Sofrimento ético e moral: uma Interface com o contexto dos profissionais de enfermagem

Resumo

Este artigo tem como objetivo relacionar os conceitos de sofrimento ético e moral às práticas dos profissionais de enfermagem, de forma a identificar como esses trabalhadores são afetados por esse sofrimento em situações relacionadas ao seu trabalho. Por meio de revisão bibliográfica foi possível, através de um breve esclarecimento teórico-filosófico das palavras ética e moral, obter maior entendimento desses conceitos. Tendo como pano de fundo a teoria da Psicodinâmica do Trabalho, onde surge pela primeira vez o conceito sofrimento ético, foi possível realizar uma reflexão sobre o sofrimento do indivíduo ao negar a si e aos seus valores com a finalidade de realizar ou pactuar com ações que condena moralmente no seu trabalho. Ao abordarmos estudos que pesquisaram o sofrimento ético e moral em trabalhadores da saúde, sobretudo os de enfermagem, percebeu-se que os trabalhadores da área estão muito vulneráveis a escolhas que geram sofrimento ético em decorrência do seu próprio trabalho de cuidador. Concluiu-se que, ainda que a maior parte da literatura abordada utilize-se do conceito de sofrimento moral, é possível relacionarmos este ao sofrimento ético e contribuir para ampliar as discussões e produções relativas à temática tendo em vista seu impacto sobre a saúde mental desses profissionais.

Biografia do Autor

Erika Gonçalves Ambrósio, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Psicóloga pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Especialista em Saúde da Família e Comunidade (HESFA/UFRJ). Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Psicologia (IP/UFRJ).

Vanessa Matos Lima

Pós-graduada em MBA gestão de Recursos Humanos pela Universidade Federal Fluminense. Formada pelas Faculdades Integradas Maria Thereza em Psicologia. Atuante nas práticas de gestão de pessoas desde 2011.

Elisete Soares Traesel, Universidade Federal Fluminense

Doutora em Psicologia Social e Institucional pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Docente adjunta em Psicologia Organizacional e do Trabalho da UFF-PUCG. Tem profunda experiência na área da Psicologia, com ênfase em Psicologia do Trabalho e das Organizações, Saúde do Trabalhador, Clínica do Trabalho, Psicodinâmica do Trabalho e em Subjetividade, Saúde e Processos Sociais na Contemporaneidade.

Publicado
2019-06-13
Seção
Artigos Teóricos e Empíricos