Saberes, Produção Associada e bem viver: A Festa de Troca de Sementes Crioulas em comunidades tradicionais camponesas da baixada cuiabana - MT

  • Cristiano Apolucena Cabral Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT
  • Luana da Cruz Burema Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT
  • Edson Caetano Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT

Resumo

Este texto tem como objetivo apresentar uma breve discussão acerca da existência da produção associada e agroecológica, da singular cultura do trabalho e da vivência de alguns princípios do Bem-Viver, que dão fundamento histórico para a instituição da 'Festa de troca de sementes crioulas', nas comunidades tradicionais camponesas da baixada cuiabana. Temática essa que vem sendo discutida pelo Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Trabalho e Educação (GEPTE) do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Trata-se de uma pesquisa teórica e de campo sobre o assunto em questão com análises, rodas de conversas e entrevistas.

Palavras-chave: Comunidade Tradicional Camponesa, Produção Associada, Sementes Crioulas, Solidariedade.

 

Knowledge, Associated Production and buen vivir: The Creole Seed Exchange Festival in traditional peasant communities in the Baixada Cuiabana - MT                                      

ABSTRACT. This text aims to present a brief discussion about the existence of the associated production and agro, the unique culture of work and experience of some principles of Bem-Viver, which give the historical basis for the imposition of 'Feast of exchange of seeds crioulas' in traditional communities peasants from cuiabana. This issue is being discussed by the Group of Studies and Research on Work and Education (GEPTE) of the Graduate Program in Education (PPGE) of the Federal University of Mato Grosso (UFMT). It is a theoretical research and field on the matter concerned with analysis, wheels of conversations and interviews.

Keywords: Peasant Traditional Community, Associated Production, Creole Seeds, Solidarity.

 

Saber, Producción Asociada y buen vivir: El festival de Intercambio de Semillas Criollas en comunidades campesinas tradicionales en la Baixada Cuiabana - MT

RESUMEN. Este texto tiene como objetivo presentar una breve discusión sobre la existencia de producción asociada y agroecológica, la cultura de trabajo única y la experiencia de algunos principios de Well-Living, que dan una base histórica para la institución del 'Seed Exchange Party'. Criollo ', en las comunidades campesinas tradicionales de la Baixada Cuiabana. Este tema ha sido discutido por el Grupo de Estudio e Investigación sobre Trabajo y Educación (GEPTE) del Programa de Posgrado en Educación (PPGE) de la Universidad Federal de Mato Grosso (UFMT). Esta es una investigación teórica y de campo sobre el tema en cuestión con análisis, ruedas de conversación y entrevistas.

Palabras clave: Comunidad Campesina Tradicional, Producción Asociada, Semillas Criollas, Solidaridad.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristiano Apolucena Cabral, Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT

Graduado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (2004); Especialista em Sociologia e Educação pelo Instituto Aphonsiano De Ensino Superior (2009). Mestre em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso (2014). Doutorando em Educação Universidade Federal de Mato Grosso. Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Trabalho e Educação (GEPTE-UFMT).

Luana da Cruz Burema, Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT

Mestranda em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Mato Grosso (2015). Especialização em Atendimento Educacional Especializado (AEE) pela Faculdade Afirmativo (2017). Professora efetiva da Secretaria Municipal de Cuiabá desde maio de 2016, e assessora técnica do Conselho Municipal de Educação de Cuiabá. Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Trabalho e Educação (GEPTE-UFMT).

Edson Caetano, Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT

Graduação em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1991). Mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (1996). Doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2001). Atualmente é Professor Associado da Universidade Federal de Mato Grosso; Instituto de Educação, Departamento de Teoria e Fundamentos da Educação. Atua no curso de Graduação em Pedagogia e no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Trabalho e Educação (GEPTE-UFMT).

Referências

Acosta, A. (2016). O bem viver: uma oportunidade para imaginar outros mundos. s/l: Elefante.

Altieri, M. (2012). Agroecologia: bases científicas para uma agricultura sustentável. SP: Expressão Popular.

Brandão, C. R. (1985). A educação como cultura. SP: Editora Brasiliense.

Brandão, C. R. (1984). Saber e ensinar. Campinas: Papirus.

Brandão, C. R. (2007). O que é educação. SP: Brasiliense.

