https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/gateway/plugin/AnnouncementFeedGatewayPlugin/atom Revista Observatório: Notícias 2018-10-09T07:13:59-03:00 Open Journal Systems <p>[PT]<strong>&nbsp;</strong>A&nbsp;<strong>Revista Observatório</strong>&nbsp;é um periódico trimestral, com foco na discussão acadêmica e em estudos interdisciplinares avançados no campo da Comunicação, do Jornalismo e da Educação. A revista nasce internacionalizada, possuindo editores no Brasil, Cabo Verde, Moçambique e Portugal. Recebe em fluxo contínuo, textos em português, espanhol, inglês e francês para as seções artigos, dossiê temático, ensaios, entrevista, resenha e temas livres. (ISSN nº 2447-4266) [Qualis 2016 -&nbsp;<strong>Comunicação e Informação</strong>: B2,<strong> Ensino</strong>: B2, <strong>Ciência Política e Relações Internacionais</strong>: B3, <strong>Planejamento Urbano e Regional/ Demografia</strong>: B3, <strong>Serviço Social</strong>: B3, <strong>Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo</strong>: B4, <strong>Letras/Linguística</strong>: B5]</p> <p><strong>[EN]&nbsp;</strong>The <strong>Observatório Journal</strong>&nbsp;is a quarterly journal, focusing on academic discussion and advanced interdisciplinary studies in the field of Communication, Journalism and Education. The magazine is born internationalized, having publishers in Brazil, Cape Verde, Mozambique and Portugal. It receives in continuous flow, texts in Portuguese, Spanish, English and French for the sections articles, thematic dossier, essays, interview, review and free themes. (ISSN nº 2447-4266)&nbsp;[Qualis 2016 -&nbsp;<strong>Comunicação e Informação</strong>: B2,<strong> Ensino</strong>: B2, <strong>Ciência Política e Relações Internacionais</strong>: B3, <strong>Planejamento Urbano e Regional/ Demografia</strong>: B3, <strong>Serviço Social</strong>: B3, <strong>Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo</strong>: B4, <strong>Letras/Linguística</strong>: B5]</p> <p><strong>[ES]&nbsp;</strong>El<strong>&nbsp;Observatorio Magazine</strong> es una revista trimestral, se centra en la discusión académica y estudios interdisciplinarios avanzados en el campo de la Comunicación, Periodismo y Educación. La revista nace internacionalizado, teniendo editoriales en Brasil, Cabo Verde, Mozambique y Portugal. Recibe el streaming, texto en portugués, español, Inglés y Francés secciones de artículos, dossier temático, ensayos, entrevistas, revisión y temas libres. (ISSN nº 2447-4266)&nbsp;[Qualis 2016 -&nbsp;<strong>Comunicação e Informação</strong>: B2,<strong> Ensino</strong>: B2, <strong>Ciência Política e Relações Internacionais</strong>: B3, <strong>Planejamento Urbano e Regional/ Demografia</strong>: B3, <strong>Serviço Social</strong>: B3, <strong>Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo</strong>: B4, <strong>Letras/Linguística</strong>: B5]</p> <p><strong>[FR]</strong> L'<strong>Observatoire Journal&nbsp;</strong>est une revue trimestrielle, en mettant l'accent sur la discussion académique et les études interdisciplinaires avancées dans le domaine de la communication, du journalisme et de l'éducation. Le magazine est né internationalisé, ayant des éditeurs au Brésil, Cap-Vert, le Mozambique et le Portugal. Reçoit le streaming, le texte en portugais, espagnol, anglais et français sections pour des articles, dossier thématique, des essais, interviews, revue et thèmes gratuits. (No ISSN 2447-4266).&nbsp;[Qualis 2016 -&nbsp;<strong>Comunicação e Informação</strong>: B2,<strong> Ensino</strong>: B2, <strong>Ciência Política e Relações Internacionais</strong>: B3, <strong>Planejamento Urbano e Regional/ Demografia</strong>: B3, <strong>Serviço Social</strong>: B3, <strong>Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo</strong>: B4, <strong>Letras/Linguística</strong>: B5]</p> https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/177 Chamada de Trabalhos: Chamada de artigos: Dossiê Avaliação das aprendizagens: inovar para melhor incluir/ Évaluation des apprentissages : innover pour mieux inclure 2018-10-09T07:13:59-03:00 Revista Observatório <p>[PT] A&nbsp;<strong>Revista Observatório</strong>&nbsp;está recebendo artigos e resenhas para o dossiê temático a seguir até 29.02.2019:&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Título do dossiê:</strong></p> <p><em>Avaliação das aprendizagens: inovar para melhor incluir/ Évaluation des apprentissages&nbsp;: innover pour mieux inclure </em></p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>Responsáveis pela organização </strong><strong>do dossiê:</strong></p> <p>Profa. Dra. Carla Barroso da Costa, Université du Québec à Montréal (Canadá)</p> <p>E-mail: <a href="mailto:barroso_da_costa.carla@uqam.ca">barroso_da_costa.carla@uqam.ca</a></p> <p>&nbsp;</p> <p>Prof. Dr. Anderson Araújo-Oliveira, Université du Québec à Montréal (Canadá)</p> <p>E-mail:&nbsp;<a href="mailto:araujo-oliveira.anderson@uqam.ca">araujo-oliveira.anderson@uqam.ca</a></p> <p>&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;</p> <p><strong>Contexto e justificativa:</strong></p> <p>A globalização é um fenômeno em expansão e tem sido a fonte de profundas mudanças nas sociedades modernas. O comércio de bens e serviços em escala mundial e de forma acelerada gera complexas interações econômicas entre os países. Soma-se a isso a intensificação do fluxo migratório, o aumento da diversidade etnocultural da população escolar e a rápida evolução do mundo digital como características essenciais do mundo contemporâneo. Essa nova ordem mundial não ocorre sem um efeito negativo importante: o aumento das desigualdades sociais e escolares.</p> <p>&nbsp;</p> <p>No mundo da educação, e mais especificamente no campo de estudos sobre a medida e a avaliação da aprendizagem, torna-se imperativo considerar as diferentes práticas implementadas visando a reduzir as desigualdades existentes em todos os níveis de ensino. Neste contexto, a inovação das práticas avaliativas, o processo de acomodação, diferenciação e adaptação relativo à avaliação, e a revisão permanente das modalidades, métodos e dispositivos ligados à avaliação estão no centro das reflexões sobre o desenvolvimento de uma educação inclusiva e equitativa. Quais são os desafios da prática avaliativa face o aumento das diversidades e das desigualdades no mundo da educação? Qual é o lugar da medida e da avaliação nas escolas inclusivas? Quais são os desafios da prática avaliativa inovadora em um contexto de inclusão? Como realizar práticas de avaliação inclusivas em contexto de classes heterogêneas? Quais são os fundamentos, teorias ou estudos empíricos que poderiam apoiar as práticas de avaliação inclusiva? Estas são algumas das questões que animaram as nossas discussões no colóquio científico intitulado “<em>La mesure et l’évaluation des apprentissages face à la montée des inégalités&nbsp;: l’innovation pour l’inclusion</em>”. Elas destacam a relevância social, educacional e científica de organizar um dossier temático que aborda a questão da avaliação da aprendizagem e a necessidade de inovar para melhor incluir.</p> <p>&nbsp;</p> <p>O principal objectivo desta proposta de Dossiê Temático é o de promover intercâmbios e estimular debates sobre os trabalhos na área da medida e da avaliação, num contexto de inovação que favoreça a inclusão, tendo em conta a natureza transversal do tema em múltiplos domínios do conhecimento e de formação (didáctica disciplinar, ciências da saúde, etc.). Para tanto, especialistas em diferentes campos de pesquisa (didática, medidas e avaliação, adaptação escolar, pedagogia universitária, etc.) apresentarão textos originais, respondendo a uma ou outra das questões apresentadas anteriormente. Ao tratar dessas questões compartilharemos novos conhecimentos provenientes de pesquisas realizadas em diferentes contextos culturais e geográficos e também distacaremos suas contribuições e limites para a compreensão de um aspecto essencial do trabalho docente: o ato de avaliar levando em consideração a aprendizagem inclusiva.</p> <p>&nbsp;</p> <p>Estas questões poderão ser tratadas segundo três ângulos de análise, o das de aprendizagens realizadas pelos alunos, o das práticas docentes de professores e futuros professores ou o da formação inicial e continuada de professores tanto no ensino fundamental e médio, como no ensino superior. Os artigos apresentados recorrerão à resultados de investigações que tratam de dados empíricos decorrentes de observações diretas (participantes, externas, com ou sem gravação audiovisual, etc.) ou indiretas (entrevistas, questionários, etc.) ou ainda da análise da literatura científica e/ou oficial (ex: meta-análise, análise crítica de documentos governamentais, etc.).</p> 2018-10-09T07:13:59-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/166 Chamada de Trabalhos: Chamada de Artigos Dossiê: Netnografia e Humanidades Digitais: perspectivas e desafios 2018-04-21T11:02:32-03:00 Revista Observatório <p><span style="color: #000000;">[PT] A&nbsp;<strong>Revista Observatório</strong>&nbsp;está recebendo artigos e resenhas para o dossiê temático a seguir até 30.11.2018:&nbsp;</span></p> <p><strong><span style="color: #000000;">Dossiê: NETNOGRAFIA E HUMANIDADES DIGITAIS: PERSPECTIVAS E DESAFIOS.</span></strong></p> <p><span style="color: #000000;">Editores convidados:</span></p> <p><span style="color: #000000;">Prof. Dr. Fagno da Silva Soares (CLIO &amp; MNEMÓSINE/IFMA e Núcleo de Estudos em História Oral - NEHO/USP).</span></p> <p><span style="color: #000000;">Prof. Dr. Jesus Marmanillo Pereira (Laboratório de Estudos e Pesquisa sobre Cidades e Imagens - LAEPCI/UFMA).</span></p> <p><span style="color: #000000; font-size: medium;">&nbsp;</span></p> <p><span style="color: #000000; font-size: medium;">O dossiê enseja reunir um coletivo de pesquisas e reflexões cujos objetos e perspectivas investigativas inscrevem-se sob a rubrica da etnografia ou&nbsp;<em>Virtual Ethnography</em>&nbsp;como sugere Christine Hine (2000) e suas relações com o que temos chamado de Humanidades Digitais, enquanto ferramenta metodológica, técnica interpretativa ou prática investigativa acerca das comunidades digitais&nbsp;<em>offline</em>&nbsp;ou&nbsp;<em>online</em>&nbsp;apropriadas por uma análise investigativa no/do ciberespaço. Nesse sentido busca-se criar um espaço de diálogo transdisciplinar na qual os usos na/da internet e seus impactos sóciodigitais possibilitam reflexões e narrativas no âmbito das percepções e das sociabilidades digitais, constituindo um campo no qual se aproximam a comunicação das humanidades. Assim, as Humanidades Digitais aqui são compreendidas como zona interdisciplinar de interseção entre as tecnologias digitais e as ciências humanas em profusa transformação. Destarte, a prática netnográfica e mesmo autonetnográfica e as Humanidades Digitais, são entendidas aqui como meio, e como fonte nas quais se expressam representações da própria da sociedade imagética do primeiro quartel do século XXI, essencialmente informacional, sob esta esteira deste dossiê objetiva-se constituir um espaço orientado por um eixo verticial Netnografia e Humanidades Digitais em seus candentes e pueris embates conceituais e teórico-metodológico, bem como, em suas reverberações junto a repositórios digitais, curadorias colaborativas e quanto suas formas de armazenamento, preservação, gestão e divulgação de conteúdos digitais a exemplo de portais, blogs, museus digitais, redes sociais, jogos virtuais, dados virtuais diversos dentre outros nas esferas de ensino e pesquisa acadêmica.</span></p> <p><span style="color: #000000;">&nbsp;</span></p> <p><span style="color: #000000;"><strong>[ES]&nbsp;Convocatoria de artículos</strong></span></p> <p><span style="color: #000000;"><span lang="ES-TRAD">&nbsp;<strong>Revista Observatório&nbsp;</strong>está recibiendo artículos y reseñas para la dosificación temática a seguir hasta el 30.11.2018:&nbsp;</span></span></p> <p><strong><span lang="ES"><span style="color: #000000;">Dossier:&nbsp;NETNOGRAFÍA Y HUMANIDADES DIGITALES: PERSPECTIVAS Y DESAFÍOS.</span></span></strong></p> <p><span lang="ES"><span style="color: #000000;">&nbsp;</span></span></p> <p><span lang="ES"><span style="color: #000000;">Editores invitados:</span></span></p> <p>Prof. Dr. Fagno da Silva Soares (CLIO &amp; MNEMÓSINE/IFMA e Núcleo de Estudios en Historia Oral - NEHO/USP).</p> <p><span lang="ES"><span style="color: #000000;">Prof. Dr. Jesus Marmanillo Pereira (Laboratorio de Estudios y Pesquisa sobre Ciudades e Imágenes - LAEPCI/UFMA).</span></span></p> <p><strong>Resumen</strong></p> <p><span lang="ES"><span style="color: #000000;">El dossier desea reunir un conjunto de investigaciones y reflexiones, cuyos objetivos y perspectivas investigativas se inscriben bajo la rúbrica de la etnografía o&nbsp;<em>Virtual Etnography</em>, como sugiere Christine Hine (2000), y sus relaciones con lo que hemos llamado de Humanidades Digitales, en cuanto herramienta metodológica, técnica interpretativa o práctica investigativa acerca de las comunidades digitales offline u online apropiadas por un análisis investigativo en/del ciber-espacio. En ese sentido, se busca crear un espacio de diálogo transdisciplinar, en el cual, los usos del/en internet y sus impactos sociodigitales posibiliten reflexiones y narrativas en el ámbito de las percepciones y de las sociabilidades digitales, constituyendo un campo, en el cual, se aproxima la comunicación de las humanidades. Así, las Humanidades Digitales, aquí son comprendidas como zona interdisciplinar de intersección entre las tecnologías digitales y las ciencias humanas en profusa transformación. De esta forma, la práctica netnográfica e igualmente la autonetnográfica y las Humanidades Digitales, son entendidas aquí como medio, y como fuente, en las cuales se expresan representaciones de la propia sociedad de imágenes del primer cuarto del siglo XXI, esencialmente informacional. Bajo esa estera de este dosier, se objetiva constituir un espacio orientado por un eje verticial Netnografía y Humanidades Digitales, en sus candentes y pueriles embates conceptuales y teórico-metodológicos, bien como, en sus reverberaciones junto a repositorios digitales, curadurías colaborativas en relación a sus formas de almacenamiento, preservación, gestión y divulgación de contenidos digitales, como por ejemplo de portales, blogs, museos digitales, redes sociales, juegos virtuales, datos virtuales diversos, entre otros, en las esferas de la enseñanza y la investigación académica.&nbsp;</span></span></p> <p><span lang="ES"><span style="color: #000000; font-family: 'Times New Roman';">&nbsp;</span></span></p> <p><span lang="ES"><span style="color: #000000; font-family: 'Times New Roman';">&nbsp;</span></span></p> <p><span lang="ES"><span style="color: #000000; font-family: 'Times New Roman';"><strong>[EN]</strong>&nbsp;<strong>Call for Papers</strong></span></span></p> <p><span lang="ES"><span style="color: #000000; font-family: 'Times New Roman';"><strong>Revista Observatório&nbsp;is receiving articles and reviews for the following thematic dossier until 30.11.2018:</strong></span></span></p> <p><strong><span lang="EN-US"><span style="color: #000000;">Dossier:&nbsp;NETNOGRAPHY &amp; DIGITAL HUMANITIES:&nbsp;</span></span></strong><strong><span lang="EN-US"><span style="color: #000000;">PERSPECTIVES AND CHALLENGES.</span></span></strong></p> <p>Invited Editors:</p> <p>PhD. Fagno da Silva Soares (CLIO &amp; MNEMÓSINE/IFMA and Center of Oral History Studies - NEHO/USP).</p> <p><span lang="EN-US"><span style="color: #000000;">PhD. Jesus Marmanillo Pereira (Laboratory of Studies and Research about Cities and Images - LAEPCI/UFMA).</span></span></p> <p><span lang="EN-US"><span style="color: #000000; font-family: 'Times New Roman';">&nbsp;</span></span></p> <p><span lang="EN-US">This dossier wishes to gather a set of research and reflections, whose objectives and research perspectives are inscribed under the rubric of ethnography or&nbsp;</span><span style="color: #000000;"><em><span lang="EN-US">Virtual Etnography</span></em><span lang="EN-US">, as Christine Hine suggests (2000); and its</span></span><span lang="EN">relationships with what we have called Digital Humanities; as methodological tool, interpretative technique or investigative practice about offline or online digital communities, appropriated by an investigative analysis in/of cyber-space. In this way, it is sought to create a space for a transdisciplinary dialogue, in which, the uses of/in internet, and their social and digital impacts enable reflections and narratives in the ambit of perceptions and digital sociability, constituting a field, in which, communication gets closer to humanities.&nbsp;</span><span lang="EN-US">In this way, Digital Humanities are understood here as an interdisciplinary zone of intersection between digital technologies and Human Science in deep transformation. Besides, netnography practice, as well as, autonetnography and Digital Humanities are understood here as way, and source,&nbsp;</span><span lang="EN-US"><br>in which, it is expressed representations of the own society of images of the first quarter of the 21st century, essentially informative. Under that mat of this dossier; it is searched to build a space oriented by the verticial axis Netnography and Digital Humanities; with their hot and puerile conceptual and theory-methodological slams, as well as, their reverbs together digital archives, collaborative curatorship, such as storage, preservation, management and divulgation of digital contents, as example of portals, blogs, digital museums, social networks, virtual games and a diversity of virtual data, among others, contented in the educational and academic research fields.