PODER E ESPAÇO (ESCALA E LUGAR): DAS CONCEPÇÕES À INSTRUMENTALIZAÇÃO DE CONCEITOS

  • Uilmer Rodrigues Xavier da Cruz Univerdade do Estado do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Poder; Espaço; Cartografia.

Resumo

Resumo: Ao longo da história (não linear) da Ciência Geográfica, alguns conceitos têm sido abordados com o objetivo da compreensão do real, seja este social ou natural. O objetivo desta reflexão consiste especificamente de um viés do subcampo da Geografia Humana que, em sua produção, tem se preocupado com as perspectivas sociais da realidade (ainda que, não possa exatamente se separar o natural e o social de maneira clara, apenas teórica e elucidativa). Neste sentido, este pequeno ensaio trata de compreender como alguns autores e autora têm pensado alguns conceitos geográficos – espaço, escala e lugar – e de como tais conceitos se relacionam com o conceito de poder. Para além, a proposta ainda caminha para um exemplo prático de instrumentalização destes conceitos através das relações sociais (de poder), quando da utilização da Cartografia enquanto responsável pela tensão do poder hegemônico em diversas escalas. É importante destacar que esta reflexão não se trata de objetivar o esgotamento das discussões a respeitos destes conceitos, tampouco tem arcabouço suficiente para tal propósito. Porém, consiste em uma reflexão que se propõe em estabelecer um ponto de partida para se pensar Geografia na atualidade e a sua relação com a sociedade.

Referências

ABREU; Susane Rocha de. Crianças e adolescentes em situações de risco no Brasil. 2002. Revista Brasileira de Psiquiatria, São Paulo, v. 24, n.1, p. 01-02, mar. de 2002.

ASSMANN, Hugo; SUNG, Jung Mo. Competência e sensibilidade solidária: educar para a esperança. 3. ed., Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.

BRASIL 2013, As entidades de assistência social privadas sem fins lucrativos. Rio de Janeiro: IBGE, 2014.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. 4. ed., São Paulo: Saraiva, 1990. 168 p.

BRASIL. Estatuto da criança e do adolescente: anotado e interpretado. Lei federal nº 8069, de 13 de julho de 1990. Rio de Janeiro: Imprensa Oficial, 2002.

BRASIL. Lei n° 8.742, de 7 de dezembro de 1993. Lei Orgânica de Assistência Social (LOAS). Dispõe sobre a organização da Assistência Social e dá outras providências. Brasília: DF, 7 de dezembro de 1993.

BRASIL. Lei nº 12.101, de 27 de novembro de 2009. Lei da filantropia. Altera a Lei no 8.742, de 7 de dezembro de 1993. Planalto, Brasília, DF, 27 de novembro 2009.

BÍBLIA. A. T. Provérbios. In: BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada: contendo o antigo e o novo testamento. Tradução de João Ferreira de Almeida. Rio de Janeiro: Sociedade Bíblica do Brasil, 1966. p. 221-222.

BOURDIEU, Pierre. Sobre o poder simbólico. In: BOURDIEU, Pierre. O Poder Simbólico. Trad. Fernando Tomaz. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001, p.36.

CARVALHO, Paulo de Barros. Curso de Direito Tributário. 16 ed., São Paulo: Saraiva, 2004, p 245.

CHAUÍ, Marilena. Um convite à filosofia. São Paulo: Ática, 2000. (p. 158 - 164)

CORRÊA, Caroline Morais. Fatos sociais e solidariedade. 2007. 13 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Direito) – Faculdade Atenas de Paracatu – Minas Gerais, 2007.

DEMO, Pedro. Como efeito do poder. São Paulo – SP: Editora Cortez, 2002.

DURKHEIM, E. 1995. L’Etat. Revue philosophique, Paris, n. 148, p. 433-437. Disponível em: http://classiques.uqac.ca/ classiques/Durkheim_emile/textes_3/ textes_3_6/durkheim_Etat.pdf. Acesso em: 19.abr.2017.

GALLIANO, Guilherme A. Introdução à Sociologia. São Paulo: Habra, 2000.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. Trad. de Beatriz Sidou. São Paulo: Centauro, 2006.

HALL, Stuart. A identidade em questão. 1987. In: HALL, Stuart. Identidade Cultural na pós-modernidade. 10ª ed., Rio de Janeiro: dp&a, 2005. (p. 07-22)

HELLER, Agnes. O cotidiano e a história. São Paulo: Paz e Terra, 4° ed. 1989.

LARAIA, Roque de Barros. Cultura: um conceito antropológico. 14. ed., Rio de Janeiro: Jorge Zahar ed., 2003.

LIMA, Geraldo Alves (Org). Cultura da solidariedade: reinvenção dos valores acadêmicos. In: LIMA, Geraldo Alves. Memória, cultura e solidariedade no ensino superior. 1.ed., Goiânia: Kelps, 2015. p. 27-39.

MEZZAROBA, Orides; MONTEIRO, Cláudia Servilha. Manual de Metodologia da Pesquisa no Direito. 5. ed., São Paulo: Saraiva, 2009.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 29. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

PEREIRA, Potyara A. A nova concepção de assistência social no Brasil. In: SPOSATI, A.(coord.) Assistência social: polêmicas e perspectivas. São Paulo : Núcleo de Seguridade e Assistência Social da PUC/SP, 1995.

POZZOBON, E.A. A filantropia – uma ação gratuita de associações constituídas e legisladas pelo Código Civil, sob a proteção da constitucionalidade da constituição: Santa Maria: Pallotti, 2003.

SILVIA, Moura Solci. A efetivação dos direitos da criança e do adolescente. 2002. Serviço social em revista, Londrina, v. 4, n. 2, p. 9-12, jan/jun de 2002.

ZANELLI, J. C. Pesquisa qualitativa em estudos da gestão de pessoas. Estudos de Psicologia, v. 7, p. 79-88, 2002.

Publicado
2018-11-24