Espaço e Tempo Midiáticos https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/midiaticos <p>A revista Espaço e Tempo Midiáticos é uma publicação multidisciplinar semestral, aberta à divulgação de artigos científicos das áreas de ciências sociais, exatas e da terra. Destina-se&nbsp; estudos empíricos, históricos, teóricos e conceituais, revisões críticas, resenha de livros, entrevistas. Coordenada pelo Grupo de Pesquisa "Mídias e Territorialidades Ameaçadas", da Universidade Federal do Tocantins (UFT) em parceria com a Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS).</p> Maria de Fátima de Albuquerque Caracacristi pt-BR Espaço e Tempo Midiáticos 2526-5725 <p>Os originais aceitos e publicados tornam-se propriedade da revista, sendo vedada sua reprodução total ou parcial, sem a devida autorização da Comissão Editorial, salvo para uso em estudo e pesquisa.&nbsp;</p> A pandemia da Covid-19 e o papel dos templos religiosos na disseminação do coronavírus: um estudo de caso na fronteira Brasil-Bolívia https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/midiaticos/article/view/10588 <p>Com a atual pandemia da Covid-19, decretada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) devido ao novo Sars-Cov-2, causador da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) que em muitos casos é letal, o mundo como um todo tem sido impactado, uma vez que a globalização colocou em marcha a ampla circulação de pessoas, mercadorias, etc., e esse ambiente transformou-se num facilitador para a rápida disseminação desse novo coronavírus. A transmissão do Sars-Cov-2 ocorre principalmente: a) através de uma pessoa contaminada que, ao falar, tossir ou espirrar, emite gotículas que podem conter o coronavírus e infectar pessoas que estejam próximas fisicamente; b) contato comunitário; e c) contato com superfícies e/ou objetos contaminados. Por essa razão, as autoridades sanitárias da própria OMS, bem como dos distintos países, passaram a impedir aglomerações de pessoas, sobretudo em ambientes fechados cuja circulação de ar é limitada. No Brasil, governadores e prefeitos incumbiram-se de implementar as medidas para a contenção do novo coronavírus. Tomando por base o levantamento de informações em diferentes bancos de dados (DataSUS, IBGE, etc.), Boletim Coronavírus-MS (estadual), Boletim Covid-19 (Corumbá, municipal), análise dos decretos municipais e artigos científicos, o presente artigo aborda como a flexibilização do funcionamento dos templos religiosos pode ter concorrido para a rápida disseminação do Sars-Cov-2 no município de Corumbá-MS.</p> Elisa Pinheiro Freitas Claudia Araújo de Lima Gylize de Carvalho Ojeda Jakline Franco Rodrigues Copyright (c) 2020 Elisa Pinheiro Freitas, Claudia Araújo de Lima http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2020-12-24 2020-12-24 3 2 11 11 O Ensino Remoto de Geografia em duas Escolas públicas de Ladário-MS em Tempos de Pandemia https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/midiaticos/article/view/10602 <p>A pandemia da COVID-19 colocou os países e as sociedades sob regime de isolamento e de distanciamento social nunca observado na história recente da humanidade. Partindo desse contexto, objetivou-se analisar as atividades pedagógicas propostas pelos professores de Geografia aos alunos da rede pública estadual de educação em Ladário-MS (cidade brasileira situada na fronteira do Brasil-Bolívia) durante a quarentena. A metodologia de caráter qualitativa utilizada foi a aplicação de um questionário semiestruturado que foi direcionado a 33 alunos do ensino fundamental e a dois professores e, posteriormente, realizou-se a análise do conteúdo das respostas. É importante ressaltar que esta pesquisa está em desenvolvimento, e que os resultados apresentados não são conclusivos. Os professores explanaram a dificuldade em divulgar as atividades para os alunos e de encontrarem novos recursos metodológicos para interação e auxílio no processo de ensino-aprendizagem. Para os alunos, as metodologias de ensino a distância são boas, mas não são suficientes para o aprendizado. A proposta de vídeos e filmes como ferramenta didática é muito válida; no entanto, têm tido muito mais dificuldades em concretizar os exercícios, com menos auxílio e menos suporte dos professores, já que a comunicação com o professor é escassa ou fragmentada.