Impacto financeiro do desperdício de alimentos em uma unidade produtora de refeições

  • Lúcia Helena Almeida Gratão Secretaria Municipal de Saúde. Prefeitura Municipal de Palmas. Palmas, Tocantins, Brasil.Curso de Nutrição. Universidade Federal do Tocantins. Palmas, Tocantins, Brasil.
  • Clemilson Antonio da Silva Curso de Nutrição. Universidade Federal do Tocantins. Palmas, Tocantins, Brasil.
  • Sandra Maria Rosa de Aguiar Curso de Nutrição. Universidade Federal do Tocantins. Palmas, Tocantins, Brasil.
  • Tatiana Evangelista da Silva Rocha Curso de Nutrição. Universidade Federal do Tocantins. Palmas, Tocantins, Brasil.
  • Jhessika Ferreira Silva Nutricionista pela Universidade Federal do Tocantins.
Palavras-chave: Desperdício de Alimento, Desperdício de Alimentos. Alimentação Coletiva. Resíduos Sólidos., Alimentação Coletiva, Gestão em serviço de alimentação, Unidade de alimentação e nutrição, Controle de custos

Resumo

RESUMO

A sobrevivência de novas Unidades Produtoras de Refeições (UPR) depende de seus conhecimentos sobre as exigências do mercado, qualidade do produto final, serviços oferecidos e preços competitivos. O desperdício de alimentos nas etapas de produção pode resultar em aumento do custo do produto final e diminuição da lucratividade da empresa. Assim, o objetivo deste estudo foi avaliar o impacto financeiro causado pelo desperdício de alimentos em uma UPR e destacar medidas que podem contribuir para minimizar essas perdas. Para isto, realizou-se pesagem das sobras não aproveitáveis por um período de sete dias, após o término do horário de distribuição. Neste mesmo período também foram obtidos o número de refeições servidas. A partir dos valores encontrados, estimou-se a projeção financeira mensal e anual do desperdício. Na UPR estudada, foi encontrada uma mediana de 27,25 quilos de alimentos, ainda em condições de consumo, descartados o que gera desperdício de recursos financeiros em torno de R$ 1.852,20 (Um mil, oitocentos e cinquenta e dois reais e vinte centavos) por dia. Medidas simples como planejamento, organização, supervisão e conscientização dos colaboradores podem contribuir significativamente para reduzir este desperdício e diminuir o prejuízo financeiro gerado e ainda favorecer uma alimentação segura e saborosa aos comensais.

Palavras-chave: Desperdício de Alimento. Alimentação Coletiva. Gestão em serviço de alimentação. Unidade de alimentação e nutrição. Controle de custos.

 

ABSTRACT

The survival of new Meal Production Units (MPU) depends on their knowledge of the market requirements, the quality of the final product, services offered and competitive prices. The waste of food in the production stages can result in an increase of the final product cost and a decrease in the company’s profitability. Thus, the objective of this study was to evaluate the financial impact caused by the waste of food in a UPR and highlight measures that can contribute to minimize these losses. For this, we performed a weighing of the unusable leftovers for a period of seven days, after the end of the distribution schedule. In this same period the number of meals served was also obtained. From the values found, it was estimated the monthly and annual financial projection of the waste. In the studied UPR, a median of 27.25 kg of food was found, still in consumption conditions, discarded, which generates a waste of financial resources around R $ 1,852.20 (One thousand, eight hundred and fifty-two Reais and twenty Cents) per day. Simple measures such as planning, organization, supervision and employee awareness can contribute significantly to reduce this waste and reduce the financial damage generated and also favor a safe and tasty food for the diners.

Keywords: Food Waste. Collective Feeding. Management in food service. Food and nutrition unit. Cost control.

