PASSADO E PRESENTE NA BELÉM CONTEMPORÂNEA: A configuração das narrativas cotidianas de assombração dos palacetes antigos no espaço urbano

  • Lídia Karoline Rodarte Universidade Federal do Pará
  • Alda Cristina Costa Universidade Federal do Pará
  • Jússia Carvalho da Silva Ventura Universidade Federal do Pará
  • Raul da Silva Ventura Neto Universidade Federal do Pará
Palavras-chave: assombração, narrativa, espaço urbano, Palacete Bibi Costa, história

Resumo

Este artigo busca compreender como as narrativas de assombração são configuradas, cotidianamente, no espaço urbano de Belém. Nossas reflexões partem da tessitura da intriga ricoeuriana e da lógica do falatório heideggeriano, em que as histórias criam memórias comuns entre as pessoas, sobrevivem ao tempo, às mudanças e às dinâmicas, mesmo sem possuírem fontes históricas que lhe confirmem sua veracidade ou conhecimentos prévios. Ou seja, são impregnadas de um saber intuitivo, disponíveis a todos, sendo ao mesmo tempo saber e não-saber, que se repete e é passado adiante. Toma-se como escopo de análise duas narrativas que circulam na internet sobre os antigos palacetes de Belém do Pará: Bolonha e Bibi Costa, construídos em períodos faustos da economia paraense. Nessas histórias, passado/presente demarcam sentidos ou discursos já previamente estabelecidos ou compreendidos. Assim, as narrativas de assombração são compreendidas/interpretadas numa lógica do imaginário sobre o espaço.

 

PALAVRAS-CHAVE: assombração; narrativas; espaço urbano; Palacete Bibi Costa; Palacete Bolonha.

 

 

ABSTRACT

This article seeks to understand how the haunting narratives are configured, daily, in the urban space of Belém. Our reflections are based on the weavering of the ricoeurian intrigue and the logic of Heideggerian ‘idle talk’, in which stories create common memories among people, survive time, changes and dynamics, even without historical sources that confirm their truth or previous knowledge. In other words, they are imbued with an intuitive knowledge, available to all, being at the same time knowing and not knowing, which is repeated and passed on. It has been taken as scope of analysis two narratives that circulate on the internet about the old palaces of Belém do Pará: Bologna and Bibi Costa, built in faust periods of the state’s economy. In these stories, past / present demarcate meanings or discourses previously established or understood. Thus, the haunting narratives are understood / interpreted in a logic of the imaginary over space.

 

KEYWORDS: haunting; narratives; urban space; Bibi Costa Palace; Bologna Palace.

 

 

RESUMEN

Este artículo busca comprender cómo las narrativas embrujadas se configuran, diariamente, en el espacio urbano de Belém. Nuestras reflexiones se basan en el tejido de intriga de Ricoeur y la lógica de la habladuria de Heidegger, en la que las historias crean recuerdos comunes entre las personas, sobreviven al tiempo, a cambios y las dinámicas, incluso sin tener fuentes históricas que confirmen su verdad o conocimiento previo. Es decir, están imbuidos de un conocimiento intuitivo, disponible para todos, al mismo tiempo que saben y no saben, que se repite y se transmite. Toma como ámbito de análisis dos narrativas que circulan en Internet sobre los antiguos palacios de Belém do Pará: Bolonia y Bibi Costa, construidas en períodos faustos de la economía local. En estas historias, el pasado / presente demarcan significados o discursos ya establecidos o entendidos previamente. Así, las narrativas inquietantes se entienden / interpretan en una lógica de lo imaginario sobre el espacio.

 

PALABRAS CLAVE: embrujada; narrativas espacio urbano; Palacio Bibi Costa; Palacio de Bolonia

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lídia Karoline Rodarte, Universidade Federal do Pará

Doutoranda do Curso de Pós-Graduação em Comunicação, Cultura e Amazônia da Universidade Federal do Pará (PPGCom/UFPA), Mestre em Comunicação pelo PPGCom/UFPA. Integrante do Grupo de Pesquisa Narrativas Contemporâneas na Amazônia (Narramazônia).  E-mail:  E-mail: lidiakarolina@gmail.com.