</p> Rafael Rocha Sá Leandro Santos Pereira Eduardo H. Rezende Santos Elisa Pinheiro de Freitas Copyright (c) 2020 Elisa Pinheiro Freitas http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2020-12-24 2020-12-24 3 2 9 9 O Impacto da Pandemia sobre as Feiras Livres: Caso Corumbá-MS https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/midiaticos/article/view/10879 <p>O presente estudo busca evidenciar a dimensão do impacto vivido pelos feirantes que trabalham nas feiras livres de Corumbá-MS, frente à pandemia declarada pela Organização Mundial de Saúde (OMS, 2020) devido ao novo Sars-Cov-2 responsável pela Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), a Covid-19. As feiras na cidade estão impedidas desde o Decreto 2.274 (Corumbá, 2020b), em que o prefeito de acordo com as suas atribuições, suspende as feiras na cidade como medida de enfrentamento a pandemia. A suspensão das feiras livres e diversas outras medidas de restrições para diminuir a circulação de pessoas sem dúvida é essencial para evitar e/ou diminuir o contágio da doença, mas essas restrições afetaram a economia e as finanças dos feirantes, uma vez que a feira o ganha pão deles. Assim, esta pesquisa tem como objetivo identificar e entender o&nbsp; impacto desta&nbsp; crise&nbsp; sanitária e econômica sobre os feirantes e produtores&nbsp; rurais dos assentamentos; a pesquisa foi realizada através de questionário do Google Forms, onde vinte e sete (27) participantes responderam as perguntas por link compartilhado através do WhatsApp tendo em vista que estamos em período de quarentena. Os resultados&nbsp; indicam&nbsp; que os&nbsp; produtores tiveram grandes perdas financeiras, mas vem conseguindo&nbsp; superar alguns&nbsp; dos&nbsp; desafios impostos pela pandemia a partir de um conjunto de fatores, principalmente de ações solidária e, soluções criativas individuais e das políticas públicas.&nbsp;</p> Elisa Pinheiro Freitas Andressa Ferreira Barbosa Orlando Messias da Silva Soares Copyright (c) 2020 Elisa Pinheiro Freitas http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2020-12-24 2020-12-24 3 2 12 12 COMENTÁRIOS AO REGIME JURÍDICO TRANSITÓRIO DAS RELAÇÕES PRIVADAS DURANTE A PANDEMIA https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/midiaticos/article/view/10902 <p>Em virtude da pandemia de COVID-19, foi instituída a Lei nº 14.010/2020, que estabeleceu o Regime Jurídico Emergencial e Transitório das relações jurídicas de Direito Privado (RJET) para o período da pandemia. O presente artigo apresenta uma análise crítica e interdisciplinar da referida Lei e de outros atos normativos que surgiram para tutelar as relações privadas no contexto da pandemia, considerando as alterações que o surto de COVID-19 já estabeleceu na regulação jurídica dessas relações, notadamente na esfera do trânsito jurídico das relações negociais e empresariais. Demais disso, relativamente às atividades empresariais e à necessidade de proteção do emprego, faz-se no artigo uma contextualização dos impactos do cenário excepcional para a realidade das empresas brasileiras, indicando-se outros atos normativos editados nesse cenário, a fim de desenhar-se um panorama mais amplo sobre esse regime jurídico transitório para os agentes privados.