PERÍCIA PSICOLÓGICA ADMINISTRATIVA DA SAÚDE DO SERVIDOR PÚBLICO

  • Mariana Bonomini Fogaça de Almeida Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
  • Elaine Cristina Soares da Silveira Secretaria de Estado da Administração de Santa Catarina (SEA-SC)
  • Rafaela Luiza Trevisan UFSC
  • Roberto Moraes Cruz Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
Palavras-chave: perícia psicológica, perícia administrativa, saúde do trabalhador, servidor público

Resumo

A perícia psicológica administrativa em saúde do servidor público é uma atividade relativamente recente e carece de produções científicas e técnicas relevantes. O objetivo deste artigo é caracterizar a perícia psicológica administrativa nos serviços de perícia em saúde do serviço público no Brasil. Foi realizado um estudo descritivo-exploratório, com base em dados de vinte e seis estados brasileiros e o Distrito Federal. Apenas onze estados ofereceram dados de identificação dos serviços e das equipes de trabalho e somente os profissionais do estado de Santa Catarina retornaram com a assinatura do termo de consentimento livre e esclarecido. Santa Catarina é o estado que conta com o maior número de psicólogos atuando na perícia administrativa (16 profissionais), os quais já possuem um fluxo de decisões e laudo desenvolvidos no próprio serviço. A investigação pericial envolve análise de prontuários, avaliação com o periciado, visitas técnicas no local de trabalho, contato com familiares do periciado e colegas/superiores no trabalho. Conclui-se que a inserção de psicólogos na equipe pericial contribuiu para o aprimoramento da investigação dos agravos à saúde mental dos servidores, assim como para estabelecimento do nexo causal entre trabalho e doença, nos moldes de uma compreensão biopsicossocial de saúde.

Biografia do Autor

Mariana Bonomini Fogaça de Almeida, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Psicóloga e mestre em Saúde Mental e Atenção Psicossocial. Membro colaborador do Laboratório Fator Humano UFSC.

Elaine Cristina Soares da Silveira, Secretaria de Estado da Administração de Santa Catarina (SEA-SC)

Psicóloga perita. Membro colaborador do Laboratório Fator Humano UFSC.

Rafaela Luiza Trevisan, UFSC

Psicóloga na SEA/SC. Mestra e doutoranda pelo PPGPsi-UFSC

Roberto Moraes Cruz, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Professor e pesquisador do Departamento e do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFSC. Coordenador do Laboratório Fator Humano.

Referências

Araújo, José Newton Garcia de, & Barros, Vanessa Andrade de. (2019). Work psychology and the work clinics in Brazil. Laboreal, 15(2), 1-13. https://dx.doi.org/10.4000/laboreal.15515

Baasch, D., Trevisan, R. L., & Cruz, R. M. (2017). Perfil epidemiológico dos servidores públicos catarinenses afastados do trabalho por transtornos mentais de 2010 a 2013. Ciência & Saúde Coletiva, 22, 1641-1650. https://www.scielosp.org/article/csc/2017.v22n5/1641-1650/es/

Guilland, R., & Moraes-Cruz, R. (2017). Prevalência de transtorno mental e comportamental em trabalhadores de indústrias de abate de suínos e aves no sul do Brasil. Revista Colombiana de Psicología, 26(1), 163-177. http://www.scielo.org.co/pdf/rcps/v26n1/0121-5469-rcps-26-01-00163.pdf

Benetti, L. T. & Araújo, A. F. de (2008). As relações de trabalho do servidor público: regime estatutário x regime celetista. Revista Científica Eletrônica De Ciências Contábeis, XI, 11. http://www.revista.inf.br/contabeis/pages/artigos/cc-edic11-anoVIart04.pdf

Bim, M. C. S., &Murofuse, N. T. (2014). Benefício de Prestação Continuada e perícia médica previdenciária: limitações do processo. Serviço Social & Sociedade, (118), 339-365. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-66282014000200007

Brasil (1923). Decreto nº 4.682, de 24 de janeiro de 1923. DOU de 28/01/1923 – Lei Eloy Chaves - Cria, em cada uma das empresas de estradas de ferro existentes no país, uma Caixa de Aposentadoria e Pensões para os respectivos empregados. Brasília, DF. http://www010.dataprev.gov.br/sislex/paginas/23/1923/4682.htm

Brasil (1939). Decreto-Lei nº 1.713, de 28 de outubro de 1939. Dispõe sobre o Estatuto dos funcionários públicos civis da União. Brasília, DF. http://www3.dataprev.gov.br/sislex/paginas/24/1939/1713.htm

Brasil (1952). Lei nº 1.711, de 28 de outubro de 1952. Dispõe sobre o Estatuto dos Funcionários Públicos Civis da União, revogada pela Lei nº 8.112, de 1990. Brasília, DF. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/1950-1969/L1711.htm

Brasil (1999). Resolução INSS/DC nº 10, de 23 de dezembro de 1999 – Aprova os Protocolos Médicos, com alterações realizadas pela Coordenação-Geral de Benefícios por Incapacidade da Diretoria de Benefícios e dá outras providências. https://www.legisweb.com.br/legislacao/?id=97218

Carneiro, S. A. M. (2006). Saúde do trabalhador público: questão para a gestão de pessoas – a experiência na Prefeitura de São Paulo. Brasília–2006, 57(1), 23-49. https://revista.enap.gov.br/index.php/RSP/article/view/188. DOI: https://doi.org/10.21874/rsp.v57i1.188

Cervo, A. L. & Bervian, P. A. (2002). Metodologia científica. 5.ed. São Paulo: Prentice Hall.

