A PRODUÇÃO DO CAPITAL E SUAS IMPLICAÇÕES NA EDUCAÇÃO NO CAMPO NO MUNICÍPIO DE JATAÍ-GO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20873/rtg.v11n24p160-179

Palavras-chave:

Educação no/do Campo, Agricultura capitalista, Sujeitos do campo

Resumo

Ao se referir à proposta da “Educação no/do Campo”, reporta-se à necessidade de construir uma pedagogia contextualizada na valorização e diversidade de sujeitos, de modo a contemplar a heterogeneidade da realidade dos povos que habitam o vasto campo brasileiro. Esse movimento se dá como contraponto à proposta da educação rural, que surgiu a partir dos anos 1930 no país e que visava disseminar somente a educação de cunho tecnicista, acrítica ao sistema capitalista, desconsiderando os aspectos ambientais, políticos, econômicos, sociais e culturais dos povos habitantes do campo e, portanto, focada somente em formar mão de obra. Objetiva-se neste artigo apresentar as particularidades da inserção do capitalismo nas práticas agrícolas no município de Jataí-GO e suas implicações nas instituições de ensino situadas no campo. os procedimentos metodológicos adotados foram o levantamento bibliográfico e a coleta de dados de fonte primária a partir de questionários semiestruturadas direcionados aos discentes do Ensino Médio. Observou-se que a forte hegemonia da agricultura capitalista recai sobre o sistema educativo no campo, ao fechar unidades escolares, transportar alunos para a cidade, negligenciar os demais modos de vida nos espaços rurais e reproduzir o ensino praticado no urbano.

Biografia do Autor

Tatiane Rodrigues de Souza, UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDONÓPOLIS

Doutorado pela Universidade Federal de Goiás Regional - Jataí (2021) Possui Graduação em Geografia pela Universidade Federal de Goiás Regional Jataí (2009) e Mestrado em Geografia pelo Programa de Pós Graduação em Geografia UFG Regional Jataí (2016). Pós - Graduação Lato Sensu em Psicopedagogia com Ênfase no Ensino Especial e Educação Inclusiva pela faculdade de tecnologia Equipe Darwin FACTED- Águas Claras DF (2011). Educadora ambiental pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente, ciência e tecnologia (2012-2012 SMACT- Jataí-GO) Professora da Rede Estadual de Goiás- SEDUC (Ensino fundamental II , Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos 2011-2016) Professora da rede particular ( Ensino fundamental II 2012-2015, 2018). Professora substituta do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano ( Rio Verde-GO-2016). Professora Substituta da Universidade Federal de Rondonópolis-MT (2021-2022).

Evandro César Clemente, UNIVERSIDADE FEDERAL DE JATAÍ

Doutor em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP) e Pós Doutor pelo IG/UFU Uberlândia-MG. Professor Associado II dos cursos de Graduação e Pós-Graduação da Universidade Federal de Goiás, campus de Jatai (UFG-CAJ) e docente do Programa de Pós Graduação em Geografia da UFMS (Campus de Três Lagoas).. Foi coordenador do curso de Graduação em Geografia da UFG/Regional Jataí (2012-2014) e Coordenador do Programa de Pós Graduação em Geografia (Mestrado e Doutorado) da UFG/Regional Jataí (2014-2016). É membro do GEDRA (Grupo de Estudos sobre Dinâmica Regional e Agricultura) E da Rede DATALUTA.. Atualmente é líder do GEPDACE (Grupo de Estudos e Pesquisas das Dinâmicas Agrárias do Cerrado). Tem experiência na área de Geografia Humana, atuando principalmente nos seguintes temas: associativismo, políticas públicas, dinâmica regional, sustentabilidade na agricultura, desenvolvimento territorial, ensino de Geografia e educação no campo. 

Referências

ALENTEJANO, P. Modernização da agricultura. In: CALDART, R. et al. (Orgs.) Dicionário da educação do Campo. Rio de Janeiro: Expressão Popular, 2012.

BORGES, R. E. No meio da soja, o brilho dos telhados: a implantação Perdigão em Rio Verde (GO), transformações e impactos socioeconômicos e espaciais. 2006. 220f. Tese (Doutorado) – UNESP, Rio Claro-SP, 2006.

CALDART, R. S. Educação do Campo. In: CALDART, R. S. et al. (orgs.). Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Expressão Popular, 2012.

CASTILLO, R.; FREDERICO, S. Dinâmica Regional e Globalização: espaços competitivos agrícolas no território brasileiro. Mercator - volume 9, número 18, pp.17 - 26, 2010: jan./abr.

CLEMENTE, E. C.; CLEPS JUNIOR, J. Considerações acerca da expansão geográfica do capital e a luta pela terra na Microrregião Geográfica do Sudoeste de Goiás. Revista NERA, v. 23, n. 53, p. 288-314, mai.-ago., 2020.

CLEMENTE, E. C. O Programa de Microbacias no contexto do desenvolvimento rural da região de Jales-SP. 2011. 339 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade Ciências e Tecnologia. Presidente Prudente, 2011.

FERNANDES, B. M. Cadê o agronegócio? Cadê os alimentos? In: Correio da Cidadania, 2008. Disponível em: <http://www.correiocidadania.com.br/politica/1749-30-04-2008-cade-o-agronegocio-cade-os-alimentos>. Acesso em: 10 ago. 2019.

