PENSAMENTO COMUNICACIONAL NA ORQUESTRA DO ESTADO DE MATO GROSSO E O CAMPO DA MÚSICA DE CONCERTO EM CUIABÁ

Palavras-chave: Comunicação, Música de concerto, Orquestra do Estado de Mato Grosso

Resumo

Na perspectiva da “comunicação como cultura”, este artigo tem como questão central a relação entre pensamento comunicacional e a formação da música de concerto como campo artístico-cultural, num estudo de caso da Orquestra do Estado de Mato Grosso (OEMT). Criada em 2005, a OEMT instituiu um novo momento para a música de concerto em Cuiabá, capital de Mato Grosso, estado do Centro-Oeste com parte de seu território na Amazônia Legal. O funcionamento da OEMT na primeira década de atividade (2005-2015) atualiza-se com o desenvolvimento paralelo de estratégias de comunicação organizacional que redimensionam as relações da orquestra junto a seus diversos públicos. A interface entre distintos campos profissionais evidencia a dimensão comunicacional das práticas artísticas e culturais na contemporaneidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yuji Gushiken, Universidade Federal de Mato Grosso

Professor do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura Contemporânea (Mestrado e Doutorado) em Estudos de Cultura Contemporânea da Universidade Federal de Mato Grosso (P`PG ECCO-UFMT) em Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. Líder do Núcleo de Estudos do Contemporâneo (NEC-UFMT). Doutor em Comunicação e Cultura pela UFRJ.

Protásio de Morais Barbosa Júnior, Orquestra do Estado de Mato Grosso

Mestre em Estudos de Cultura Contemporânea pela Universidade Federal de Mato Grosso (PPG ECCO-UFMT). Jornalista graduado pelo Departamento de Comunicação da UFMT/Cuiabá e Assessor de Comunicação da Orquestra do Estado de Mato Grosso (OEMT). E-mail: protasioimprensa@gmail.com.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Chapecó:

Argos, 2009.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva,

a.

. Coisas ditas. São Paulo: Brasiliense, 2004 b.

. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1998.

FISHER, Heloísa. Anuário Viva! Música 2013, Rio de Janeiro, 2013.

GARCÍA CANCUNI, Néstor. Culturas híbridas: Estratégias para entrar e sair da

modernidade. São Paulo: Edusp, 1998)

KUNSCH, Margarida Maria Krohling. Planejamento de relações públicas na

comunicação integrada. São Paulo: Summus, 2003.

LIMA, Venício Artur de. Mídia: teoria e política. São Paulo: Fundação Perseu

Abramo, 2001.

ORQUESTRA DO ESTADO DE MATO GROSSO. Programa de Concertos 2005,

Cuiabá, 2005, 25 p.

. Programa de Concertos do ano de 2006, Cuiabá, 2006, 48 p.

. Programa de Concertos do ano de 2007, Cuiabá, 2007, 96 p.

. Programa de Concertos do ano de 2008, Cuiabá, 2008, 58 p.

. Programa de Concertos do ano de 2009, Cuiabá, 2009, 59 p.

. Programa de Concertos do ano de 2010, Cuiabá, 2010, 73 p.

. Programa de Concertos do ano de 2011, Cuiabá, 2011, 97 p.

Revista Observatório, Palmas, v. 2, n. 5, p. 200-224, set./dez. 2016

revisto

O bservotório

ISSN n° 2447-4266 Vol. 2, n. 5, Setembro-Dezembro. 2016

DPI: http://dx.doL.org/10.20873/uft.2447-4266.2016v2n5p200

. Programa de Concertos do ano de 2012, Cuiabá, 2012, 86 p.

. Programa de Concertos do ano de 2013, Cuiabá, 2013, 72 p.

ORQUESTRA DO ESTADO DE MATO GROSSO. Balanço da Programação de 2005,

Cuiabá, 2005, 40 pg.

. Balanço da Programação de 2006, Cuiabá, 2006, 45 p.

. Balanço da Programação de 2007, Cuiabá, 2007, 50 p.

. Balanço da Programação de 2008, Cuiabá, 2008, 100 p.

. Balanço da Programação de 2009, Cuiabá, 2009, 80 p.

. Balanço da Programação de 2010, Cuiabá, 2010, 97 p.

. Balanço da Programação de 2011, Cuiabá, 2011, 97 p.

. Balanço da Programação de 2012, Cuiabá, 2012, 51 p.

REGO, Francisco Gaudêncio Torquato do. Tratado de comunicação

organizacional e política. 2. ed.. São Paulo: Cengage Learning, 1985.

Publicado
2016-12-25
Como Citar
GUSHIKEN, Y.; BARBOSA JÚNIOR, P. DE M. PENSAMENTO COMUNICACIONAL NA ORQUESTRA DO ESTADO DE MATO GROSSO E O CAMPO DA MÚSICA DE CONCERTO EM CUIABÁ. Revista Observatório, v. 2, n. 5, p. 200-224, 25 dez. 2016.
Seção
Dossiê Temático / Thematic dossier / Dossier temático