</p> Hermano Victor Faustino Câmara Ivana Cristina Faustino Câmara Copyright (c) 2020 Hermano Victor Faustino Câmara http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2020-12-23 2020-12-23 3 2 8 8 Aspectos comunicacionais do povo Akwẽ: vida, cultura e pandemia https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/midiaticos/article/view/10762 <p><span style="font-weight: 400;">Os povos originários brasileiros enfrentaram e enfrentam muitas tensões no contexto da saúde devido ao contato com não indígenas. Entender e discutir os aspectos comunicacionais existentes, e como a pandemia de COVID-19 afetou e continua afetando as comunidades indígenas do povo Xerente, é o que pretendemos no presente ensaio. O povo Akwẽ está territorialmente situado nas margens do Kâmrã (rio Tocantins) em Tocantínia (TO). A sua primeira língua, o , os mantêm unidos a sua cultura e sabedoria ancestral. Entendemos que a pandemia de COVID-19 afetou e afeta de muitas formas o povo Akwẽ, e dentre tantos problemas reforçados e evidenciados nesse momento, a manutenção da ancestralidade e cultura, por meio da oralidade dos anciões, é certamente uma preocupação muito importante.</span></p> Carolina Luiza de Quadros Maloiri Vele Xerente Letícia Ventura Copyright (c) 2020 Carolina Luiza de Quadros, Maloiri Vele Xerente, Letícia Ventura http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2020-12-24 2020-12-24 3 2 6 6 A nova práxis do telejornalismo na cobertura da pandemia da Covid-19 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/midiaticos/article/view/10012 <p>Neste artigo, propõe-se a investigação da saúde e do trabalho do jornalista atuante na cobertura da pandemia da Covid-19, no primeiro semestre de 2020, na Região Metropolitana do Cariri, sul do Ceará. Parte-se de uma proposta de metodologia quantiqualitativa, exploratória e documental da nova <em>práxis</em> jornalística a partir de protocolos de prevenção ao novo coronavírus. Procurou-se observar como as empresas de comunicação estão lidando com esses protocolos, principalmente com a saúde de seus colaboradores, e &nbsp;com os impactos da crise sanitária no fazer jornalístico relacionados aos procedimentos de coleta de informações e produção de reportagens. A pesquisa concluiu que, dos 23 respondentes ao questionário online, a maioria continua atuante no ambiente de trabalho físico e uma minoria desenvolve o trabalho via sistema <em>home office</em>.</p> PAULO EDUARDO LINS CAJAZEIRA José Jullian Gomes de Souza Copyright (c) 2020 PAULO EDUARDO LINS CAJAZEIRA, José Jullian Gomes de Souza http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2020-12-24 2020-12-24 3 2 7 7 “O comércio não pode parar”: discursos e sentidos, em Redenção – PA, durante o lockdown da pandemia de 2020 https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/midiaticos/article/view/10899 <p><strong>Resumo</strong></p> <p>O presente artigo analisa enunciados discursivos impressos em faixas expostas nas fachadas de lojas e canteiros públicos da cidade de Redenção, Pará, que representam o posicionamento político-ideológico de proprietários comerciais locais diante das medidas preventivas à contaminação pelo coronavírus durante a pandemia nos meses de junho e julho de 2020. Para a realização da análise mobilizamos aportes teóricos-metodológicos da Análise do Discurso e tivemos como <em>corpus</em> para análise os enunciados escritos nas faixas citadas. Os &nbsp;movimentos de sentidos das medidas enunciativas empresarial constituíram se, por exemplo, no propósito de diálogo e de convencimento da população local para a importância da manutenção do sustento das famílias que as empresas empregam, mas também de defender os interesses econômicos dos sujeitos discursivos e barrar a ação do Estado na sua obrigação de fazer a proteção da população em geral. “Chega de hipocrisia, diretos iguais a todos”, é a materialização de enunciados de parte desses atores sociais pertencentes ao distinto grupo de interesses, constituinte de um âmbito cultural de poder da ideologia liberal burguesa, origem da formação discursiva em que o discurso anti-prevenção teve origem.</p> <p><strong>Palavras chave:</strong> Acontecimento. Covid-19. Enunciados. Prevenção. Sujeitos discursivos.