Resultados preliminares do manejo integrado do fogo nas terras indígenas Paresi

Palavras-chave: regime de queima, danos à vegetação, fogo ativo, manejo participativo

Resumo

O manejo integrado do fogo considera as práticas locais, as informações ecológicas e científicas e o manejo institucional para conservar a biodiversidade, reduzir a prevalência de incêndios florestais e proteger a vegetação sensível ao fogo. Nas terras indígenas, a gestão do manejo ocorre por meio do Programa de Brigadas Florestais, que é respaldado pelo Acordo de Cooperação Técnica entre o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis e pela Fundação Nacional do Índio. Ainda são escassas avaliações sobre a implementação deste paradigma em Terras Indígenas com enfoque ao regime de queima e aos danos causados em espécies vegetais, considerando os períodos de tratamento de fogo. Por isto, o objetivo deste trabalho foi avaliar os primeiros resultados do manejo integrado do fogo nas terras indígenas Juininha, Paresi e Utiariti, todos ocupadas pelo povo indígena Paresi e localizadas no estado do Mato Grosso, por meio da análise das fitofisionomias afetadas pelas queimas, dos danos na vegetação causadas pelo fogo e pela distribuição sazonal do dado de fogo ativo, nos anos de 2016 a 2018. Os resultados apresentaram que as queimas nas terras indígenas foram deslocadas para a estação do fogo precoce e que a maioria das espécies avaliadas não tiveram danos causados pelas queimas de ambos os períodos. Quando com algum nível de impacto, este foi mais elevado no período de fogo precoce. Por isto, concluiu-se que apesar das queimas estarem deslocadas para o período de fogo precoce, as técnicas de queimas prescritas não abrangem a frequência e histórico das superfícies atingidas para considerar uma abordagem de mosaicos além da redução dos grandes eventos na estação de fogo modal-tardio.

Referências

Agência Nacional de Águas (ANA). Hidroweb - Downloads, [2019], acessado em 12/12/2019 através do link:

http://www.snirh.gov.br/hidroweb/download

BARRADAS ACS. A gestão do fogo na Estação Ecológica Serra Geral do Tocantins, Brasil. Ano de obtenção: 2017. 135p. Dissertação (Mestrado Profissional em Biodiversida-de em Unidades de Conservação) - Escola Nacional de Bo-tânica/Jardim Botânico do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

BATISTA EKL, RUSSELL-SMITH J, FRANÇA H, FI-GUEIRA JEC. An evaluation of contemporary savanna fire regimes in the Canastra National Park, Brazil: Outcomes of fire suppression policies. Journal of Environmental Man-agement, v. 205, p. 40-49, 2018.

https://doi.org/10.1016/j.jenvman.2017.09.053

BORGES SL, ELOY L, SCHMIDT IB, BARRADAS ACS, SANTOS, IA. Manejo do fogo em veredas: novas perspec-tivas a partir dos sistemas agrícolas tradicionais no jalapão. Ambiente & Sociedade, v. 19, n. 3, p. 275-300, 2016.

http://dx.doi.org/10.1590/1809-4422ASOC20150020R1V1932016

BOWMAN DM, BALCH JK, ARTAXO P, BOND WJ, CARLSON JM, COCHRANE MA, JOHNSTON FH. Fire in the Earth system. Science, v. 324, n. 5926, p 481-484, 2009.

https://doi.org/10.1126/science.1163886

Brasil. Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012. Institui o Novo Código Florestal, 2012, acessado em 17/10/2019 através do link:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12651.html

Centro Integrado Multiagências de Coordenação Operacional Nacional (Ciman). Visão geral - Operações, [2019], aces-sado em 19/10//2019 através do link: http://queimadas.dgi.inpe.br/queimadas/ciman/operacoes/

Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Flo-restais (Prevfogo). Resumo expandido do relatório da com-pilação dos resgates do conhecimento tradicional sobre o uso do fogo em terras indígenas brasileiras. Brasília: Ibama, 34p. 2019.

