Cartografia escolar e atlas escolares municipais Brasil/Moçambique: o estudo do espaço local e a formação de professores

Palavras-chave: Espaço local. Formação de professores. Ensino de Geografia. Cidadania. Cartografia Escolar

Resumo

Este artigo aborda a discussão sobre a importância do estudo do espaço local e de sua representação, a partir de atlas escolares municipais.  Trata-se de uma pesquisa que vem sendo desenvolvida em parceria entre a Universidade Federal de Goiás, no Brasil, e a Universidade Pedagógica de Moçambique, com financiamento do Governo Federal, através da CAPES/MEC. O objetivo desse trabalho é investigar o processo formativo do professor do Ensino Fundamental I e do Ensino Básico, que atua na rede pública de ensino, bem como a construção dos saberes geográficos, a partir da mediação com os atlas escolares municipais de Goiânia/Brasil e de Maputo/Moçambique. A pesquisa vem contribuindo para o desenvolvimento de bases teóricas e metodológicas, na construção e utilização de material cartográfico, pelos professores do Ensino Fundamental no Brasil e em Moçambique, que possibilitem o incentivo do uso da linguagem cartográfica no ensino, a partir da mobilidade docente, discente, palestras, mini-cursos, projetos de extensão e de pesquisa. Os atlas escolares municipais se constituem como materiais didáticos interessantes no ensino de Geografia, na medida em que localizam, representam e contribuem na leitura e na análise espacial de lugares distintos. A experiência já é realidade em vários municípios brasileiros, e o resultado tem comprovado que a utilização de tais materiais muito contribui na formação docente. A metodologia de desenvolvimento da pesquisa consiste desde a realização de um levantamento bibliográfico, com referenciais teórico-metodológicos, focados na Cartografia Escolar, formação de professores e ensino de Geografia, até levantamentos de dados atualizados, em fontes primárias e secundárias, sobre os municípios em questão - Goiânia e Maputo. Os dados levantados não dizem respeito apenas às demandas curriculares, pelo contrário, buscam também contemplar as especificidades locais, o que faz com que o material contenha diferentes abordagens sobre o cotidiano dos alunos. Recentes pesquisas realizadas pela nossa equipe mostraram que a utilização de atlas escolares municipais (impressos) vem cada dia mais, contribuindo para a formação docente e a construção da cidadania.

Referências

ALMEIDA, Rosângela Doin de. (Org.) Cartografia Escolar. São Paulo, Contexto, 2007.

AGUIAR, V.T.B. de. Atlas geográfico escolar. Tese de doutorado. Instituto de Geociências e Ciências Exatas/Unesp. Rio Claro, 1996.

ALBUQUERQUE, M.A.M. Livros didáticos e currículos de geografia - pesquisas e usos: uma história a ser contada. In: TONINI, I.M. [et al] (orgs.). O ensino de geografia e suas composições curriculares. Porto Alegre: UFRGS, 2011. p. 155-168.

ALMEIDA, R.D. Do desenho ao mapa: iniciação cartográfica na escola. São Paulo: Contexto, 2001.

BARCA, Alberto Martins Xavier da. O mapa no ensino da Geografia em Moçambique, 1989 Trabalho de conclusão do curso (Graduação em Licenciatura em História e Geografia) - Universidade Pedagógica -Maputo, 1989.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Geografia. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL . Guia de livros didáticos - PNLD 2010: Geografia. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2009.

BRASIL. Ministério da Educação, Secretaria da Educação Básica. Elementos conceituais e metodológicos para definição dos direitos de aprendizagem e desenvolvimento do ciclo de alfabetização (1.o, 2.o e 3.o anos) do ensino fundamental. Brasília: Ministério da Educação, 2012.

BUENO, M.A. e COMPIANI, M. O estudo do lugar e a fundamentação geográfica dos atlas escolares municipais no Brasil. Anais do X Encontro de Geógrafos da América Latina. Universidade de São Paulo, 2005.

BUENO, M.A. Atlas escolares municipais e a possibilidade de formação continuada de professores: um estudo de caso em Sena Madureira/AC. Tese de Doutorado. Campinas, IGE/UNICAMP, 2008.

CALLAI, H.C. A formação do profissional da Geografia: o professor. Ijuí: Ed. Unijuí, 2013.

CALLAI, Helena. Educação Geográfica: Ensinar e aprender Geografia. In: CASTELLAR, Sónia M. Vanzella e MUNHOZ, Gislaine Batista (orgs). Conhecimentos escolares e caminhos metodológicos. São Paulo: Xamã, 2012.

