VIOLÊNCIA E PERVERSIDADE DISCURSIVA

Palavras-chave: Violência simbólica, Violência verbal, Polêmica, Atopia discursiva

Resumo

Este artigo analisa alguns aspectos da polêmica envolvendo a acusação de genocídio dirigida ao presidente da República, durante a gestão da pandemia de covid-19, no Brasil. Depois de abordar o conceito de violência verbal, explora-se como um discurso aparentemente eugenista se vale de estratégias dissimulatórias, comuns em discursos atópicos (não aceitos pela sociedade, em geral), para nublar seu potencial violento e apresentar-se como defensor do bem-estar social, ao mesmo tempo em que incita atos antidemocráticos, causa agressões e mortes.

Biografia do Autor

Sírio Possenti, Universidade Estadual de Campinas

Professor titular no Instituto de Estudos da Linguagem, IEL-UNICAMP, Campinas, SP; coordenador do Centro de Pesquisas Fórmulas e Estereótipos: Teoria e Análise (FEsTA). 

Hélio Oliveira, UNIFEOB

Doutor em linguística, docente na UNIFEOB, São João da Boa Vista, SP. 

Referências

BARROS, Diana Luz Pessoa. Intolerância, preconceito e exclusão. In: LARA & LIMBERTI (org) Discurso e desigualdade social. São Paulo, Contexto, 2015.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1998.

MAINGUENEAU, Dominique. A paratopia e suas sombras. In: Doze conceitos em Análise do Discurso. São Paulo: Parábola Editorial, 2010.

MARIN, I. S. K. Violências. São Paulo: Escuta/FAPESP, 2002.

MAUGER, Gérard. Violência simbólica. In: Vocabulário Bourdieu. São Paulo: Autêntica. pp. 359-361, 2017.

MOIRAND, Sophie. Responsabilidade e enunciação na imprensa cotidiana. In: BARONAS & MIOTELLO (org) Análise do discurso: teorizações e métodos. São Carlos: Pedro & João Editores, 2011.

OLIVEIRA, Hélio. O ethos atópico. Caderno de Estudos Linguísticos, v. 61. Campinas: Unicamp, 2019.

OLIVEIRA, Hélio. O discurso de ódio: polarização e limitação do outro. In: SALGADO, L. e VILELA-ARDERGHI, A. C. Língua, linguagens, interfaces. Belo Horizonte: Tradição Planalto, 2021.

PAVEAU, Marie-Anne. Linguagem e moral: uma ética das virtudes discursivas. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2015.

PIOVEZANI, Carlos e GENTILE, Emílio. A linguagem fascista. São Paulo: Hedra, 2020.

VAN DIJK, Teun. The violence of text and talk. Discourse & Society, 6 (3), 1995.

VENTURA, Deisy. et al. Mapeamento e análise das normas jurídicas de resposta à covid-19 no Brasil. Direitos na pandemia. Boletim n.10. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2021.
Publicado
2021-06-12
Como Citar
Possenti, S., & Oliveira, H. (2021). VIOLÊNCIA E PERVERSIDADE DISCURSIVA. EntreLetras, 12(1), 6 - 24. https://doi.org/10.20873/uft2179-3948.2021v12n1p6-24