A NARRATIVA JORNALÍSTICA COMO FORMA DE APREENSÃO DO REAL: uma análise da reportagem especial Últimos desejos, do jornal Zero Hora

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2017v3n3p261

Palavras-chave:

jornalismo, estratégias argumentativas, efeitos de real, efeitos estéticos, narrativas

Resumo

Este artigo explora a narrativa jornalística para além da modalidade textual ou dos gêneros jornalísticos, considerando-a como uma forma de apreensão do mundo capaz de dar sentido a ele (LEAL, 2013). Por meio de uma análise pragmática (MOTTA, 2013), desvendamos as estratégias argumentativas utilizadas na reportagem especial intitulada Últimos desejos, publicada no jornal Zero Hora em julho de 2015. Dos resultados, inferimos que a jornalista Larissa Rosso utilizou duas vertentes de construção narrativa: uma mais objetiva, voltada para o real, relacionada ao tempo da história, aos locais onde se passam e aos personagens envolvidos, reforçando a veracidade dos fatos; outra mais subjetiva, dotada de recursos literários, orientando o leitor em sua atividade de interpretação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANTUNES, Elton. Introdução. In: LEAL, Bruno Souza; CARVALHO, Carlos Alberto (orgs.). Narrativas e poéticas midiáticas: estudos e perspectivas. São Paulo: Intermeios, 2013. p. 9-21.

COSTA, Lailton Alves da. Gêneros jornalísticos. In: MARQUES DE MELO, José; ASSIS, Francisco de. (Orgs.). Gêneros jornalísticos no Brasil. São Bernardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo, 2010. p. 43–83.

FONSECA, Virginia P. S. Indústria de Notícias: capitalismo e novas tecnologias no jornalismo contemporâneo. Porto Alegre: Editora UFRGS, 2008.

LAGE, Nilson. Ideologia e técnica da notícia. 3 ed. Florianópolis: Insular / UFSC, 2001.

LEAL, Bruno Souza. O jornalismo à luz das narrativas: deslocamentos. In: LEAL, Bruno Souza; CARVALHO, Carlos Alberto (orgs.). Narrativas e poéticas midiáticas: estudos e perspectivas. São Paulo: Intermeios, 2013.

MARQUES DE MELO, José. Gêneros jornalísticos: conhecimento brasileiro. In: MARQUES DE MELO, José; ASSIS, Francisco de. (Orgs.). Gêneros jornalísticos no Brasil. São Bernardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo, 2010. p. 23–41.

MOTTA, Luiz Gonzaga. Análise crítica da narrativa. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2013.

RÊGO, Ana Regina; AMPHILO, Maria Isabel. Gênero opinativo. In: MARQUES DE MELO, José; ASSIS, Francisco de. (Orgs.). Gêneros jornalísticos no Brasil. São Bernardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo, 2010. p. 95–108.

ROSSO, Larissa. Últimos desejos. Disponível em: < http://zh.clicrbs.com.br/especiais-zh/zh-ultimos-desejos/ > Acesso em: 20 de fevereiro de 2017.

_____. Últimos desejos. Zero Hora, Porto Alegre, 5 de julho de 2015. Caderno principal, p. 26-35.

TRAQUINA, Nelson. O que é o Jornalismo. Lisboa: Quimera Editores, 2007.

VALLE, Flávio Pinto. A função do autor nas reportagens de Joe Sacco. In: LEAL, Bruno Souza; CARVALHO, Carlos Alberto (orgs.). Narrativas e poéticas midiáticas: estudos e perspectivas. São Paulo: Intermeios, 2013.

VAZ, Tyciane C. Viana. Gênero utilitário. In: MARQUES DE MELO, José; ASSIS, Francisco de. (Orgs.). Gêneros jornalísticos no Brasil. São Bernardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo, 2010. p. 23–41.

Publicado

2017-05-01

Como Citar

LINDEMANN, Cristiane. A NARRATIVA JORNALÍSTICA COMO FORMA DE APREENSÃO DO REAL: uma análise da reportagem especial Últimos desejos, do jornal Zero Hora. Revista Observatório , [S. l.], v. 3, n. 3, p. 261–284, 2017. DOI: 10.20873/uft.2447-4266.2017v3n3p261. Disponível em: https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/article/view/3276. Acesso em: 14 jul. 2024.