Imagens do mercado de Araguaína.

                                                                                                     Compositor de destinos

                                                                                                     Tambor de todos os ritmos

                                                                                                     Tempo, tempo, tempo, tempo

                                                                                                     Entro num acordo contigo

                                                                                                               Caetano Veloso, Oração ao tempo

 

Em sua bela composição Oração ao Tempo, Caetano Veloso retoma a perspectiva do tempo como um deus a ser louvado para garantir as benesses da continuidade, a duração do sujeito, oferecendo em troca os elogios, a repetição do estribilho. Enquanto inscrever-se sob a dimensão do contínuo da vida, o sujeito pode e dispõe-se a cantar, inclusive, manifestações de apreço a essa divindade. Encontra-se aí implicada a negociação sob forma de oração, comprometendo as partes, ainda que o poeta remeta à ideia de um acordo sob sigilo, a um indeterminado “aquilo”. Dizer, não dizer, seduzir, encantar, negociar, demandar... O que pode a linguagem enquanto estamos inseridos na ordem do tempo, esse compositor de destinos e tambor de todos os ritmos?

Quando pensamos no texto de apresentação desta edição da EntreLetras, principiamos por refletir sobre a dimensão do tempo. São já oito anos de uma publicação que se inicia concomitantemente à criação do Programa de Pós-graduação em Letras: Ensino de Língua e Literatura da Universidade Federal do Tocantins (PPGL/UFT), a que a EntreLetras se vincula. Reconhecemos que chegar a esta edição só nos foi possível pela dedicação dos editores que nos antecederam e pela intensa colaboração de muitos parceiros, pesquisadores e escritores que nos confiaram seus textos, membros do conselho e do comitê editorial, pareceristas ad hoc, colegas que nos auxiliam da divulgação dos trabalhos e os preciosos leitores. São muitas mãos que se unem para a consolidação da revista, que ora se apresenta com seu maior volume de trabalhos aprovados dentre um expressivo número de textos submetidos à avaliação. Para esse resultado, foi necessária a manutenção de um ritmo forte, concatenado com muitos gestos. Louvamos então o tempo conquistado e os muitos compositores dessa jornada.  

Inicialmente, a edição conta com um dossiê coordenado pelas professoras Dra. Patrícia Fabiana Bedran (UNESP/IBILCE) e Dra. Selma Maria Abdalla Dias Barbosa (UFT): A formação do Professor de Línguas na Contemporaneidade: Cenários, Desafios e Perspectivas. Estão aqui reunidos trabalhos científicos realizados por pesquisadores na área de educação de professores que atuam em diferentes universidades públicas do país (UEM/UFG/UESC/UFT/UNEMASUL/UNESP/UFMS), de forma a contemplar, nessa diversidade de contextos e pesquisas, diferentes cenários, desafios e perspectivas sobre a difícil e necessária tarefa que é formar o professor de língua na contemporaneidade.

Compõem o dossiê 13 artigos que revelam a pertinência do tema em questão ao trazerem para discussão questões atuais e urgentes sobre a formação do professor e o processo de ensinar e aprender língua, tais como: (i) sentido, afetividade, emoções e crenças no processo de ensino e aprendizagem de línguas; (ii) ensino de língua e formação mediados por novas tecnologias da informação e comunicação, (iii) (re)construção de identidade do professor; internacionalização e formação do professor; (iv) metodologia de  ensino e aprendizagem de línguas e formação do professor e, por fim, (v) materiais didáticos e o ensino de línguas.

Além do dossiê, a edição contempla 10 artigos sob problemáticas diversas da Área de Línguística e Literatura, incluídos na seção Temas Livres, a que se somam 1 ensaio, 2 resenhas e 6 produções literárias. 

 

Na capa (Foto Luiza Silva), a captura da imagem de uma das barracas do Mercado Municipal de Araguaína (TO): poesia nos arranjos da cidade. 

Publicado: 2017-11-29

Expediente

Apresentação

Dossiê

Ensaios

Temas Livres

Produção Literária