https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/desafios/issue/feed DESAFIOS - Revista Interdisciplinar da Universidade Federal do Tocantins 2020-04-28T13:21:04-03:00 Dr. Guilherme Nobre L. do Nascimento revistadesafiosuft@gmail.com Open Journal Systems <p>Desafios é uma publicação científica trimestral da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Federal do Tocantins, dirigida à produção acadêmica interdisciplinar com interesse nas áreas de: Ciências Humanas e Contemporaneidade; Saúde e Sociedade; Eduação; Ciência, Tecnologia e Ciências Agrárias. Recebe artigos em fluxo contínuo e trabalha com publicação no formato contínuo. ISSN -&nbsp;2359-3652</p> https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/desafios/article/view/8946 COVID-19 2020-04-24T13:23:31-03:00 Luis Eduardo Bovolato reitoria@uft.edu.br Ana Lucia de Medeiros vicereitoria@uft.edu.br Raphael Sanzio Pimenta biorapha@yahoo.com.br 2020-04-22T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Luis Eduardo Bovolato, Ana Lucia de Medeiros, Raphael Sanzio Pimenta https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/desafios/article/view/8863 GESTÃO DA INFORMAÇÃO EM TEMPOS DE CRISE: A EXPERIÊNCIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS NA PANDEMIA COVID-19 2020-04-24T13:22:19-03:00 Kléber Abreu Sousa kleberabreu@uft.edu.br André Massa klebersect@gmail.com Clarete De Itoz clarete@uft.edu.br Débora de Oliveira Souza deb.sec@gmail.com Marcia Thiely de Macedo marcia.thiely@uft.edu.br <p>Qualquer situação, diferente do comum, que afete ou ameace afetar negativamente as Instituições, seja sua função, sua finalidade, suas atividades, sua estabilidade e sua imagem, deve ser tratada como crise ou crise em potencial. As ações de comunicação em situações de crise além de preservar a imagem e a reputação da Instituição, não devem ignorar ou menosprezar, nestas circunstâncias, sua finalidade principal de atender ao interesse público. No ambiente universitário, local reconhecido como ambiente de forte contestação, reflexão e análise da realidade, faz-se ainda mais necessária a utilização das plataformas de conteúdo disponíveis, com o propósito de esclarecer e comunicar à comunidade as informações relevantes em tempos de crise. Dentro desse contexto, questiona-se: qual o efetivo alcance das informações que são produzidas nas plataformas de conteúdo das Universidades sobre a comunidade, em tempos de crise? Esta pesquisa revela a experiência da Universidade Federal do Tocantins - UFT na pandemia covid -19, no que tange à gestão das informações. À luz da pesquisa exploratória, o estudo concluiu que a gestão integrada das plataformas de conteúdo institucionais precisa estar bem articulada e a mensuração do volume de publicações, bem como o alcance destas, precisa ser continuamente monitorado, sobretudo, em tempos de crise.</p> 2020-04-22T11:09:17-03:00 Copyright (c) 2020 Kléber Abreu Sousa, André Massa, Clarete De Itoz, Débora de Oliveira Souza, Marcia Thiely de Macedo https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/desafios/article/view/8859 SARS-COV-2 - ASPECTOS RELACIONADOS A BIOLOGIA, PROPAGAÇÃO E TRANSMISSÃO DA DOENÇA EMERGENTE COVID-19 2020-04-24T13:24:38-03:00 Eskálath Morganna Silva Ferreira morganna_ferreira@hotmail.com Breno Gomes de Souza brenogomesgs@gmail.com Pedro Wallace Paiva Silva pedrowpsi@gmail.com Wilson Lopes Miranda mirandalopeswilson@gmail.com Raphael Sanzio Pimenta biorapha@yahoo.com.br Juliana Fonseca Moreira Silva julianafmsilva@uft.edu.br <p>Os Coronavírus pertencem