Formação territorial e oligarquias estaduais: notas sobre o uso desigual do território norte-rio-grandense

  • Jane Roberta de Assis Barbosa Universidade Estadual de Alagoas – UNEAL

Resumo

As racionalidades políticas, sociais e econômicas forjadas no período colonial são nexos explicativos para, à luz da categoria formação territorial, compreender as desigualdades expressas nas paisagens brasileiras. Essas racionalidades cooperam para interesses hegemônicos que comandam a vida de relações em estados brasileiros como o Rio Grande do Norte, o qual tem sua formação territorial derivada de eventos que se estabelecem no Brasil e no mundo. Com base em uma metodologia de natureza qualitativa, apoiada em pesquisa bibliográfica e documental, o artigo apresenta uma análise crítica da origem das desigualdades territoriais no Rio Grande do Norte. O trabalho demonstra a validade da categoria analítica empregada para compreender a relação que se estabelece entre as ações das oligarquias estaduais e seu contributo para o uso desigual do território.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

Doutora em Geografia Humana pela USP. Professora do Departamento de Geografia da Universidade Estadual de Alagoas – UNEAL

Publicado
2017-02-06
Como Citar
BARBOSA, Jane Roberta de Assis. Formação territorial e oligarquias estaduais: notas sobre o uso desigual do território norte-rio-grandense. Revista Interface (Porto Nacional), [S.l.], n. 12, p. 34-54, fev. 2017. ISSN 2448-2064. Disponível em: <https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/interface/article/view/3192>. Acesso em: 14 dez. 2017.