</span></p> 2018-04-21T11:02:32-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/164 Próximos Dossiês Temáticos 2018-03-17T09:17:26-03:00 Revista Observatório 2018-03-17T09:17:26-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/161 Divulgando outras notícias: Chamada Pública 001/2018 para Apoio Operacional junto a Revista Observatório (ISSN nº 2447-4266) 2018-02-20T09:01:15-03:00 Revista Observatório <p><strong>Chamada Pública 001/2018 para Apoio Operacional junto a Revista Observatório (ISSN nº 2447-4266)</strong></p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><em>A</em> <em><strong>Revista Observatório, </strong></em>periódico trimestral mantido pelo Núcleo de Pesquisa e Extensão Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino (OPAJE) da Universidade Federal do Tocantins (UFT) em parceria com o&nbsp;Grupo de Pesquisa Democracia e Gestão Social (GEDS) da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP-Tupã), &nbsp;atualmente classificada como B2 no&nbsp;<em>Qualis Capes </em><em>e indexada em mais de 200 bases internacionais</em>, convida a comunidade acadêmica para participar na manutenção e construção do espaço virtual da revista.</p> <p>&nbsp;</p> <ol> <li class="show"><strong>DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES. </strong></li> </ol> <p>1.1. O processo seletivo será regido por esta chamada pública.</p> <p>1.2. O prazo de validade deste processo seletivo é de 06 (seis) meses, podendo ser prorrogado por iguais períodos, a critério da coordenação editorial.</p> <p>1.3. Esse processo seletivo não é vinculativo e tão pouco gera obrigatoriedade de contratação e/o vínculo empregatício.</p> <p>&nbsp;</p> <ol start="2"> <li class="show"><strong> DAS VAGAS </strong></li> </ol> <p>2.1. Serão disponibilizadas até 15 (quinze) vagas para funções necessárias ao funcionamento da <strong>Revista Observatório</strong>.</p> <p>2.2 As vagas poderão ser ocupadas por voluntários em qualquer lugar, brasileiros ou não, que desejem colaborar na manutenção da Revista Observatório.</p> <p>2.3. A instituição/revista não está obrigada a preencher todas as vagas descritas.</p> <p>2.4. Havendo necessidade, e em função do volume de publicações, o quantitativo de vagas poderá ser ampliado, mediante aditivo ao presente Edital, ou nova chamada pública.</p> <p>&nbsp;</p> <ol start="3"> <li class="show"><strong> DAS INSCRIÇÕES </strong></li> </ol> <p>3.1. O período de inscrições inicia-se imediatamente após a disponibilização do presente Edital, encerrando-se às 18h de sexta-feira, do dia 30 de novembro de 2018.</p> <p>3.2. É requisito para elegibilidade, seguir as especificações (e exigências) de cada atividade a ser desenvolvida.</p> <p>3.3. Ao requerimento de inscrição, deve ser informado link para curriculum vitae na plataforma Lattes/CNPq (obrigatório para brasileiros ou não brasileiros).</p> <p>&nbsp;</p> <ol start="4"> <li class="show"><strong> DO PROFISSIONAL </strong></li> </ol> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>4.1 Posição:</strong> Jornalista</p> <p><strong>Requisitos básicos:</strong> Formação em nível superior; e Disponibilidade para escrever pelo menos 05 (cinco) releases por mês;</p> <p><strong>Atribuições:</strong> Escrever releases sobre artigos publicados (e a serem publicados) pela Revista Observatório. Devolver os releases num prazo máximo de 10 dias, indicando o nome e registro de jornalista.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>4.2 Posição:</strong> Infografista</p> <p><strong>Requisitos básicos:</strong> Formação em nível superior (ou cursando); e Disponibilidade para elaborar pelo menos 03 (cinco) infografias por mês;</p> <p><strong>Atribuições:</strong> Elaborar infografias sobre artigos publicados (e a serem publicados) pela Revista Observatório. Devolver o(s) infográfico(s) num prazo máximo de 10 dias.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>4.3 Posição:</strong> Revisor Textual Voluntário – Português</p> <p><strong>Requisitos básicos:</strong> Formação em nível superior; e Disponibilidade para revisar pelo menos um trabalho por mês;</p> <p><strong>Atribuições:</strong> Revisar textualmente as publicações (trabalhos acadêmicos) enviados eletronicamente, a fim de verificar sua compatibilidade com as diretrizes de publicação da revista. Devolver as publicações que lhe forem encaminhadas num prazo máximo de 10 dias, com as devidas anotações em arquivo a parte.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>4.4 Posição:</strong> Revisor Textual Voluntário – Inglês</p> <p><strong>Requisitos básicos:</strong> Formação em nível superior; e Disponibilidade para revisar pelo menos um trabalho por mês;</p> <p><strong>Atribuições:</strong> Revisar textualmente as publicações (trabalhos acadêmicos) enviados eletronicamente, a fim de verificar sua compatibilidade com as diretrizes de publicação da revista. Devolver as publicações que lhe forem encaminhadas num prazo máximo de 10 dias, com as devidas anotações em arquivo a parte.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>4.5 Posição:</strong> Revisor Textual Voluntário – Espanhol</p> <p><strong>Requisitos básicos:</strong> Formação em nível superior; e Disponibilidade para revisar pelo menos um trabalho por mês;</p> <p><strong>Atribuições:</strong> Revisar textualmente as publicações (trabalhos acadêmicos) enviados eletronicamente, a fim de verificar sua compatibilidade com as diretrizes de publicação da revista. Devolver as publicações que lhe forem encaminhadas num prazo máximo de 10 dias, com as devidas anotações em arquivo a parte.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>4.6 Posição:</strong> Revisor Textual Voluntário – Francês</p> <p><strong>Requisitos básicos:</strong> Formação em nível superior; e Disponibilidade para revisar pelo menos um trabalho por mês;</p> <p><strong>Atribuições:</strong> Revisar textualmente as publicações (trabalhos acadêmicos) enviados eletronicamente, a fim de verificar sua compatibilidade com as diretrizes de publicação da revista. Devolver as publicações que lhe forem encaminhadas num prazo máximo de 10 dias, com as devidas anotações em arquivo a parte.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>4.7 Posição:</strong> Indexador voluntário em bases especializadas (nacionais e internacionais)</p> <p><strong>Requisitos básicos:</strong> Formação em nível superior (preferencial) ou cursando; e Disponibilidade para assumir, pelo menos, uma base nacional e/ou internacional;</p> <p><strong>Atribuições:</strong> Indexação dos artigos e números em bases de dados, <strong>diretórios, catálogos de bibliotecas, portais, plataformas de avaliação, repositórios especializados e Espaços científicos (sistemas orientados a gestão de informação e comunicação de pesquisadores) onde a Revista Observatório mantém espaço. </strong><strong>&nbsp;</strong></p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>4.8 Posição:</strong> Diagramador voluntário</p> <p><strong>Requisitos básicos:</strong> Formação em nível superior (preferencial) ou cursando; e Disponibilidade para assumir, pelo menos, uma base nacional e/ou internacional;</p> <p><strong>Atribuições:</strong> Diagramação dos artigos e números da Revista Observatório. <strong>&nbsp;</strong></p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>4.9 Posição:</strong> Editor voluntário de Redes sociais e plano de comunicação</p> <p><strong>Requisitos básicos:</strong> Formação em nível superior em Comunicação Social/Jornalismo (preferencial) ou cursando; e Disponibilidade para assumir, pelo menos, uma base nacional e/ou internacional;</p> <p><strong>Atribuições:</strong> Manutenção e divulgação da Revista Observatório nas redes sociais e <strong>Social Bookmarking (e assemelhados), tais como Facebook, Linkedin, CiteULike, BibSonomy, Zotero, PubPeer, Publos e Kudos. </strong><strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <ol start="5"> <li class="show"><strong> DA REMUNERAÇÃO </strong></li> </ol> <p>5.1 Não há remuneração. O trabalho desenvolver-se-á de forma voluntária. Os voluntários aceitos poderão fazer constar em seus respectivos currículos, pelo prazo de suas correspondentes certificações, a participação como membro do Corpo de Revisores Voluntários da Revista Observatório.</p> <p>5.2 Todos os participantes receberão certificado de extensão universitária pela respectiva carga horária desenvolvida.</p> <p>&nbsp;</p> <ol start="6"> <li class="show"><strong> DOS REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO</strong></li> </ol> <p>6.1. Ter idade mínima de 18 (dezoito) anos completos no ato da inscrição.</p> <p>6.2. Atender aos requisitos associados à especialidade descritos nesta chamada pública.</p> <p>6.4. Concordar com os termos descritos nesta chamada pública.</p> <p>6.5 Utilizar a internet e e-mail para comunicação com a equipe editorial, respondendo prontamente as demandas.</p> <p>6.5 Ter seu currículo cadastrado na Plataforma Lattes (<a href="http://www.lattes.cnpq.br">www.lattes.cnpq.br</a>).</p> <p>&nbsp;</p> <ol start="7"> <li class="show"><strong> DAS INSCRIÇÕES </strong></li> </ol> <p>7.1. As inscrições serão recebidas de <strong>20 de fevereiro de 2018 a 30 de novembro de 2018</strong>, por meio do e-mail: <a href="mailto:gilsonportouft@gmail.com">gilsonportouft@gmail.com</a>, com título: Revista Observatório – Posição nº (x).</p> <p>7.2. Os candidatos que tiverem necessidade de atendimento para esclarecer dúvidas, poderão enviar mensagem eletrônica para o e-mail indicado, apontando as questões/dúvidas.</p> <p>7.3. O candidato deverá preencher o e-mail, indicar o link para o currículo na plataforma Lattes/CNPq e a posição pretendida.</p> <p>7.4. Não serão aceitas inscrições após a data limite acima especificada, salvo se indicado em novo edital aditivo ou chamada pública.</p> <p>7.5. As informações prestadas são de inteira responsabilidade do candidato, cabendo à Comissão Editorial o direito de exclusão daquele que preenchê-lo com dados incorretos, como também daquele que prestar informações inverídicas, ainda que o fato seja constatado posteriormente.</p> <p><strong>7.6. O processo de seleção é dinâmico e deverá aprovar e requisitar os membros selecionados mesmo antes de encerradas as inscrições. </strong></p> <p>7.7. A partir da seleção dos candidatos, serão publicados no site da <strong>Revista Observatório</strong> a listagem dos aprovados neste processo seletivo. Os candidatos selecionados terão seus nomes incluídos na equipe editorial (respectiva posição) que comprova sua seleção, constando o período de atuação e poderão fazer constar de seus currículos Lattes/CNPq tal informação.</p> <p>7.8 Todos os participantes serão incluídos no Grupo de Pesquisa Lattes Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino (OPAJE) ou Grupo de Pesquisa Lattes Informação, Comunicação e Memória (INFO) e, caso morem em Palmas, participarão das formações presenciais regularmente realizadas para os voluntários.</p> <p>7.8.1 A comissão editorial entende que, a participação como voluntário(a) é também um processo de aprendizagem e pesquisa. Dessa forma, todos os voluntários são considerados pesquisadores na área.</p> <p>&nbsp;</p> <ol start="8"> <li class="show"><strong> DAS DISPOSIÇÕES FINAIS</strong></li> </ol> <p>8.1 Os itens deste edital poderão sofrer eventuais atualizações ou retificações, enquanto não consumada a providência ou evento que lhe disser respeito, circunstância que será mencionado em edital ou comunicado a ser publicado no site da Revista Observatório.</p> <p>8.2 Toda menção a horário neste edital e em outros atos dele decorrentes terá como referência o horário de Brasília.</p> <p>8.3 O Grupo de Pesquisa Lattes Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino (OPAJE), o Núcleo de Pesquisa e Extensão Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino (OPAJE), Grupo de Pesquisa Lattes Informação, Comunicação e Memória (INFO) e a Revista Observatório não se responsabilizam por eventuais prejuízos ao candidato decorrentes de informação de a) Endereço eletrônico inválido; b) mensagens eletrônicas não recebidas; e c) desistência de participação no processo seletivo.</p> <p>8.4 Esse processo seletivo não acarreta remuneração, vínculo empregatício, estabilidade ou qualquer outra vantagem profissional ou remuneratória. Este edital entra em vigor a partir da data de publicação.</p> <p>&nbsp;</p> <p>Palmas, 20 de fevereiro de 2018.</p> <p>&nbsp;</p> <p>Prof. Dr. Gilson Porto Jr.</p> <p>Prof. Dr. Nelson Russo de Moraes</p> <p>Comissão Editorial - <em><strong>Revista Observatório</strong></em>.</p> 2018-02-20T09:01:15-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/153 Chamada de Trabalhos: Chamada de Artigos Dossiê: Comunicação, Política e Amazônia 2018-01-15T17:03:55-03:00 Revista Observatório 2018-01-15T17:03:55-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/152 Divulgando outras notícias: Perguntas Frequentes 2017-12-29T12:50:44-03:00 Revista Observatório <p>Já&nbsp; teve dúvidas sobre a Revista Observatório? Compilamos as&nbsp;52 perguntas mais frequentes aos editores para você conhecer. Utilize-as sempre que surgirem dúvidas. Caso alguma não esteja na lista, mande-a para os editores da revista.&nbsp; Acesse&nbsp;<a href="https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/perguntas">Perguntas Frequentes</a>. Disponível em Português, Inglês, Espanhol e Francês.&nbsp;</p> 2017-12-29T12:50:44-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/143 Chamada de Trabalhos: Chamada de artigos Dossiê: Estudos comunicacionais na América Latina 2017-11-24T09:08:46-03:00 Revista Observatório <p><strong>[PT]</strong>&nbsp;A&nbsp;<strong>Revista Observatório</strong>&nbsp;está recebendo artigos e resenhas para a dossiê temático a seguir até 30.09.2018:</p> <p>Dossiê:&nbsp;<strong>Estudos comunicacionais na América Latina</strong></p> <p><strong>Editores convidados:</strong></p> <p>Prof. Dr.&nbsp;Renato Dias Baptista,&nbsp;Universidade Estadual Paulista - UNESP, Brasil.&nbsp;</p> <p>Prof. Dr.&nbsp;&nbsp;Raúl Herrera Echenique,&nbsp;Foro Iberoamericano sobre Estrategias de Comunicación; FISEC, Chile</p> <p><strong>Ementa</strong></p> <p>O ambiente multicultural da América Latina demanda por um pensamento critico que abarque uma dinâmica mutante. Tempos de equilíbrio e desequilíbrio, honestidade e corrupção, acesso e controle da informação, coragem e medo permeiam um país ou outro e às vezes todo o continente. Qual o papel da comunicação nesse contexto que pulula ideias da mesma maneira que propaga os estancadores da consciência? Há uma tentativa em controlar mídias, &nbsp;empresas, universidades e governos e é nesse espaço em que estão as comunicações que compõem o objeto do presente dossiê.&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>[EN]</strong>&nbsp;<strong>Call for Papers</strong></p> <p><strong>Revista Observatório</strong>&nbsp;is receiving articles and reviews for the following thematic dossier until 30.09.2018:</p> <p>Dossier:&nbsp;<strong>Communication Studies in Latin America</strong></p> <p>Guest Editors:&nbsp;</p> <p>Prof. Dr.&nbsp;Renato Dias Baptista,&nbsp;Universidade Estadual Paulista - UNESP, Brasil.&nbsp;</p> <p>Prof. Dr.&nbsp;&nbsp;Raúl Herrera Echenique,&nbsp;Foro Iberoamericano sobre Estrategias de Comunicación; FISEC, Chile</p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> <p style="font-weight: 400;"><strong>Abstract</strong></p> <p style="font-weight: 400;">A multicultural environment in Latin America demands critical thinking that integrates a changing dynamic. Times of equilibrium and imbalance, honesty and corruption, access and control of information, courage and permanent fear between one country and another, and sometimes, with everything the continent. What is the role of communication in this context, which advances with multiple ideas and at the same time proposes standards of conscience?</p> <p style="font-weight: 400;">There are attempts to control media, companies, universities and governments. The question of this dossier will be; What is communication as an object of study, in this new reality?</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>[ES]&nbsp;Convocatoria de artículos</strong></p> <p><strong>Revista Observatório&nbsp;</strong>está recibiendo artículos y reseñas para la dosificación temática a seguir hasta el 30.09.2018:</p> <p><strong>Dossier:&nbsp;Estudios de comunicación en América Latina</strong></p> <p><strong>Editores invitados:</strong></p> <p>Prof. Dr.&nbsp;Renato Dias Baptista,&nbsp;Universidade Estadual Paulista - UNESP, Brasil.&nbsp;</p> <p>Prof. Dr.&nbsp;&nbsp;Raúl Herrera Echenique,&nbsp;Foro Iberoamericano sobre Estrategias de Comunicación; FISEC, Chile</p> <p><strong>Resumen</strong></p> <p style="font-weight: 400;">Un ambiente multicultural en América Latina demanda de un pensamiento crítico que integre una dinámica cambiante. Tiempos de equilibrio y desequilibrio, honestidad y corrupción, acceso y control de la información, valentía y miedo permanente entre un país y otro, y a a veces, con todo el continente. ¿Cuál es el papel de la comunicación en este contexto, que avanza con múltiples con ideas y al mismo tiempo que proponga estándares de conciencia?</p> <p style="font-weight: 400;">Hay intentos de controlar medios, empresas, universidades y gobiernos. La pregunta de este dossier será; ¿en qué está la comunicación como objeto de estudio, en esta nueva realidad?</p> <p>&nbsp;</p> 2017-11-24T09:08:46-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/132 Chamada de Trabalhos: Chamada de artigos: Pós-verdade, escrita e... 2017-07-19T10:49:47-03:00 Revista Observatório <p>A&nbsp;<strong>Revista Observatório</strong>&nbsp;está recebendo artigos e resenhas para a dossiê temático a seguir até 30.11.2017:&nbsp;</p> <p><strong>Dossiê:&nbsp;PÓS-VERDADE, ESCRITA E...</strong></p> <p>Editores convidados:</p> <p>Profa. Dra.&nbsp;<strong>Amanda M. P. Leite</strong>, Universidade Federal do Tocantins (UFT), Brasil</p> <p>Profa. Dra.&nbsp;<strong>Leon Farhi Neto</strong>,&nbsp;Universidade Federal do Tocantins (UFT), Brasil</p> <p>Profa. Dra.