Alda Cristina Costa, Universidade Federal do Pará

Professora do Programa de Pós-Graduação Comunicação, Cultura e Amazônia da Universidade Federal do Pará (PPGCom/UFPA). Doutora em Ciências Sociais pela UFPA. E-mail: aldacristinacosta@gmail.com.

Jússia Carvalho da Silva Ventura, Universidade Federal do Pará

Doutoranda do Curso de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia da Universidade Federal do Pará, Mestra em Comunicação pelo Programa de Pós-Graduação Comunicação, Cultura e Amazônia da UFPA, professora da Faculdade de Comunicação da UFPA. Integrante dos Grupos de Pesquisa Interações e Tecnologias na Amazônia-ITA (CNPQ) e Comunicação, Consumo e Identidade – CONSIA. E-mail: jussiac@gmail.com.

Raul da Silva Ventura Neto, Universidade Federal do Pará

Docente da Faculdade e do Programa de Pós Graduação em Arquitetura e Urbanismo da UFPA. Mestre em Arquitetura e Urbanismo pela UFPA e doutor em Desenvolvimento Econômico pela Universidade de Campinas. E-mail: netoventuraraul@gmail.com

Referências

ARRUDA, Tainá; SANJAD, Thais. Ornamen-tos de platibanda em edificações de Belém entre os séculos XIX e XX: in-ventário e conservação. An. mus. paul. vol.25 no.3 São Paulo, Sept./Dec. 2017.

BENEVOLO, Leonardo. História da cida-de. 4.ed. São Paulo : Editora Perspectiva, 2005.

CASTRO, Fábio. A Cidade Sebastiana: Era da borracha, Memória e Melanco-lia num Capital da Periferia da Mo-dernidade. Belém: Edições do Autor, 2010.

CASTRO, F. F. de. Fenomenologia da comunicação em sua quotidianidade. InterCom: revista brasileira de ciencias da comunicacao, v. 36, p. 21-39, 2013.

CHAVES, Túlio. Isto não é para nós? Um estudo sobre a verticalização e mo-dernidade em Belém entre as décadas de 1940 e 1950. Belém. 2011. f.142 Dis-sertação (Mestrado em História) – PPHSA/UFPA, Belém, 2011.

COIMBRA, Adriana Modesto. A cidade como narrativa: Francisco Bolonha e o papel da arquitetura e da engenha-ria no processo de modernização da cidade de Belém – 1897 -1938. Cam-pinas, SP. S/N, 2014.

COSTA, Francisco de Assis. Formação ru-ral extrativista na Amazônia: os desa-fios do desenvolvimento capitalista (1720 – 1970). Belém: NAEA, 2012.

CORRÊA, Roberto Lobato. A periodização da rede urbana da Amazônia. Revista Brasi-leira de Geografia, v. 4, n. 3, p. 39-68, 1987.

CANCELA, C. D. Casamento e relações familiares na economia da borracha: Belém (1870-1920). São Paulo. 2006. f. 343 Tese (Doutorado em História). FFLCH – USP, São Paulo, 2006.

CANCLINI, Néstor García. Imaginários cultu-rais da cidade: conhecimento/espetáculo/ desconhecimento. In: COELHO, Teixeira (org.) A cultura pela cidade. - São Pau-lo: Iluminuras: Itaú Cultural, 2008.

DERENJI, Jussara. Arquitetura Nortista: a presença italiana no início do século XX. Manaus: SEC, 1998.

FURTADO, Celso. A formação econômi-ca do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

GODINHO, Emanuella da Silva. A inven-ção do centro histórico de Belém/PA. Belém. 2008. 381 f. Dissertação (não publi-cada) – PPGAU /UFPA, Belém, 2019.

HALBWACHS, Maurice. A memória cole-tiva. São Paulo: Vértice, 1990.

HARVEY, David. A condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1992.

