A SEGUNDA GUERRA MUNDIAL – CONFLITO E VIOLÊNCIA

  • Osvaldo Luiz Angel Coggiola

Resumo

Diversos autores postularam, em tempos recentes, a hipótese de que a Europa padeceu, no século XX, uma “Segunda Guerra dos Trinta Anos”, entre 1914 e 1945:a Segunda Guerra Mundial teria sido, essencialmente, a continuidade da Primeira, com motivos e protagonistas basicamente semelhantes (inclusive nas suas alianças internacionais), e com uma breve trégua entre ambas, uma espécie de “paz armada” no entre guerras, pontuada pela “grande depressão” econômica da década de 1930. Tratou-se, porém, para além dos elementos de continuidade, em especial da prática de massacres em massa, de conflitos de caráter diverso, até qualitativamente diferentes, diferença caracterizada, justamente, pela crise econômica mundial e a existência (sobrevivência) da URSS, incluído seu fortalecimento econômico e militar na década de 1930. Na Segunda Guerra Mundial houve sessenta milhões de homens em armas, entre 45 e 50 milhões de mortes (pela primeira vez num conflito bélico, a maioria delas na população civil) como resultado direto dos combates, ou oitenta milhões de pessoas, se forem contadas também as vítimas que morreram por fome, epidemias e doenças como resultado indireto da guerra — oito vezes mais vítimas do que na Primeira Guerra Mundial:] ao todo, aproximadamente 4% da população mundial da época, e tudo em escassos seis anos. Foi, em primeiro lugar, o conflito militar mais sangrento do todos os tempos. Ele envolveu as mais longínquas regiões do planeta, nos mares e na terra, na neve e no sol escaldante do deserto.

 

Biografia do Autor

Osvaldo Luiz Angel Coggiola

Professor Dr.  USP

Publicado
2017-08-24
Seção
Artigos