&nbsp;<strong>Renata Ferreira da Silva</strong>,&nbsp;Universidade Federal do Tocantins (UFT), Brasil</p> <p><strong>Ementa:&nbsp;</strong></p> <p>“Pós-verdade” foi eleita a palavra do ano 2016 pelos responsáveis pela elaboração de dicionários da Universidade de Oxford. A definição refere-se a circunstâncias nas quais os fatos objetivos têm menos influência sobre a formação das opiniões públicas do que o apego a emoções ou a crenças pessoais. Estaríamos numa era de verdades irrelevantes, como aludiu Steve Tesich, dramaturgo que usou a expressão pela primeira vez? As pessoas tendem a confiar mais nos “amigos” das redes sociais do que na imprensa ou nos órgãos de informação tradicionais. Boatos compartilhados se espalham numa velocidade incrível, e assumem o aspecto e o efeito de verdade. Por outro lado, os meios de comunicação que alertam sobre o risco das “falsas notícias” são os mesmos veículos que as difundem.</p> <p>Estamos cercados pelo excesso de informações e opiniões. Todo mundo tem algo a dizer, mas, no que acreditar? Tanto a política quanto a mídia parecem ter perdido a sua credibilidade. Tudo isto pode ser o sintoma da crise do fato, do objetivo, da verdade e, é claro, das escritas. &nbsp;Embora o termo “pós-verdade” refira-se, em geral, a esse contexto midiático, em que as mentiras, os rumores e a proliferação de boatos na&nbsp;<em>Internet</em>&nbsp;têm se tornado uma ferramenta política, desejamos, com a proposta deste dossiê, problematizar a&nbsp;<em>pós-verdade</em>&nbsp;também em outros lugares, meios e relações, enfim, em outros modos de escrita, nos quais e pelos quais também comunicamos e nos tornamos o que somos.</p> 2017-07-19T10:49:47-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/131 Chamada de Trabalhos: Chamada de artigos: TECNOLOGIAS DIGITAIS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO APLICADAS A EDUCAÇÃO 2017-07-19T10:18:08-03:00 Revista Observatório <p><strong>[PT]</strong> A Revista Observatório está recebendo artigos e resenhas para a EDICÃO ESPECIAL: até 30.11.2017. Mais informações em Submissões.</p> <p><strong>DOSSIÊ TEMÁTICO:</strong>&nbsp;<strong>TECNOLOGIAS DIGITAIS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO APLICADAS A EDUCAÇÃO</strong></p> <p>Editores convidados:</p> <p>Prof. Dr. <strong>Nestor Dario Duque Mendez</strong> e Profa. Dra. <strong>Valentina Tabares Morales</strong> (Grupo de Ambientes Inteligentes Adaptativos – GAIA/Universidad Nacional de Colombia),</p> <p>Profa. Dra. <strong>Maria Rosângela Bez</strong> (Programa de Pós-Graduação em Diversidade Cultural e Inclusão Social/ Universidade Feevale e&nbsp;PPGIE/UFRGS), e</p> <p>Prof. Dr. <strong>Fagno da Silva Soares</strong> (CLIO &amp; MNEMÓSINE/IFMA e NEHO/USP).</p> <p>EMENTA: &nbsp;<strong>Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação aplicadas a Educação”</strong> é o tema do presente dossiê temático. Nesse contexto, serão contemplados artigos de pesquisas com resultados efetivados que contemplem estratégias pedagógicas, metodologias, desenvolvimento de recursos tecnológicos que visem o aprimoramento e qualidade da educação. Assim como, a formação continuada de professores para uso dos recursos digitais e de tecnologias assistivas em prol do desenvolvimento e inclusão de todos alunos, em suas práticas educativas. É fato o impacto que as tecnologias digitais de informação e comunicação exercem nos processos socioculturais em nossa sociedade, nesse sentido, ao pensar-se no meio educacional, essas podem apoiar professores em suas estratégias pedagógicas, de forma a instigar os alunos no seu desenvolvimento. O aluno “nativo digital”, já utiliza as meios tecnológicos no seu dia-a-dia e tem facilidade de absorvê-los no meio educacional, desta forma, a atualização constante dos professores se faz necessária, para que possa, não só ter o conhecimento dos recursos digitais, mas para que saiba como utiliza-los, de forma a provir o conhecimento, a instigar o aluno na busca do saber, ao trabalho colaborativo e participativo para que se tornem cidadãos efetivos na sociedade. Assim, como também, o conhecimento de tecnologias assistivas que possam apoiar o desenvolvimento, inclusão e autonomia dos alunos com algum tipo de deficiência.</p> <p>&nbsp;&nbsp;</p> <p><strong>[ES]</strong> La Revista Observatorio está recibiendo artículos y reseñas para la edición especial: 30.11.2017: .</p> <p><strong>D</strong><strong>osier temático:</strong> <strong>&nbsp;TECNOLOGÍAS DIGITALES DE INFORMACIÓN Y COMUNICACIÓN APLICADAS A LA EDUCACIÓN</strong></p> <p>Editores invitados:</p> <p>Prof. Dr. <strong>Nestor Dario Duque Mendez</strong> e Profa. Dra. <strong>Valentina Tabares Morales</strong> (Grupo de Ambientes Inteligentes Adaptativos – GAIA/Universidad Nacional de Colombia),</p> <p>Profa. Dra. <strong>Maria Rosângela Bez</strong> (Programa de Pós-Graduação em Diversidade Cultural e Inclusão Social/ Universidade Feevale e&nbsp;PPGIE/UFRGS), e</p> <p>Prof. Dr. <strong>Fagno da Silva Soares</strong> (CLIO &amp; MNEMÓSINE/IFMA e NEHO/USP).</p> <p>Ementa:&nbsp;<strong>Tecnologías Digitales de Información y Comunicación aplicadas a la Educación</strong> es el tema del presente dosier temático. En ese contexto, serán en idos en cuenta artículos de investigaciones con resultados alcanzados que contemplen estrategias pedagógicas, metodologías, desarrollo de recursos tecnológicos dirigidos al mejoramiento y calidad de la educación. Así como, la formación continua de profesores para uso de los recursos digitales y de tecnologías asistivas en pro del desarrollo e inclusión de todos los estudiantes, en sus prácticas educativas. Es un hecho el impacto que las tecnologías digitales de la información y la comunicación ejercen en los procesos socioculturales en nuestra sociedad, en ese sentido, al pensarse en el medio educativo, éstas pueden apoyar a los profesores en sus estrategias pedagógicas, con el fin de instigar a los estudiantes en su desarrollo. El alumno “nativo digital”, ya utiliza los medios tecnológicos en su día a día y tiene facilidad de absorberlosen el ambiente educativo, de esta forma, la actualización constante de los profesores se hace necesaria, para que pueda, no sólo tener un conocimiento de los recursos digitales, sino para que sepa cómo utilizarlos, a fin de proveer un conocimiento, de instigar al estudiante en la búsqueda del saber, al trabajo colaborativo y participativo para que se tornen ciudadanos efectivos en su sociedad. Así como también, el conocimiento de tecnologías asistitvas que puedan apoyar el desarrollo, inclusión y autonomía de los alumnos con algún tipo de discapacidad.</p> 2017-07-19T10:18:08-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/130 Chamada Pública 001/2017 para Apoio Operacional junto a Revista Observatório (ISSN nº 2447-4266) 2017-07-17T10:14:17-03:00 Revista Observatório <p><strong>Chamada Pública 001/2017 para Apoio Operacional junto a Revista Observatório (ISSN nº 2447-4266)</strong></p> <p><em>A</em> <em><strong>Revista Observatório, </strong></em>periódico trimestral mantido pelo Núcleo de Pesquisa e Extensão Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino (OPAJE) da Universidade Federal do Tocantins (UFT) em parceria com o&nbsp;Grupo de Pesquisa Democracia e Gestão Social (GEDS) da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP-Tupã), &nbsp;atualmente classificada como B2 no&nbsp;<em>Qualis Capes </em><em>e indexada em mais de 200 bases internacionais</em>, convida a comunidade acadêmica para participar na manutenção e construção do espaço virtual da revista.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>1. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES.</strong></p> <p>1.1. O processo seletivo será regido por esta chamada pública.</p> <p>1.2. O prazo de validade deste processo seletivo é de 06 (seis) meses, podendo ser prorrogado por iguais períodos, a critério da coordenação editorial.</p> <p>1.3. Esse processo seletivo não é vinculativo e tão pouco gera obrigatoriedade de contratação.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>2. DAS VAGAS</strong></p> <p>2.1. Serão disponibilizadas até 15 (quinze) vagas para funções necessárias ao funcionamento da <strong>Revista Observatório</strong>.</p> <p>2.2 As vagas poderão ser ocupadas por voluntários em qualquer lugar, brasileiros ou não, que desejem colaborar na manutenção da Revista Observatório.</p> <p>2.3. A instituição/revista não está obrigada a preencher todas as vagas descritas.</p> <p>2.4. Havendo necessidade, e em função do volume de publicações, o quantitativo de vagas poderá ser ampliado, mediante aditivo ao presente Edital, ou nova chamada pública.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>3. DAS INSCRIÇÕES</strong></p> <p>3.1. O período de inscrições inicia-se imediatamente após a disponibilização do presente Edital, encerrando-se às 18h de sexta-feira, do dia 24 de novembro de 2017.</p> <p>3.2. É requisito para elegibilidade, seguir as especificações (e exigências) de cada atividade a ser desenvolvida.</p> <p>3.3. Ao requerimento de inscrição, deve ser informado link para curriculum vitae na plataforma Lattes/CNPq (obrigatório para brasileiros ou não brasileiros).</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>4. DO PROFISSIONAL</strong></p> <p><strong>4.1 Posição:</strong> Revisor Textual Voluntário – Português</p> <p><strong>Requisitos básicos:</strong> Formação em nível superior; e Disponibilidade para revisar pelo menos um trabalho por mês;</p> <p><strong>Atribuições:</strong> Revisar textualmente as publicações (trabalhos acadêmicos) enviados eletronicamente, a fim de verificar sua compatibilidade com as diretrizes de publicação da revista. Devolver as publicações que lhe forem encaminhadas num prazo máximo de 10 dias, com as devidas anotações em arquivo a parte.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>4.2 Posição:</strong> Revisor Textual Voluntário – Inglês</p> <p><strong>Requisitos básicos:</strong> Formação em nível superior; e Disponibilidade para revisar pelo menos um trabalho por mês;</p> <p><strong>Atribuições:</strong> Revisar textualmente as publicações (trabalhos acadêmicos) enviados eletronicamente, a fim de verificar sua compatibilidade com as diretrizes de publicação da revista. Devolver as publicações que lhe forem encaminhadas num prazo máximo de 10 dias, com as devidas anotações em arquivo a parte.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>4.3 Posição:</strong> Revisor Textual Voluntário – Espanhol</p> <p><strong>Requisitos básicos:</strong> Formação em nível superior; e Disponibilidade para revisar pelo menos um trabalho por mês;</p> <p><strong>Atribuições:</strong> Revisar textualmente as publicações (trabalhos acadêmicos) enviados eletronicamente, a fim de verificar sua compatibilidade com as diretrizes de publicação da revista. Devolver as publicações que lhe forem encaminhadas num prazo máximo de 10 dias, com as devidas anotações em arquivo a parte.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>4.4 Posição:</strong> Revisor Textual Voluntário – Francês</p> <p><strong>Requisitos básicos:</strong> Formação em nível superior; e Disponibilidade para revisar pelo menos um trabalho por mês;</p> <p><strong>Atribuições:</strong> Revisar textualmente as publicações (trabalhos acadêmicos) enviados eletronicamente, a fim de verificar sua compatibilidade com as diretrizes de publicação da revista. Devolver as publicações que lhe forem encaminhadas num prazo máximo de 10 dias, com as devidas anotações em arquivo a parte.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>4.5 Posição:</strong> Indexador voluntário em bases especializadas (nacionais e internacionais)</p> <p><strong>Requisitos básicos:</strong> Formação em nível superior (preferencial) ou cursando; e Disponibilidade para assumir, pelo menos, uma base nacional e/ou internacional;</p> <p><strong>Atribuições:</strong> Indexação dos artigos e números em bases de dados, diretórios, catálogos de bibliotecas, portais, plataformas de avaliação, repositórios especializados e Espaços científicos (sistemas orientados a gestão de informação e comunicação de pesquisadores) onde a<strong> Revista Observatório </strong>mantém espaço. <strong>&nbsp;</strong></p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>4.6 Posição:</strong> Diagramador voluntário</p> <p><strong>Requisitos básicos:</strong> Formação em nível superior (preferencial) ou cursando; e Disponibilidade para assumir, pelo menos, uma base nacional e/ou internacional;</p> <p><strong>Atribuições:</strong> Diagramação dos artigos e números da Revista Observatório. <strong>&nbsp;</strong></p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>4.7 Posição:</strong> Editor voluntário de Redes sociais e plano de comunicação</p> <p><strong>Requisitos básicos:</strong> Formação em nível superior em Comunicação Social/Jornalismo (preferencial) ou cursando; e Disponibilidade para assumir, pelo menos, uma base nacional e/ou internacional;</p> <p><strong>Atribuições:</strong> Manutenção e divulgação da Revista Observatório nas redes sociais e Social Bookmarking (e assemelhados), tais como Facebook, Linkedin, CiteULike, BibSonomy, Zotero, PubPeer, Publos e Kudos. <strong>&nbsp;</strong></p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>5. DA REMUNERAÇÃO</strong></p> <p>5.1 Não há remuneração. O trabalho desenvolver-se-á de forma voluntária. Os voluntários aceitos poderão fazer constar em seus respectivos currículos, pelo prazo de suas correspondentes certificações, a participação como membro do Corpo de Revisores Voluntários da Revista Observatório.</p> <p>5.2 Todos os participantes receberão certificado de extensão universitária pela respectiva carga horária desenvolvida.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>6. DOS REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO</strong></p> <p>6.1. Ter idade mínima de 18 (dezoito) anos completos no ato da inscrição.</p> <p>6.2. Atender aos requisitos associados à especialidade descritos nesta chamada pública.</p> <p>6.4. Concordar com os termos descritos nesta chamada pública.</p> <p>6.5 Utilizar a internet e e-mail para comunicação com a equipe editorial, respondendo prontamente as demandas.</p> <p>6.5 Ter seu currículo cadastrado na Plataforma Lattes (<a href="http://www.lattes.cnpq.br">www.lattes.cnpq.br</a>).</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>7. DAS INSCRIÇÕES</strong></p> <p>7.1. As inscrições serão recebidas de <strong>17 de julho de 2017 a 20 de novembro de 2017</strong>, por meio do e-mail: <a href="mailto:gilsonportouft@gmail.com">gilsonportouft@gmail.com</a>, com título: Revista Observatório – Posição nº (x).</p> <p>7.2. Os candidatos que tiverem necessidade de atendimento para esclarecer dúvidas, poderão enviar mensagem eletrônica para o e-mail indicado, apontando as questões/dúvidas.</p> <p>7.3. O candidato deverá preencher o e-mail, indicar o link para o currículo na plataforma Lattes/CNPq e a posição pretendida.</p> <p>7.4. Não serão aceitas inscrições após a data limite acima especificada, salvo se indicado em novo edital aditivo ou chamada pública.</p> <p>7.5. As informações prestadas são de inteira responsabilidade do candidato, cabendo à Comissão Editorial o direito de exclusão daquele que preenchê-lo com dados incorretos, como também daquele que prestar informações inverídicas, ainda que o fato seja constatado posteriormente.</p> <p><strong>7.6. O processo de seleção é dinâmico e deverá aprovar e requisitar os membros selecionados mesmo antes de encerradas as inscrições. </strong></p> <p>7.7. A partir da seleção dos candidatos, serão publicados no site da <strong>Revista Observatório</strong> a listagem dos aprovados neste processo seletivo. Os candidatos selecionados terão seus nomes incluídos na equipe editorial (respectiva posição) que comprova sua seleção, constando o período de atuação e poderão fazer constar de seus currículos Lattes/CNPq tal informação.</p> <p>7.8 Todos os participantes serão incluídos no Grupo de Pesquisa Lattes Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino (OPAJE) e, caso morem em Palmas, participarão das formações presenciais regularmente realizadas para os voluntários.</p> <p>7.8.1 A comissão editorial entende que, a participação como voluntário(a) é também um processo de aprendizagem e pesquisa. Dessa forma, todos os voluntários são considerados pesquisadores na área.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>8. DAS DISPOSIÇÕES FINAIS</strong></p> <p>8.1 Os itens deste edital poderão sofrer eventuais atualizações ou retificações, enquanto não consumada a providência ou evento que lhe disser respeito, circunstância que será mencionado em edital ou comunicado a ser publicado no site da Revista Observatório.</p> <p>8.2 Toda menção a horário neste edital e em outros atos dele decorrentes terá como referência o horário de Brasília.</p> <p>8.3 O Grupo de Pesquisa Lattes Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino (OPAJE-CNPq-UFT), o Núcleo de Pesquisa e Extensão Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino (OPAJE-UFT), o Grupo Informação, Comunicação e Memória (INFO-UFT) &nbsp;e a Revista Observatório não se responsabilizam por eventuais prejuízos ao candidato decorrentes de informação de a) Endereço eletrônico inválido; b) mensagens eletrônicas não recebidas; e c) desistência de participação no processo seletivo.</p> <p>8.4 Esse processo seletivo não acarreta remuneração, vínculo empregatício, estabilidade ou qualquer outra vantagem profissional ou remuneratória. Este edital entra em vigor a partir da data de publicação.</p> <p>&nbsp;</p> <p>Palmas, 17 de julho de 2017.</p> <p>Comissão Editorial - <em><strong>Revista Observatório</strong></em>.