a um grupo taxonômico de vírus que causam infecções respiratórias e podem acometer humanos e outros animais. No final de 2019, uma nova espécie de coronavírus foi identificada como a causa de um conjunto de casos de pneumonia em Wuhan, uma cidade na província de Hubei, na China. O vírus se espalhou rapidamente, resultando em uma epidemia em todo o país, seguido por um número crescente de casos em outros países do mundo. Em fevereiro de 2020, a Organização Mundial da Saúde designou a doença COVID-19, que significa doença de coronavírus 2019. O vírus que causa o COVID-19 é designado por coronavírus 2 ou vírus da síndrome respiratória aguda grave 2 (SARS-CoV-2). Pacientes infectados por esse vírus podem desenvolver desconforto respiratório agudo e alta probabilidade de internação em terapia intensiva, podendo evoluir para o óbito. Baseado no exposto o objetivo desse estudo foi promover a descrição da biologia do vírus (SARS-CoV-2), as formas de propagação e transmissão, além do processo de patogênese através de uma revisão literária sistemática.</p> 2020-04-22T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Eskálath Morganna Silva Ferreira, Breno Gomes de Souza, Pedro Wallace Paiva Silva, Wilson Lopes Miranda, Raphael Sanzio Pimenta, Juliana Fonseca Moreira Silva https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/desafios/article/view/8710 EPIDEMIOLOGIA DO SURTO DE DOENÇA POR CORONAVÍRUS (COVID-19) 2020-04-24T13:21:42-03:00 Raimundo Gonçalves Ferreira Netto netto.zootec@gmail.com José Wilson do Nascimento Corrêa jwcorrea@ufam.edu.br <p>Desde os relatos vindos da China de pneumonia de origem não conhecida, passando pela identificação do novo coronavírus SARS-Cov-2 como agente causador da doença COVID-19, o mundo enfrenta grandes desafios para conter seu avanço e elucidar seu tratamento. O vírus é capaz de ser transmitido de pessoa a pessoa por gotículas originárias de nariz e boca de pacientes infectados ou por contato com superfícies contaminadas. Os sintomas da infecção podem evoluir de tosse, febre e congestão nasal à pneumonia grave. Parcela de indivíduos infectados pode permanecer assintomática e contribuir com propagação do vírus, especialmente para idosos e indivíduos com outras comorbidades que são mais susceptíveis às manifestações graves da doença. O número de novos casos confirmados está em uma crescente, o que reforça a necessidade de manutenção de medidas sanitárias. As projeções para novos casos e, em especial, para o número de mortes causadas por formas graves de COVID-19 para o Brasil são preocupantes e variam de 44.000 a aproximadamente 1.100.000 mil mortes, a depender das medidas tomadas. Este artigo revisa este cenário e relata as estratégias recomendadas pela OMS aos países. Particularmente, discute a cronologia e o cenário atual da COVID-19 no Brasil.</p> <p><strong>Palavras-chave:</strong> Epidemiologia, COVID-19, SARS-Cov-2</p> <p>&nbsp;</p> 2020-04-22T12:02:14-03:00 Copyright (c) 2020 Raimundo Gonçalves Ferreira Netto, José Wilson do Nascimento Corrêa https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/desafios/article/view/8771 SEGURANÇA DOS ALIMENTOS NO CONTEXTO DA PANDEMIA POR SARS-COV-2 2020-04-24T13:21:10-03:00 Hermanny Matos Silva Sousa hermanny_97@hotmail.com Andréia Ibiapina ibiapinaandreia@gmail.com Adriene Ribeiro Lima adrienelima@id.uff.br Glêndara Aparecida de Souza Martins glendarasouza@mail.uft.edu.br <p>O mundo está enfrentando uma pandemia que teve como epicentro a cidade de Wuhan, na China, e se espalhou pelo mundo todo. Vários países