UMA ANÁLISE SOBRE OS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS (RSU) NA BACIA DO IGARAPÉ DO QUARENTA EM MANAUS-AMAZONAS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20873/rtg.v11n24p01-17

Palavras-chave:

Hidrografia, Lixo, Resíduos

Resumo

Com o crescimento populacional o uso inadequado de espaços impulsiona a problemática ambiental promovendo a degradação dos sistemas naturais. O lixo é um dos problemas ambientais, apesar da existência do Plano Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), o descarte desses resíduos ainda é feito em locais inadequados, tais como, corpos hídricos, ruas e bueiros. Este trabalho tem como objetivo uma análise sobre os Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) na bacia hidrográfica do Igarapé do Quarenta na cidade de Manaus a partir de dados secundários e primários. Para o cumprimento dos objetivos foram realizados trabalhos de campos na área da bacia para obtenção de identificar áreas de descarte de lixo. Além disso, obtiveram-se dados secundários de modo a quantificar o descarte de lixo ao longo da bacia em estudo. O problema do lixo na área em estudo se dá nas áreas de fundo de vale e pelas populações que residem nas margens dos rios urbanos, provocando a poluição, assoreamento e a obstrução do fluxo natural da água ocasionando as inundações em período de fortes chuvas.

Biografia do Autor

Gabriela Mendonça da Silva, Universidade Federal do Amazonas

Bacharel e Mestre em Geografia pela Universidade Federal do Amazonas. Membro do Laboratório de Análise e Tratamento de Sedimentos e Solos e do Grupo de Pesquisa Geografia Física da Amazônia. Atuante nas áreas de Geoprocessamento e Geografia Física, com ênfase em geomorfologia, solos, impactos ambientais. Atualmente, aluna de doutorada em Geografia pela Universidade Federal do Amazonas.

Mirella Ferreira da Silva , Universidade Nilton Lins

Engenheira Ambiental pela Universidade Nilton Lins.

André Campos Alves, Universidade Federal do Amazonas

Licenciado em Geografia pela Universidade do Estado do Amazonas (2014); Bacharel em Geografia pela Universidade Federal do Amazonas (2017); Mestre em Geografia pela Universidade Federal do Amazonas (2019); Aluno do Programa de Pós-Graduação em Geografia, na modalidade doutorado, da Universidade Federal do Amazonas; Atua no âmbito do Sensoriamento Remoto, Sistemas de Informações Geográficas, Geoprocessamento, Geografia Física, com ênfase em Geomorfologia, Geomorfologia Fluvial, Solos.

Kenya Correa de Sousa, Universidade Federal do Amazonas

Licenciada e Mestranda em Geografia pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Técnica em Biblioteconomia pelo Instituto Federal do Amazonas (IFAM). Membra do Grupo de Pesquisa Geografia Física da Amazônia, atuando nas áreas de Geografia física com ênfase em Geomorfologia fluvial e solo.

Referências

BRASIL- Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei n° 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências.

Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm>. Acesso em: 04 de out. de 2020.

DANTAS, E. M. Geografia da População, 2 ed, Natal: EDUFRN, 2011. 246p.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5.ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GRANJA, V. Proposta de Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos com enfoque em Educação Ambiental para o município de Tio Hugo – RS. 2011. 125f. Trabalho de conclusão, Universidade de Passo Fundo, 2011.

MONTE, M. J. M.; SOUZA, D. A.; COSTA, V. C. Aspectos relacionados ao controle de inundações no igarapé do quarenta, na cidade de Manaus, AM, Brasil. In: Congresso Técnico Científico da Engenharia e da Agronomia-CONTECC, Maceió – AL, 21 a 24 de agosto de 2018.

PEREIRA, U. A; ALEIXO, N. C. R. Os resíduos sólios urbanos como condicionante de doenças na cidade de Manaus – Am. Revista Geonorte, v.9, n.31, p.32-53, 2018.

PRSCS-RMM, Plano de Resíduos Sólidos e Coleta Seletiva da Região Metropolitana de Manaus, SEMA: Manaus, 2017. 48p.

MENEZES, M. T. Tratamento de resíduos sólidos, Rio de Janeiro: Instituto de Arquitetos do Brasil, 2014. 56p.

MUCELIN, C. A.; BELLINI, M. Lixo e impactos ambientais perceptíveis no ecossistema urbano. Sociedade & Natureza, Uberlândia, 20 (1), p. 111-124, jun. 2008.

SEGUNDO, R. F. Impactos do programa PROSAMIM para os ribeirinhos do Igarapé do Quarenta na cidade de Manaus. 2014. 96f. Mestrado em Processos construtivos e saneamento urbano, Universidade Federal do Pará, 2014.

SIMÕES, C. C. S. Breve histórico do processo demográfico. In: FIGUEIRA, A. H. (org.) Brasil: uma visão geográfica e ambiental do século XXI, Rio de Janeiro: IBGE, 2016. 435p.

SILVA, G. M.; ROCHA, M. Y. T; ALBUQUERQUE, A. R. C. Diagnóstico socioambiental da comunidade do Crespo, Manaus/Amazonas. Geoambiente on-line, n° 32, p. 1-14, 2018.

SILVA, G. M. Dinâmica do uso da terra na paisagem na microbacia do Igarapé do Quarenta, Manaus – AM. Revista Geonorte, v. 9, n. 33, p. 81-94, 2018.

SILVA, G. M.; ALVES, A. C.; SANTOS, M. Q.; SOUSA, K. C. Risco ambiental em um trecho da microbacia do Igarapé do Quarenta, Manaus-AM. Boletim Paulista de Geografia, nº 102, p. 100- 115, 2019.

SILVA, G. M.; ALVES, A. C.; SANTOS, M. Q. Dinâmica socioespacial e problemas urbanos na microbacia do igarapé do quarenta, Manaus – Amazonas, Revista Tocantinense de Geografia – online, v. 09, n. 19, p. 101-114, 2020. https://doi.org/10.20873/rtg.v9n19p101-114

TINOCO, M. R. L.; SOARES, J. M.; SOUZA, S. M. Crescimento populacional e sustentabilidade ambiental. Revista de trabalhos acadêmicos-campus Niterói, n° 2, p. 1-41, 2010.

VARQUES, V. Construções à beira de igarapés dificultam limpeza em Manaus. Em Tempo, Manaus, 23 de fev. de 2020. Disponível em < https://d.emtempo.com.br/amazonas/190866/construcoes-a-beira-de-igarapes-dificultam-limpeza-em-manaus>. Acesso em: 05 de out. de 2020.

Downloads

Publicado

2022-05-03

Como Citar

SILVA, G. M. da .; SILVA , M. F. da; ALVES, A. C. .; SOUSA, K. C. de . UMA ANÁLISE SOBRE OS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS (RSU) NA BACIA DO IGARAPÉ DO QUARENTA EM MANAUS-AMAZONAS. Revista Tocantinense de Geografia, [S. l.], v. 11, n. 24, p. 01–17, 2022. DOI: 10.20873/rtg.v11n24p01-17. Disponível em: https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/geografia/article/view/11961. Acesso em: 3 fev. 2023.