</p> 2017-07-17T10:14:17-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/126 Revista Observatório disponibiliza novos formatos de acesso 2017-07-03T11:51:29-03:00 Revista Observatório <p>Dentro da Política de&nbsp;<strong>Preservação de Longa Duração</strong>&nbsp;e&nbsp;<strong>Arquivamento</strong>&nbsp;dos artigos da&nbsp;<strong>Revista Observatório</strong>, está a disponibilização em diversos formatos. &nbsp;Essa tem sido apontada pelos indexadores internacionais como a melhor forma de garantir o acesso as produções.</p> <p>Dessa forma, é com satisfação que os editores da Revista Observatório informam que iniciamos o processo de conversão dos artigos para diversos formatos. Com isso, você leitor, terá acesso a diversas linguagens, que permitirá a leitura em mais aparelhos. Entenda quais as novas linguagens que serão disponibilizadas clicando&nbsp;<a href="https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/formatos. ">aqui</a>.&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> 2017-07-03T11:51:29-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/112 Divulgando outras notícias: Entenda as fases editoriais da Revista Observatório 2017-05-21T11:00:40-03:00 Revista Observatório <p><strong>[PT] Entenda as fases editoriais da Revista Observatório</strong></p> <p>A <strong>Revista Observatório</strong> &nbsp;utiliza o sistema OJS versão 3.0.1, onde existem quatro estágios editoriais que permitem um fluxo de trabalho mais flexível. Esses são descritos a seguir:</p> <p><strong>Submissão</strong>: é quando os artigos são recebidos no sistema. Nessa etapa os textos são rejeitados se estiverem fora dos padrões da revista pelos editores ou atribuídos a avaliadores.</p> <p><strong>Avaliação</strong>: &nbsp;é quando a avaliação duplo cega por pares dos trabalhos acontece.Isso pode durar de 4 a 8 semanas. Sendo aprovado, o artigo segue para a próxima fase.</p> <p><strong>Revisão</strong>: &nbsp;passa por essa etapa apenas os artigos aprovados por pares para a revisão de textos. Isso exige ajustes textuais e/ou de forma.</p> <p><strong>Produção</strong>: é última fase onde se preparam os textos em suas &nbsp;versões finais. Aqui os conteúdos dos artigos são transformados em PDF (atual), HTML (futuro), XML com Marcação (futuro), entre outros formatos para serem agendados e publicados.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>[EN] Understand the editorial phases of the Observatory Journal</strong></p> <p>The Journal uses the OJS version 3.0.1, where there are four editorial stages that allow a more flexible workflow. These are described below:</p> <p><strong>Submission</strong>: is when articles are received in the system. At this stage the texts are rejected if they are out of the journal standards by the editors or assigned to evaluators.</p> <p><strong>Assessment</strong>: This is when double-blind peer evaluation of the work takes place. This can last from 4 to 8 weeks. Being approved, the article goes to the next phase.</p> <p><strong>Review</strong>: only peer-reviewed articles for the revision of texts pass through this stage. This requires textual adjustments and / or form adjustments.</p> <p><strong>Production</strong>: This is the last stage where texts are prepared in their final versions. Here the contents of the articles are transformed into PDF (current), HTML (future), XML with Marking (future), among other formats to be scheduled and published.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>[ES] Comprender las etapas de redacción de el Observatorio Magazine</strong></p> <p>El <strong>Observatorio Magazine</strong>&nbsp;utiliza la versión del sistema OJS 3.0.1, donde hay cuatro etapas editoriales que permiten un flujo de trabajo más flexible. Estos se describen a continuación:</p> <p><strong>Presentación</strong>: es cuando los artículos se reciben en el sistema. En esta etapa, los textos son rechazadas si están fuera de las normas revisadas por editores o asignados a los evaluadores.</p> <p><strong>Crítica/Revisiones</strong>: es cuando la revisión por pares doble ciego de trabajo acontece. Isso puede durar 4-8 semanas. Tal como fue aprobado, el artículo pasa a la siguiente etapa.</p> <p><strong>Comentario</strong>: pasar por este paso sólo artículos aprobados por pares para los textos de revisión. Esto requiere ajustes de texto y / o forma.</p> <p><strong>Producción:</strong> es la última etapa en la que se preparan los textos en sus versiones finales. Aquí el contenido de los artículos se transforman en PDF (actual), HTML (futuro), XML Marcado (futuro), y otros formatos para ser programados y publicados</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>[FR] Comprendre les étapes de rédaction du Observatoire Journal</strong></p> <p>L'Observatoire Journal utilise la version du système OJS 3.0.1, où il y a quatre éditoriaux étapes qui permettent un flux de travail plus flexible. Celles-ci sont décrites ci-dessous:</p> <p><strong>Présentation</strong>: est lorsque des éléments sont reçus dans le système. A ce stade, les textes sont rejetées si elles sont en dehors des normes révisées par les éditeurs ou attribués aux évaluateurs.</p> <p><strong>Avis est lorsque l'examen:&nbsp;</strong>en double aveugle par les pairs du travail acontece.Isso peut durer 4-8 semaines. Comme approuvé, l'article passe à l'étape suivante.</p> <p><strong>Review</strong>: passer par cette étape seulement les articles approuvés par des pairs pour examen des textes. Cela nécessite des ajustements et / ou sous forme textuelle.</p> <p><strong>Production</strong>: est la dernière étape où ils préparent les textes dans leurs versions finales. Voici le contenu des articles sont transformés en PDF (en cours), HTML (futur), XML Marquage (futur), et d'autres formats seront programmées et publiée.&nbsp;</p> 2017-05-21T11:00:40-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/105 Divulgando outras notícias: Template para submissão de artigos 2017-04-20T18:22:49-03:00 Revista Observatório <p>A Revista Observatório&nbsp;disponibiliza para os autores o modelo de template que será utilizado nos artigos e demais produções que serão submetidas ao periódico.</p> <p>Informamos que a submissão dos trabalhos&nbsp;deverá <strong>obrigatoriamente</strong> estar neste formato.</p> <p><strong>Faça o download neste&nbsp;<a href="http://docs.uft.edu.br/share/s/teBw1uzSS8S8JdZorOUTjg">link.&nbsp;</a></strong></p> 2017-04-20T18:22:49-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/94 Chamada Pública 001/2016 para apresentação de Propostas de Dossiês Temáticos para publicação na Revista Observatório (ISSN nº 2447-4266) 2016-12-19T17:28:53-03:00 Revista Observatório <p><em>A</em> <em><strong>Revista Observatório, </strong></em>periódico trimestral&nbsp;mantido pelo Núcleo de Pesquisa e Extensão Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino (OPAJE) da Universidade Federal do Tocantins (UFT) em parceria com o&nbsp;Grupo de Pesquisa Democracia e Gestão Social (GEDS) da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP-Tupã), &nbsp;atualmente classificada como B2 no&nbsp;<em>Qualis Capes </em><em>e indexada em mais de 120 bases internacionais</em>, convida a comunidade acadêmica para apresentar propostas de publicação de Dossiês Temáticos sobre temas relevantes e/ou emergentes no campo das pesquisas em comunicação, jornalismo e educação.</p> <p>Serão selecionadas até 10 (dez) propostas para publicação nos números de 2018 e 2019 da <em><strong>Revista Observatório</strong></em>. O dossiê se constitui em um conjunto de artigos inéditos articulados em torno de um tema que expresse uma contribuição relevante no campo das pesquisas em comunicação, jornalismo e educação, em língua portuguesa, inglesa, francesa ou espanhola.</p> <p>Não serão aceitas propostas que já tenham sido temáticas publicadas em outros dossiês da revista nos últimos dois anos.</p> <p>A proposta deve conter de 6 a 10 artigos de pesquisadores nacionais e/ou internacionais sobre o tema proposto. A proposta também poderá incluir contribuições para as seções Entrevista e Resenha.</p> <p>A vinculação dos autores deve demonstrar abrangência institucional e regional diversificada.</p> <p>No mínimo, um artigo deve ser de autoria de pesquisador vinculado a instituição estrangeira. Os artigos devem se adequar à linha editorial de&nbsp;<em><strong>Revista Observatório</strong></em>, privilegiando a publicação de textos inéditos que trazem uma efetiva contribuição para o avanço da pesquisa comunicação em suas interfaces, sendo aceitos manuscritos que apresentem: 1) resultados de pesquisas empíricas ou teóricas ou 2) revisões críticas sistemáticas e integrativas da produção científica e acadêmica na área. Mais informações sobre a revista estão disponíveis em&nbsp;<a href="https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/about">https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/about</a>.</p> <p>Os proponentes serão os organizadores do dossiê e devem ser pesquisadores vinculados a instituições de ensino superior e/ou pesquisa nacionais ou estrangeiras que possuam reconhecida competência acadêmica na área temática do dossiê.</p> <p>Cada proponente poderá enviar somente uma proposta de dossiê. Os proponentes devem ter seus currículos disponíveis e atualizados por ocasião da inscrição.</p> <p>Uma vez aprovada a sua proposta, os organizadores deverão acompanhar a produção editorial do dossiê durante todas as etapas, atuando como intermediários entre os editores e os autores dos artigos para resolver questões relacionadas à revisão sugerida pelos pareceres externos, à revisão de linguagem e normalização bibliográfica, à sua edição e outras demandas que porventura surgirem relacionadas à produção do periódico.</p> <p>Os organizadores são responsáveis por manter o sigilo durante todo o processo de avaliação pelos pares, conforme regras de avaliação duplo cega da revista, bem como assegurar o cumprimento dos prazos durante o processo de avaliação e de editoração.</p> <p>Os organizadores ficarão encarregados de preparar um texto de apresentação do dossiê que comporá o editorial do número. Os organizadores poderão participar do número como autores ou coautores de no máximo um artigo que comporá o dossiê. Os organizadores não serão remunerados pela revista.</p> <p>O prazo final para o envio de propostas é <strong>01/05/2017</strong>.</p> <p>As propostas devem ser enviadas à <em><strong>Revista Observatório</strong></em>, por meio do e-mail <a href="mailto:gilsonportouft@gmail.com">gilsonportouft@gmail.com</a> &nbsp;e devem conter as seguintes informações:</p> <ol> <li class="show">Título do dossiê proposto.</li> <li class="show">Nome e currículo resumido do(s) organizador(es) do dossiê.</li> <li class="show">Ementa e breve justificativa sobre a escolha do tema.</li> <li class="show">Estrutura do dossiê, contendo:</li> </ol> <p>(a) Lista dos artigos que comporão o dossiê, contendo: títulos e resumos de cada artigo (máximo de 150 palavras cada um).</p> <p>(b) Nome e currículo resumido dos colaboradores do dossiê.</p> <p>O prazo para análise de uma proposta de dossiê é de aproximadamente um mês, ao final do qual os organizadores receberão um e-mail informando sobre o resultado e um breve parecer sobre a proposta apresentada.</p> <p>Serão considerados como critérios para avaliação das propostas:</p> <p>- adequação à política editorial de&nbsp;<em><strong>Revista Observatório</strong></em>, especialmente em relação à sua contribuição para o avanço do conhecimento no campo comunicacional e suas interfaces;</p> <p>- relevância e originalidade dos artigos em relação aos temas abordados em outros periódicos comunicacionais no Brasil;</p> <p>- clareza, coerência e organicidade dos artigos em relação à proposta como unidade temática,</p> <p>- abrangência institucional e regional dos autores;</p> <p>- inserção dos autores em relação às temáticas de seus artigos, bem como em relação à temática geral do dossiê.</p> <p>Será automaticamente eliminada a proposta que descumprir algum dos itens desta Chamada.</p> <p>Caso a proposta seja aprovada, os organizadores deverão providenciar a submissão dos artigos através do sistema de submissão da revista pelos seus respectivos autores&nbsp; (<a href="https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/login">https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/login</a>).</p> <p>Os artigos devem seguir as normas editoriais da revista disponíveis em <a href="https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/about/submissions">https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/about/submissions</a> &nbsp;e serão submetidos a uma avaliação prévia pela Comissão Editorial, para verificar o cumprimento das normas editoriais e a adequação dos mesmos à linha editorial de&nbsp;<em><strong>Revista Observatório</strong></em>.</p> <p>Após essa etapa, os artigos serão também avaliados por pareceristas externos, indicados pelos organizadores.</p> <p>&nbsp;</p> <p>Caso necessário, a Comissão Editorial poderá solicitar alterações ou exclusão de artigos do dossiê dentro do prazo acordado com os organizadores.</p> <p>Palmas, 19 de dezembro de 2016.</p> <p>Comissão Editorial - <em><strong>Revista Observatório</strong></em>.</p> 2016-12-19T17:28:53-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/92 Chamada de Trabalhos: Revista Observatório recebe Qualis/2016 2016-12-17T07:08:31-03:00 Revista Observatório 2016-12-17T07:08:31-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/84 Chamada de Trabalhos: Vol. III nº 3 2017 "Comunicação, Educação e Tecnologias" 2016-10-29T00:00:00-03:00 Revista Observatório <p>[PT]</p> <div> <p><strong>Chamada de trabalhos</strong></p> <p>&nbsp;</p> <p>A&nbsp;<strong>Revista Observatório</strong>&nbsp;está recebendo artigos e resenhas para a edição maio-agosto nº 3 de 2017 (v.3, n.3) até 15&nbsp;de abril&nbsp;de 2017.&nbsp;</p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>Dossiê: “Comunicação. Educação e Tecnologias”</strong></p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Editores convidados:</strong></p> <p>Prof. Dr. José Lauro Martins, Universidade Federal do Tocantins, Brasil</p> <p>Prof. Dr. Bento Duarte da Silva, Universidade do Minho – Portugal</p> <p>Profa. Dra. Valdirene Cassia da Silva (Centro Universitário Luterano de Palmas – CEULP/ULBRA e Faculdade Católica do Tocantins - FACTO)&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Ementa</strong></p> <p>O dossiê temático "Comunicação, Educação e Tecnologias" tem como proposta a divulgação das pesquisas que discutem os problemas da interface da educação contemporânea com a comunicação e as tecnologias digitais. Trata-se de resultados da reflexão/pesquisa acadêmica que procuram responder aos novos desafios das transformações que as tecnologias digitais promovem nas relações sociais, nos meios de comunicação e nas práticas educativas.</p> <p>A proposta se justifica uma vez que a educação e a comunicação se constituem e se complementam como fenômenos socioculturais e vêm sendo altamente impactadas pelas tecnologias digitais, principalmente no que tange aos processos educativos em que os professores são questionados quanto à aplicação das metodologias e os recursos empregados coerentes com os movimentos contemporâneos. Os sujeitos-atores desse processo têm sido desafiados por esse contexto. Pressupondo que a educação é um fenômeno que acontece no sujeito e que a aprendência resultante tem consequências sociais, precisamos, além de compreender, transformar as práticas educativas. Para isso, contamos como aliados a comunicação e suas dinâmicas de linguagens e ferramentas que permitem/possibilitam outras práticas educativas.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Orientações quanto à submissão de artigos ao dossiê</strong></p> <p>A proposição de&nbsp;Dossiê&nbsp;para a&nbsp;Revista Observatório&nbsp;deve respeitar os seguintes procedimentos:</p> <ul> <li class="show">Os artigos devem ser inéditos;</li> <li class="show">Os artigos deverão ter&nbsp;no máximo 3 autores, sendo necessariamente um doutor;</li> <li class="show">Todos os artigos serão submetidos à avaliação,&nbsp;conforme as normas apresentadas pela Revista Observatório.</li> <li class="show">Os artigos devem estabelecer “pontes entre disciplinas”&nbsp;buscando, desta forma, estabelecer uma&nbsp;abordagem interdisciplinar, que é o foco e escopo do dossiê.</li> <li class="show">O artigo submetido deve ser apresentado em&nbsp;formato&nbsp;e&nbsp;linguagem&nbsp;adequados a uma publicação científica.</li> <li class="show">O artigo não deve ser apresentado como um “relatório de pesquisa” deve ter conclusões já amadurecidas, ser conciso e consistente.</li> <li class="show">Os artigos devem ter um&nbsp;mínimo&nbsp;de&nbsp;12&nbsp;e&nbsp;máximo&nbsp;de&nbsp;15&nbsp;páginas, incluindo títulos, resumos, tabelas, figuras, mapas e referências.</li> <li class="show">Somente serão encaminhadas para avaliação as submissões que estiverem de acordo com as normas exigidas pela revista e realizadas através do portal.</li> <li class="show">Serão aceitos artigos escritos em português, inglês ou espanhol com a finalidade de divulgar estudos e investigações originadas em diversos países e facilitar o acesso aos textos originais.&nbsp;</li> </ul> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> <p>[EN]</p> <p><strong>Call for Papers</strong></p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Revista Observatório</strong> is receiving papers and abstracts submissions for the May-August edition (#3) until April, 15th, 2017. More informations can be found on Submissions.