 

RESUMEN

La supervivencia de nuevas Unidades Productoras de Comidas (UPC) depende de sus conocimientos sobre las exigencias del mercado, calidad del producto final, servicios ofertados y precios competitivos. El desperdício de alimentos en las etapas de producción puede resultar en aumento del coste del producto final y disminución de la lucratividade de la empresa. Así, el objetivo de este estudio fue evaluar el impacto financiero causado por el desperdício de alimentos en una UPR y destacar medidas que pueden contribuir para minimizar esas pérdidas. Para esto, se realizó pesagem de las sobras no aprovechabais por un periodo de siete días, después del término del horario de distribución. En este mismo periodo también fueron obtenidos el número de comidas servidas. A partir de los valores encontrados, se estimó la proyección financiera mensual y anual del desperdício. En la UPR estudiada, fue encontrada una mediana de 27,25 kilos de alimentos, aún en condiciones de consumo, descartados lo que genera desperdício de recursos financieros en torno a R$ 1.852,20 (Un mil, ochocientos y cincuenta y dos reales y veinte centavos) por día. Medidas simples como planificación, organización, supervisión y conscientização de los colaboradores pueden contribuir significativamente para reducir este desperdício y disminuir el perjuicio financiero generado y aún favorecer una alimentación segura y saborosa a los comensais.

Palabras clave: Desperdício de Alimento. Alimentación Colectiva. Gestión en servicio de alimentación. Unidad de alimentación y nutrición. Control de costes.

Referências

ANJOS, C.M.; SANTANA, L. S.; SOUZA, T. C. B.; OLIVEIRA, L. C. Avaliação dos fatores que influenciam o consumidor na escolha de restaurantes do tipo self-service. Revista Contextos da Alimentação, v.3, n. 1, p. 3-17,2014.

ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS DE REFEIÇÃO E ALIMENTAÇÃO CONVÊNIO PARA O TRABALHADOR (ASSERT). Pesquisa Refeição ASSERT Preço Médio 2016. 2016. Disponível em: . Acesso em 9 dez. 2016.

ASTA, D. D.; BARBOSA, A. P. Modelo conceitual de mensuração de desperdícios em hospitais privados. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, v. 3, n. 1, p. 40-56, 2014.

BENK, J. Atuação do nutricionista e TND em restaurantes comerciais. Revista CRN 2ª Região, n. 26, p. 4-9, 2011.

BRASIL. Resolução nº 380 de 28 de dezembro de 2005. Dispõe sobre a definição das áreas de atuação do nutricionista e suas atribuições, estabelece parâmetros numéricos de referência, por área de atuação, e dá outras providências. Conselho Federal de Nutricionistas, Brasília, DF, 28 dez. 2005. Disponível em: . Acesso em: 9 dez. 2016.

CAMARGO, L. A. Em SP, poucos restaurantes ficam antigos. O Estadão De São Paulo, 21 Jan 2015. (Jornal Online). Disponível em URL: . Acesso em: 9 out. 2016.

CARMO, S. O.; LIMA, T. P. Avaliação do índice de sobras limpas em uma unidade de alimentação e nutrição (UAN) institucional na cidade de Campo Grande-MS. Ensaios e Ciência: Ciências Agrárias, Biológicas e da Saúde, v. 15, n. 6, p. 9-20, 2011.

CARVALHO, J. G.; LIMA, J. P. M.; ROCHA, A. M. C. N. Desperdício alimentar e satisfação do consumidor com o serviço de alimentação da escola de hotelaria e turismo de Coimbra, Portugal. Demetra, v. 10, n. 2, p. 405-418, 2015.

CASTRO, M. H. C. A. Fatores determinantes de desperdício de alimentos no Brasil: diagnóstico da situação. Fortaleza: Universidade Estadual do Ceará, 2002.

CONCEIÇÃO, T. C.; AMORIM, M. M. A. Avaliação do consumo alimentar de um restaurante self service por peso de Belo Horizonte, Brasil. EFDeportes.com, online, v. 18, n. 190, 2014.

