O ALUNO COMO PRODUTOR DE ENUNCIADOS ESCRITOS

  • Leliane Regina Ortega Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE
  • Terezinha da Conceição Costa-Hübbes UNIOESTE https://orcid.org/0000-0002-9063-7982

Resumo

Este trabalho fundamenta-se nos estudos de Bakhtin para analisar a emergência doo aluno como sujeito que produz enunciados na interação com o outro. Para isso, é importante ter clareza sobre seu projeto discursivo, conhecer o gênero discursivo que quer produzir e a esfera de atividade humana na qual pretende atuar. Nessa perspectiva, o objetivo  da pesquisa realizada foi observar textos produzidos por alunos do 7º ano do Ensino Fundamental, sem os elementos de interação estabelecidos, e compará-los com textos produzidos ao final de um procedimento didático, momento em que os alunos já compreendiam suas produções como enunciados concretos a serviço de uma situação de interação. Como embasamento teórico recorremos a Bakhtin (2010[1979]), Volochínov (2013[1975]) e autores que dialogam com a concepção dialógica da linguagem. Comparamos versões de textos produzidos pelos alunos: a primeira: produção diagnóstica, antes do trabalho do texto como enunciado, e outra posterior, com os alunos conscientes de sua participação na corrente discursiva que circula socialmente. Os resultados demonstram uma preocupação maior com o uso da linguagem ao se perceberem inseridos numa situação real de comunicação.

Biografia do Autor

Terezinha da Conceição Costa-Hübbes, UNIOESTE

Professora do Programa de Pós-Graduação em Letras (mestrado acadêmico) e do Programa de Pós-Graduação em Letras (mestrado profissional) – Profletras – da Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE.

Publicado
2018-10-28