LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS: INCLUSÃO DE ALUNOS SURDOS E EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA

  • Marcileia Oliveira Bispo Universidade Federal do Tocantins
  • Jasciana Maria Dias Queiroz Oliveira
Palavras-chave: : LIBRAS, Inclusão, Geografia

Resumo

O movimento de inclusão social envolve todas as pessoas com deficiência, esta pesquisa abordará em especial alunos surdos de uma escola Estadual, localizada na cidade de Porto nacional -To, ressaltando a importância da Língua Brasileira de Sinais. Este trabalho se justifica com o propósito de compreender como é feita a inclusão do aluno surdo na educação básica da rede regular de ensino. A escolha desta temática fundamenta-se na importância de entender como acontece a inclusão do aluno surdo. Com a finalidade de entender sobre essa problemática o presente artigo teve como objetivo relatar sobre a inclusão do aluno surdo no ensino regular, identificando as estratégias que permitem a inserção e o desenvolvimento da língua de sinais na escola, conhecendo o ensino de LIBRAS e apresentar se há ou não dificuldade no processo ensino-aprendizagem do aluno surdo em classe regular e na educação geográfica . Para tanto, foi realizado uma pesquisa bibliográfica, realização de entrevista com Intérprete, professores, alunos ouvintes, aluno surdo e dos envolvidos no contexto escolar. Na escola algumas estratégias foram direcionadas no sentido da inclusão do aluno surdo, a presença da intérprete é uma delas.

Biografia do Autor

Marcileia Oliveira Bispo, Universidade Federal do Tocantins

Possui graduação em Geografia pela Universidade do Tocantins (1996) e mestrado (2006) e doutorado (2012) em Geografia pelo Instituto de Estudos Socio Ambientais IESA/UFG. Atualmente é professora na Universidade Federal do Tocantins na graduaçaõ e Pos-graduação em Geografia, campus de Porto NAcional. Membro de Conselho editorial da revista Produção Acadêmica e do nucleo de estudos NURBA/UFT e do laboratório LEGEO/UFT. Atualmente (2012-1014) esta como coordenadora do curso de Geografia - Campus de porto nacional - UFT.Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Educação Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino de Geografia, educação ambiental, professores, meio ambiente e representações, território.

Jasciana Maria Dias Queiroz Oliveira

Graaduada em Geografia - campus de Porto nacional- Universidade Federal do Tocantins.

Referências

BRASIL. Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras e da outras proveniências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 25 abr. 2002. Disponível em: . Acesso em: 5 janeiro 2016.

BRASIL. Decreto nº 5.626 de 20 de dezembro de 2005. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/decreto/d5626.htm>. Acesso em: janeiro de 2016.

FERNANDES, J. V. Inclusão: ensino de Geografia para alunos surdos, com um olhar sobre a paisa¬gem a partir de uma visão freireana. Geografia, Ensino & Pesquisa, Vol. 20 (2016), n.3, p. 107-114.

KLIMSA, Severina Batista de Farias; KLIMSA, Bernardo Luís Torres. Língua Brasileira de Sinais- LIBRAS. Recife: Unidade Acadêmica de Educação à distância e Tecnologia, 2011.

LEÃO, Andreza Marques de Castro; DOESCHER, Andréa Marques Leão. A (desin)formação dos professores para o processo inclusivo. In: VII CONGRESSO ESTADUAL PAULISTA SOBREFORMAÇÃO DE EDUCADORES, Anais... Águas de Lindóia, setembro 2005.

MOREIRA, Ruy. Pensar e ser em geografia: ensaios de história, epistemologia e ontologia do espaço. 2 ed. São Paulo: Contexto, 2011.

PEREIRA, Maria Cristina da Cunha. et al. Libras: conhecimento além dos sinais. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2011.

PONTSCHKA, Nídia Nacib (org.). A Geografia como ciência da sociedade e da natureza. In; Para ensinar e aprender geografia. 3 ed. São Paulo: Cortez, 2009

QUADROS, Ronice Müller de. Educação de surdos: a aquisição da linguagem. Porto Alegre: Artmed, 1997.

RANGEL, Gisele M.M, Práticas Pedagógicas no Ensino de Geografia. In: FORUM, Instituto Nacional de Educação de Surdos. Vol. 1. Rio de Janeiro, 2001. 44 p.

SILVA, Anderson Tavares Correia da; MACEDO JUNIOR, Márcio Ribeiro; LIMA Francisco José de. O intérprete de Língua Brasileira de Sinais no ensino fundamental e seu papel na escola comum. Recife, Universidade Federal de Pernambuco, [ca. 2009], 24 p. Xerografado

MAHER, Terezinha de Jesus Machado. Hibridismo e Linguagem: o inevitável diálogo entre Libras e a Língua Portuguesa no discurso do sujeito surdo. In: FORUM, Instituto Nacional de Educação de Surdos. Vol. 1. Rio de Janeiro, 2001. 44 p.
Publicado
2018-04-13