Conselho Federal de Psicologia [CFP] (2005). Resolução CFP n° 010 de 21 de julho de 2005. Dispõe sobre o Código de Ética dos Profissionais da Psicologia. https://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/2012/07/codigo-de-etica-psicologia.pdf

Conselho Federal de Psicologia [CFP] (2012). Resolução nº 17/2012. Dispõe sobre a atuação do psicólogo como perito em diversos contextos. http://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/2013/01/Resolu%C3%A7%C3%A3o-CFP-n%C2%BA-017-122.pdf

Conselho Federal de Psicologia [CFP] (2019). Resolução nº 006, de 2019. Orientações sobre elaboração de documentos escritos produzidos pela(o) psicóloga(o) no exercício profissional. Brasília -DF. https://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/2019/09/Resolu%C3%A7%C3%A3o-CFP-n-06-2019-comentada.pdf

Cordioli, A. V., Zimmermann, H. H., &Kessler, F. (2004). Rotina de avaliação do estado mental. http://www.ufrgs.br/psiquiatria/psiq/Avalia%C3%A7%C3%A3o%20%20do%20Estado%20Mental.pdf

Cruz Serafim, A., Campos, I. C. M., Cruz, R. M., &Rabuske, M. M. (2012). Riscos psicossociais e incapacidade do servidor público: um estudo de caso. Psicologia Ciência e Profissão, 32(3), 686-705. http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-98932012000300013&script=sci_abstract&tlng=pt

Cruz, R. M. (2002). Perícia em psicologia e laudo. In: R. M. Cruz, J. C Alchieri& J. J. Sardá Júnior (Orgs.). Avaliação e Medidas Psicológicas: Produção do conhecimento e da intervenção profissional (p. 264-274). São Paulo: Casa do Psicólogo.

Cruz, R. M. (2010). Nexo técnico e vigilância à saúde do trabalhador: uma agenda científica para o NTEP. In: J. Machado, L. Soratto, W. Codo (orgs.) (2010). Saúde e trabalho no Brasil: uma revolução silenciosa - o NTEP e a previdência social. Rio de Janeiro: Vozes, p. 256-272.

Cruz, R. M. (2017). Perícia psicológica no contexto do trabalho. São Paulo: Vetor. ISBN: 9788575858462.

Cruz, R. M. (2020). Perícia psicológica trabalhista. In: C. S. Hutz, D. R. Bandeira, C. M. Trentini, S. l. R. Rovinski, & V. M. Lago (orgs.). Avaliação psicológica no contexto forense. Porto Alegre: Artmed, p. 265-281.

Cruz, R. M., & Maciel, S. K. (2005). Perícia de danos psicológicos em acidentes de trabalho. Estudos e Pesquisas em Psicologia, 5(2), 120-129. http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1808-42812005000200012

Dalgalarrondo, P. (2008). Psicopatologia e semiologia dos transtornos mentais.2ª ed. Porto Alegre: Artmed.

Di Pietro, M. S. Z. (2003). Direito administrativo. São Paulo: Atlas.

Duncan B.B., Schmidt M.I., & Giugliani E.R.J. (orgs.) (2004). Medicina ambulatorial: condutas de atenção primária baseada em evidências. 3ª ed. Porto Alegre: Artmed.

Fonseca, J. C. de F. & Tolfo, S. (2015). Sentidos e significados do trabalho na implantação do Subsistema Integral de Atenção à Saúde do Servidor (SIASS): a perspectiva dos médicos peritos In: Trabalho e saúde: cenários, impasses e alternativas no contexto brasileiro. SP: Opção, 2015, p. 139-162. http://bit.ly/2Sf5d8g

Gomes, M. da M. (2009). Epilepsia e incapacidade laborativa. Journal of Epilepsy and Clinical Neurophysiology, 15(3). 130-134. http://www.scielo.br/pdf/jecn/v15n3/v15n3a07.pdf

Gorski, L. P., Lopes, S. G., & Silva, E. B. D. (2013). Perícia fonoaudiológica: conhecimento e atuação dos profissionais da fonoaudiologia de dois estados do Brasil. Revista CEFAC, 15(5), 1338-1346. http://www.scielo.br/pdf/rcefac/v15n5/v15n5a31.pdf

