AS DISPUTAS POR MEMÓRIA E O ENSINO DA HISTÓRIA INDÍGENA: UM ESTUDO COMPARATIVO DE MANUAIS ESCOLARES

Resumo

Neste artigo pretende-se comparar as representações dos indígenas feitas pelos manuais escolares brasileiros e portugueses. Para realizar esse estudo, selecionamos quatro manuais, que circularam nas escolas desses países entre 2014 e 2017, buscando analisar as narrativas relativas aos primeiros contatos interétnicos no Brasil. O objetivo desse estudo é refletir sobre como a gestão da memória e as questões político-ideológicas, reivindicadas por grupos que pleiteiam o empoderamento, podem interferir nas diretrizes educacionais e nas narrativas dos livros didáticos.

Biografia do Autor

Martha Vieira, Universidade Federal do Tocantins (UFT)

Mestre em História pela Universidade Estadual Paulista, Campus de Franca. Doutora em História Social pelo Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, da Universidade Federal do Rio de Janeiro e pós-doutora pela Universidade de Aveito-Portugal. . Professora do Curso de História, do Programa de Mestrado Profissional em Ensino de História e do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura e Território da Universidade Federal do Tocantins, câmpus de Araguaína.

Martha_Vieira_perfil.jpg

 
Publicado
2020-10-27
Como Citar
Vieira, M. (2020). AS DISPUTAS POR MEMÓRIA E O ENSINO DA HISTÓRIA INDÍGENA: UM ESTUDO COMPARATIVO DE MANUAIS ESCOLARES. Escritas: Revista Do Curso De História De Araguaína, 12(2), 88-103. https://doi.org/10.20873/vol12n2pp88-103