COSTA YT, RODRIGUES, SC. Efeito do fogo sobre vegeta-ção e solo a partir de estudo experimental em ambiente de cerrado. Revista do Departamento de Geografia, v. 30, p. 149-165, 2015.

DALDEGAN GA, ROBERTS D A, RIBEIRO FF. Spectral mixture analysis in Google Earth Engine to model and delin-eate fire scars over a large extent and a long time-series in a rainforest-savanna transition zone. Remote Sensing of Envi-ronment, v. 232, 2019.

https://doi.org/10.1016/j.rse.2019.111340.

FALLEIRO RM, SANTANA MT, BERNI CR. As contribui-ções do Manejo Integrado do Fogo para o controle dos in-cêndios florestais nas Terras Indígenas do Brasil. Biodiver-sidade Brasileira, v. 6, n. 2, p. 88-105, 2016.

Fundação Nacional do Índio (Funai). Firmado acordo entre Funai e Ibama para combater e prevenir incêndios em terras indígenas, 2013, acessado em 05/11/2019 através do link:

http://www.funai.gov.br/index.php/comunicacao/noticias/1060-firmado-acordo-entre-funai-e-ibama-para-combater-e-prevenir-incendios-em-terras-indigenas

GHOSH PK, SAHOO B. Indigenous traditional knowledge. Orissa Review, p. 65-70, 2011.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Censo 2010: Características Gerais dos Indígenas – Resultados do Universo, 2010, acessado em 13/09/2019 através do link:

http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/caracteristicas_gerais_indigenas/default_caracteristicas_gerais_indigenas.shtm

Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Natu-rais Renováveis (Ibama). Portaria nº 2.094, de 6 de junho de 2019. Diário Oficial da União, Brasília, DF, ed. 110, seção 1, p. 62. 2019.

MERCER J., DOMINEY-HOWES, D, KELMAN, I, LLOYD K. The potential for combining indigenous and western knowledge in reducing vulnerability to environmen-tal hazards in small island developing states. Environmental Hazards, v. 7, n. 4, p 245-256, 2007.

https://doi.org/10.1016/j.envhaz.2006.11.001

Ministério do Meio ambiente (MMA). Projeto Cerrado Jala-pão - Apresentação, [2017?], acessado em 13/11/2019 atra-vés do link:

http://cerradojalapao.mma.gov.br/projeto

Ministério do Meio Ambiente - MMA. Portaria Nº 153, de 18 de março de 2019. Diário Oficial da União, Brasília, DF, ed. 68, seção 1, p. 124 2019.

MIRANDA HS, SATO MN, NETO WN, AIRES, FS. Fires in the cerrado, the Brazilian savanna. Tropical fire ecology. Berlin: Springer, p. 427-450, 2009.

MISTRY, J.; BILBAO, B. A.; BERARDI, A. Community owned solutions for fire management in tropical ecosystems: case studies from Indigenous communities of South Ameri-ca. Philosophical Transactions of the Royal Society B: Bio-logical Sciences, v. 371, n. 1696, p. 1-10, 2016.

https://doi.org/10.1098/rstb.2015.0174

MISTRY J, BERARD A, DURIGAN G. A influência do regime de fogo na variação estrutural em microescala e o mosaico da vegetação de Cerrado. Revista do Instituto Flo-restal, v. 22, n. 1, p. 33-49, 2010.

MONTENEGRO SR. Efeitos do manejo do fogo na estrutura de comunidades lenhosas em formações savânicas do Cer-rado. Ano de obtenção: 2019. Dissertação (Mestrado em Ecologia) - Universidade de Brasília, Departamento de Pós Graduação em Ecologia, Brasília.