estão em estado de alerta por se tratar de uma pandemia causada por um vírus com causas e consequências ainda desconhecidas. O vírus é o SARS-CoV2, da família <em>Coronaviridae</em>, onde o SARS-CoV, já ocasionou uma pandemia em 2003, deixando mais de 700 mortos ao redor do mundo. O novo coronavírus, causador da doença denominada COVID-19, afeta principalmente o sistema respiratório e tem uma taxa de transmissão muito alta. Alguns pacientes podem ser assintomáticos, culminando numa alta capacidade de transmissão. Dados científicos comprovam que esse vírus permanece em atividade durante horas, em alguns materiais, trazendo preocupação com a segurança dos alimentos e o questionamento quanto ao contágio através da alimentação. Por isso, é necessário o cuidado na manutenção e higienização das instalações, equipamentos e utensílios, atendendo às Boas Práticas para garantir a segurança sanitária dos alimentos.</p> 2020-04-22T12:19:13-03:00 Copyright (c) 2020 Hermanny Matos Silva Sousa, Andréia Ibiapina, Adriene Ribeiro Lima, Glêndara Aparecida de Souza Martins https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/desafios/article/view/8952 PARTICULARIDADES DA INFECÇÃO POR DIFERENTES ESTIRPES DE CORONAVIRUS EM ANIMAIS DOMÉSTICOS E DE PRODUÇÃO 2020-04-24T13:20:38-03:00 Katarina Mirna Marinho Tenório Rodrigues katmirnatr@gmail.com Adryano Augustto Valadão de Carvalho adryano.carvalho@ufob.edu.br Alberto Corrêa Mendonça albertoanatomia@hotmail.com Pablinny Moreira Galdino de Carvalho pablinny.carvalho@ufob.edu.br André Carloto Vielmo andrevielmo@gmail.com <p>Infecções por COVID-19 estão difundidas mundialmente e pesquisadores de todo o mundo buscam elucidar a forma de transmissão, controle, severidade dos casos como também o papel dos animais neste cenário. Sabendo que os animais podem ser contaminados por Coronavirus que causam doenças espécie específica. Porém alguns casos isolados de COVID-19 foram confirmados em alguns animais (cães e felinos), e pessoas que possuem animais domésticos temem pela contaminação. Sabe-se que a transmissão é de humano a humano, e que os animais podem ser contaminados pelo contato com pessoas. Nesta revisão apresentamos o papel dos animais na infecção.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Palavras-chave:</strong> Coronavirus; animais, COVID-19</p> 2020-04-22T12:32:29-03:00 Copyright (c) 2020 Katarina Mirna Marinho Tenório Rodrigues, Adryano Augustto Valadão de Carvalho, Alberto Corrêa Mendonça, Pablinny Moreira Galdino de Carvalho, André Carloto Vielmo https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/desafios/article/view/8779 COVID-19, ANÁLISE DAS ESTRATÉGIAS DE PREVENÇÃO, CUIDADOS E COMPLICAÇÕES SINTOMÁTICAS 2020-04-24T13:26:08-03:00 Anderson Barbosa Baptista andersonbb@uft.edu.br Leonardo Vieira Fernandes leonardofernandes@ufg.br <p>O vírus SARS-CoV-2, surgiu no final de 2019 em Wuhan, na China, provocando a Covid-19, sendo decretada uma pandemia em março de 2020 pela OMS. Possui alta transmissibilidade, podendo produzir complicações sintomáticas para idosos e portadores de comorbidades. Medidas de isolamento social e antissepsia são elementos chave para contenção do vírus.