A POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA E O CIRCUITO INFERIOR DA ECONOMIA URBANA EM CAMPOS DOS GOYTACAZES/RJ

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20873/rtg.v11n24p77-97

Palavras-chave:

População em situação de rua, Território Usado, Circuito inferior da economia urbana

Resumo

A população em situação de rua possui presença marcante nas cidades brasileiras, revelando-se como uma expressão da pobreza urbana no país. Em um contexto de excessiva privação, esses sujeitos se apropriam de espaços e recursos específicos com o intuito de garantir condições mínimas de sobrevivência, fazendo do território usado um abrigo. Nesse contexto, este trabalho busca analisar os usos do território pela população em situação de rua, dando foco às atividades laborais que esses sujeitos executam no Centro de Campos dos Goytacazes, RJ, em suas estratégias de sobrevivência. A pesquisa é de cunho qualitativo, baseando-se em pesquisa bibliográfica e em trabalhos de campo, onde se lançou mão de observações e entrevistas com roteiros previamente elaborados. Os resultados indicam que esse grupo populacional realiza atividades que se inserem no circuito inferior da economia urbana, como a catação de materiais recicláveis, a venda de doces e artesanatos, assim como o trabalho de “flanelinha”, constituindo assim novos usos do território.

Biografia do Autor

Diogo Jordão, Secretaria de Educação do Rio de JaneiroJ

Possui Licenciatura (2014) e Mestrado (2018) em Geografia pela Universidade Federal Fluminense/Campos dos Goytacazes. Docente na Secretaria de Estado da Educação do Rio de Janeiro (SEEDUC/RJ) desde 2015. Vencedor do Prêmio Educador Nota 10 (2020), com o Projeto Nos Trilhos da Democracia.

Referências

ARROYO, Mônica. A economia invisível dos pequenos. Site Le Mond Diplomatique Brasil, 2008. Disponível em: <http://webserver.diplomatique.org.br/artigo.php?id=283> . Acesso em: 03/01/2021.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome - MDS. Secretaria de avaliação e Gestão da informação. Meta Instituto de Pesquisa e Opinião. Pesquisa nacional sobre a população em situação de rua. Brasília, 2008.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome - MDS: Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação, Secretaria Nacional de Assistência Social. Rua: aprendendo a contar: Pesquisa nacional sobre a população em situação de rua. Brasília, 2009.

CENTROPOP. Levantamento de dados do Centro POP (2014 - 2017). 2017.

ESCOREL, Sarah. Vidas ao Léu: trajetórias de exclusão social. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 1999.

ESCOREL, Sarah. Vivendo de teimosos: moradores de rua na cidade do Rio de Janeiro. In.: BURSTYN, Marcel. (Org.). No meio da rua: nômades, excluídos e viradores. Rio de Janeiro: Geramond, 2003, pp.139-172.

FRANGELLA, Simone Miziara. Corpos urbanos errantes: Uma etnografia da corporalidade de moradores de rua em São Paulo. Tese de doutorado em Ciências Sociais. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da UNICAMP, 2004.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo 2010. Disponível em: http://censo2010.ibge.gov.br/. Acesso em 10/10/19.

LOPES SILVA, Maria Lúcia. Trabalho e população em situação de rua no Brasil. São Paulo: Cortez, 2009.

MONTENEGRO, Marina Rigitz. O circuito inferior da economia urbana na cidade de São Paulo no período da globalização. Dissertação (Mestrado em Geografia Humana) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo: São Paulo, 2006.

NASCIMENTO JÚNIOR, Francisco Chagas do. Do uso corporativo ao uso subversivo do território nos países periféricos. Rev. Mercator: Fortaleza, v. 10, n. 23, p. 49-58, set./dez. 2011.

NATALINO, Marco Antônio Carvalho. Estimativa da População em Situação de Rua no Brasil. Texto para Discussão. IPEA. Brasília, v. 2246, p. 1-36, 2016.

NEVES, D. Os miseráveis e a ocupação dos espaços públicos. Caderno CRH, nº31, Jan/Dez. Salvador, 1999.

PENTEADO, Ana Tereza Coutinho. Urbanização e usos do território: as crianças e adolescentes em situação de rua na cidade de Campinas/SP. Dissertação de Mestrado em Geografia. Instituto de Geociências da Universidade Estadual de Campinas, 2012.

RIBEIRO, Ana Clara Torres. Território usado e humanismo concreto: o mercado socialmente necessário. X Encontro de Geógrafos da América Latina, São Paulo. Anais do X Encontro de Geógrafos da América Latina, 2005. p.12458-12470.

RIBEIRO, Ana Clara Torres. Homens lentos, opacidades e rugosidades. Redobra n.09 – 2012.Salvador, Edufba, 2012. p. 58-71.

SANTOS, Milton. O papel ativo da geografia: um manifesto. Rev. Território, n. 9, jul/dez, 2000.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. 6. ed. Rio de Janeiro: Record, 2001.

SANTOS, Milton. O espaço dividido: os dois circuitos da economia urbana dos países subdesenvolvidos. 2. ed. São Paulo: Edusp, 2004.

SANTOS, Milton. O retorno do território. OSAL: Observatorio Social de América Latina. Ano 6, n. 16 (jun. 2005). Buenos Aires: CLACSO, 2005.

SANTOS, Milton. A Natureza do Espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção. 4. ed. São Paulo: Edusp, 2006.

SANTOS, Milton. A urbanização brasileira. 5ª ed., São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2013.

SILVEIRA, Maria Laura. Modernização contemporânea e nova constituição dos circuitos da economia urbana. Geousp – Espaço e Tempo (Online), v. 19, n. 2, p. 246-262, ago. 2015.

SPOSITO, Maria Encarnação Beltrão. As cidades médias e os contextos econômicos contemporâneos. In: Sposito, M.E.B. (org.). Urbanização e cidades: perspectivas geográficas. Presidente Prudente, Unesp, 2001.

Downloads

Publicado

2022-06-05

Como Citar

JORDÃO, D. A POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA E O CIRCUITO INFERIOR DA ECONOMIA URBANA EM CAMPOS DOS GOYTACAZES/RJ. Revista Tocantinense de Geografia, [S. l.], v. 11, n. 24, p. 77–97, 2022. DOI: 10.20873/rtg.v11n24p77-97. Disponível em: https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/geografia/article/view/13835. Acesso em: 2 fev. 2023.