Lacaz, F. A. C. (2016). Continuam a adoecer e morrer os trabalhadores: as relações, entraves e desafios para o campo Saúde do Trabalhador. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 41(13), 1-11. http://www.scielo.br/pdf/rbso/v41/2317-6369-rbso-41-e13.pdf

Lehman, B. J., David, D. M., & Gruber, J. A. (2017). Rethinking the biopsychosocial model of health: Understanding health as a dynamic system. Social and Personality Psychology Compass, 11(8), e12328. https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/spc3.12328. DOI: https://doi.org/10.1111/spc3.12328

Ministério da Saúde (2006). Departamento de Atenção Básica. Envelhecimento e saúde da pessoa idosa/Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica - Brasília: Ministério da Saúde, 2006. 192 p. il. Cadernos de Atenção Básica, n. 19. Série A. Normas e Manuais Técnicos.

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (2010). Manual de perícia oficial em saúde do servidor público federal. Brasília, DF. http://das.prodegesp.ufsc.br/files/2016/08/Manual-SIASS-%E2%80%93-Per%C3%ADcia.pdf

Müller, F. G., Cruz, R. M., & Roberti Junior, J. P. (2013). Perícia em saúde do trabalhador: contribuições da perícia psicológica judicial. CAMINHOS: Revista on-line, v. 4, p. 65-85, 2013. https://s3-sa-east-1.amazonaws.com/siteunidavi/revistaCaminhos/humaniadeano4.pdf

Nunes, A. V. de L. & Lins, S. L. B. (2009). Servidores Públicos Federais: uma análise do prazer e sofrimento no trabalho. Revista rPOT: Psicologia, Organização e Trabalho, 9 (1). https://periodicos.ufsc.br/index.php/rpot/article/view/11830

Nunes, C. H. S. S, Hutz, C. S., & Nunes, M. F. O. N. (2013). Bateria Fatorial de Personalidade. São Paulo: Casa do Psicólogo, 3ª reimpressão 2016, 240p. ISBN: 978-85-8040-412-8.

Ramminger, T. & Nardi, H. C. (2007). Saúde do trabalhador: um (não) olhar sobre o servidor público. http://repositorio.enap.gov.br/handle/1/1395

Rocha, S. H., & de Azevedo Bussinguer, E. C. (2017). A invisibilidade das doenças mentais ocupacionais no mundo contemporâneo do trabalho. Pensar-Revista de Ciências Jurídicas, 21(3), 1104-1122. file:///C:/Users/hp/Downloads/4470-21815-1-PB.pdf

Rovinski, S. L. R. (2007). Avaliação psicológica no contexto forense. Avaliação psicológica: perspectivas e contextos. 1ed. São Paulo: Vetor

Santa Catarina (1978). Decreto nº 4.413, de 08 de fevereiro de 1978. Dispõe sobre a implantação de divisão estadual de perícia médica no serviço público estadual e da outras providencias. Santa Catarina. http://www.pge.sc.gov.br/index.php/legislacao-estadual-pge

Santa Catarina (1984). Decreto nº 23.752, de 19 de outubro de 1984. Transforma e integra cargos na estrutura organizacional básica da secretaria da administração. Santa Catarina. http://www.pge.sc.gov.br/index.php/legislacao-estadual-pge

Santa Catarina (2010). Decreto No 3.338, de 23 de junho de 2010. Manual de Normas Técnicas Médico-Periciais. Diretoria de Saúde do Servidor – DSAS. Secretaria de Estado da Administração - SEA, do Estado de Santa Catarina. http://server03.pge.sc.gov.br/LegislacaoEstadual/2010/003338-005-0-2010-003.htm

Seligmann-Silva, E., Bernardo, M. H., Maeno, M., & Kato, M. (2010). O mundo contemporâneo do trabalho e a saúde mental do trabalhador. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 35(122), 187-191. http://dx.doi.org/10.1590/S0303-76572010000200002

Suls, J., & Rothman, A. (2004). Evolution of the biopsychosocial model: prospects and challenges for health psychology. Health Psychology, 23(2), 119. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15008654. DOI: 10.1037/0278-6133.23.2.119

Wade, D. T. & Halligan, P. W. (2017). The biopsychosocial model of illness: a model whose time has come. ClinicalRehabilitation, 31(8), 995-1004. https://doi.org/10.1177/0269215517709890

Wechsler, D. (2004). Escala de Inteligência Wechsler para Adultos - WAISS III. Adaptação Brasileira: Elizabeth do Nascimento. São Paulo: Pearson Clinical, 412p. ISBN: 978-85-7396-324-3

World Health Organization [WHO] (2001). The World Health Report 2001: Mental health: New understanding, new hope. Geneva: World Health Organization. https://www.scielosp.org/article/bwho/2001.v79n11/1085-1085/en/. ISBN 92 4 156201 3, ISSN 1020-3311, 178p

Publicado
2021-02-17
Seção
Artigo de Pesquisa