&nbsp; Objetivou-se nesse estudo uma revisão da literatura referente à Covid-19 e sua relação com pneumonia, sua prevenção e impactos na saúde pública. Foi realizada busca nas bases de dados PubMed, Bireme, Scielo, Portal da Capes e revistas especializadas. Novas doenças geram muitos desafios pela imprecisão de conhecimentos quanto a transmissão, a gravidade, o diagnóstico e o tratamento. O paciente com COVID-19 pode apresentar sintomas como: tosse seca, febre, dor de garganta, dor no corpo e complicações como: pneumonia, dispneia e necessidade de ventilação mecânica. O diagnóstico é realizado por meio de sorologia e/ou RT-PCR. Para diminuir a transmissão do vírus as estratégias estão centradas em medidas como antissepsia das mãos, do ambiente e no isolamento social, que leva ao fechamento de escolas e comércio. No Brasil, o sistema de saúde não comporta um rápido aumento do número de casos. O sistema entraria em colapso. Muitas mortes poderiam ocorrer sem as medidas de isolamento e prevenção. É o momento de atuação na divulgação de conhecimento em saúde para a população, para que a pandemia que chega ao país seja mitigada. Fica também evidente a necessidade de estruturação do sistema de saúde para o enfrentamento de desastres.</p> 2020-04-22T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Anderson Barbosa Baptista, Leonardo Vieira Fernandes https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/desafios/article/view/8943 ASSISTÊNCIA ÀS GESTANTES E RECÉM-NASCIDOS NO CONTEXTO DA INFECÇÃO COVID-19: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA 2020-04-24T13:24:07-03:00 Giuliana Rondelli gphrondelli@hotmail.com Danúbia Jardim danubia.barbosaj@gmail.com Graziela Hamad grazielahamad@gmail.com Erika Luna erikalgluna@gmail.com Wilson Marinho wilsonjr.net@gmail.com Larissa Mendes larissa.mendesloures@gmail.com Kleyde Souza venturakleyde@gmail.com Lúcia Gratão luciagratao@gmail.com <p>A infecção por SARS-CoV-2 tem direcionado a atenção de pesquisadores para a criação de estratégias de prevenção e gestão clínica da infecção COVID-19. Alguns grupos populacionais devem ser priorizados como as gestantes e os recém-nascidos. Assim, foi realizada uma revisão sistemática de estudos observacionais e documentos oficiais a fim de explorar e sintetizar evidências e recomendações sobre a atenção e o manejo de gestantes e recém-nascidos suspeitos ou confirmados com a infecção. Utilizou-se a base de dados PubMed, a biblioteca virtual Scielo, as plataformas de sociedades científicas e sites governamentais. Foram incluídas 33 referências organizadas em: atenção à saúde das gestantes com suspeita ou diagnóstico de infecção por SARS-CoV-2: epidemiologia e caracterização, cuidado pré-natal e realização de procedimentos eletivos, recomendações quanto via de nascimento, orientações para a admissão, trabalho de parto/parto e puerpério, agentes farmacológicos e monitoração; e manejo de recém-nascidos filhos de mulheres com diagnóstico de infecção COVID-19: epidemiologia e caracterização de recém-nascidos, risco de infecção por transmissão vertical e no pós parto,&nbsp; amamentação e manejo dos cuidados com recém-nascidos. As recomendações contidas no artigo são passíveis de mudanças diante das novas descobertas sobre o comportamento e repercussões da doença em gestantes, puérperas e recém-nascidos.</p> <p><strong>Palavras-chave: </strong>COVID-19; recém-nascidos; gestantes.