https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/desafios/issue/feed DESAFIOS - Revista Interdisciplinar da Universidade Federal do Tocantins 2019-05-26T16:23:08-03:00 Dr. Guilherme Nobre L. do Nascimento revistadesafiosuft@gmail.com Open Journal Systems <p>Desafios é uma publicação científica trimestral da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Federal do Tocantins, dirigida à produção acadêmica interdisciplinar com interesse nas áreas de: Ciências Humanas e Contemporaneidade; Saúde e Sociedade; Eduação; Ciência, Tecnologia e Ciências Agrárias. Recebe artigos em fluxo contínuo e trabalha com publicação no formato contínuo. ISSN -&nbsp;2359-3652</p> https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/desafios/article/view/5836 DESCRIÇÃO DO PERFIL PROTEÔMICO DO PLASMA SEMINAL DE ASININOS DA RAÇA PÊGA 2019-05-26T16:23:08-03:00 Laís Ângelo de Abreu laisangeloabreu@hotmail.com Pedro de Almeida Rezende Fumagalli pedro.rezende.vet@gmail.com Arabela Guedes de Azevedo Viana arabelagav@gmail.com Thiago Victor Damasceno Teixeira thiagovictor.teixeira@hotmail.com Antônio Carlos de Albuquerque Teles Filho antoniocarloslab@gmail.com Fábio Roger Vasconcelos fr.vasconcelos@yahoo.com.br Luciano Fernandes Sousa luciano.sousa@mail.uft.edu.br Sandro Estevan Moron sandromoron@mail.uft.edu.br Arlindo de Alencar Araripe Moura arlindo.moura@gmail.com Márcio Gianordoli Teixeira Gomes marciogomes@uft.edu.br <p>A ausência da categoria asinina nas normas técnicas de avaliação seminal promove a necessidade de informações reprodutivas desta espécie. Objetivou-se descrever o perfil proteômico do plasma seminal de jumentos da raça Pêga (Equus asinus). Utilizaram-se seis animais púberes, com peso 239±32,6 Kg e circunferência escrotal de 36,8±6,9 cm, criados em mesma propriedade no estado do Tocantins, Brasil. Foi realizada eletroforese unidimensional, utilizando 12,5% de acrilamida e 30μg de proteína. As bandas foram descoradas e digeridas com tripsina para análise em espectrômetro de massa ESI-Q-TOF. Através de bioinformática, pelo banco de dados UniProtKB, as proteínas foram identificadas. Os termos da ontologia genética foram obtidos a partir do software STRAP®. A média da concentração proteica do plasma seminal foi 23,6±12,6 μg/μL. Foram detectadas pelo menos 26 bandas por animal (QuantityOne®). Um total de 19 bandas e 52 proteínas, com pesos entre 9,51 e 155,9 kDa, foram identificadas pela espectrometria. Os processos biológicos mais relevantes ligados às proteínas identificadas foram a regulação (24%) e processo celular (22%). As funções moleculares das proteínas foram descritas como ligação (42%) e atividade catalítica (31%). Em conclusão, a existência da descrição do padrão eletroforético destas proteínas plasmáticas seminais contribuirão com a construção de parâmetros para fertilidade.<br>Palavras-chave: Proteômica, eletroforese, sêmen.</p> 2019-04-28T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/desafios/article/view/6065 DIAGNÓSTICO TECNOLÓGICO DE PRODUÇÃO DA CAPRINOVINOCULTURA NO MUNICÍPIO DE TAUÁ – CE 2019-05-26T16:23:07-03:00 Hellen Christina de Almeida Kato hellen.almeida@embrapa.br Ernandes Barbosa Belchior ernandes.belchior@embrapa.br Diego Neves de Sousa diegocoop@hotmail.com Octávio Rossi de Morais octavio.morais@embrapa.br <p>Este artigo tem como objetivo descrever o manejo e as tecnologias de produção adotadas pela Embrapa no município de Tauá – CE, que receberá a unidade piloto de desenvolvimento da ovinocultura de corte do programa Rota do Cordeiro (Ministério da Integração). Para isto, realizou-se a aplicação de questionários estruturados em 336 propriedades rurais, abordando problemas de forma quantitativa. Estatísticas descritivas foram usadas na análise dos dados, com o uso do pacote estatístico SPSS, em especial o cálculo de médias e frequências. Foi possível identificar que a maioria dos entrevistados possui uma boa estrutura nas instalações, incluindo área de manejo, cochos, saleiros, bebedores e balanças. Entre a ferramenta disponível para anotações zootécnicas muitos responderam que utiliza cadernos, ficha específica e computador. Concluímos que o produtor do município de Tauá – CE possui um manejo adequado, contudo, se reconhece que a competitividade de um produtor rural é determinada por vantagens comparativas relacionando a fatores dentro da propriedade nas quais se destacam: a gestão, manejo, tecnologias adotados no manejo e mão de obra.