Context and learning: a philosophical framework. 2006. Disponível em: https://www.academia.edu/162856/Context_and_Learning_A_Philosophical_Framework. Acesso em 05 Abr 2014.

FRASER, B.J. Classroom environment instruments: Development, validity and applications. Learning Environment Research. V.1, p.7-33, 1998.

HOOPER, S., RIEBER, L.P.. Teaching with technology. In: ORNSTEIN,A.C (Org.). Teaching: Theory into practice. Needham Heights: Allyn and Bacon, 1995.

HOWLAND, J.L.; JONASSEN, D.H.; MARRA, R.M. Meaningful learning with technology. Boston: Pearson, 2012.

JONASSEN, D.H Computers in the classroom:mindtools for critical thinking. Columbus: Merril/Prentice Hall, 1996.

JONASSEN, D. H. Designing constructivist learning environments. In Reigeluth, C.M. (Ed.), Instructional design theories and models: A new paradigm of instructional theory .Mahwah: Lawrence Erlbaum Associates Inc, 1999. p-217-239.

JONASSEN, D. H.; PECK, K. L.; WILSON, B. G. Learning with technology: A constructivist perspective. Upper Saddle River: Prentice Hall, 1999.

KOH, N. K; FRASER, B. J. . Learning environment associated with use of mixed mode delivery model among secondary business studies students in Singapore. Learning Environment Research, V.7, p.157-177, 2014.

MAOR, D.; FRASER,B.J.An online questionnaire for evaluating students’ and teachers’ perceptions of constructivist multimedia learning environment. Research in Science Education.V.35, p.221-244, 2005.

MULLEN, L.. Beyond infusion: preservice students’ understandings about educational Technologies for teaching and learning. Journal of Technology and Teacher Education. V.9, n.3, p.447-466, 2001.

STUHLMANN, J.M.. A model for infusing technology into teacher training programs. Journal of Technology and Teacher Education. V.6, n.2 e 3, p.125-39, 1998.

TAYLOR, P.C.; FRASER, B.J. Development of an instrument for assessing constructivist learning environments. Trabalho apresentado no Encontro Anual da AERA. New Orleans, 1991.

TAYLOR, P.C., FRASER, B.J., FISCHER, D.L. Monitoring constructivist classroom learning environment. International Journal of Educational Research. V.27, p. 293-302, 1997. Disponível em: http://surveylearning.moodle.com/cles/papers/IJER97.htm

WILSON, B. G. What is a Constructivist Learning Environment. In: WILSON, B. G. Constructivist Learning Environments:Case Studies in Instructional Design. Englewwod Cliffs: Educational Technology Publications, 1996. p. 3-8.

ZIMMERMANN, A., LORENZ, A., OPPERMANN, R. An Operational Definition of Context, In: Proc. of the 6th International and Interdisciplinary Conference on Modeling and Using Context . Roskilde, Denmark, 2007, LNAI 4635, pp. 558-571, Disponível em <http://www.researchgate.net/profile/Andreas_Zimmermann3/publication/221032389_An_Operational_Definition_of_Context/file/60b7d51ff738c73285.pdf>

ZEICHNER,K.,TABACHNICK,B.R..The development of teacher perspectives: social strategies and institutional control in the socialization of beginning teachers. Journal of Education Teaching. V.11, p.1-25, 1985.

Publicado
2019-01-14
Como Citar
PASINATO, N.; KOH, N. AMBIENTES DE APRENDIZAGEM E TECNOLOGIAS: os desafios discentes na construção do pensamento crítico em escolas de Cingapura. Revista Observatório, v. 5, n. 1, p. 243-275, 14 jan. 2019.
Seção
Dossiê Temático II / Thematic dossier II / Dossier temático II