FOCKINK, E. R. Produção rural familiar em Jataí-GO: a comunidade Rural da Onça. 2007. 147 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Departamento de Geografia do Setor de Geografia e Gestão do Território, Universidade Federal de Uberlândia, 2007.

FREDERICO, S. Gênese e consolidação da rede urbana na região de fronteira agrícola moderna. In: COSTA, E. B; OLIVEIRA, R. S (Orgs). As cidades entre o “Real e o imaginário Estudos no Brasil. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

GONÇALVES, C. W. P. Geografia da riqueza, fome e meio ambiente: pequena contribuição crítica ao atual modelo agrário/agrícola de uso dos recursos naturais. In: OLIVEIRA, A. U. de; MARQUES, M. I. M. (Org.). O campo no século XXI: território de vida, de luta e de construção da justiça social. São Paulo: Casa amarela; Paz e Terra, 2004. p.27-64.

IANNI, O. Origens Agrárias do Estado Brasileiro. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 2004.

INCRA - Instituto de colonização e Reforma Agrária. Cadastro Rural. Estatísticas Cadastrais, 2017.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Acesso em 11 de junho de 2020. Disponível: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/go>. Acesso em 02 jan.2022

KOLLING, E. J.; NERY, I.; MOLINA, M. C. Por uma educação básica do campo (memória). Brasília: Articulação Nacional por uma Educação do Campo, 1999.

LACERDA, G. C.; SANTOS, C. M. T. O Cerrado e a Difusão Urbano-Industrial. Revista

Multiface, Belo Horizonte, vol. 4., 2016.

MARTINS, A. S.; NEVES, L. M. Pedagogia do Capital. In: CALDART, R. et al. (Orgs.) Dicionário da educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio; Expressão Popular, 2012. p. 540-547.

MARTINS, A. P. et al. (Orgs.) Atlas Ambiental das microbacias urbanas de Jataí-GO. Universidade Federal de Goiás/Campus Jataí, 2013.

MARTINS, F. J. Educação do Campo: processo de ocupação social e escolar. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE PEDAGOGIA SOCIAL, março de 2009.

MARTINS, J. S. de. Cultura e educação na roça, encontros e desencontros. Revista USP, São Paulo, nº. 64, 2005, pp. 28-49.

MARTINS, J. S. de. Os camponeses e a política no Brasil: as lutas sociais no campo e seu lugar no processo político. 2 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1983.

MARTINS, J. S. de. Os camponeses e a Política no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1981.

MARTINS, J. S. de. Expropriação e violência: a questão política no campo. São Paulo: Hucitec, 1980.

MARTINS, J. S. de. Por uma pedagogia dos inocentes.Tempo Social; Rev. Sociol. USP, S. Paulo, 13(2): 21-30, novembro de 2001. Revista: Tempo Social.

MARTINS, J. S. de. Sobre o modo capitalista de pensar. São Paulo: Hucitec, 1978.

MÉZAROS, I. A educação para além do capital. 2. ed. Tradução Isa Tavares. São Paulo: Boitempo, 2005.

OLIVEIRA, A. U de. Modo de Produção Capitalista, Agricultura e Reforma Agrária. São Paulo: FFLCH, 2007.

RIBEIRO, D. D. Modernização da agricultura e (re)organização do espaço no município de Jataí-GO. 2003. 96 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Presidente Prudente, 2003.

SANTOS, M. Urbanização brasileira. São Paulo: Hucitec,1996.

SANTOS, M. Espaço e método. 4. ed. São Paulo: Hucitec, 1997.

SANTOS, M.; SILVEIRA, M. L. Brasil: Território e Sociedade no Início do Século XXI. 5. ed. Rio de Janeiro: Record, 2003.

SOUZA, T. R. de. Caracterização e análises das escolas no campo no município de Jataí GO. 2016. 187 f. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Geografia Universidade Federal de Goiás, Jataí, 2016.

SOUZA, Tatiane R de. A contribuição do ensino de Geografia para formação de sujeitos no contexto da educação no/do campo. 2021. 360f. Tese (Doutorado em Geografia) –Programa de Pós-Graduação em Geografia - Universidade Federal de Goiás, Jataí, 2021.

VENDRAMINI, C. R. Qual o futuro das escolas no campo? Educ. rev., Belo Horizonte, v. 31, n. 3, p. 49-69, set. 2015.

VERONESE, M. V; LACERDA, L. F. B O sujeito e o indivíduo na perspectiva de Alan Touraine. Soc. e Cult., Goiânia, v. 14, n. 2, p. 419-426, jul./dez. 2011.

WANDERLEY, M. N. B. de. Territorialidade e Ruralidade no Nordeste. Por um pacto social pelo desenvolvimento rural. In: SABOURIN, E.; TEIXEIRA, O. A. (ed. téc.) Planejamento e desenvolvimento dos territórios rurais. Conceitos, controvérsias e experiências. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2002.

Downloads

Publicado

2022-07-22

Como Citar

SOUZA, T. R. de; CLEMENTE, E. C. A PRODUÇÃO DO CAPITAL E SUAS IMPLICAÇÕES NA EDUCAÇÃO NO CAMPO NO MUNICÍPIO DE JATAÍ-GO. Revista Tocantinense de Geografia, [S. l.], v. 11, n. 24, p. 160–179, 2022. DOI: 10.20873/rtg.v11n24p160-179. Disponível em: https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/geografia/article/view/13725. Acesso em: 3 fev. 2023.