AÇÕES ARTICULADAS PELAS MULHERES CAMPONESAS

  • KEZIA VIEIRA DE SOUSA FARIAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ - UNIFESSPA
  • IDELMA SANTIAGO SILVA UNIFESSPA

Resumo

Este trabalho tem como objetivo levantar algumas ações realizados nas Jornadas nacional de lutas das mulheres Sem Terra e como isso contribuiu para a luta pela reforma agraria.  Assim evidenciaremos as práticas e discursos que estruturam o MST para além da luta pela terra, baseado na construção da reforma agrária com perspectivas de novas relações sociais, culturais, econômicas e de construção dos sujeitos. Sujeitos esses que se constitui e constituem o movimento. O MST tem sido objeto de estudos das mais diversas áreas. No que diz respeito a questão das mulheres, as pesquisas produzidas dizem mais sobre a invisibilidade na política e na produção da qual elas foram/estão submetidas do que os processos e experiências de re-existências delas.

 

Biografia do Autor

KEZIA VIEIRA DE SOUSA FARIAS, UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ - UNIFESSPA

Mestranda em Dinâmicas territoriais e sociedade na Amazônia pela Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará - (UNIFESSPA) 

IDELMA SANTIAGO SILVA, UNIFESSPA

 Doutora em História, Professora da Faculdade de Educação do Campo e do Programa de Pós-Graduação em Dinâmicas Territoriais e Sociedade na Amazônia, do Instituto de Ciências Humanas UNIFESSPA/Campus Universitário de Marabá

Publicado
2019-10-18