VOZES DO CAMPESINATO FEMININO: (DES) DOBRANDO CULTURAS E MEMÓRIAS DAS LUTAS TAMBÉM PELA TERRA NO SUDESTE DO PARÁ

  • Idelma Santiago da Silva
  • Hiran de Moura Possas UNIFESSPA

Resumo

O artigo pretende decantar de vozes icônicas de mulheres camponesas, do sudeste do Pará, suas experiências e agenciamentos desdobrando culturas parciais do campesinato. Tratam-se de mulheres, pela voz, trazendo à tona memórias da luta pela terra de um lugar de poder ainda desigual, mas não mais inexistente no interior das versões hegemonizadas pelos homens. São narrativas que apresentam diferenças, por isso alargam o campo da resistência camponesa na produção de sentidos as suas lutas. Encontramos mulheres, em corpo-voz, numa perspectiva relacional (a sua condição de classe e de gênero), intersticial (desdobrando a cultura e a memória camponesa no sudeste do Pará), como também em tons agonísticos (agenciando um campo de luta no limiar da inexistência/existência).

Publicado
2017-01-13
Como Citar
SANTIAGO DA SILVA, Idelma; POSSAS, Hiran de Moura. VOZES DO CAMPESINATO FEMININO: (DES) DOBRANDO CULTURAS E MEMÓRIAS DAS LUTAS TAMBÉM PELA TERRA NO SUDESTE DO PARÁ. Escritas: Revista do Curso de História de Araguaína, [S.l.], v. 8, n. 2, p. 310-329, jan. 2017. ISSN 2238-7188. Disponível em: <https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/escritas/article/view/2722>. Acesso em: 25 maio 2017.

Palavras-chave

Mulheres Camponesas, memórias, oralidade, luta pela terra.