Currículo e Pedagogia da Alternância: a experiência da Escola da Floresta em Rio Branco, Acre

  • Letícia Mendonça Lopes Ribeiro Universidade Federal do Acre - UFAC
  • Adriana Ramos dos Santos Universidade Federal do Acre - UFAC

Resumo

Busca-se apresentar a experiência da Pedagogia da Alternância em Centros de Educação Profissional Técnica de nível médio, com destaque para a história e as práticas curriculares do “Centro de Formação Profissional e Tecnológica Roberval Cardoso”, mais conhecida como “Escola da Floresta”, em Rio Branco, Acre. Optou-se por uma breve revisão da literatura com passagens históricas da constituição da Escola da Floresta (Peneireiro, 2013; Montysuma, 2017) e questões sobre o currículo por competências na Pedagogia da Alternância, com ênfase à referida escola (Acre, 2011; 2012). Logo, a Escola da Floresta é reconhecida como uma instituição representativa do sistema de Alternância, fundamentada nos preceitos da sustentabilidade, da valorização amazônica e do uso adequado dos recursos florestais. Apesar de ter como pilar educativo o reconhecidamente neoliberal Currículo por Competências, o caso específico da Escola da Floresta consegue ser um exemplo bem sucedido da Pedagogia da Alternância e do exercício da dialogicidade entre as questões sociais e individuais que permeiam o contexto camponês, principalmente nas interações entre educandos e mediadores da aprendizagem. Conclui-se que é fundamental pensar (e possibilitar) a formação dos profissionais que trabalharão na floresta acreana em uma conjuntura que refuta a educação adestradora e urbanocêntrica e valoriza a identidade camponesa.

Palavras-chave: Escola da Floresta, Currículo, Pedagogia da Alternância.

 

Curriculum and Pedagogy of Alternation: an experience of the Forest School in Rio Branco, Acre

Abstract

The objective is to present the experience of the Alternation Pedagogy in Centers of Technical Vocational Education of secondary level, highlighting the history and the curricular practices of the “Roberval Cardoso Vocational and Technological Training Center”, the “Escola da Floresta”, in Rio Branco, Acre. A brief literature review was chosen with historical passages of the constitution of the Escola da Floresta (Peneireiro, 2013; Montysuma, 2017) and questions about the curriculum in Alternation Pedagogy, with emphasis on the referred school (Acre, 2011; 2012). The Escola da Floresta is recognized as an institution representative of the Alternation system, based on the precepts of sustainability, Amazonian valorization and the appropriate use of forest resources. Despite having as its educational pillar the neoliberal Curriculum for Skills, the specific case of Escola da Floresta manages to be a successful example of the Pedagogy of Alternation and the exercise of dialogue between social and individual issues that permeate the peasant context, especially in interactions, between learners and learning mediators. It is concluded that it is essential to think (and enable) the training of professionals who will work in the Acre forest in a conjuncture that refutes the training and urban-centric education and values ​​the peasant identity.

Keywords: Escola da Floresta, Curriculum, Pedagogy of Alternation.

 

Currículum y Pedagogía de la Alternancia: La experiencia de la Escuela de la Floresta en Rio Branco, Acre

RESUMEN

El objetivo es presentar la experiencia de la Pedagogía de Alternancia en Centros de Educación Técnica Profesional de nivel secundario, destacando la historia y las prácticas curriculares del "Centro de Formación Profesional y Tecnológica Roberval Cardoso", la "Escuela da Floresta", en Rio Branco, Acre. Se eligió una breve revisión de la literatura con pasajes históricos de la constitución de la Escuela da Floresta (Peneireiro, 2013; Montysuma, 2017) y preguntas sobre el plan de estudios en Pedagogía de Alternancia, con énfasis en esa escuela (Acre, 2011; 2012). La Escuela da Floresta es reconocida como una institución representativa del Alternancia, basada en los preceptos de sostenibilidad, la valorización amazónica y el uso apropiado de los recursos forestales. A pesar de tener como pilar educativo el Currículum para las Habilidades, el caso de la Escuela da Floresta se las arregla para ser un ejemplo exitoso de la Pedagogía de la Alternancia y el ejercicio del diálogo entre los problemas sociales e individuales que impregnan el contexto campesino. Se concluye que es esencial pensar (y permitir) la capacitación de profesionales que trabajarán en Acre, en una coyuntura que refuta la capacitación y la educación centrada en la ciudad y valora la identidad campesina.

Palabras clave: Escuela da Floresta, Currículum, Pedagogía de la Alternancia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Letícia Mendonça Lopes Ribeiro, Universidade Federal do Acre - UFAC

Letícia Mendonça Lopes Ribeiro é professora assistente Centro de Educação, Letras e Artes da Universidade Federal do Acre. Seus estudos e pesquisas têm ênfase em Educação Básica e Superior, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação do Campo; Formação e Profissão Docente; Trabalho Docente; Educação Inclusiva.