</p> 2020-04-22T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Giuliana Rondelli, Danúbia Jardim, Graziela Hamad, Erika Luna, Wilson Marinho, Larissa Mendes , Kleyde Souza, Lúcia Gratão https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/desafios/article/view/8816 O NOVO CORONAVÍRUS E OS IMPACTOS PSICOLÓGICOS DA QUARENTENA 2020-04-24T13:25:38-03:00 Cristina Silvana da Silva Vasconcelos cristinassvasconcelos@gmail.com Izabella de Oliveira Feitosa izabellafeitosa92@gmail.com Plácido Lucio Rodrigues Medrado placido.medrado01@gmail.com Ana Paula Barbosa de Brito dranapaulabarbosa@gmail.com <p>O ano de 2020 começou com a notícia do surgimento em dezembro de 2019 na cidade chinesa de Wuhan de um novo coronavírus causador da Covid-19, uma doença altamente transmissível e em alguns casos letais. A pandemia do novo coronavírus trouxe efeitos sociais, econômicos e psicológicos em todo o mundo. Diante disso, especialistas recomendaram a quarentena como principal forma de impedir a propagação do vírus. Apesar de serem medidas necessárias deve-se levar em consideração a saúde mental das pessoas submetidas a esse período. Este estudo tem como objetivo realizar uma análise crítica sobre os efeitos da quarentena e propor estratégias para enfrentá-la, além de minimizar seus efeitos. Trata-se de uma revisão narrativa de artigos publicados entre os anos 2018 e 2020, nas plataformas Biblioteca Virtual em Saúde, <em>PubMed</em> e no Google Acadêmico. Os achados apontam que a quarentena pode desencadear sintomas psicológicos, sendo os sintomas mais comuns ansiedade, tristeza e raiva, podendo ser pontuais ou se estenderem após o término do isolamento. Contudo, existem estratégias quando adotadas em conjunto, podem minimizar os efeitos psicológicos do isolamento e fazer desse momento menos adoecedor.&nbsp;</p> <p><strong>Palavras chave: </strong>coronavírus, quarentena, saúde mental.</p> 2020-04-22T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Cristina Silvana da Silva Vasconcelos, Izabella de Oliveira Feitosa, Plácido Lucio Rodrigues Medrado, Ana Paula Barbosa de Brito https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/desafios/article/view/8983 ATUALIDADES DA FARMACOTERAPIA DA COVID-19 2020-04-24T13:22:54-03:00 Djane Braz Duarte djane@unb.br Larissa Jorge Coelho larissajcnutri@gmail.com Guilherme Nobre L. do Nascimento guilherme.nobre@uft.edu.br <p>Em dezembro de 2019 foi anunciado o aparecimento de um novo coronavírus, denominado de SARS-CoV-2, responsável por uma pandemia decretada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em março de 2020. Além da busca por novas moléculas, diferentes fármacos que já estavam em estudos para outras infecções passaram a ser avaliados como alternativa terapêutica para este novo vírus. As pesquisas clínicas atuais compreendem o uso de fármacos anti-maláricos, antivirais, antiparasitários e imunomoduladores. Portanto, o objetivo deste trabalho é discutir fármacos disponíveis para um possível tratamento da COVID-19.</p> 2020-04-22T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Djane Braz Duarte https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/desafios/article/view/8825 SUPLEMENTAÇÃO E ALIMENTAÇÃO ADEQUADA NO CONTEXTO ATUAL DA PANDEMIA CAUSADA PELA COVID-19 2020-04-24T13:25:08-03:00 Bárbara Paixão de Gois paixao.barbara@gmail.com Araída Dias Pereira araida@uft.edu.br Karem Lays Soares Lopes karemlays0109@gmail.com Flávia Campos Corgosinho flaviacorgosinho@hotmail.com <p>O surto do coronavírus foi classificado pela Organização Mundial da Saúde, como pandemia. Desde então, o assunto vem sendo abordado de forma exaustiva nas redes sociais e veículos de comunicação em massa. A importância de uma alimentação balanceada e rica em nutrientes, além de enfatizar que não existem superalimentos, fórmulas, “shots”, sucos ou soroterapias por infusão endovenosa de nutrientes, que sejam indicados para prevenir ou até mesmo tratar pessoas contaminadas pelo coronavírus, precisa ser reforçada. Esse artigo tem como objetivo informar os profissionais da saúde e população em geral, a cerca do papel da alimentação e da real necessidade do uso de suplementos alimentares nesse contexto. As informações utilizadas basearam-se nos conhecimentos já consolidados na literatura sobre nutrição, e em documentos científicos e oficiais até então divulgados.