ESPERANÇA, L. M. B. Estudo comparativo do desperdício alimentar observado em hospitais público e privado. Cadernos, v. 5, n. 1, p. 68-9, 1999.

HIRSCHBRUCH, M. D. Unidades de alimentação e nutrição: desperdício de alimentos x qualidade da produção. Revista Higiene Alimentar, v. 12, n. 55, p. 12-4, 1998.

KINASZ, T. R. Reflexão Teórica sobre Gerenciamento de Resíduos Sólidos em Unidade de
Alimentação e Nutrição. Revista Nutrição em Pauta, p. 56-60, 2007.

LIMA, R. F.; CAMPOS, D. N. Aplicação dos fundamentos das 7 perdas do Sistema Toyota de Produção no setor de alimentação industrial. Revista de Administração & Ciências, v. 7, n. 1, p. 11-63, 2014.

MACHADO, C. C. B.; MENDES, C. K.; SOUZA, P. G.; MARTINS, K. S. R.; SILVA, K. C. C. Avaliação do índice de resto ingesta de uma unidade de alimentação e nutrição institucional de Anápolis-GO. Ensaios e Ciência: Ciências Agrárias, Biológicas e da Saúde, v. 16, n. 6, p. 151-62, 2012.

MATSUMOTO, A. S.; FERNANDES, J. L. B.; SILVA, R. G.; STURBA, G. A. Um estudo sobre a saúde financeira das PME do setor de alimentos. Revista Eletrônica Gestão & Saúde. Edição Especial, p. 3539-59, 2014.

MONTEIRO, M. A. M.; FRÓES, J. A. C.; FONTES, R. B. R.; RIBEIRO, R. C. Qualidade na produção de refeições em restaurantes do tipo self-service. Demetra, v. 9, n. 4, p. 955-61, 2014.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA ALIMENTAÇÃO E AGRICULTURA (FAO). Pérdidas y desperdicios de alimentos enamérica latina y el caribe. Boletín 3, 2016. 23p.

PERGHER, I.; RODRIGUES, L. H.; LACERDA, D. P. Discussão teórica sobre o conceito de perdas do Sistema Toyota de Produção: inserindo a lógica do ganho da teoria das restrições. Gest. Prod., v. 18, n. 4, p. 673-686, 2011.

PISTORELLO, J.; CONTO, S. M.; ZARO, M. Geração de resíduos sólidos em um restaurante de um hotel da serra gaúcha, Rio Grande do Sul, Brasil. Eng Sanit Ambient, v. 20, n. 3, p. 337-46, 2015.

RIBEIRO, C. S. G. Análise de perdas em Unidades de Alimentação e Nutrição (UANs) industriais: estudo de caso em restaurantes industriais. 2002. 128f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Santa Catarina. 2002.

SLACK, N.; CHAMBERS, S.; JONHSTON, R. Administração da produção. 2. ed. São Paulo: atlas, 2002.

VANIN, M.; NOVELLO, D. Avaliação do desperdício no pré-preparo de saladas em uma unidade de alimentação e nutrição. Revista Salus, V. 2, N. 2, P. 51-2, 2008.

VAZ, C. S. Restaurantes: controlando custos e aumentando lucros. Brasília: Metha, 2006. 196p.
VILLAN, K. M.; ALVES, F. S. Desperdício de alimentos em uma unidade de alimentação e nutrição: análise e propostas. Nutrição Brasil, v. 9, n. 5, p. 276-80, 2010.
Publicado
2016-11-22
Como Citar
Gratão, L. H. A., Silva, C. A. da, Aguiar, S. M. R. de, Rocha, T. E. da S., & Silva, J. F. (2016). Impacto financeiro do desperdício de alimentos em uma unidade produtora de refeições. DESAFIOS - Revista Interdisciplinar Da Universidade Federal Do Tocantins, 3(2), 36-42. https://doi.org/10.20873/uft.2359-3652.2016v3n2p36
Seção
Artigos