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Dossiers:&nbsp;Communication, Education and Technologies</strong></p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>Invited Publishers:</strong></p> <p>Prof. Dr. José Lauro Martins, Universidade Federal do Tocantins, Brasil</p> <p>Prof. Dr. Bento Duarte da Silva, Universidade do Minho – Portugal</p> <p>Profa. Dra. Valdirene Cassia da Silva (Centro Universitário Luterano de Palmas – CEULP/ULBRA e Faculdade Católica do Tocantins - FACTO)&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Abstract</strong></p> <p>The thematic dossier "Communication, Education and Technologies" proposes the dissemination of researches that discuss the problems of the contemporary education interface with communication and digital technologies. These are results of the reflection / academic research which seek to answer the new challenges of the changes that digital technologies promote in social relationships , in the media and in educational practices. The proposal is justified given that education and communication are constituted and complemented as sociocultural phenomenas and have been highly impacted by digital technologies, especially with regard to educational processes in which teachers are asked about the application of methodologies and resources used consistent with contemporary movements.<br> The subject - actors in this process have been challenged by this context. Assuming that education is a phenomenon that happens in the subject and that the resulting learn has social consequences , we need to, besides understand , transform educational practices.</p> <p>For this, we have as allies communication and its dynamic languages and tools that allow / enable other educational practices.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Guidance on the submission of the dossier articles</strong></p> <p>The Dossier proposition for the Magazine "Observatório" must respect the following rules:</p> <ul> <li class="show">The articles must be original;</li> <li class="show">Articles should have a maximum of 3 authors, one has to necessarily be a doctor;</li> <li class="show">All items have to be submitted for evaluation as the standards presented by the Magazine "Observatório";</li> <li class="show">Articles should establish "bridges between disciplines" seeking , therefore , to establish an interdisciplinary approach , which is the focus and scope of the dossier;</li> <li class="show">The submitted article should be presented in a format and language appropriate to a scientific publication;</li> <li class="show">The article should not be presented as a "research report", it should have conclusions already mature , be concise and consistent;</li> <li class="show">Articles must have a minimum of 12 and maximum of 15 pages, including titles, abstracts , tables, figures , maps and references;</li> <li class="show">Only will be forwarded for evaluation submissions that comply with the standards required by the magazine and carried out through the portal;</li> <li class="show">Will be accepted articles written in Portuguese , English or Spanish in order to disseminate originated studies and investigations in several countries and facilitate access to the original texts.</li> </ul> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> <p>[ES]</p> <p><strong>Convocatoria de artículos</strong></p> <p>Se hace la apertura de la convocatoria de artículos y recensiones para la edición Mayo a Agosto de 2017 (v.3, n.3) hasta el 15&nbsp;de abril. Instrucciones en&nbsp;Submissiones.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Dossier: Comunicación, Educación y Tecnologías</strong></p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>Editores invitados</strong></p> <p>Prof. Doctor José Lauro Martins (Universidade Federal de Tocantins – UFT)</p> <p>Prof. Doctor Bento Silva (Universidade do Minho/Portugal).</p> <p>Profª. Doctora Valdirene Cassia da Silva (Centro Universitário Luterano de Palmas – CEULP/ULBRA y Faculdade Católica do Tocantins – FACTO)</p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Resumen</strong></p> <p>El dosier temático “Comunicación, Educación y Tecnologías” tiene como propuesta la divulgación de las investigaciones que discuten los problemas de la interfaz de la educación contemporánea con la comunicación y las tecnologías digitales. Se trata de resultados de la reflexión/investigación académica que buscan contestar a los nuevos retos de las transformaciones que las tecnologías digitales promueven en las relaciones sociales, en los medios de comunicación y en las prácticas educativas.</p> <p>La propuesta se justifica una vez que la educación y la comunicación se constituyen y se complementan cómo fenómenos socioculturales y vienen siendo altamente impactados por las tecnologías digitales, principalmente en lo que atañe a los procesos educativos en que los docentes son cuestionados respecto a la aplicabilidad de las metodologías y los recursos empleados, coherentes con los movimientos contemporáneos. Los sujetos-actores de ese proceso han sido desafiados por ese contexto. Presuponiendo que la educación es un fenómeno que ocurre en el sujeto y que el aprendizaje resultante tiene consecuencias sociales, necesitamos más allá de comprender, transformar las prácticas educativas. Para ello, contamos con aliados la comunicación y sus dinámicas de lenguajes y herramientas que permiten/posibiliten otras prácticas educativas.</p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>Orientaciones respecto a la sumisión de artículos al&nbsp; dosier:</strong></p> <p>La proposición de Dosier para la Revista Observatório debe respetar los siguientes procedimientos:</p> <ul> <li class="show">Los artículos deben ser inéditos;</li> <li class="show">Los artículos deberán tener en lo máximo 3 autores, siendo necesariamente un doctor;</li> <li class="show">Todos los artículos serán sometidos a la evaluación, de acuerdo a las normas presentadas por la Revista Observatório;</li> <li class="show">Los artículos deben establecer “puentes entre asignaturas” buscando, de esta forma,</li> <li class="show">establecer un abordaje interdisciplinario, que es el enfoque y alcance del dosier.</li> <li class="show">El artículo sometido debe ser presentado en formato y lenguaje adecuados a una publicación científica.</li> <li class="show">El artículo no debe ser presentado como un “Informe de Investigación”, debe tener conclusiones ya maduras, ser conciso y consistente.</li> <li class="show">Los artículos deben tener un mínimo de 12&nbsp; y máximo de 15 páginas, incluyendo títulos, resúmenes, tablas, figuras, mapas y referencias.</li> <li class="show">Solamente serán encaminadas para evaluación las sumisiones que estuvieren de acuerdo a las normas exigidas por la revista y realizadas a través del portal.</li> <li class="show">Serán aceptados los artículos escritos en portugués, inglés o español con la finalidad de divulgar estudios e investigaciones originadas en diversos países y facilitar el acceso a los textos originales.</li> </ul> </div> 2016-10-29T00:00:00-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/82 Revista Observatório: Open Access Week 2016 2016-10-14T06:40:18-03:00 Revista Observatório <p><span>A Semana do </span><a class="_58cn" href="https://www.facebook.com/hashtag/acessoaberto?source=feed_text&amp;story_id=1455187791175499" data-ft="{&quot;tn&quot;:&quot;*N&quot;,&quot;type&quot;:104}"><span class="_5afx"><span class="_58cl _5afz">#</span><span class="_58cm">AcessoAberto</span></span></a><span> (</span><a class="_58cn" href="https://www.facebook.com/hashtag/openaccess?source=feed_text&amp;story_id=1455187791175499" data-ft="{&quot;tn&quot;:&quot;*N&quot;,&quot;type&quot;:104}"><span class="_5afx"><span class="_58cl _5afz">#</span><span class="_58cm">OpenAccess</span></span></a><span>) acontece em todo o mundo, de 24 a 30 de outubro de 2016. </span></p><p><span><img src="/public/site/images/gilsonporto/Action_Banner.png" alt="" /></span></p><p>A Revista Observatório participará promovendo momentos de reflexão sobre o open access. </p><p><span>Sugestões de ações: </span><br /><span>(a) Faça uma lista de periódicos de acesso aberto e compartilhe com os colegas.</span><span class="text_exposed_show"><br />(b) Inicie uma conversa sobre Acesso Aberto durante uma reunião de trabalho ou de pesquisa.<br />(c) Envie pelo menos um manuscrito para uma revista de acesso aberto no próximo ano.<br />(d) Deposite pelo menos um de meus artigos em um repositório de acesso aberto durante a Semana do Acesso Aberto e incentive os colegas a fazer o mesmo.<br />(e) Divulgue Repositórios e Bibliotecas Digitais abertas.</span></p> 2016-10-14T06:40:18-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/75 Chamada de Trabalhos: Vol. III nº 4 Especial 2 2017 "História Digital: Perspectivas, Experiências e Tendências" 2016-08-30T00:00:00-03:00 Revista Observatório <p><img src="/public/site/images/gilsonporto/vol.3_nespecial_2_2017_.png" alt=""></p> <p><strong>[PT]</strong></p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Chamada de trabalhos</strong></p> <p>&nbsp;</p> <p>A <strong>Revista Observatório</strong> está recebendo artigos e resenhas para a edição Especial nº 2 Setembro de 2017 (v.3, n.4) até 30 de junho de 2017.&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> <p>Dossiê: HISTÓRIA DIGITAL: PERSPECTIVAS, EXPERIÊNCIAS E TENDÊNCIAS</p> <p>&nbsp;</p> <p>Editores convidados:</p> <p>&nbsp;</p> <p>Prof. Dr. Bruno Leal Pastor de Carvalho (Rede Brasileira de História Pública, Café História e Professor da Universidade Federal Fluminense UFF)</p> <p>Prof. Dr. Fagno da Silva Soares (CLIO &amp; MNEMÓSINE Centro de Estudos e Pesquisas em História Oral e Memória IFMA e NEHO/USP)</p> <p>Profa. Dr. Marta Gouveia de Oliveira Rovai (Núcleo de Estudos em História Oral NEHO/USP, Rede Brasileira de História Pública e Universidade Federal de Alfenas UNIFAL)</p> <p>&nbsp;</p> <p>Ementa</p> <p>O dossiê “HISTÓRIA DIGITAL: PERSPECTIVAS, EXPERIÊNCIAS E TENDÊNCIAS” objetiva criar um ambiente dialógico com pesquisas inscritas no pujante campo da história digital, ensejando ser um espaço profícuo ao debate interdisciplinar de pesquisadores que se debruçam sob a rubrica da história digital e pública, amalgamando diferentes linguagens e tecnologias. O crescente interesse pela temática, sublinha a necessidade de refletirmos acerca das disputas conceituais e de campo da história digital, bem como, suas perspectivas, experiências e tendências no Brasil em três pontos: ensino, pesquisa e divulgação nas mídias digitais. E, por conseguinte, suas reverberações socioculturais e políticas nas linguagens cinematográfica, iconográfica, literária, museológica e/ou&nbsp;midiática no ciberespaço. Considerando as matrizes e embates teórico-metodológicos nas relações entre a história digital e a história pública, perpassadas das ferramentas digitais de comunicação. Destarte, objetiva-se constituir um espaço de acolhimento e partilha de reflexões, de modo a contribuir na difusão e alargamento das discussões que gravitam em torno da história digital que tencionam os processos histórico-sociais contemporâneos, a partir da reflexão-ação-reflexão orientada por um eixo principal, qual sejam as questões epistemológicos e metodológicas da história digital e suas relações prático-empíricas entre o historiar e o noticiar no ciberespaço, tomando os usos de diferentes linguagens digitais ao grande público que vão desde os e-mails até os museus virtuais, passado por blogs, portais, redes sociais e acervos em geral, com a ampliação cada vez maior da audiência.</p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>[ES]</strong></p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>Llamada de artículos</strong></p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p>La <strong>Revista Observatório</strong> recibe artículos y reseñas para la edição Especial nº 2 Setembro de 2017 (v.3, n.4) até 30 de junho de 2017.</p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> <p>Dosier:&nbsp;HISTORIA DIGITAL: PERSPECTIVAS, EXPERIENCIAS Y TENDENCIAS</p> <p>&nbsp;</p> <p>Editores invitados:</p> <p>Prof. Dr. Bruno Leal Pastor de Carvalho (Red Brasileña de Historia Pública, Café Historia y Profesor de la Universidad Federal Fluminense UFF)</p> <p>Prof. Dr. Fagno da Silva Soares (CLIO &amp; MNEMÓSINE Centro de Estudios y Pesquisas en Historia Oral y Memoria IFMA e NEHO/USP)</p> <p>Profa. Dra. Marta Gouveia de Oliveira Rovai (Núcleo de Estudios en Historia Oral NEHO/USP, Red Brasileña de Historia Pública y Universidad Federal de Alfenas UNIFAL)</p> <p>&nbsp;</p> <p>Resumen</p> <p>El dosier “HISTORIA DIGITAL: PERSPECTIVAS, EXPERIENCIAS Y TENDENCIAS” tiene como objetivo crear un ambiente de diálogo con pesquisas inscritas en el boyante campo de la historia digital, ansiando ser un espacio proficuo al debate interdisciplinar de investigadores que se inclinan bajo la rúbrica de la historia digital y pública, amalgamando diferentes lenguajes y tecnologías. El creciente interés por el tema subraya la necesidad de reflexionar acerca de las disputas conceptuales y del campo de la historia digital, bien como sus perspectivas, experiencias y tendencias en Brasil en lo que se refiere a tres puntos: enseñanza, pesquisa y divulgación en los medios digitales. Y, por consiguiente, sus reverberaciones socioculturales y políticas en los lenguajes como el cinematográfico, iconográfico, literario, museológico y/o mediático en el ciberespacio. Considerando las matrices y embates teórico-metodológicos en las relaciones entre la historia digital y la historia pública, pasando por las herramientas digitales de comunicación. Así, se tiene por objetivo constituir un espacio de acogida y compartición de reflexiones, de modo que se contribuya en la difusión y ampliación de las discusiones que gravitan en torno de la historia digital que tensan los procesos histórico-sociales contemporáneos, a partir de la reflexión-acción-reflexión orientada por un eje principal, cuales sean las cuestiones epistemológicas y metodológicas de la historia digital y sus relaciones práctico-empíricas entre el historiar y el noticiar en el ciberespacio, tomando los usos de diferentes lenguajes digitales dirigidos al gran público que van desde los e-mails hasta los museos virtuales, pasando por blogs, portales, redes sociales y archivos en general, con la ampliación cada vez mayor de la audiencia.</p> <p>&nbsp;</p> 2016-08-30T00:00:00-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/74 Chamada de Trabalhos: Vol. III nº 2 Especial 1 2017 "Por uma História Pública: Comunicação e Ensino" 2016-08-30T00:00:00-03:00 Revista Observatório <p><strong><img src="/public/site/images/gilsonporto/n.3_especial_1_2017_.png" alt=""></strong></p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>[PT] </strong></p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>Chamada de trabalhos</strong></p> <p>&nbsp;</p> <p>A <strong>Revista Observatório</strong> está recebendo artigos e resenhas para a edição Especial nº 1 Maio de 2017 (v.3, n.2) até 30 de março de 2017.&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> <p>Dossiê: POR UMA HISTÓRIA PÚBLICA: COMUNICAÇÃO E ENSINO.</p> <p>&nbsp;</p> <p>Editores convidados:</p> <p>&nbsp;</p> <p>Prof. Dr. Fagno da Silva Soares (CLIO &amp; MNEMÓSINE Centro de Estudos e Pesquisas em História Oral e Memória IFMA e NEHO/USP</p> <p>Profa. Dra. Marta Gouveia de Oliveira Rovai (Núcleo de Estudos em História Oral NEHO/USP, Rede Brasileira de História Pública e Universidade Federal de Alfenas UNIFAL).</p> <p>&nbsp;</p> <p>Ementa</p> <p>O dossiê “POR UMA HISTÓRIA PÚBLICA: COMUNICAÇÃO E ENSINO” objetiva reunir e visibilizar pesquisas que perscrutem temáticas interdisciplinares, com ancoragem no amplo espectro da história pública, interseccionando dimensões da história para o público e da história com o público, no entrelace entre comunicação e ensino. Para além disto, estudos que esquadrinhem os usos do passado e no/do presente na perspectiva da história pública e suas reverberações socioculturais e políticas a partir&nbsp; diferentes linguagens como a cinematográfica, iconográfica, literária, museológica e/ou&nbsp;midiática. Neste contexto, pretende-se contribuir na ampliação e consolidação das reflexões teórico-práticas acerca da história pública no Brasil e suas aproximações com as tecnologias digitais, visando à difusão do conhecimento histórico para além da produção acadêmica, atingido outros espaços/configurações de produção, divulgação e circulação do saber a outros públicos de ampla audiência. Cabe aos profissionais da contemporaneidade o desafio de filigranar o conceito, o campo, o gerenciamento, os trajetos, os modos, os temas, os problemas e os impactos da história pública e desdobramentos na interface entre história e jornalismo, na formação da consciência histórica.</p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>[ES]</strong></p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Llamada de artículos</strong></p> <p>&nbsp;</p> <p>La <strong>Revista Observatório</strong> recibe artículos y reseñas para la Edición Especial nº 1 de mayo de 2017 (v. 3, n.4) el 30 de marzo de 2017.</p> <p>&nbsp;</p> <p>Dosier:&nbsp;POR UNA HISTORIA PÚBLICA: COMUNICACIÓN Y ENSEÑANZA</p> <p>&nbsp;</p> <p>Editores invitados:</p> <p>&nbsp;</p> <p>Prof. Dr. Fagno da Silva Soares CLIO &amp; MNEMÓSINE Centro de Estudios y Pesquisas en Historia Oral y Memoria IFMA y NEHO/USP y</p> <p>Profa. Dra. Marta Gouveia de Oliveira Rovai (Núcleo de Estudios en Historia Oral NEHO/USP, Red Brasileña de Historia Pública y Universidad Federal de Alfenas UNIFAL).</p> <p>&nbsp;</p> <p>Resumen</p> <p>El dosier “POR UNA HISTORIA PÚBLICA: COMUNICACIÓN Y ENSEÑANZA” tiene por objetivo reunir y visibilizar pesquisas que escrutan temas interdisciplinares con base en el amplio espectro de la historia pública, interseccionando dimensiones de la historia para el público y de la historia con lo público en la unión entre la comunicación y la enseñanza. Más allá de esto, dar visión a estudios que escudriñen los usos del pasado y en/del presente en la perspectiva de la historia pública y sus reverberaciones socioculturales y políticas a partir de diferentes lenguajes como el cinematográfico, iconográfico, literario, museológico y/o mediático. En este contexto, se pretende contribuir con la ampliación y consolidación de las reflexiones teórico-prácticas acerca de la historia pública en Brasil y sus aproximaciones con las tecnologías digitales, enfocando la difusión del conocimiento histórico más allá de la producción académica, alcanzando otros espacios/configuraciones de producción, divulgación y circulación del saber a otros públicos de amplia audiencia. Cabe a los/as profesionales de la contemporaneidad el desafío de afiligranar el concepto, el campo, la gestión, los trayectos, los modos, los temas, los problemas y los impactos de la historia pública y los desdoblamientos en la interfaz entre la historia y el periodismo, en la formación de la consciencia histórica.