O estudo do léxico na Grammatica Expositiva, de Eduardo Carlos Pereira

Autores

  • Emanuela Rodrigues de Oliveira Universidade Federal de Campina Grande
  • Herbertt Neves Universidade Federal de Campina Grande https://orcid.org/0000-0002-4454-2755

DOI:

https://doi.org/10.20873.239212

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar como o estudo do léxico foi descrito na Grammatica expositiva: curso superior (1907), de Eduardo Carlos Pereira, a partir de fenômenos lexicais referentes ao som, à formação, ao sentido e à organização das palavras. Para isso, tecemos comentários sobre a gramatização (AUROUX, 2014), mais especificamente sobre a gramatização de língua portuguesa no Brasil, bem como sobre o estudo do léxico (ANTUNES, 2012; VILLALVA; SILVESTRE, 2014) em gramáticas. Nesse intuito, analisamos como os fenômenos lexicais estiveram presentes na Grammatica expositiva, verificando os impactos que a atmosfera intelectual da época teve na descrição do conhecimento lexical, expondo como tais fenômenos foram descritos. Como resultados, podemos inferir que a gramática em questão seguiu o padrão da gramática advinda do século XIX, sem maiores inovações para o momento de sua primeira edição, embora tenha sido um compêndio utilizado em larga escala por colégios à época e bastante conhecido até os dias atuais.

Biografia do Autor

Emanuela Rodrigues de Oliveira, Universidade Federal de Campina Grande

Mestranda em Linguagem e Ensino pela UFCG. Graduada em Letras - Português pela UFCG.

Herbertt Neves, Universidade Federal de Campina Grande

Professor de Língua Portuguesa e Linguística na Graduação e Pós-Graduação na UFCG e na UFPE. Doutor em Letras pela UFPE.

Referências

AUROUX, S. A revolução tecnológica da gramatização. Campinas: Editora da Unicamp, 2014.

ANTUNES, I. Muito além da gramática: por um ensino de línguas sem pedras no caminho. São Paulo: Parábola, 2007.

ANTUNES, I. Território das palavras: estudo do léxico em sala de aula. São Paulo: Parábola, 2012.

AQUINO, J. E. Júlio Ribeiro na história das ideias linguísticas no Brasil. Campinas, SP: 2016.

BUNZEN, C.; MEDEIROS, R. R. A. O ensino de gramática na primeira república (1889-1930): uma análise da Gramática expositiva, de Eduardo Carlos Pereira. Linha D’água. V. 29, N. 1, p. 119-141, jun. 2016.

CANÇADO, M. Manual de semântica: noções básicas e exercícios. São Paulo: Contexto, 2012.

CAVALIERE, R. Fonologia e morfologia na gramática científica brasileira. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, 2000.

CAVALIERE, R. Gramaticografia da língua portuguesa no Brasil: tradição e inovação. Limite. Revista de Estudios Portugueses y de la Lusofonía. Nº 6, 2012, p. 217-236.

FACCINA, R. L.; CASAGRANDE, N. S. A gramática expositiva da língua portuguesa: uma abordagem historiográfica. In: BASTOS, N. B.; PALMA, D. V. História entrelaçada 2: a construção de gramáticas e o ensino de língua portuguesa na primeira metade do século XX. Rio de Janeiro: Lucerna, 2006.

LAVILLE, C.; DIONNE, J. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Tradução de Heloísa Monteiro e Francisco Settineri. Porto Alegre: Artmed; Belo Horizonte: Editora UFMG, 1999.

LEITE, M. Q. O nascimento da gramática portuguesa: uso & norma. São Paulo: Paulistana; Humanitas, 2007.

MOLINA, M. A. G. Um estudo descritivo-analítico da “Gramática expositiva (curso superior)”, de Eduardo Carlos Pereira. Tese (Doutorado). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Universidade de São Paulo, 2004.

MOREIRA, H.; CALEFFE, L. G. Metodologia para o professor pesquisador. 2. ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2008.

NEVES, H. Argumentatividade das palavras: construção de aparato textual-interativo para o estudo do léxico e análise em textos do jornalismo recifense sobre as eleições de 2018. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Pernambuco. Centro de Artes e Comunicação. Programa de Pós-Graduação em Letras, Recife, 2020.

ORLANDI, E. P. O Estado, a gramática, a autoria: língua e conhecimento lingüístico. Línguas e instrumentos linguísticos. n. 4/5, 2000, p. 19-34.

PEREIRA, E. C. Grammatica expositiva da língua portuguesa. São Paulo: Weiszlog Irmãos & Co., 1907.

PERINI, M. A. Gramática descritiva do português brasileiro. Petrópolis: Vozes, 2016.

RAZZINI, M. P. G. História da disciplina Português na escola secundária brasileira. Revista Tempos e Espaços em Educação. V. 4, 2010, p. 43-58, jan./jun.

RIBEIRO, Julio. Grammatica Portugueza. São Paulo: Teixeira & Irmão, 1881.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

SOARES, M. Português na escola: história de uma disciplina curricular. In: BAGNO, M. (org.). Linguística da norma. São Paulo: Loyola, 2004.

SWIGGERS, P. Linguistic historiography: object, methodology, modelization. Todas as letras, v. 14, n. 1, 2012, p. 38-53.

VIEIRA, F. E. A gramática tradicional: história crítica. São Paulo: 2018.

VILLALVA, A.; SILVESTRE, J. P. Introdução ao estudo do léxico: descrição e análise do português. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

Downloads

Publicado

2023-11-20

Como Citar

Rodrigues de Oliveira, E., & Neves, H. (2023). O estudo do léxico na Grammatica Expositiva, de Eduardo Carlos Pereira. Porto Das Letras, 9(2), 288–311. https://doi.org/10.20873.239212

Edição

Seção

Instrumentos Linguísticos