TRATAMENTO CIRÚRGICO DE PARONÍQUIA CRÔNICA

  • Ellen Carolina Sidorak Eineck UNIRG
  • Nathália Macêdo Ferreira UNIRG
  • Andressa de Oliveira Matos UNIRG
  • Layanne Camargo Rodrigues UNIRG
  • Carla Angélica Turine von Glehn UNIRG

Resumo

A paroníquia é uma afecção da prega ungueal proximal (PUP) de um ou mais dedos das mãos e/ou dos pés, que pode comprometer parte das dobras laterais, sendo caracterizada por inflamação, infecção e/ou distrofia ungueal. Isto ocorre devido ao traumatismo mecânico ou químico, que lesa a cutícula, facilitando a penetração de agentes irritantes ou alergênicos e leva a uma inflamação local com consequente invasão ocasional de agentes infecciosos. Deste modo, é considerada dermatite ocupacional por ser frequentemente encontrada em profissionais que lidam com irritantes. A paroníquia é dividida em aguda ou crônica, sendo esta uma inflamação das dobras ungueais com duração superior a 6 semanas. Dependendo da duração e gravidade do caso, o tratamento será clínico ou cirúrgico, contudo o clínico é muitas vezes insatisfatório. O objetivo deste trabalho é demonstrar por meio do relato de caso em questão, a evolução da doença frente a tratamentos específicos, incluindo medidas gerais, terapia clinica e cirúrgica, a fim de sugerir condutas mais satisfatórias à regressão deste tipo de quadro. Neste relato, os autores descrevem um caso de paroníquia crônica, tendo em base anamnese, informações do prontuário, registro  fotográfico, além do uso de literatura pertinente. O paciente passou por tratamento clínico e devido a resultados não satisfatórios foi realizada cirurgia, que após acompanhamento e recuperação culminou com a regressão do quadro, havendo então a regeneração da unha. Deste modo, foi concluído que em casos refratários, crônicos, que não respondem à medicamentos e medidas gerais, a melhor opção é cirúrgica.  

Palavras-chave: paroniquia; dermatite ocupacional; cirurgia.

The paronychia is a disease of the proximal nail fold (PNF) of one or more fingers and/or toes, which can compromise part of the lateral folds, being characterized by inflammation, infection and/or nail dystrophy. This occurs due to mechanical or chemical trauma that damages the cuticle, facilitating the penetration of irritants or allergens and leads to local inflammation with consequent occasional invasion of infectious agents. Thus, it is considered occupational dermatitis because it is often found in professionals who deal with irritants. Paronychia is divided into acute or chronic, which is an inflammation of the nail folds lasting more than 6 weeks. Depending on the duration and severity of the case, the treatment will be clinical or surgical, however the clinician is often unsatisfactory. The aim of this work is to demonstrate through the reported case in question, the evolution of the disease front of specific treatments, including general measures, clinical and surgical therapy in order to suggest more satisfactory way to reach the regression of this kind of condition. In this report, the authors describe a case of chronic paronychia, having based on anamnesis, chart info, photographic record and the use of relevant literature. The patient passed by clinical treatment and due to unsatisfactory results was realized surgery, which after follow-up and recovery culminated with the regression of the condition, and then the nail regeneration. Thus, was conclusive that in refractory and chronic cases, which do not respond to medications and general measures, the best option is surgical.

Keywords: paronychia; occupational dermatitis; surgery.

Biografia do Autor

Ellen Carolina Sidorak Eineck, UNIRG

Graduanda em Medicina

Nathália Macêdo Ferreira, UNIRG

Graduanda em Medicina

Andressa de Oliveira Matos, UNIRG

Graduanda em Medicina pelo Centro Universitário UnirG

Layanne Camargo Rodrigues, UNIRG

Graduanda em Medicina pelo Centro Universitário UnirG.

Carla Angélica Turine von Glehn, UNIRG
  1. Médica Dermatologista.
  2. Esp. Professora Assistente da disciplina de Dermatologia do Curso de Medicina do Centro Universitário UnirG – Gurupi.
Publicado
2018-12-09