O “BELO RISCO” DO ENSINO DE HISTÓRIA FRENTE AOS MEDOS DO MOVIMENTO ESCOLA SEM PARTIDO

Resumo

O Movimento Escola sem Partido (MESP) tem se constituído em um dos principais espaços de concentração de ações, políticas e reflexões da “onda conservadora” para pensar educação e ensino de história no Brasil. Este artigo tece algumas reflexões e análises sobre uma obra fundamental para compreensão das concepções educacionais presentes no MESP: o livro Maquiavel Pedagogo, de Pascal Bernardin. Pretende-se, a partir da discussão de alguns pontos essenciais do livro, encaminhar uma reflexão, ainda bastante provisória e inicial, a respeito de como o ensino de história pode responder à ameaça representada pelo MESP, especialmente no que se refere à interdição proposta pelos apoiadores desse movimento para o lugar da política e do questionamento radical dentro do ensino da disciplina.

Biografia do Autor

João Carlos Escosteguy Filho, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro

Doutor em História pela UFF (2016). Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro - IFRJ. Docente dos cursos técnicos integrados ao nível médio e da Pós-Graduação em Educação em Direitos Humanos do Campus Pinheiral.

João_Carlos_Escosteguy_Filho1.jpg

Publicado
2020-10-27
Como Citar
Escosteguy Filho, J. C. (2020). O “BELO RISCO” DO ENSINO DE HISTÓRIA FRENTE AOS MEDOS DO MOVIMENTO ESCOLA SEM PARTIDO. Escritas: Revista Do Curso De História De Araguaína, 12(2), 12-32. https://doi.org/10.20873/vol12n2pp12-32