APRENDIZAGEM PAUTADA NA AFETIVIDADE

E A GEOGRAFIA ONDE ENTRA NESTA DISCUSSÃO?

  • Vanessa Manfio Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS
Palavras-chave: Ensino-aprendizagem, Afetividade, Geografia escolar

Resumo

A afetividade é essencial no ensino-aprendizagem. O aluno se desenvolve participando de um jogo de relações mútuas entre professor-aluno, aluno-aluno, aluno-conteúdo. E no bojo destas relações deve existir a empatia, a tolerância, o respeito e a atenção ao outro, como um sinônimo de motivação e de interesse em superar as várias lacunas da educação. E a Geografia na sua crise contemporânea necessita fazer parte do circuito de afetividade, supor o ensino pautado nas relações sociais que são infinitas e se inserem no espaço. Para isto, este artigo propôs discutir sobre o ensino, afetividade e a geografia escolar, buscando reconhecer qual a importância da afetividade para a aprendizagem. Para vencer este objetivo, utilizou-se a pesquisa bibliográfica, conduzida por uma rica revisão de literatura que permitisse alcançar a preposição da abordagem e contribuir com os pensamentos e análise sobre a educação, especialmente o aprender a Geografia em sala de aula.

Biografia do Autor

Vanessa Manfio, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS

Possui Graduação em Geografia Licenciatura Plena pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Mestrado em Geografia, também pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Doutorado em Geografia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS com estágio de Doutorado Sanduíche na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro/Portugal, financiado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) através do Programa de Doutorado Sanduíche no Exterior (PDSE). Além disso, trabalhou como tutora no curso de Geografia Licenciatura à Distância da Rede Gaúcha de Ensino Superior a Distância - REGESD/ Universidade Federal de Santa Maria, exerceu o magistério na rede estadual entre 2011 e 2014 e professora Substituta de Geografia do Instituto Federal do Rio Grande do Sul, campus Ibirubá - RS. Atualmente, membro do Grupo de pesquisas Núcleo de Estudos Agrários (NEAG) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Professora de Geografia da Escola Municipal de Ensino Fundamental Professora Cândida Zasso, da Rede Municipal de Nova Palma-RS. Área de Pesquisa: Geografia Humana, ênfase em estudos: urbanos, agrários, culturais, econômicos, metodologia da pesquisa geográfica e ensino de geografia.

Referências

CALORI, J.; PEREIRA, P. S. Geografia e a utilização dos recursos didáticos. 29 f. 2011. Monografia (Graduado em Geografia)- Universidade Federal de Alfenas, Alfenas – MG, 2011.

CASTELAR, S. M. V. A Alfabetização em geografia. Espaços da Escola. Ijuí, v.10, n.37, p. 29-46, jul./set. 2000.

CHALITA, G. Educação: a solução está no afeto. São Paulo: Ed. Gente, 2001. 272 p.

CERVO, A. L.; BERVIAN, P. A. Metodologia Científica. 3. ed. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1983.

DELEUZE, G. Francis Bacon: lógica da sensação. Rio de Janeiro: Zahar, 2007. 183p.

FERNANDÉZ, A. A inteligência aprisionada. Porto Alegre: Artes Médicas, 1991.

FREITAS, G. de; PEREIRA, P. C.; CALHEIROS, JÚNIOR, S. L. Afeto, emoção e educação na infância e juventude para a formação sólida do homem socialmente competente. In: ENCONTRO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO. VII., 2013, Uberaba. Anais... Universidade de Uberaba, 21-25 de out. de 2013.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. 22.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 15. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

FROZZA, I. Aprendizagem e Afetividade: um encontro de sucesso na escola. 108f. 2007. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade do Oeste de Santa Catarina, Joaçaba-SC, 2007.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

KAERCHER, N. A. A geografia crítica – alguns obstáculos e questões a enfrentar no ensino aprendizagem de geografia. Boletim gaúcho de geografia. Porto Alegre: AGB, n. 28, jan./jun. 2002.

KANT, I. Sobre a Pedagogia. Tradução de Francisco Cock Fontanella. Piracicaba, SP: UNIMEP, 1999.

KORZENIEVSKI, C.; KARPINSKI, D. In: A CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, VI., 2019.Fortaleza – CE. Anais... Fortaleza, 24 a 26 de out. de 2019. Disponível em: https://www.editorarealize.com.br/revistas/conedu/trabalhos/TRABALHO_EV127_MD1_SA18_ID13904_26092019180929.pdf.

LEITE, S. A. da S.; TASSONI, E. C. M. A afetividade em sala de aula: as condições de ensino e a mediação do professor. 2000. Disponível em: https://www.fe.unicamp.br/alle/textos/SASL-AAfetividadeemSaladeAula.pdf. Acesso em: 30 de abr. de 2020.

LIBÂNEO, J. C. Didática. São Paulo: Cortez, 1994.

LUCKESI, C. C. Avaliação Educacional Escolar: para além do autoritarismo. Tecnologia Educacional, no. 61, Nov-Dez, 6-15, 1984.

MAGALHÃES, S. S. O. Afetar e sensibilizar na educação: uma proposta transdisciplinar. Linhas Críticas, Brasília, DF, v. 17, n. 32, p. 163-181, jan./abr. 2011.

MEIRA, M. R.; PILLOTTO, S. S. D. Arte, Afeto e Educação: a sensibilidade na ação pedagógica. Ponto Alegre: Mediação, 2010.

MORETI, N. M. T. Espaço escolar e geografia dos afetos: paredes ou pontes atmosféricas?. Revista Geografia em Atos, Presidente Prudente, n. 12, v. 5, p. 135- 147, jul/2019.

MORIN, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: Cortez, 2002.

NOVIKOFF, C.; CAVALCANTI, M. A. de P. Pensar a potência dos afetos na e para a educação. Conjectura: Filos. Educ., Caxias do Sul, v. 20, n. 3, p. 88-107, set./dez. 2015.

PEREIRA, I. da S. D. Relações afetivas construídas em projeto interdisciplinar colaborando para aprendizagens mais significativas. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, XII., Curitiba, 2015. Anais... Curitiba: PUCPR, 26 a 29 de out. de 2015. Disponível em: https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2015/19842_7923.pdf.

PIAGET, J. A Representação do Mundo na Criança. Rio de Janeiro: Record, 1975.

ROSSINI, M. A. S. Pedagogia Afetiva. 13ed.- Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

REFATTI, L.; REGO, N. Geração de ambiências, relações entre educação e geografia. Pátio Revista Pedagógica, Porto Alegre, n. 45, p.38-39, fev./abr. 2008.

REGO, N. et. al. Um pouco do mundo cabe nas mãos: Geografizando em Educação o local e o global. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2003. 310p.

SOUZA, A. de O. Afetividade e aprendizagem na percepção dos docentes do ensino fundamental. 31f. 2016. Monografia (Bacharel em Psicopedagogia) – Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2016.

SPINOZA, B. de. Ética. Trad. de Tomaz Tadeu da Silva. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

WALLON, H. Psicologia e educação da infância. Lisboa: Editorial Estampa, 1975.

VASSALLO, M. A professora encantadora. 1ª ed. Belo Horizonte-MG: Abacatte editorial, 2010. 24p. (Ilustração de Ana Terra).

Publicado
2021-02-02
Como Citar
MANFIO, V. APRENDIZAGEM PAUTADA NA AFETIVIDADE. Revista Tocantinense de Geografia, v. 10, n. 20, p. 104-121, 2 fev. 2021.