O MODELO DE POLÍTICA PARA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO DO BRASIL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2017v3n3p207

Palavras-chave:

impacto das TIC, política pública, tecnologia e trabalho, desigualdade de acesso, comunicação ubíqua

Resumo

Os países em desenvolvimento se empemham em participar da Sociedade da Informação, por reconhecerem sua importância para o desenvolvimento econômico, social e político de uma nação. Este artigo analisou o Modelo Político do Programa Sociedade da Informação no Brasil - SocInfo, cujo percurso aconteceu nitidamente no início deste século. A implantação do Programa contou   com avanços e retrocessos, como por exemplo, a baixa articulação política. Uma das justificativas é  a efervescência provocada pela forte presença das TIC, ensejando o  descobrimento dos novos modos de vida. Ficou demonstrado que o uso apropriado de informações é a peça chave para que um cidadão ser um  agente ativo dentro da Sociedade da Informação. Confirma-se que a Internet  no Século XXI passou a ser principal traço da sociedade contemporânea, e a Web  termina por marcar a conquista dos direitos, quando o cidadão lhe é permitido  acessar os serviços oferecidos pelo mercado, ou pelo governo, como por exemplo, educação, comunicação, saúde e segurança. Pode-se afirmar que são os empregos daqueles que estão mais ou menos à margem da sociedade pós-moderna a questão de fundo, pois os que ficarem de fora, de certa maneira, estarão dispostos alterar  o curso do uso das TIC, e modular a inovação. Daqui para frente, possuir riquezas e serviços não será mais importante do que o sentimento de direitos mais coletivo, como a sustentabilidade do meio ambiente, que  ganha corpo com o suporte das  redes sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Benedito Medeiros Neto, Universidade de Brasília

Professor da Universidade de Brasília. Email: medeirosneto@unb.br

Referências

ANTUNES, R. Os sentidos do trabalho: ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho (4th ed.). São Paulo: Boitempo Editorial. 2001.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro. Jorge Zahar Editor. 2001.

BELL, D. The Coming of Post-Industrial Society. A Venture in Social Forecasting. Nova York: Basic Books. 1973.

BRASIL. Sociedade da Informação no Brasil – Livro Verde. Brasília: Ministério da Ciência e Tecnologia. 2000. Disponível em http://www.mct.gov.br/index.php/content/view/18878.html.

BRASIL. Livro Branco: Ciência, Tecnologia e Inovação. Brasília: Ministério da Ciência e Tecnologia. 2002.

CASTELLS, M.; FERNANDEZ-ARDÈVOL, M.; QIU, J. L.; SEY, A. Comunicación móvil y sociedad. Una perspectiva global. Ariel-Fundación Telefónica. 2007. Disponível em http://www.eumed.net/libros/2007c/indice.htm. Acessado em: 29 de outubro de 2012.

CASTELLS, M. Redes de Indignação e esperança: movimentos sociais na era da internet. Rio de Janeiro: ZAHAR. 2013.

COSTA SANTOS, P.L.V.A. da; CARVALHO, A.M.G. de. Sociedade da Informação: avanços e retrocessos no acesso e no uso da informação. Informação & Sociedade: Estudos, João Pessoa, v.19, n.1, p. 45-55, jan./abr. 2009.

KUMAR, K. Da Sociedade Pós-Industrial à Pós-moderna – Novas teorias sobre o mundo contemporâneo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar E. 2006.

MASI, D. O Futuro Chegou – Modelos de vida para uma sociedade desorientada. Rio de Janeiro: Casa da Palavra. 2013.

MEDEIROS NETO, B; MIRANDA, A. Aferindo a inclusão informacional dos usuários de telecentros e laboratórios de escolas públicas em programas de inclusão digital brasileiro. Informação & Sociedade: Estudos, João Pessoa, v. 19, n. 3, p. 109-122, set./dez. 2009.

MEDEIROS NETO, B. Avaliação dos impactos dos processos de inclusão digital e informacional nos usuários de programas e projetos no Brasil. Tese (Doutorado). Brasília: Faculdade de Ciência da Informação, UnB. 2012.

PASSARELLI, B. Literacias emergentes nas redes sociais: estado da arte e pesquisa qualitativas no Observatório da Cultura Digital. Em PASSARELLI, P.; AZEVEDO, J. (Orgs.). Atores em rede – olhares luso-brasileiros. São Paulo: Editora Senac. 2010.

SANTAELLA, Lucia. Comunicação ubíqua – Repercussões na cultura e na educação. São Paulo: Paulus. 2013.

SORJ, B. brasil@povo.com: a luta contra a desigualdade na Sociedade da Informação / Bernardo Sorj. – Rio de Janeiro: Jorge Zahar ED.; Brasília, DF: Unesco. 2003. Disponível em: http://www.bernardosorj.com/pdf/Brasil_@_povo_com.pdf. Acessado em: 02/12/2016.

SORJ, B. Latin America’s Elusive Democracies. [s.n], The Edelstein Center for Social Research. (E-Books Series 2, May 2007). Acessado em: 02/12/2016. Disponível em: http://static.scielo.org/scielobooks/kqbg9/pdf/sorj-978859966221 .pdf.

Publicado

2017-05-01

Como Citar

MEDEIROS NETO, Benedito. O MODELO DE POLÍTICA PARA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO DO BRASIL. Revista Observatório , [S. l.], v. 3, n. 3, p. 207–228, 2017. DOI: 10.20873/uft.2447-4266.2017v3n3p207. Disponível em: https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/article/view/3481. Acesso em: 18 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Temático / Thematic dossier / Dossier temático