</p> <p>&nbsp;</p> 2016-08-30T00:00:00-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/67 Espaços da Revista Observatório 2016-06-30T11:16:47-03:00 Revista Observatório <p>A Revista Observatório possui alguns espaços de divulgação de suas notícias. Acesse nossa página no Facebook em:&nbsp;<a href="https://www.facebook.com/revistaobservatorio/">https://www.facebook.com/revistaobservatorio/</a></p> <p><img src="/public/site/images/gilsonporto/revista_face2_menor.png" alt=""></p> <p>&nbsp;</p> 2016-06-30T11:16:47-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/64 Chamada de Trabalhos: Vol. III nº 6, 2017 - "Processos formativos, comunicação e educação pós-Bolonha" 2016-06-11T00:00:00-03:00 Revista Observatório <p><strong>[PT]</strong></p> <div> <p><strong>Chamada de trabalhos</strong></p> <p>A Revista Observatório está recebendo artigos e resenhas para a edição setembro-dezembro de 2017 (v.3, n.6) até 30 de agosto&nbsp;de 2017. Mais informações em Submissões.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Dossiê: Processos formativos, comunicação e educação pós-Bolonha </strong></p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Editores Convidados:</strong></p> <p>Prof. Dr. Luis Carlos Martins de Almeida Mota, Instituto Politécnico de Coimbra, Portugal</p> <p>Prof. Dr. Francisco Gilson Rebouças Porto Junior, Universidade Federal do Tocantins (UFT), Brasil</p> <p>Profa. Dra. Maria Creusa Borges, Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Brasil</p> <p>&nbsp;</p> <p>Pensar hoje a evolução da educação e da comunicação e das políticas, em geral, e o ensino superior, em particular, num quadro de globalizações exige um esforço de compreensão perante o imbrincado das transformações, nem sempre congruentes entre si. Contexto complexo em face das múltiplas perspetivas de análise, das variáveis que o condicionam e da produção científica que sobre ele se tem debruçado.</p> <p>A globalização – em bom rigor, globalizações – ocorre em ritmo e intensidade diferenciada, em diferentes regiões do globo e nas diversas vertentes da vida social. Processos sociais complexos que geram tensões e conflitos. A perda de centralidade do Estado-nação compagina-se com a emergência de entidades económico-políticas regionais de natureza supranacional (por exemplo, MERCOSUL, NAFTA ou União Europeia). Entidades de iniciativa dos Estados com o objetivo de estes ampliarem a sua influência nas dinâmicas de globalização. Processos que têm conduzido à afirmação de organizações (nacionais ou transnacionais) onde as elites e os peritos dominam e o escrutínio democrático dos cidadãos está ausente – exemplo, a Organização Mundial do Comércio, bancos centrais, instituições reguladoras.</p> <p>Busca-se, nesse quadro, problematizar uma agenda de debate voltada para a configuração de áreas-chave no campo da cooperação internacional em matéria de educação, tais como: acesso, qualidade e equidade. São constituídos acordos, estratégias e políticas, os quais traduzem uma agenda de cooperação, tendo a educação um papel fundamental nessa seara. Nesse campo, várias estratégias e iniciativas se destacam, tais como o estabelecimento da Rede Universitária do BRICS, o reconhecimento mútuo dos títulos e diplomas do ensino superior, entre outros. Essas estratégias, acordos e políticas se inserem no contexto de reforço da cooperação intra-blocos regionais, tendo como caso paradigmático o Processo de Bolonha europeu, cujo documento-símbolo, a Declaração de Bolonha (1999), volta-se à afirmação de uma área europeia de ensino superior e de investigação, cujos antecedentes de formação remontam ao final da década de oitenta e noventa do século XX, com a elaboração dos documentos Magna Charta Universitatum (1988) e a Declaração de Sorbonne (1998).</p> <p>Neste contexto as políticas de educação e comunicação já não são assunto exclusivo do Estado-nação. A análise da relação entre os processos de globalização e os fenómenos educativos tem sido marcado, fundamentalmente, por duas perspectivas. Uma encara a expansão mundial dos sistemas educativos e comunicacionais como parte integrante de um processo longo e mais vasto de globalização cultural que inclui a disseminação do Estado-nação e valores como o progresso, a igualdade e os direitos humanos. A outra acentua que a relação entre globalização e a educação se processa com a mediação do Estado, dependendo do posicionamento deste no sistema mundial e do intrincado processo de relações sociopolítico-institucionais do contexto nacional. Uma terceira leitura, adotando um posicionamento de natureza histórico-social, destaca a importância dos modelos de reforma e de desenvolvimento serem sempre contextualizados no plano cultural, intelectual, político ou ideológico, nacionais.</p> <p>Com iniciativas diferenciadas e diversificadas, estudos e publicações, estas organizações constituem hoje fóruns de conceção e globalização de uma agenda para a educação que fixa prioridades e formas de colocação dos problemas, configura o pensamento e ação política, nos planos continental e transcontinental, e define mecanismos de regulação dos sistemas de ensino, desempenhando um papel não despiciendo no plano das políticas educativas nacionais. Nesta perspetiva, adquire especial pertinência uma chamada para o dossiê “Processos formativos, comunicação e educação pós-Bolonha”,em que se pretende abordar:</p> <p>- O Modelo Bolonha e as Políticas Regionais de Educação Superior;</p> <p>- Regulação Transnacional das Políticas Educativas</p> <p>- O ensino e a aprendizagem: a problemática das metodologias e do envolvimento <a href="mailto:d@s" target="_blank">d@s</a> <a href="mailto:alun@s" target="_blank">alun@s</a>, a inovação pedagógica...;</p> <p>- A relação das competências e a aproximação da oferta educativa ao mercado de trabalho e a função/utilidade da comunicação nesses processos;</p> <p>- A questão da internacionalização de docentes, demais funcionários e discentes, com foco em áreas formativas (Ciências Sociais Aplicadas, Ciências Humanas, Ciências Exatas, etc) e possíveis relações educação-comunicação;</p> <p>- A profissão docente (ensino superior);</p> <p>- A lógica da massificação do ensino superior e as vertentes da equidade e da aprendizagem/formação ao longo da vida;</p> <p>Esperam-se abordagens que privilegiem a lógica continental (lógica regional) ou nacional (cada país), com espaço também a leituras de educação comparada.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>[EN]</strong></p> <p><strong>Call for Papers</strong></p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p>Revista Observatório is receiving papers and abstracts submissions for the September-December edition (#6) until august, 30th, 2017. More informations can be found on Submissions.</p> <p>&nbsp;</p> <p>Dossiers: Formative processes, communication and after Bologna education.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Invited Publishers:</strong></p> <p>Prof. Luis Carlos Martins de Almeida Mota, PhD, Instituto Politécnico de Coimbra, Portugal</p> <p>Prof. Francisco Gilson Rebouças Porto Junior, PhD, Universidade Federal do Tocantins (UFT), Brasil</p> <p>Profa. Maria Creusa Borges, PhD, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)</p> <p>&nbsp;</p> <p>Thinking of today’s evolution of education, communication and policies, in general, and superior education, in particular, in a globalized situation requires an effort of understanding before the transformations, not always congruent between themselves. In the face of complex context multiple perspectives of analysis, the variables that influence and the scientific production that about it has been addressing.</p> <p>The globalization - in good severity, globalizations - occurs in rhythm and differentiated intensity, different regions of the globe and the diverse sources of the social life. Complex social processes that generate tensions and conflicts. The loss of balance of the State-nation with the emergency of entities regional economic-politics of supranational nature (for example, MERCOSUL, NAFTA or U.E.E.). Entities of initiative of the States with the objective of these to extend its influence in the globalization dynamic. Processes that have lead to the affirmation of organizations (national or transnational) where the elites and the connoisseurs dominate and the democratic scrutiny of the citizens is absent - example, the World trade organization, central bankings, regulating institutions.</p> <p>The search, in this picture, is discuss an agenda of debate directed toward the configuration of key areas in the field of the international cooperation in education substance, such as: access, quality and equity. Agreements, strategies and politics are constituted, which translate a cooperation agenda, having the education a basic paper in this endeavor. In this field, some strategies and initiatives if detach, such as the establishment of the University Net of the BRICS, the mutual recognition of the headings and diplomas of superior education, among others. These strategies, agreements and politics if insert in the context of reinforcement of the cooperation regional intra-blocks, having as model case the European Process of Bologna, whose document-symbol, the Declaration of Bologna (1999), turns it the affirmation of a European area of superior education and inquiry, whose antecedents of formation retrace to the end of the decade of eighty and ninety of century XX, with the elaboration of the documents Magna Charta Universitatum (1988) and the Declaration of the Sorbonne (1998).</p> <p>In this context the policies of education and communication are no longer unique subject of the nation-state. The analysis of the relation between the processes of globalization and the educational phenomena has been marked, fundamentally, by two perspectives. One sees the global expansion of educational systems and communicational as part of a long process and wider cultural globalization that includes the dissemination of the nation-state and values as the progress, equality and human rights. The other emphasizes that the relationship between globalization and education if processes with the mediation of the State, depending on the positioning of this in the world system and the intricate process of political-institutional relations of the national context. A third reading, adopting a positioning of historical-social nature, highlights the importance of the models of reform and development are always contextualized in cultural, intellectual, political or ideological, national.</p> <p>With differentiated initiatives and diversified, studies and publications, these organizations today constitute forums and globalization of an agenda for education fixing priorities and forms of placing of problems, configures the political thought and action, in continental plans and transcontinental, and defines regulatory mechanisms of systems of higher education, playing a not insignificant role in the plan of national education policies. In this looming, acquires particular relevance a call to the dossier "Formative processes, communication and education post-Bologna", in which it intends to address:</p> <p>&nbsp;</p> <ul> <li class="show">The Bologna model and the regional policies of higher education;</li> <li class="show">Transnational adjustment of education policies</li> <li class="show">The teaching and learning: the problematic of the methodologies and the involvement of students, pedagogical innovation...;</li> <li class="show">The relationship of competences and the approximation of educational offer to the labor market and the function/usefulness of communication in these processes;</li> <li class="show">The question of internationalization of teachers, other employees and students, with focus in the areas of formation (Applied Social Sciences, Human Sciences, Exact Sciences, etc.) and possible relations education-communication;</li> <li class="show">The teaching profession (higher education);</li> <li class="show">The logic of the massification of higher education and the strands of equity and learning/training throughout life;</li> <li class="show">We expect approaches that prioritize the continental logic (regional) or national logic (each country), with space also the readings of education compared.</li> </ul> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>[ES]</strong></p> <p><strong>Llamada de artículos</strong></p> <p>La Revista Observatório recibe artículos y reseñas para la edición de septiembre-octubre del 2017 (v.3, n.6) hasta el 30 de agosto del 2017. Más informaciones en Envíos.</p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>Dosier: Procesos formativos, comunicación y educación post-Bolonia</strong></p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Editores Invitados:</strong></p> <p>Prof. Dr. Luís Carlos Martins de Almeida Mota, Instituto Politécnico de Coimbra, Portugal</p> <p>Prof. Dr. Francisco Gilson Rebouças Porto Junior, Universidad Federal do Tocantins (UFT), Brasil</p> <p>Profa. Dra. Maria Creusa Borges, Universidad Federal da Paraíba (UFPB), Brasil</p> <p>&nbsp;</p> <p>Pensar hoy la evolución de la educación, de la comunicación y de las políticas, en general, y la educación superior, en particular, en el marco de las globalizaciones exige un esfuerzo de comprensión frente al intrincado de las transformaciones, no siempre congruentes entre sí. Se trata de un contexto complejo delante de las múltiples perspectivas de análisis, de las variables que lo condicionan y de la producción científica que sobre él ha reflexionado.</p> <p>La globalización – más bien, las globalizaciones – ocurre en un ritmo e intensidad diferenciados, en distintas regiones del globo y en las múltiples vertientes de la vida social. Procesos sociales complejos que generan tensiones y conflictos. La pérdida de la centralidad del Estado-Nación se compagina con la emergencia de entidades económico-políticas regionales de naturaleza supranacional (por ejemplo, MERCOSUL, NAFTA o Unión Europea). Entidades de iniciativa estadual con el objetivo de que los Estados amplíen su influencia en las dinámicas de la globalización. Procesos que han conllevado a la afirmación de las organizaciones (nacionales o transnacionales) en donde las élites y los peritos dominan y el escrutinio democrático de los ciudadanos está ausente – ejemplo, la Organización Mundial del Comercio, bancos centrales, instituciones reguladoras.</p> <p>En este marco, se busca problematizar una agenda de debate volcada a la configuración de áreas llave en el campo de la cooperación internacional en materia de educación, como el acceso, la cualidad y la equidad. Se constituyen acuerdos, estrategias y políticas que traducen una agenda de cooperación en la cual la educación tiene un papel fundamental. En este ámbito, diferentes estrategias e iniciativas se destacan, como la creación de la Red Universitaria de los BRICS, el reconocimiento mutuo de las titulaciones y diplomas de la educación superior, entre otros. Tales estrategias, acuerdos y políticas se inscriben en un contexto de refuerzo de la cooperación intra-bloques regionales, teniendo como caso paradigmático el Proceso de Bolonia europeo (cuyos antecedentes se encuentran en la Magna <em>Charta Universitatum </em>(1988) y en la <em>Declaración de la Sorbonne </em>(1998)) basado en la Declaración de Bolonia que se centra en la creación de condiciones para la afirmación global de un espacio europeo de educación superior y de investigación de excelencia.</p> <p>En este contexto, las políticas de educación y comunicación ya no son un tema exclusivo del Estado-Nación. El análisis de la relación entre los procesos de globalización y los fenómenos educativos ha sido marcado, fundamentalmente, por dos perspectivas. Una de ellas encara la expansión mundial de los sistemas educativos y comunicacionales como parte integrante de un largo y vasto proceso de globalización cultural que incluye la diseminación del Estado-Nación y de valores como progreso, igualdad y derechos humanos. La otra realza que la relación entre globalización y educación se procesa con la mediación del Estado, dependiendo del posicionamiento de éste en el sistema mundial y del intrincado proceso de relaciones sociopolíticas institucionales del contexto nacional. Una tercera lectura, adoptando un posicionamiento de naturaleza histórico-social, destaca la importancia de los modelos de reforma y de desarrollo siempre contextualizados en el plano cultural, intelectual, político o ideológico, nacionales.</p> <p>Con iniciativas diferenciadas y diversificadas, estudios y publicaciones, estas organizaciones constituyen hoy fórums de concepción y <em>globalización</em> de una agenda para la educación que determina prioridades y <em>formas de abordar</em> los problemas, configura el pensamiento y la acción política, en los planos continental y transcontinental, y define mecanismos de regulación de los sistemas de enseñanza, desempeñando un papel insignificante en el plano de las políticas educativas nacionales. En esta perspectiva, adquiere especial pertinencia la llamada de artículos para el dosier “<strong>Procesos formativos, comunicación y educación post Bolonia</strong>” en el que se pretende abordar:</p> <p>- El Modelo de Bolonia y las Políticas Regionales de Educación Superior;</p> <p>- La Regulación Transnacional de las Políticas Educativas;</p> <p>- La enseñanza y el aprendizaje: la problemática de las metodologías y de la participación del alumnado, la innovación pedagógica...;</p> <p>- La relación de las habilidades y la aproximación de la oferta educativa al mercado de trabajo y la función/utilidad de la comunicación en eses procesos;</p> <p>- La cuestión de la internacionalización de docentes, demás funcionarios y discentes, con enfoque en las áreas formativas (Ciencias Sociales Aplicadas, Ciencias Humanas, Ciencias Exactas, etc.) y posibles relaciones educación-comunicación;</p> <p>- La profesión docente (en educación superior);</p> <p>- La lógica de la masificación de la educación superior y las vertientes de la equidad y del/de la aprendizaje/formación a lo largo de la vida.