Cabral, C. (2017). O lucro ou as pessoas: a institucionalização do extermínio no campo em função do desenvolvimento do agronegócio. In Werner, I., Guimarães, M., & Witter, T. (Orgs.). Relatório Estadual de Direitos Humanos e da Terra - Mato Grosso - Brasil (pp. 145-149). Cuiabá: Associação Antônio Vieira.

Canuto, A. (2012). Comissão Pastoral da Terra (CPT). In Caldart, R., Pereira, I., Alentejano, P., & Frigotto, G. (Orgs.). Dicionário da educação do campo (pp. 128-133). SP: Expressão Popular.

Castro, J. (1960). O livro negro da fome. SP: Brasiliense.

Chayanov, A. V. (1974). La organizacion de launidad económica campesina. Bueno Aires, Argentina, Ediciones Nueva Vision.

Delgado, G. (1985). Capital financeiro e a agricultura no Brasil. SP: Unicamp.

Diegues, A. C. (1996). O mito da natureza intocada. SP: Hucitec.

Diegues, A. C., & Viana, V. M. (2004). Comunidades tradicionais e manejo dos recursos naturais da Mata Atlântica. SP: Hucitec.

Esteve, E. V. (2017). O negócio da comida: quem controla nossa alimentação? SP: Expressão Popular.

Fernandes, F. (1978). Fundamentos empíricos da explicação sociológica. RJ: Livros técnicos e científicos.

Gadotti, M. (2010). Pedagogia da práxis. SP: Cortez.

Gruppi, L. (1978). O conceito de hegemonia em Gramsci. RJ: Graal.

Harnecker, M. (1973). Os conceitos elementais do materialismo histórico. s/l: s/e.

Kosik, K. (1976). Dialética do concreto. RJ: Paz e Terra.

Luxemburgo, R. (1985). A acumulação do capital. SP: Nova Cultura.

Lukács, G. (2013). Para uma ontologia do ser social II. SP: Boitempo.

Marx, K. (1988). O capital. Crítica da economia política. Livro 1 - O processo de produção do capital. Volume 1. RJ: Bertrand.

Marx, K. (2008). O capital. Crítica da economia política. Livro 3 - O processo global de produção capitalista. Volume VI. RJ: Civilização Brasileira.

Marx, K. (1980). O capital. Crítica da economia política. Livro 1 - O processo de produção do capital. Volume 2. RJ: Civilização Brasileira.

Palenzuela, P. (1995). Las culturas del trabajo: una aproximácion antropológica. Sociología del trabajo, 24, 3-28.

Palenzuela, P. (2014). Culturas del trabajo e identidad local: pescadores y mineros en Quebec. Sociología del Trabajo, 81, 68-89.

Ploeg, J. D. V. D. (2016). Camponeses e a arte da agricultura. SP: Editora Unesp.

Stedile, J. P., & Carvalho, H. M. Soberania alimentar. (2012). In Caldart, R., Pereira, I., Alentejano, P., & Frigotto, G. (Orgs.). Dicionário da educação do campo (pp. 714-723). SP: Expressão Popular.

Thompson, E. P. (1998). Costumes em comum: estudos sobre a cultura popular tradicional. São Paulo: Companhia das Letras.

Tiriba, L. (2008). Cultura do trabalho, autogestão e formação de trabalhadores associados: questão de pesquisa. Perspectiva, 26(1), 69-94. https://doi.org/10.5007/2175-795x.2008v26n1p69

Tiriba, L., & Fischer, Maria C. B. (2012). Produção associada e autogestão. In Caldart, R., Pereira, I., Alentejano, P., & Frigotto, G. (Org.). Dicionário da educação do campo (pp. 612-618). SP: Expressão Popular.

Toledo, V., M., & Barrera-Bassols, N. (2015). A memória biocultural. A importância ecológica das sabedorias tradicionais. SP: Expressão Popular.

Ziegler, J. (2013). Destruição em massa. Geopolítica da fome. SP: Cortez.

Publicado
2020-05-29
Como Citar
Cabral, C. A., da Cruz Burema, L., & Caetano, E. (2020). Saberes, Produção Associada e bem viver: A Festa de Troca de Sementes Crioulas em comunidades tradicionais camponesas da baixada cuiabana - MT. Revista Brasileira De Educação Do Campo, 5, e7672. https://doi.org/10.20873/uft.rbec.e7672
Seção
Artigos / Articles / Artículos