CASTELLAR, S.M.V. Educação geográfica: a psicogenética e o conhecimento escolar. In: Cadernos Cedes/Centros de Estudos Educação-Sociedade. Vol. 1, n. 66. São Paulo: Cortez; Campinas: Cedes, 2005.

CAVALCANTI, L.de S. Concepções Teórico-Metodológicas da Geografia Escolar no Mundo Contemporâneo e Abordagens no Ensino. In: SANTOS, Lucíola de Castro. et.al. (Org.) Convergências e Tensões no Campo da Formação e trabalho docente: Currículo, Ensino de Educação Física, Ensino de Geografia, Ensino de História, Escola, Família, Comunidade. Belo Horizonte: Autêntica 2010.

CAVALCANTI, L.de S. Geografia, escola e construção de conhecimento. Campinas: Papirus, 1998.

CAVALCANTI, L.de S. O ensino de Geografia na escola. Campinas: Papirus, 2012.

INDE/MINED. Programa do Ensino Básico do II° Ciclo, Maputo, 2003.

INDE/MINED. Programa do Ensino Básico do III° Ciclo, Maputo, 2003.

JOÃO, Manuel Isabel. O uso do mapa geográfico no processo de ensino-aprendizagem. Caso da 10ª classe na Escola Secundária Estrela Vermelha, cidade de Maputo. 2006. Trabalho de Conclusão do Curso (Graduação em Licenciatura em História e Geografia). Universidade Pedagógica-Maputo. Maputo, 2006.

LASTÓRIA, A.C. & FERNANDES, S.A.S. A Geografia e a linguagem cartográfica: de nada adianta saber ler um mapa se não se sabe aonde quer chegar. In: Ensino em Re-Vista, v. 19, n. 02 (jul./dez.), 2012. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/emrevista/article/view/14939

LESANN, J. G. Dar o peixe ou ensinar a pescar? Do papel do Atlas escolar no Ensino Fundamental. Anais do II Colóquio Cartografia para Crianças. In: Revista Geografia e Ensino, Belo Horizonte, v. 6, n.1. p. 31-34, março de 1997.

LESANN, Janine Gisèle; SILVA, Míriam Aparecida Bueno, MOURA, Ana Clara Mourão. Atlas escolar de Gouveia. Diamantina: Prefeitura Municipal de Gouveia, 1997. 2a ed., 1998. 3a ed., 1999.

MACANDZA, Manuel. Utilização do Material Cartográfico no Ensino e Aprendizagem da Geografia. Estudo de caso da Escola Secundária de Magude. 2013. Dissertação ( Mestrado). Departamento de Geografia, Univeridade Pedagógica,Maputo, 2010.

MOÇAMBIQUE. Plano Curricular do Ensino Básico. Maputo: INDE/MINED, 2003.

OLIVEIRA, A.R. GeoqaASAgrafia e Cartografia escolar: o que sabem e o que ensinam professoras das séries iniciais do Ensino Fundamental? In: Revista Educação e Pesquisa, v. 34, n. 03 (set./dez.), 2008. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/ep/article/view/28101

OLIVEIRA, L. Estudo metodológico e cognitivo do mapa. Tese de doutorado. IGEOG/USP. São Paulo, 1978.

RICHTER, D. O mapa mental no ensino de Geografia: concepções e propostas para o trabalho docente. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2011. Disponível em: http://www.culturaacademica.com.br/_img/arquivos/O_mapa_mental_no_ensino_de_geografia.pdf

SEEMANN, J. Mapas, mapeamentos e a cartografia da realidade. In: Revista Geografares, n. 04. Vitória: EdUFES, 2003. p. 49-60.

SILVA, K.A. A formação continuada de professores do Ensino Fundamental I, a partir do atlas escolar municipal de Trindade/GO. Dissertação de Mestrado. IESA/UFG. Goiânia, 2014.

SIMIELLI, M.E.R. Cartografia no ensino fundamental e médio. In: CARLOS, A.F.A.A. (org.). Geografia em sala de aula. São Paulo: Contexto, 1999, p. 92-108.

SITOE, Carlitos. Papel desperdício como fonte para a produção de esboços de mapas didáticos: uma alternativa para o ensino da Geografia. 2006. Trabalho de Conclusão do Curso (Graduação em Licenciatura em História e Geografia). Universidade Pedagógica-Maputo, 2006.

Publicado
2016-03-21