</p> 2019-04-28T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/desafios/article/view/6782 AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE JABUTICABAS (CV. SABARÁ), SUBMETIDAS AO ARMAZENAMENTO REFRIGERADO E ACONDICIONADAS EM DIFERENTES EMBALAGENS 2019-05-26T16:23:05-03:00 Cristiane Maria Ascari Morgado cristianemorgado4@yahoo.com.br Bruna Ariel Dias Guariglia revista@uft.edu.br Marcos José Trevisan revista@uft.edu.br Rafaela Vieira Façanha revista@uft.edu.br Angelo Pedro Jacomino revista@uft.edu.br Gilmarcos de Carvalho Corrêa gilmarcoscorrea@gmail.com Luis Carlos Cunha Junior cunhajunior.l.c@gmail.com <p>A jabuticaba [<em>Myrciaria jaboticaba</em> (Vell) Berg] ‘Sabara’ é um fruto muito apreciado in natura, pelo seu sabor adocicado, porém é extremamente perecível. O objetivo deste trabalho foi avaliar embalagens para a conservação dos frutos sob refrigeração. Os frutos foram colhidos no ponto de consumo, lavados, higienizados, acondicionados nas embalagens PET com tampa Neoform N-90©; PVC 12 micras; PD- 900®; PEBD 15 micras; PP 10 micras; Controle (sem embalagem) e armazenados em câmara fria a 12º  1ºC e 85  5%UR. As embalagens reduziram a perda de massa e mantiveram a firmeza das jabuticabas. O filme de PVC proporcionou melhor conservação de ácido ascórbico e luminosidade dos frutos. A atmosfera passiva no interior das embalagens PEBD e PP apresentaram as maiores concentrações de CO2 e menores de O2 do que as outras embalagens, afetando de maneira negativa a conservação das jabuticabas. A embalagem PVC de 12 micras, associada à refrigeração apresentou bons resultados para conservação das jabuticabas ‘Sabará’.</p> <p><strong>Palavras-chave:</strong> <em>Myrciaria jaboticaba</em> (Vell) Berg, embalagem, refrigeração.</p> 2019-04-28T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/desafios/article/view/6732 ESTUDO DA PREVALÊNCIA DE AFECÇÕES ORAIS EM EQUÍDEOS DE ARAGUAÍNA, TOCANTINS 2019-05-26T16:23:06-03:00 Marco Augusto Giannoccaro Silva marcogiannoccaro@uft.edu.br Haiane Arruda Luz Amorim haiane14@hotmail.com Claudia Acosta Duarte caduarte74@gmail.com <p>Desde a domesticação, os equinos são empregados no esporte, trabalho e lazer. Para tanto, diferentes dietas foram formuladas e a utilização de embocadura para controle dos animais se fez necessária. Isso, contudo, pode induzir alterações intraorais que, além de promoverem sinais clínicos diversos, prejudicam o consumo de alimentos e o rendimento atlético. Objetivou-se com esse estudo determinar a prevalência de alterações intraorais em equinos de Araguaína, Tocantins. Foram avaliados 72 equinos por meio de exame físico geral e avaliação intraoral com espéculo. Todos os animais avaliados (100%) apresentaram algum tipo de patologia oral. A principal alteração encontrada foi a ponta excessiva de esmalte dentário (100%), seguida do cálculo dentário (59,46%) e dos ganchos (35,13%). Lesões em língua (32,43%) e presença de “dentes de lobo” (33,78%) também foram identificados e estes podem interferir no bem-estar animal, na mastigação e no rendimento atlético. Concluiu-se que os equinos de Araguaína possuem alterações intraorais importantes e que a avaliação oral periódica deve ser inserida nas propriedades, favorecendo a saúde animal e o desempenho satisfatório.</p> 2019-04-28T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/desafios/article/view/6795 Normas e instruções para Autores 2019-04-28T00:58:49-03:00 Revista Desafios revistadesafiosuft@gmail.com 2019-04-28T00:58:49-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/desafios/article/view/6796 Política Editorial 2019-04-28T01:04:48-03:00 Revista Desafios revistadesafiosuft@gmail.com 2019-04-28T01:04:48-03:00 ##submission.copyrightStatement##