As INTERAÇÕES DOS MUNICÍPIOS NA REGIÃO METROPOLITANA DE MARINGÁ-PR

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20873/rtg.v11n24p180-197

Palavras-chave:

Região Metropolitana, Inserções, Consórcios municipais

Resumo

Neste artigo falaremos brevemente sobre a centralidade exercida pela cidade de Maringá, bem como sobre as interações dos municípios com a cidade sede da Região Metropolitana de Maringá e o nível de integração de cada um deles com a sede. Destacaremos brevemente o debate sobre duas pequenas localidades: os municípios de São Jorge do Ivaí e Floraí, no contexto dessa unidade regional. Os municípios foram escolhidos pela sua condição de localização e comportamento demográfico – com perda de população –, justamente porque esses são os municípios que apresentam indícios de pouca integração e que podemos considerar como de uma realidade não metropolitana ao invés de metropolitana.

Biografia do Autor

Marinalva Batista, Universidade Estadual de Maringá

Doutoranda em Geografia pela Universidade Estadual de Maringá. Mestra em Geografia e Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Estadual de Maringá. Bacharel em Geografia pela Faculdade Estadual de Ciências e Letras de Campo Mourão. Especialização em Geografia, Meio Ambiente e Ensino pela Faculdade Estadual de Ciências e Letras de Campo Mourão/UNESPAR. 

Referências

VERCEZI, Jaqueline Telma. Gênese e evolução da região metropolitana de Maringá. 2001. xvii, 190 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ci-ências e Tecnologia, 2001. Disponível em: <http://hdl.handle.net/11449/89815>. Acesso em: 12 de Mar. de 2016.

CASTELLS, Manuel. O espaço de fluxos. A sociedade em rede. 6. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2005.

ENDLICH, Angela Maria. Pensando os papéis e significados das pequenas cidades do No-roeste do Paraná. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Tecnologia. Presidente Prudente: Editora UNESP. 2006. 505 p.

ENDLICH, Angela Maria. Gestão territorial compartilhada em espaços não metropolita-nos. Scripta Nova: revista electrónica de geografía y ciencias sociales, n. 11, p. 62, 2007.

ENDLICH, Angela Maria. Dinâmica demográfica e estrutura fundiária do noroeste do Paraná. In: FERREIRA, M. E. M. C. ROCHA, M. M. ENDLICH, A. M. Apontamentos Geográficos. Ma-ringá: UEM-PGE, 2011. 144p.

FIRKOWSK, Olga Lúcia Castreghini de Freitas. Por que as Regiões Metropolitanas no Brasil são Regiões, mas não são metropolitanas. <http://www.ipardes.pr.gov.br>. Acesso em: 23 Set. 2014.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Arranjos populacionais e concentrações urbanas do Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 2015.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA - IPEA. Falta critério na criação de regiões metropolitanas. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br>. Acesso em: 23 de Set. 2014.

INSTITUTO PARANAENSE DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL. Ana-lise de dados populacionais. Microdados do IBGE. 2000-2010. Disponível em: <http://www.ipardes.pr.gov.br/ojs/index.php/cadernoipardes/article/download/539/727>. Acesso em: 02 de Jun. de 2016.

OBSERVATÓRIO DAS METRÓPOLES. Análise das Regiões Metropolitanas do Brasil. Relatório da atividade 1: identificação dos espaços metropolitanos e construção de tipologias. Convênio Ministério das Cidades/Observatório das Metrópoles/Fase/Ipardes. Brasília, 2005a. Disponível em: . Acesso em: 13 abr. 2016.

SANTOS, Milton. Metamorfose do espaço habitado: fundamentos teórico e metodológico da geografia. São Paulo: Hucitec, 1988.

Downloads

Publicado

2022-07-25

Como Citar

BATISTA, M. As INTERAÇÕES DOS MUNICÍPIOS NA REGIÃO METROPOLITANA DE MARINGÁ-PR. Revista Tocantinense de Geografia, [S. l.], v. 11, n. 24, p. 180–197, 2022. DOI: 10.20873/rtg.v11n24p180-197. Disponível em: https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/geografia/article/view/13717. Acesso em: 3 fev. 2023.