LEITURAS DO PASSADO PELA FICÇÃO:

UM OLHAR LITERÁRIO À COLONIZAÇÃO BRASILEIRA EM A MÃE DA MÃE DA SUA MÃE E SUAS FILHAS (2002)

  • Patrícia de Oliveira UNIOESTE
  • Gilmei Francisco Fleck Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Resumo

Este estudo apresenta uma análise do romance brasileiro A mãe da mãe da sua mãe e suas filhas (2002), de Maria José Silveira. A obra aborda a história de uma família durante vinte gerações. O foco está nas personagens femininas que representam o “olhar visto de baixo”, daqueles que viveram muitos acontecimentos históricos, mas tiveram suas vozes caladas nos registrtos oficiais. Nossa intenção é refletir sobre o processo de leitura de romances históricos no contexto do Ensino Fundamental II, séries finais, e Ensino Médio, pela introdução, neste contexto escolar, da modalidade mais recente do gênero híbrido de história e ficção proposto por Fleck (2017): o romance histórico contemporâneo de mediação. Desse modo, embasamo-nos, primeiramente, nos estudos sobre a leitura e sua importância no contexto escolar, valendo-nos de pressupostos de Lajolo (1993), Zilbermann (2004), Silva (2005), Martins (2005), entre outros. Em seguida, voltamo-nos ao gênero híbrido romance histórico, com suporte nos pressupostos de Weinhardt (1994; 2011), Fleck (2017), entre outros, para evidenciar aspectos formais da obra de Silveira (2002) e, em especial, para identificá-la como um romance histórico contemporâneo de mediação. Cremos que esta modalidade pode contribuir decisivamente para a formação de um leitor mais consciente na escola.

Biografia do Autor

Patrícia de Oliveira, UNIOESTE

Mestranda em Letras pelo Programa de Pós-graduação da Unioeste\Cascavel-PR, na linha de pesquisa: Linguagem Literária e Interfaces Sociais. Atua como professora de Língua Portuguesa no Ensino Fundamental e Médio no Estado do Paraná e integra a equipe de pesquisadores do Grupo de pesquisa “Ressignificações do passado na América: processos de leitura, escrita e tradução de gêneros híbridos de história e ficção – vias para a descolonização”, cadastrado na Capes.

Gilmei Francisco Fleck, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Possui Pós doutorado (2015) em Literatura Comparada e Tradução pela Universidade de Vigo, com Bolsa da CAPES, Doutorado (2008) em Letras pela Universidade Estadual Paulista - UNESP/ Assis. Mestrado em Letras (2005) pela Universidade Estadual Paulista - UNESP/ Assis. Especialista em Língua Espanhola e respectivas literaturas (2000) pela Universidade do Oeste de Santa Catarina - UNOESC/Xanxerê e em Ensino de Inglês como língua estrangeira pela Universidade do Oeste de Santa Catarina - UNOESC/Chapecó. Possui graduação em Letras Habilitação Português/ Espanhol e Respectivas Literaturas (2001) pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões -URI/Frederico Westphalen e graduação em Letras Habilitação Português/ Inglês e Respectivas Literaturas (1996) pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões -URI/Frederico Westphalen. Atualmente é professor associado da Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em literaturas hispânicas e língua espanhola, atuando principalmente nos seguintes temas: cultura hispânica, literatura comparada, literatura hispano-americana e espanhola e prática educacional. Líder do Grupo de Pesquisa Ressignificações do passado na América: processos de leitura, escrita e tradução de gêneros híbridos de história e ficção - vias para a descolonização - UNIOESTE.

Publicado
2019-06-01