</p> <p>Se esperan abordajes que privilegien la lógica continental (lógica regional) o nacional (de cada país), existiendo también espacio para trabajos sobre educación comparada.</p> </div> 2016-06-11T00:00:00-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/63 Chamada de Trabalhos: Vol. III nº 1, 2017 - “Mulher e Mídia" 2016-06-11T00:00:00-03:00 Revista Observatório <p><img src="/public/site/images/gilsonporto/capa_final_site.png" alt=""></p> <div>&nbsp;</div> <div> <p><strong>Revista Observatório</strong></p> <p><strong>[PT]</strong></p> <p><strong>Chamada de Artigos</strong></p> <p>A&nbsp;Revista Observatório&nbsp;está recebendo artigos e resenhas para a edição Janeiro-Abril de 2017 (v.3, n.1) até 28 de Fevereiro.</p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>Dossiê: Mulher e Mídia</strong></p> <p><strong>Editoras convidadas:</strong></p> <p>Dra.&nbsp;Cynthia Mara Miranda, Universidade Federal do Tocantins (UFT)</p> <p>Dra.&nbsp;Sandra de Souza Machado, professora visitante da Universidade de Brasília (UnB) e Editora do Blog Igualdade – Correio Braziliense.</p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>Ementa</strong></p> <p>As mídias informacionais e publicitárias – cinema, televisão, rádio, internet, jornais, revistas, livros, panfletos, cartazes,&nbsp;outdoors – contribuem &nbsp;para a formação da opinião pública. Se tais mídias, inseridas no processo de produção da informação e da propaganda, reforçam estereótipos e (más) representações sociais, intensificam a desigualdade e o desequilíbrio entre os gêneros (inclusive, para além do binarismo patriarcal) e evidenciam formas de sexismo, preconceitos e discriminações. Assim, não exercem a responsabilidade social, que é formar cidadãs e cidadãos conscientes e críticos.</p> <p>É de fundamental importância que os meios de Comunicação Social sejam instrumentos para a propagação e a perpetuação da igualdade entre gêneros, principalmente, para a mudança das atuais representações imagéticas das mulheres. Tais mudanças de paradigmas visam a construção de nações inseridas na vanguarda das sociedades desenvolvidas, que respeitam a dignidade e valorizam a pessoa humana.</p> <p>O dossiê Mulher e Mídia, nesse sentido, aceitará artigos que versem sobre as representações das mulheres nas mídias, em seus vários produtos, com destaque para as relações de gênero que são construídas e desconstruídas nos meios de comunicação de massa; a desigualdade de poder e a invisibilidade das mulheres nos cargos de poder da indústria midiática.&nbsp; &nbsp;Também será dada prioridade aos artigos que destaquem a atuação dos movimentos de mulheres, feministas, para a construção da igualdade de gênero nos meios de comunicação, bem como a construção de ferramentas para o controle social dos <em>mass media</em>.</p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>[EN]</strong></p> <p><strong>Call for papers</strong></p> <p>The January-April 2017 issue&nbsp;(v.3, n.1)&nbsp;is open for submission of articles and reviews until February 28th.&nbsp;</p> <p><strong><em>&nbsp;</em></strong></p> <p><strong><em>Dossier Women and Media<br> Deadline for submission:</em></strong></p> <p><em><br> Guest Editors: Dr. Cynthia Mara Miranda (Professor at the Federal University of Tocantins - UFT) and Dr. Sandra de Souza Machado (Visiting Professor at the University of Brasilia (UnB) and Editor/Writer at Blog da Igualdade – Correio Braziliense)</em></p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>Summary</strong></p> <p>Information (Print/Broadcast/Digital) and Advertising media – cinema, television, radio, the internet, newspapers, magazines, books, pamphlets, posters, billboards – contribute to shape and form public opinion. By performing active roles within the information and advertising production processes, these media have been reinforcing and perpetuating stereotypes and social misrepresentations, over decades, as well as intensifying inequality and imbalance among genders (beyond the patriarchal binarism).</p> <p>Above all, mass media have been shaping social and cultural sexism, prejudice and discrimination against human diversities. Therefore, societies around the globe, especially in developing countries like Brazil, are still dealing with the urge for critical and educational approaches aiming social responsibility and awareness.</p> <p>It is vital now for social communication media to become instruments for change and for the dissemination of ideas which will work for gender equality and diversity awareness. Mainly, to modify current imagetic (mis) representations of women. Such paradigm shifts should work for the insertion in the forefront of developed societies. Those which respect, value and dignify the human being.</p> <p>The dossier Women and Media, in this regard, will review and publish articles that deal with the representations of women in media in its various products. Especially, those in which gender relations are constructed and deconstructed within mass media; inequality of power and/or the invisibility of women in positions of power within mass media industry. Priority will be given to articles that highlight the work of feminist movements in order to build gender equality in media, as well as their efforts to create tools for the social control of mass media.</p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>[ES]</strong></p> <p><strong>Convocatoria de artículos</strong></p> <p>Se hace la apertura de la convocatoria de artículos y recensiones para la edición Janeiro a April de 2017 (v.3, n.1) hasta el 28 de fevereiro.</p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>Dosier Las mujeres y los medios de comunicación </strong></p> <p><strong>Editoras:</strong> Dra.&nbsp;Cynthia Mara Miranda, profesora en la Universidade Federal do Tocantins (UFT), e Dra.&nbsp;Sandra de Souza Machado, profesora visitante en la Universidad de Brasília (UnB) e Editora do Blog Igualdade – Correio Braziliense.</p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>Resumen</strong></p> <p>Los medios de comunicación&nbsp; - cine, televisión, radio, Internet, periódicos, revistas, libros, folletos, carteles, vallas publicitarias - contribuyen para la formación de la opinión pública. Si tales medios, insertados en el proceso de producción de la información y de la publicidad, refuerzan los estereotipos y las (malas) representaciones sociales, intensificando la desigualdad y el desequilibrio entre los géneros (incluso más allá del binario patriarcal) y muestran las formas de sexismo, los prejuicios y la discriminación. Por lo tanto, no ejercen la responsabilidad social, que es la formación de ciudadanos y ciudadanos conscientes y críticos.</p> <p>Es de vital importancia que los medios de comunicación social sean instrumentos para la propagación y perpetuación de la igualdad de género, principalmente para el cambio de las actuales representaciones imaginistas de las mujeres. Tales cambios de paradigma son destinadas a la construcción naciones insertadas en la vanguardia de las sociedades desarrolladas que respeten la dignidad y el valor de la persona humana.<br> <br> El dosier&nbsp;Mujeres y medios de comunicación, en ese contexto, aceptará artículos que tienen que ver con las representaciones de las mujeres en los medios de comunicación, en sus diferentes productos, especialmente las relaciones de género qué se construyen y deconstruyen en los medios de comunicación; la desigualdad de poder y la invisibilidad de las mujeres en posiciones de poder de la industria midiática. También se dará prioridad a los artículos que ponen de relieve el trabajo de los movimientos de mujeres, feministas, para la construcción de la igualdad de género en los medios de comunicación, así como la construcción de herramientas para el control social de los medios de comunicación.</p> </div> 2016-06-11T00:00:00-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/59 ORCID: Passo a passo para obter o seu! 2016-04-17T00:00:00-03:00 Revista Observatório <p><span>A Revista Observatório implantará em breve o uso do ORCID em seu artigos. O <a href="http://orcid.org/" target="_blank">ORCID</a></span><span> </span><em>(Open Researcher and Contributor ID)</em><span> é um identificador digital persistente para o autor. ORCID está para o autor assim como o DOI está para um documento digital. </span></p><p><span>ORCID é um código alfanumérico de 16 caracteres, que tem a finalidade de diferenciar um autor de qualquer outro, ainda que tenha homônimo ou que tenha publicado, sido citado e/ou indexado de formas variadas. Identifica um único autor fazendo conexão automática com toda sua produção científica, onde quer que tenha sido publicada.</span></p><p><span><img src="/public/site/images/gilsonporto/orcid.jpg" alt="" /></span></p><p><span>O </span><a href="http://orcid.org/" target="_blank"><span>cadastro</span></a><span> para obtenção do ORCID é gratuito e poderá ser feito individualmente ou pela instituição. É um código interoperável com outros sistemas ID, o que quer dizer que permite importação/exportação de dados com o </span><a href="http://www.researcherid.com/" target="_blank"><span>ResearcherID</span></a><span>, sistema proprietário da </span><a href="http://thomsonreuters.com/en.html" target="_blank"><span>Thomson Reuters</span></a><span>, por exemplo.</span></p><p><a href="http://www.abecbrasil.org.br/index.asp?include=noticias_newsletter&amp;id=8&amp;Parte=3"><span>Leia mais</span></a></p> 2016-04-17T00:00:00-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/43 Tutoriais & Relatórios 2015-12-22T00:00:00-03:00 Revista Observatório <p><strong>[PT]</strong></p> <p>Aqui você tem acesso aos tutoriais de uso da <strong>Revista Observatório</strong>. Utilize-os em caso de dúvida sobre o(s) processo(s).</p> <p>&nbsp;</p> <p><a href="http://bibjuventude.ibict.br/jspui/handle/192/252">Manual OJS (Guia do Usuário versão 3.0): autores, avaliadores e gerenciadores</a> (IBICT, em português)</p> <p>&nbsp;</p> <p><a href="https://pt.scribd.com/doc/293854837/Manual-Para-Autores-Rev-Obser">Manual - Submissão de Manuscrito pelo Autor</a>&nbsp;(arquivo no Scribd)</p> <p>&nbsp;</p> <p><a href="https://pt.scribd.com/doc/293863118/Manual-Para-Avaliadores-Rev-Obser">Manual - Avaliador (parecerista) da Revista Observatório</a> (arquivo no Scribd)</p> <p>&nbsp;</p> <p><a href="https://pt.scribd.com/doc/293857621/Manual-Fluxograma-Do-Processo-Editorial-rev-obser">Manual - Fluxograma do Processo Editorial</a> (arquivo no Scribd)</p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>[PT]</strong></p> <p>Aqui você tem acesso aos Relatórios gerais de uso e ajustes da <strong>Revista Observatório</strong>.</p> <p>&nbsp;</p> <p><a href="https://pt.scribd.com/document/323263526/Relatorio-Revista-Observatorio-2">Relatório geral de acessos - período 03.07.2016 a 07.09.2016</a>&nbsp;(arquivo no Scribd)</p> <p>&nbsp;</p> <p><a href="https://pt.scribd.com/doc/306731170/Relatorio-Revista-Observatorio-20-01-a-01-04">Relatório geral de acessos - período 20.01.2016 a 01.04.2016</a>&nbsp;(arquivo no Scribd)</p> <p>&nbsp;</p> <p><a href="https://pt.scribd.com/doc/306956719/Relatorio-Facebook-01-08-2015-a-01-04-2016">Relatório geral Fan Page Facebook da Revista Observatório - período 01.08.2015 a 01.04.2016</a>&nbsp;(arquivo no Scribd)</p> <p>&nbsp;</p> <p><a href="https://pt.scribd.com/doc/309436367/Relatorio-Issuu-calameo">Relatório geral Flipbook Issuu e Calameo - período 15.03.2016 a 16.04.2016</a>&nbsp;(arquivo no Scribd)</p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> 2015-12-22T00:00:00-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/42 Ahead of print 2015-12-05T21:15:23-03:00 Revista Observatório <p>Os resumos dos artigos publicados nesta seção (<em>Ahead of Print</em>) foram aceitos seguindo o fluxo editorial da revista. </p><p>----</p><p>Abstracts of articles published in this section (<em>Ahead of Print</em>) have been accepted following the journal's editorial flow.</p><p>----</p><p>Los resúmenes de los artículos publicados en esta sección (<em>Ahead of Print</em>) han sido aceptados siguiente flujo editorial de la revista.</p><p> </p><p> </p> 2015-12-05T21:15:23-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/35 Chamada de Trabalhos: Vol. II nº 3, 2016- “História da Comunicação na Amazônia” 2015-10-12T12:24:58-03:00 Revista Observatório <p> </p><div class="separator" style="clear: both; text-align: center;"><a style="margin-left: 1em; margin-right: 1em;" href="http://3.bp.blogspot.com/-y5X2BcgpfXM/ViqdgV5S3UI/AAAAAAAAAPA/PijHivz71D4/s1600/capa_5.png"><img src="http://3.bp.blogspot.com/-y5X2BcgpfXM/ViqdgV5S3UI/AAAAAAAAAPA/PijHivz71D4/s320/capa_5.png" border="0" alt="" width="220" height="320" /></a></div><br /><p> </p><p><strong>Chamada de trabalhos</strong></p><p> </p><p><strong>A <strong>Revista Observatório</strong> está recebendo artigos e resenhas para a edição setembro-dezembro de 2016 (v.2, n.3) até 30 de novembro de 2016. Mais informações em Submissões.</strong></p><p> </p><p><strong>Dossiê História da Comunicação na Amazônia</strong></p><p> </p><p><strong>Editores convidados</strong>: Prof. Dr. Luís Francisco Munaro, Universidade Federal de Roraima (UFRR) e Prof. Dra. Netilia Silva dos Anjos Seixas (UFPA)</p><p> </p><p>Ementa</p><p>Apenas recentemente houve um despertar acadêmico para a compreensão da história amazônica a partir da perspectiva dos amazônidas. Isso quer dizer que tem se buscado ultrapassar o predomínio das fontes historiográficas contidas em relatórios de viajantes estrangeiros e estudos antropológicos centrados na percepção europeia de mundo. Quer dizer ainda que tem vindo à luz a busca pela historicização da Amazônia levando em conta o papel da natureza e da colonização, da resistência indígena e da miscigenação, da busca pela integração das periferias à capital e da reivindicação contínua das elites locais pela filiação na brasilidade.</p><p>Os sistemas de comunicação construídos durante esse processo civilizatório oferecem uma janela privilegiada para a compreensão da história. O avanço dos homens, das ideias e da palavra impressa pela "árvore de rios" indiciam, de forma bastante particular, como foram construídas as sociabilidades e sistemas de trocas simbólicas entre os amazônidas e os estrangeiros. A reflexão sobre a transformações dos processos comunicativos, entre os quais está a inserção da imprensa, levando em conta a formação de elites, a resistência de culturas indígenas e a predominância de fontes produzidas por europeus é o objeto dessa edição temática da Revista Observatório.</p><p>A edição aceitará artigos que versem sobre a história da comunicação na Amazônia, levando em consideração a transformação de processos comunicativos autóctones ou introduzidos pelos colonizadores, desde as formas de intercâmbio de ideias mais rústicas até as tecnologias de informação mais recentes. As abordagens levarão em conta a grande hibridação das metodologias e formas de trabalho no terreno de comunicação e da história, envolvendo desde a análise qualitativa ou quantitativa, temporalidades micro ou geo-históricas, desde que concernentes ao cosmo amazônico - brasileiro ou não.  </p><p><strong><br /></strong></p><p> </p><p><strong>Call for papers</strong></p><p> </p><p><strong>The September -December  2016 issue (v.2, n.3) is open for submission of articles and reviews until November 30th. Details can be accessed at Submissions.</strong></p><p><strong>Dossier of the History of Communication in the Amazon Basin<a name="_GoBack"></a></strong></p><p>The academic interest in the Amazonian history from the perspective of the Amazonian people has taken place only recently. It means that there has been an effort to leave behind the travel accounts by foreign travelers and the anthropological studies within the European perspective of the world on the Amazon as the predominant historical sources about the region. It also means the historicization of the Amazon encompasses accounts of the role of nature and colonization, the role of the resistance of the peoples native to the region and of miscegenation, the role of the search for the integration of peripheral regions to the capital cities and the continuing claim of local elites for the membership in the concept of Brazilianity.</p><p>The communication systems built during the civilizing process of the region offer a privileged perspective in understanding its history. The advancement of men, ideas and words printed by the "tree of rivers" unfolds, in a unique way, how the sociabilities and symbolic exchanges between the Amazonian peoples and the foreigners have been built. Reflections on the evolvement of the communicative processes - the arrival of press into the context included - by considering the formation of the local elites, the resistance of the cultures of the peoples native to the region and the predominance of sources produced by the Europeans are the focuses of the present thematic issue of the journal Revista Observatório.