O MISMATCH SEMÂNTICO E SUAS IMPLICAÇÕES NO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA

  • Roza Maria Palomanes Ribeiro UFRRJ
  • Juliana Behrends de Souza SEEDUC/RJ

Resumo

Baseando-se em estudos dentro das ciências cognitivas (Tomasello, 2003; Francis e Michaelis, 2002; Fillmore 1986), este artigo apresentará caminhos que auxiliem alunos na identificação do conflito gerador. É comum que, durante essa identificação, aconteçam mismatches, ou seja, uma falha no processo de interpretação. O equívoco em relação ao vocábulo conflito é recorrente, justificando a necessidade do reconhecimento do mismatch semântico. Observações feitas no ambiente escolar revelaram que professores desconhecem o assunto, gerando práticas que desconsideram o mismatch. Desta forma, apresentar-se-á uma mediação que oferece caminhos para evitá-lo. Espera-se que as contribuições desta pesquisa auxiliem professores a reconhecerem e evitarem o mismatch semântico.

 

Biografia do Autor

Juliana Behrends de Souza, SEEDUC/RJ

Possui graduação em Português/Inglês pela Fundação Educacional Unificada Campo-grandense (2005), pós-graduação em Língua Portuguesa pelo Liceu Literário Português (2007), mestrado em Letras na UFRRJ (2018), aperfeiçoamento em Ensino de Língua Portuguesa/ Literatura CEDERJ (2012) e Tecnologia Assistiva, Projetos e Acessibilidade: Promovendo a Inclusão UNESP (2010). Atualmente, cursa doutorado em Ciências da Educação na Universidad Del Sol no Paraguai e é professora regente de Língua Portuguesa e Literatura na SME/ RJ e SEEDUC/RJ.

Publicado
2019-01-21