&nbsp; Alguns nutrientes como Vitamina A, D, C, Complexo B, Ferro, Zinco e Selênio podem atuar de maneira positiva no sistema imunológico, no entanto, uma alimentação balanceada é capaz de fornecer esses nutrientes. Já o uso de suplementação para melhora da imunidade&nbsp; na prevenção e tratamento da COVID-19 não tem respaldo cientifico até o momento.</p> <p><strong>Palavras-chave:</strong> COVID-19, Alimentação saudável, Imunidade.&nbsp;</p> 2020-04-22T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Bárbara Paixão de Gois, Araída Dias Pereira , Karem Lays Soares Lopes, Flávia Campos Corgosinho https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/desafios/article/view/8848 IMUNOTERAPIAS NO TRATAMENTO DA COVID-19 2020-04-28T13:21:04-03:00 Beatriz Mella Soares Pessoa beatrizmellasp@gmail.com Cecília Tizatto Barroso cecilia.tizatto@gmail.com David José Conceição Vila davidfma92@gmail.com Emanuelly Maria Lima Barbosa emanuelly.limab@gmail.com Isabela de Araujo Seffair isabelaseffair@hotmail.com João Victor Oliveira de Melo jvictor71@yahoo.com.br Julia Neves Becil julianevesbecil@hotmail.com Natasha Maranhão Vieira Rodrigues natashamvr@gmail.com Pedro Henrique Aquino Gil de Freitas pedro.aquino.gil@outlook.com Rebeka Bustamante Rocha rebeka.bus@gmail.com Thainá Mendonça Bentes thainambentes@gmail.com Thaise Farias Rodrigues thaisefr7@gmail.com Maria Cristina Dos-Santos mcsantos@ufam.edu.br Antonio Luiz Boechat alboechat@ufam.edu.br <p>A COVID-19 é uma doença causada pelo novo coronavírus e se tornou-se ameaça mundial pouco tempo após seu surgimento na cidade chinesa de Wuhan. Desde Dezembro de 2019, diversas pesquisas estão sendo realizadas com o propósito de conter a disseminação do vírus e de se obter medidas de tratamento úteis no combate à pandemia. Com isso, o presente estudo volta-se para a análise das novas metodologias de caráter terapêutico que estão sendo desenvolvidas mundialmente para o tratamento e prevenção da COVID-19. A presente revisão bibliográfica foi realizada com os dados obtidos nas seguintes bases: SciELO, Medline, Scopus,&nbsp; Up-to-Date, dentre outros recursos atuais e relevantes para a temática, que foram publicados no primeiro trimestre do ano de 2020. Com esta abordagem foram identificadas diversas abordagens de tratamento ainda em desenvolvimento, com diferentes modelos, bem como mecanismo de ação de novas medidas terapêuticas e de imunização, sobretudo, as que utilizam soro, imunoglobulinas, anticorpos monoclonais, plasma de pacientes convalescentes e vacinas. O sistema de saúde mundial urge pela criação de uma vacina capaz de estabelecer a memória imunológica na população. Novos estudos mostram-se promissores em relação a essa criação, todavia, as medidas profiláticas permanecem como prioridade máxima e indispensáveis.&nbsp;</p> 2020-04-27T22:34:38-03:00 Copyright (c) 2020 Beatriz Mella Soares Pessoa, Cecília Tizatto Barroso, David José Conceição Vila, Emanuelly Maria Lima Barbosa, Isabela de Araujo Seffair, João Victor Oliveira de Melo, Julia Neves Becil, Natasha Maranhão Vieira Rodrigues, Pedro Henrique Aquino Gil de Freitas, Rebeka Bustamante Rocha, Thainá Mendonça Bentes, Thaise Farias Rodrigues, Maria Cristina Dos-Santos, Antonio Luiz Boechat