</p><p>This issue will accept papers on the history of communication in the Amazon that considers the evolvement either of the native communicative processes or of those introduced by the colonists ranging from the most primitive technology for exchanging ideas to the latest information technology available to this end. It is expected that the approaches employed by the authors consider the comprehensive hybridization of methodologies and research methods in communication and history including both quantitative and qualitative analyses, as well as the concepts of micro-temporality and of geohistory provided that the studies focus on the Amazon region - the Brazilian Amazon region as well as the whole Amazon Basin.     </p><p> </p><p> </p><p><strong></strong></p><p><strong>Convocatoria de artículos</strong></p><p><strong>Se hace la apertura de la convocatoria de artículos y recensiones para la edición septiembre a diciembre de 2016 (v.2, n.3) hasta el 30 de noviembre. Instrucciones en Submissiones.</strong></p><strong><br /></strong><p><strong>Dossier Historia de la Comunicación en la Amazonía</strong></p><p>Solo recientemente ha habido un despertar académico para la comprensión de la historia amazónica desde de la perspectiva de las poblaciones autóctonas de la amazonia. Eso quiere decir que se debe buscar ultrapasar el pre-dominio de las fuentes historiográficas contenidas en crónicas de viajantes extranjeros y estudios antropológicos centrados en la percepción europea del mundo. Quiere decir aún que ha venido a la luz la búsqueda por la historificación de la Amazonia considerando el rol de la naturaleza y de la colonización, de la resistencia indígena y de la mestizaje, de la búsqueda por la integración de las periferias a la capital y de la reivindicación continúa de las élites locales por la filiación en la "brasilidad".</p><p>Los sistemas de comunicación construidos durante ese proceso civilizatorio ofrecen una ventana privilegiada para la comprensión de la historia. El avance de los hombres, de las ideas y de la palabra impresa por el "Árvore de rios (Árbol de rios) indicia, de forma bastante particular, como fueron construidos las sociabilidades y sistemas de cambios simbólicos entre los pueblos de la Amazonia y los extranjeros. La reflexión sobre las transformaciones de los procesos comunicativos, entre los cuales está la inserción de la prensa, considerando la formación de élites, la resistencia de culturas indígenas y el predominio de fuentes producidas por europeos es el objeto de esa edición temática de la <em>Revista Observatório</em>.</p><p>La edición aceptará artículos que versen sobre la historia de la comunicación en la Amazonia, considerando la transformación de procesos comunicativos autóctonos o introducidos por los colonizadores, desde las maneras de intercambio de ideas más rústicas hasta las tecnologías de información más recientes. Los abordajes consideraron la gran hibridación de las metodologías y formas de trabajo en la esfera de comunicación y de la historia, involucrando el análisis cualitativo o cuantitativo, temporalidades micro o geo-históricas, desde que concernientes al espacio amazónico -brasileño o no.</p><p><strong></strong></p><p> </p> 2015-10-12T12:24:58-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/34 Chamada de Trabalhos: Vol. II nº 2, 2016 - “Memória, Gênero e Comunicação: Fronteiras da memória, Subjetividade, Gênero, Comunicação e Cinema em Europa e América” 2015-10-10T17:32:11-03:00 Revista Observatório <p> </p><div class="separator" style="clear: both; text-align: center;"><a style="margin-left: 1em; margin-right: 1em;" href="http://1.bp.blogspot.com/-MOuO-Nc_ILg/Viqd0SMCGwI/AAAAAAAAAPI/0MO0XNaeS9Y/s1600/capa_4.png"><img src="http://1.bp.blogspot.com/-MOuO-Nc_ILg/Viqd0SMCGwI/AAAAAAAAAPI/0MO0XNaeS9Y/s320/capa_4.png" border="0" alt="" width="222" height="320" /></a></div><br /> A <strong>Revista Observatório</strong> está recebendo artigos e resenhas para a edição Maio-Agosto de 2016 (v.2, n.2) até 30 de Junho de 2016. Mais informações em Submissões.<strong> </strong><p> </p> <p> </p><p><strong>Dossiê "Memória, Gênero e Comunicação: Fronteiras da memória, Subjetividade, Gênero, Comunicação e Cinema em Europa e América".</strong></p> <p> </p><p>Editores convidados:</p> <p><strong>Dr. João Nunes da Silva (Universidade Federal do Tocantins - UFT, Brasil)</strong></p> <p><strong>Dr. José Manuel Pelaez (Universidade do Minho - UMINHO, Portugal)</strong></p> <p><strong><br /> <br /> <strong>Ementa</strong></strong><br /> <br /> O Dossiê "Memória, gênero, comunicação e cinema" visa criar oportunidades para a produção de temáticas sobre cinema e comunicação com foco em metodologias que permitam a interdisciplinaridades envolvendo memória, gênero, comunicação e cinema. </p> <p><br /> Nos últimos anos têm tido uma autêntica explosão dos estudos relacionados com a memória. Na maior parte deles, a memória aparece como um espaço problemático, silenciado ou simplesmente discriminado em diferentes relatos de um eu situado em posições determinadas por contextos culturais específicos. Os diferentes discursos culturais e, de maneira muito especial, suas formações simbólicas terminam por afirmar certas memórias acima de outras, deixando a história individual dos sujeitos de gênero em conflito com as respectivas histórias nacionais e seus imaginários hegemónico-patriarcais. <br /> <br /> Os trabalhos aqui reunidos pretendem abordar as representações da memória no âmbito latino-americano e europeu desde a triple perspectiva dos estudos de gênero, comunicação e cinema. Concebida como um eficaz meio de resistência, a memória se converte em uma arma política e ideológica de primeira ordem .Um elemento definido por seu caráter fronteiriço, cujas representações expressam a forma em que o sujeito feminino e outras sexualidades minoritárias sofrem as imposições heterosexistas. </p> <p> </p> <p><strong> </strong></p> <p><strong>Convocatoria de artículos</strong></p> <p>Se hace la apertura de la convocatoria de artículos y recensiones para la edición Mayo a Agosto de 2016 (v.2, n.2) hasta el 30 de junio. Instrucciones en Submissiones.</p> <p><strong> </strong></p> <p><strong>Dossier "Memoria, Género y Comunicación:  Fronteras de la memória, Subjetividad, Género, Comunicación y Cine en Europa y América. </strong></p> <p>  <br /> Resumen.<br /> El dossier <em>Memoria, Género, Comunicación y Cine </em>pretende estimular el debate científico sobre estas  temáticas, a partir de planteamientos metodológicos que favorezcan la interdisciplinariedad, abarcando cuestiones relacionadas con la memoria, el género, la comunicación y el cine.</p> <p> </p> <p>En los últimos veinte años se ha producido una auténtica explosión de estudios científicos relacionados con la memoria. En la mayor parte de ellos, la memoria aparece como un espacio problemático, silenciado y, en numerosas ocasiones, discriminado y segmentado en diferentes relatos de un yo mediatizado por contextos culturales específicos. Los diferentes discursos culturales y, de manera muy especial, sus formaciones simbólicas terminan por afirmar determinadas memorias sobre otras, situando las historias individuales de los sujetos de género en conflicto con las respectivas historias nacionales y sus imaginarios hegemónico-patriarcales.</p> <p> </p> <p>Los trabajos que queremos reunir en este dossier buscan abordar las representaciones de la memoria en los ámbitos latinoamericano y europeo, desde la triple perspectiva de los estudios de género, comunicación y cine. Concebida como un eficaz medio de resistencia, la memoria se convierte en un arma política e ideológica de primer orden. Un elemento definido por su carácter fronterizo, cuyas representaciones expresan las formas en las que el sujeto femenino -y otras sexualidades minoritarias- sufren las imposiciones heterosexistas dominantes en nuestras sociedades.</p> <p> </p> <p> </p> <p><strong>Call for papers</strong></p> <p>The May-August 2016 issue (v.2, n.2) is open for submission of articles and reviews until June 30th. Details can be accessed at Submissions.</p> <p> </p> <p><strong>Dossier "Memory, Gender and Communication: Memory Borders, Subjectivity, Gender, Communication and Cinema in Europe and America."</strong></p> <p> </p> <p>Abstract</p> <p>The dossier "Memory, gender, communication and cinema" aims to create opportunities for the production of thematic about cinema and communication focusing on methodology that allow interdisciplinarity involving memory, gender, communication and cinema.</p> <p> </p> <p>In the last years it has had an authentic explosion of studies related to the memory. In most of them, memory appears as a problematic space or simply discriminated in different reports of an "self" situated in positions determined by specific cultural contexts. The different cultural discourses and, in a very special way, their symbolic formations ends by stating certain memories above others, leaving the individual history of the subjects of genres in conflict with their respective national histories and their hegemonic patriarchal imaginary.</p> <p> </p> <p>The works gathered here intend to approach the memory representations in latin-American and European scope since the triple perspective of gender studies, communication and cinema. Designed as an effective way of resistance, the memory becomes a political and ideological weapon of the first order. An element defined by its border character, whose representations express the manner in which the female subject and others minority sexualities suffer the heterosexist impositions.</p> <p> </p> 2015-10-10T17:32:11-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/30 Chamada de Trabalhos: Vol. II nº 1, 2016 - "Comunicação, História Oral e Tempo Presente" 2015-08-17T20:41:49-03:00 Revista Observatório <div style="text-align: left;" dir="ltr"><div class="separator" style="clear: both; text-align: center;"><p><a style="clear: left; float: left; margin-bottom: 1em; margin-right: 1em;" href="http://4.bp.blogspot.com/-CQaQk2i5YtM/Vde2wXwsd5I/AAAAAAAAHT8/aOoLqCJoD1c/s1600/Capa%2Bteste3.png"><img src="http://4.bp.blogspot.com/-CQaQk2i5YtM/Vde2wXwsd5I/AAAAAAAAHT8/aOoLqCJoD1c/s320/Capa%2Bteste3.png" border="0" alt="" width="225" height="320" /></a></p></div><p> </p><p style="text-align: justify;"><strong>Chamada de Artigos</strong></p><p> </p><p style="text-align: justify;">A <strong>Revista Observatório</strong> está recebendo artigos e resenhas para a edição Janeiro-Abril de 2016 (v.2, n.1) até 28 de Fevereiro. Mais informações em Submissões.</p><p> </p><div style="text-align: justify;"><p style="text-align: justify;"><strong>Dossiê: COMUNICAÇÃO,  HISTÓRIA ORAL E TEMPO PRESENTE</strong></p></div><p><span style="text-align: justify;"><strong>Editores convidados</strong>: Prof. Dr. Fagno da Silva Soares (CLIO & MNEMÓSINE Centro de Estudos e Pesquisas em História Oral e Memória - IFMA) e Profa. Dra. Marta  Gouveia  de Oliveira Rovai (Núcleo de Estudos em História Oral NEHO/USP e Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL). </span></p><p> </p><p><span style="text-align: justify;">Ementa:</span></p><p><span style="text-align: justify;">O dossiê "COMUNICAÇÃO, HISTÓRIA ORAL E TEMPO PRESENTE" tem como objetivo dar visibilidade a trabalhos que perscrutem temáticas diversas interseccionada pelo viés metodológico da história oral com ancoragem no tempo presente e na comunicação, bem como, suas implicações para a historiografia. Para além disto, estudos que esquadrinhem a criação de acervos audiovisuais e usos de novas mídias na realização de entrevistas e de sua publicização. Neste contexto, pretende contribuir na ampliação das reflexões acerca da história do tempo presente e suas aproximações com a história oral, visando o aprimoramento dos usos da história oral no proeminente desafio de filigranar questões do tempo presente. </span></p><p> </p><div style="text-align: justify;"><p style="text-align: justify;"><strong>Call for papers</strong></p></div><p><span style="text-align: justify;">The January-April 2016 issue (v.2, n.1) is open for submission of articles and reviews until February 28th. Details can be accessed at Submissions.</span></p><p> </p><div style="text-align: justify;"><p style="text-align: justify;"><strong>Convocatoria de artículos</strong></p></div><p><span style="text-align: justify;">Se hace la apertura de la convocatoria de artículos y recensiones para la edición Janeiro a April de 2016 (v.2, n.1) hasta el 28 de fevereiro. Instrucciones en Submissiones.</span></p><p> </p></div> 2015-08-17T20:41:49-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/27 Chamada de Trabalhos: Vol. II nº 2 e nº 3, 2015 - Temas Livres 2015-08-10T16:23:21-03:00 Revista Observatório <p><strong></strong></p><div style="text-align: left;" dir="ltr"><p> </p><p><strong><br /></strong></p><p><strong></strong></p><div class="separator" style="clear: both; text-align: center;"><p> </p><p><strong><a style="clear: left; float: left; margin-bottom: 1em; margin-right: 1em;" href="http://4.bp.blogspot.com/-IBaJIZVtth4/Vde2X3F0lUI/AAAAAAAAHT0/dREjXS_PMK4/s1600/Capa%2Bteste2.png"><img src="http://4.bp.blogspot.com/-IBaJIZVtth4/Vde2X3F0lUI/AAAAAAAAHT0/dREjXS_PMK4/s320/Capa%2Bteste2.png" border="0" alt="" width="223" height="320" /></a></strong></p></div><p> </p><p><strong></strong></p><div style="font-family: Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif;"><p> </p><p><strong><strong>Chamada de trabalhos</strong></strong></p></div><p> </p><p><strong></strong></p><div style="font-family: Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif;"><p> </p><p><strong>A <strong>Revista Observatório</strong> está recebendo artigos e resenhas para a edição setembro-dezembro de 2015 (v.1, n.2 e v. 1, n.3) até 30 de novembro. Mais informações em Submissões.</strong></p></div><p> </p><p><strong></strong></p><div style="font-family: Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif;"><p> </p><p><strong><strong><br /></strong></strong></p></div><p> </p><p><strong></strong></p><div style="font-family: Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif;"><p> </p><p><strong><strong>Call for papers</strong></strong></p></div><p> </p><p><strong></strong></p><div style="font-family: Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif;"><p> </p><p><strong>The September -December  2015 issue (v.1, n.2 e </strong><strong>v. 1, n.3</strong><strong>) is open for submission of articles and reviews until November 30th. Details can be accessed at Submissions.</strong></p></div><p> </p><p><strong></strong></p><div style="font-family: Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif;"><p> </p><p><strong><strong><br /></strong></strong></p></div><p> </p><p><strong></strong></p><div style="font-family: Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif;"><p> </p><p><strong><strong>Convocatoria de artículos</strong></strong></p></div><p> </p><p><strong></strong></p><div style="font-family: Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif;"><p> </p><p><strong>Se hace la apertura de la convocatoria de artículos y recensiones para la edición septiembre a diciembre de 2015(v.1, n.2 e </strong><strong>v. 1, n.3</strong><strong>) hasta el 30 de noviembre. Instrucciones en Submissiones.</strong></p></div><p> </p><p><strong></strong></p></div><p> </p><div><br /></div> 2015-08-10T16:23:21-03:00 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/observatorio/announcement/view/26 Chamada de Trabalhos: Vol. I nº 1, 2015 - Temas Livres 2015-08-10T16:21:58-03:00 Revista Observatório <div><div><div><a style="clear: left; float: left; margin-bottom: 1em; margin-right: 1em;" href="http://2.bp.blogspot.com/-MgWXdU0H5Z0/Vde0vyYmomI/AAAAAAAAHTo/4PvyWEfauaY/s1600/Capa%2Bteste.png"><img src="http://2.bp.blogspot.com/-MgWXdU0H5Z0/Vde0vyYmomI/AAAAAAAAHTo/4PvyWEfauaY/s320/Capa%2Bteste.png" border="0" alt="" width="223" height="320" /></a><br /></div><div><span style="background-color: white; font-family: Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif;"><span style="background-color: white; font-family: Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif;"><strong>Chamada de artigos</strong></span></span><br /></div><div><span style="background-color: white; font-family: Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif;">A Revista Observatório está recebendo artigos e resenhas para a edição maio-agosto de 2015 (v.1, n.1) até 30 de julho. Mais informações em Submissões. </span></div><div><br /></div><div>Atualização: Devido a greve que tornou o sistema indisponível, a data foi prorrogada até 15.09.2015.</div><div><br /></div><div><span style="background-color: white; font-family: Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif;"><br /></span></div><div><span style="background-color: white; font-family: Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif;"><br /></span></div><div><span style="background-color: white; font-family: Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif;"><strong>Call for papers </strong></span><br /></div><div><span style="background-color: white; font-family: Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif;">The May-August 2015 issue (v.1, n.1) is open for submission of articles and reviews until July 30th. Details can be accessed at Submissions. </span><br /></div><div><span style="background-color: white; font-family: Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif;"><br /></span></div><div><span style="background-color: white; font-family: Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif;"><br /></span></div><div><span style="background-color: white; font-family: Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif;"><strong>Convocatoria de artículos</strong> </span><br /></div><div><span style="background-color: white; font-family: Verdana, Arial, Helvetica, sans-serif;">Se hace la apertura de la convocatoria de artículos y recensiones para la edición mayo a agosto de 2015(v.1, n.1) hasta el 30 de julio. Instrucciones en Submissiones.</span></div></div></div><div><br /></div> 2015-08-10T16:21:58-03:00