</p> José Rodrigues de Carvalho Milton Pereira Lima Copyright (c) 2020 José Rodrigues de Carvalho http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2020-12-24 2020-12-24 3 2 11 11 IMPACTOS DA COVID-19 NO TURISMO DO TOCANTINS https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/midiaticos/article/view/10891 <p>Com a decretação do isolamento social em meados de março, devido a crise causada pelo contágio de Covid-19, as atividades turísticas, por não serem consideradas serviços essencias e pela sua natureza de serem atividades que possuem um grande fluxo de pessoas, foram paralizadas. Essa paralização acabou trazendo impactos econômicos e sociais ao setor turístico, tanto em âmbito nacional como no Estado do Tocantins. Devido a esse cenário este artigo busca investigar como se deram os impactos da Covid-19 no turismo do Estado do Tocantins e discutir que ações e medidas estão sendo adotadas para mitigar os efeitos da pandemia no setor.&nbsp; Para tanto, foi utilizada uma metodologia qualitativa, exploratória bibliográfica e documental. Primeiramente se aborda&nbsp; a distribuição regional do turismo no Tocantins e seus&nbsp; municípios mais turísticos, posteriormente se discute os os impactos e medidas de remediação adotadas pelo Governo Federal.</p> Gabriela Siston Jaci Câmara Albuquerque Copyright (c) 2020 Gabriela Siston, Jaci Albuquerque http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2020-12-24 2020-12-24 3 2 12 12 Panorama dos impactos da pandemia instaurada pela COVID-19 no setor hoteleiro de Florianopolis/SC https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/midiaticos/article/view/11284 <p>O presente trabalho versa sobre os impactos acarretados pela pandemia de Covid-19 no setor hoteleiro de Florianópo-<br>lis/SC. Os ciclos instáveis que impactam negativamente o setor de hospedagem, dentre os quais, guerras e saúde, são um<br>dos grandes desafios de gestão. Nesse sentido, a pesquisa pretende elucidar a seguinte indagação: quais foram os impactos<br>da covid-19 no setor hoteleiro de Florianópolis, bem como, que medidas estão sendo tomadas para mitigar seus efeitos? A<br>fim de alcançar esse propósito, pela amplitude do tema, delimitou-se a investigação no período entre o mês de março com<br>a chamada pré-pandemia até o mês de novembro de 2020. Como fontes de dados, buscaram-se documentos gerados por<br>entidades públicas e privadas representativas do setor. Utilizou-se o método da análise de conteúdo para a sistematização<br>de compreensão dos dados. Visto que a crise sanitária consiste em um fenômeno novo de duração ainda indeterminada a<br>pesquisa não tem pretensões de apresentar inferencias conclusivas, e sim, descrever o panorama de um fenômeno ainda<br>em curso. Como resultado constatou-se que os meios de hospedagem tiveram suas demandas reduzidas bruscamente de-<br>vido a suspensões de eventos, viagens, isolamentos sociais, lockdowns, medidas adotadas na tentativa de conter a taxa de<br>transmissão do vírus e evitar um colapso na saúde. Com esse cenário, o setor hoteleiro corre contra o tempo para mitigar<br>tais impactos e diminuir ao máximo os prejuízos. A covid-19 está sendo uma realidade dura para o turismo, e toda sua<br>cadeia produtiva, revelando sua fragilidade e, ao mesmo tempo, confirmou sua importância econômica.<br>Palavras-chave: Turismo, Hotelaria, Cadeia Produtiva, Impactos da Covd-19</p> Cristina de Paula Dias José Elmar Feger Copyright (c) 2020 Cristina de Paula Dias, José Elmar Feger http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2020-12-24 2020-12-24 3 2 12 12 Resenha do Livro o Voo das Abelhas da terra https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/midiaticos/article/view/10910 <p>Resenha do livro Voo das abelhas da terra de Ana Mumbuca, série intempestivas, caderno de leituras nº 177, das Edições Chão da Feira, Belo Horizonte, 2020.</p> Maria de Fátima de Albuquerque Caracristi Copyright (c) 2020 Maria de Fátima de Albuquerque Caracristi http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2020-12-24 2020-12-24 3 2 3 3