MOUILLOT F, FIELD CB. Fire history and the global carbon budget: a 1× 1 fire history reconstruction for the 20th centu-ry. Global Change Biology, v. 11, n. 3, p 398-420, 2005.

https://doi.org/10.1111/j.1365-2486.2005.00920.x

MYERS RL. Convivendo com o Fogo - Manutenção dos ecossistemas e subsistência com o manejo integrado do fo-go. Tallahassee USA: The Nature Conservancy - Iniciativa Global para o Manejo do Fogo, 36p. 2006.

National Aeronautics and Space Administration (NASA). Archive Download, [2019], acessado em 15/08/2018 atra-vés do link:

https://firms.modaps.eosdis.nasa.gov/download/

PAUSAS JG, BRADSTOCK RA, KEITH DA, KEELEY JE. Plant functional traits in relation to fire in crown‐fire ecosys-tems. Ecology, v. 85, n. 4, p. 1085-1100, 2004. https://doi.org/10.1890/02-4094

Projeto MapBiomas. Projeto MapBiomas – Coleção 4 da Série Anual de Mapas de Cobertura e Uso de Solo do Brasil, 2019, acessado em 12/08/2019 através do link:

https://mapbiomas.org/

RAMOS-NETO MB, PIVELLO VR. Lightning fires in a Brazilian savanna National Park: rethinking management strategies. Environmental management, v. 26, n. 6, p 675-684, 2000.

https://doi.org/10.1007/s002670010124

SANTANA TF, FERNANDES HE, GIONGO M, MOURA WS, CABRAL KP, SOUZA, PB. Influência Do Fogo Na Germinação De Três Espécies Do Bioma Cerrado. Biodi-versidade, v. 18, n. 1, p 18-27, 2019.

SATO MN, MIRANDA HS. Mortalidade de plantas lenhosas do cerrado sensu stricto submetidas a diferentes regimes de queima. In: Impactos de Queimadas em Áreas de Cerrado e Restinga. Brasília: Universidade de Brasília, 1996.

SATO MN. Efeito a longo prazo de queimadas na estrutura da comunidade de lenhosas da vegetação do cerrado sensu stricto. Ano de obtenção: 2003. Tese (Doutorado acadêmico em Ecologia) - Universidade de Brasília, Departamento de Ecologia, Brasília.

SCHMIDT IB, FONSECA CB, FERREIRA MC, SATO MN. Implementação do programa piloto de manejo integra-do do fogo em três unidades de conservação do Cerrado. Biodiversidade Brasileira, v. 6, n. 2, p. 55-70, 2016.

SCHMIDT IB, MOURA, LC, FERREIRA MC, ELOY L, SAMPAIO, AB., DIAS PA, BERLINCK, CN. FIRE man-agement in the Brazilian savanna: First steps and the way forward. Journal of applied ecology, v. 55, n. 5, p 2094-2101, 2018.

https://doi.org/10.1111/1365-2664.13118

SCHROEDER W, OLIVA P, GIGLIO L, CSISZAR, IA. The New VIIRS 375 m active fire detection data product: Algo-rithm description and initial assessment. Remote Sensing of Environment, v. 143, p. 85-96, 2014.

https://doi.org/10.1016/j.rse.2013.12.008

Soares DF, Faria AM, Rosa AH. Análise de risco de contami-nação de águas subterrâneas por resíduos de agrotóxicos no município de Campo Novo do Parecis (MT), Brasil. Enge-nharia Sanitária Ambiental, v. 22, n. 2, p 277-284, 2017.

https://dx.doi.org/10.1590/s1413-41522016139118

Publicado
2019-12-31
Como Citar
Santa Rosa, A., Daldegan, R. A., Laranja, R. E. de P., & Franca, R. R. da. (2019). Resultados preliminares do manejo integrado do fogo nas terras indígenas Paresi. Journal of Biotechnology and Biodiversity, 7(4), 469-480. https://doi.org/10.20873/jbb.uft.cemaf.v7n4.srosa
Seção
Biodiversidade e Meio Ambiente