HEIDEGGER, Martin. 2005. Ser e Tempo, 2 vols, 15a ed. Petrópolis: Vozes.

LEFEBVRE, Henry. O direito à cidade. São Paulo: Moraes, 1991.

LIMA, José Júlio; GUIMARÃES, Luciana. Ja-nelas para o Rio: projetos de intervenção na orla urbana de Belém do Pará. In Vargas, Heliana C. e Castilho, Ana L. H. (Orgs.) In-tervenções em Centros Urbanos: Ob-jetivos, Estratégias e Resultados. São Paulo: Editora: Manole, 2ª edição 2009

LOPES, Silvana. Investigações poéticas do terror. DIACRÍTICA, Ciências da Litera-tura, n.º 23/3 (2009), 169-177

MARTINS, Analice; NICOLINI, Patrícia. Diá-logo entre literatura e cinema: narrativas de terror – O estudo de estratégias narrativas para “ancorar o efeito do real” na lingua-gem literária e na linguagem cinematográfi-ca. LITERARTES, n. 7, 2017.

MONTEIRO, Walcyr. Visagens e assom-brações de Belém. 7. Ed. – Belém: Smith Editora – 2016.

MOTTA, Luiz Gonzaga. Análise crítica da narrativa. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2013.

NUNES, Benedito. O tempo na narrativa. São Paulo: Edições Loyola, 2013.

O LIBERAL. O sobrenatural pede caro-na; conheça histórias assombrosas de Belém. Disponível em: < https://www.oliberal.com/o-sobrenatural-pede-carona-conhe%C3%A7a-hist%C3%B3rias-assombrosas-de-bel%C3%A9m-1.123026>, acesso em 13 jun 2019.

RICOEUR, Paul. Tempo e Narrativa (To-mo I). Trad. Constança Marcondes Cesar. Campinas – SP: Papirus, 1994.

RIEGL, Alois. The Modern Cult of Monu-ments: Its Character and Its Origin. In: Op-positions 25: Monu-ment/Monumentality, edited by Kurt Forster. New York: Rizzoli, Fall 1982.

SARGES, Maria de Nazaré. Belém: Rique-zas produzindo a Belle-Époque (1870 – 1912). Belém: Paka-Tatu, 2000.

SENHORA MORTE. Belém Assombrada Bibi Costa. 2015. (3m24s). Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?v=0Yt9PQz5CQc>. Acesso em: 16 jun. 2019.

SENHORA MORTE. Belém Assombrada – As assombrações do Palacete Bolo-nha. 2016. (9m39s). Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?v=OZP6rnv-0cw&t=3s>. Acesso em: 11 jun. 2019.

SILVA, Helenice. "Rememora-ção"/comemoração: as utilizações sociais da memória. Rev. Bras. Hist. vol.22 no.44, São Paulo, 2002.

SOARES, Karol Gillet. As formas de mo-rar na Belém da Belle-Époque (1870- 1910). Belém. 2008. 247 f. Dissertação (Mestrado em História Social da Amazônia) – Programa de Pós-Graduação em História Social da Amazônia/UFPA, Belém, 2008.

TOCANTINS, Leandro. Santa Maria de Belém do Grão-Pará. Rio de Janeiro: Edi-tora Civilização Brasileira, 1963.

WEINSTEIN, B. A borracha na Amazô-nia: expansão e decadência (1850-1920). São Paulo: Hucitec;; Ed. Universi-dade de São Paulo, 1993.

Publicado
2019-09-01
Como Citar
Rodarte, L. K., Costa, A. C., Ventura, J. C. da S., & Ventura Neto, R. da S. (2019). PASSADO E PRESENTE NA BELÉM CONTEMPORÂNEA: A configuração das narrativas cotidianas de assombração dos palacetes antigos no espaço urbano. Aturá - Revista Pan-Amazônica De Comunicação, 3(3), 110-130. Recuperado de https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/atura/article/view/8192
Seção
Dossiê Temático / Thematic dossier / Dossier temático