Enzimas fúngicas em dietas com alimentos alternativos para frangos de crescimento lento

  • Carla Fonseca Alves-Campos Universidade Federal do Tocantins
  • Kênia Ferreira Rodriguês Universidade Federal do Tocantins/TO
  • Roberta Gomes Marçal Vieira Vaz Universidade Federal do Tocantins/TO
  • Giovana Cristina Giannesi Universidade Federal de Mato Grosso do Sul/UFMS
  • Gerson Fausto da Silva Universidade Federal do Tocantins
  • Iberê Pereira Parente Instituto Federal do Maranhão/IFMA
  • Aline Ferreira Amorim Universidade Federal do Tocantins/TO
  • Aleane Francisca Cordeiro Barbosa
  • Mônica Calixto da Silva Universidade Federal do Tocantins/TO
  • Flávia Luzia Rodrigues Fonseca
  • Caroliny Costa Araújo
  • Valquíria Sousa Silva Universidade Federal do Tocantins/TO
  • Jefferson Rodrigues da Silva Universidade Federal do Tocantins
  • Ecione Martins Silva Universidade Federal do Tocantins/TO
  • Márcio Luz Campos Universidade Federal do Tocantins
  • Shayanne Batista Machado Universidade Federal do Tocantins

Resumo

Objetivou-se nesta revisão abordar sobre enzimas fúngicas e seus efeitos em dietas com alimentos alternativos para frangos de crescimento lento. A alimentação representa maior parte do custo total de produção e para reduzir os gastos e aumentar o lucro do produtor têm sido pesquisados alimentos alternativos, como a torta de babaçu, a torta de dendê e o bagaço de mandioca, que demonstram potencial de utilização na alimentação de frangos caipira, no entanto, com limitação de uso, devido os diferentes teores de fibra. Os polissacarídeos não amiláceos dificultam o acesso das enzimas digestíveis sobre o alimento, diminuindo a digestibilidade dos nutrientes. Para minimizar esse efeito, têm sido suplementados enzimas exógenas nas dietas das aves. Várias fontes podem originar esses aditivos, sendo a maioria adquirida por meio dos processos fermentativos. A temperatura, o pH, a concentração do substrato e a composição dos ingredientes são fatores que influenciam a ação enzimática e, consequentemente, a disponibilidade dos nutrientes. O uso das enzimas fúngicas pode aumentar o valor nutricional do alimento e melhorar a digestibilidade dos nutrientes, refletindo na eficiência produtiva, representando economia no custo de produção e benefícios ao meio ambiente, todavia, torna-se necessário avaliar o uso em dietas com alimentos alternativos de expressão regional.

Publicado
2017-04-19
Como Citar
ALVES-CAMPOS, Carla Fonseca et al. Enzimas fúngicas em dietas com alimentos alternativos para frangos de crescimento lento. DESAFIOS, [S.l.], v. 4, n. 2, p. 35-53, abr. 2017. ISSN 2359-3652. Disponível em: <https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/desafios/article/view/3219>. Acesso em: 25 maio 2017. doi: https://doi.org/10.20873/uft.2359-3652.2017v4n2p35.
Seção
Artigos