Adriana Ramos dos Santos, Universidade Federal do Acre - UFAC

Adriana Ramos dos Santos é professora adjunta Centro de Educação, Letras e Artes da Universidade Federal do Acre. Seus estudos e pesquisas têm ênfase em Educação Ambiental, Ensino de Ciências Educação do Campo, Formação e Prática Docente.

Referências

Acre. (2011). Instituto de Desenvolvimento da Educação Profissional Dom Moacyr Grechi. Projeto Político Pedagógico do Centro de Educação Profissional Escola da Floresta Roberval Cardoso. Rio Branco.

Acre. (2012). Instituto de Desenvolvimento da Educação Profissional Dom Moacyr Grechi. Plano de Curso Técnico de nível Médio em Florestas – Centro de Educação Profissional Escola da Floresta Roberval Cardoso. Rio Branco.

Bonavigo, L., & Caimi, F. E. (2018). A Pedagogia da Alternância no contexto da Educação do Campo: a experiência do Instituto Educar. Revista Brasileira De Educação do Campo, 3(1), 287-312. https://doi.org/10.20873/uft.2525-4863.2018v3n1p287. Recuperado de: https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/campo/article/view/4934/13051. Acesso em: 08 out. 2019.

Boschetti, L. P. Z. (2014). A pedagogia das competências: estudo de caso em um curso de tecnologia da UTFPR (Dissertação de Mestrado). Universidade Estadual Paulista, São Paulo. Recuperado de: https://www.marilia.unesp.br/Home/Pos-Graduacao/Educacao/Dissertacoes/Luis_Paulo_Boschetti_Dissertacao.pdf. Acesso em: 08 out. 2019.

Brasil. (2000). Ministério da Educação. Educação profissional: Referenciais Curriculares Nacionais para Educação Profissional de Nível Técnico. Brasília: MEC. Recuperado de: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/introduc.pdf. Acesso em: 10 jul. 2019.

Brasil. (2016). Ministério do Desenvolvimento Agrário. Manual de Operações – Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera). Brasília. Recuperado de: http://www.incra.gov.br/sites/default/files/uploads/reforma-agraria/projetos-e-programas/pronera/manual_pronera_-_18.01.16.pdf. Acesso em: 10 jul. 2019.

Cordeiro, G. N. K., Reis, N. S., & Hage, S. M. (2011). Pedagogia da Alternância e seus desafios para assegurar a formação humana dos sujeitos e a sustentabilidade do campo. Em Aberto, 24(85), 115-125. Doi: http://dx.doi.org/10.24109/2176-6673.emaberto.24i85.2489. Recuperado de: emaberto.inep.gov.br/index.php/emaberto/article/view/2489. Acesso em: 08 jul. 2019.

Duarte, N. (2004). Vygotsky e o aprender a aprender: crítica às apropriações neoliberais e pós-modernas da teoria vigotskiana. 3 ed. Campinas: Autores Associados.

Freire, P. (1987). Pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e Terra.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Editora Atlas.

Gimonet, J. (2007). Praticar e compreender a Pedagogia da Alternância dos CEFFAS. São Paulo: Vozes.

Gimonet, J. C. (1998). A Alternância na formação: método pedagógico ou novo sistema educativo? A experiência das Casas Familiares Rurais. In Demol, J., & Pilon, J. (Orgs.). Alternance, developpement personnel et local (pp. 51-66). Paris: L’Harmattan.

Gimonet, J. C. (1999). Nascimento e desenvolvimento de um movimento educativo: as asas familiares rurais de educação e de orientação. In Anais Seminário Nacional da Pedagogia da Alternância: Alternância e desenvolvimento. Salvador.

Gnoatto, A. A., Ramos, C. E. P., Piaceski, E. E., & Bernartt, M. L. (2006). Pedagogia da Alternância: uma proposta de educação e desenvolvimento no Campo. In Anais Congresso da Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural, 44. Fortaleza. Recuperado de: https://ageconsearch.umn.edu/record/148628/. Acesso em: 08 jul. 2019.

Gomes, I. S., & Caminha, I. O. (2014). Guia para estudos de revisão sistemática: uma opção metodológica para as Ciências do Movimento Humano. Movimento, 20(1), 395-411. Doi: https://doi.org/10.22456/1982-8918.41542. Recuperado de: https://seer.ufrgs.br/Movimento. Acesso em: 07 fev. 2019.

Montysuma, H. C. F. (2017). A categoria Trabalho e a Prática Docente na Escola “Roberval Cardoso”: crítica a partir da tradição marxiana (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Acre, Rio Branco. Recuperado de: www.ufac.br/ppge/banco-de-dissertacoes/dissertacoes-defendidas-em-2017. Acesso em: 08 jul. 2019.

Peneireiro, F. M. (2013). Educação na contemporaneidade: nutrindo-se com experiência da Escola da Floresta, Acre, Brasil (Tese de Doutorado). Universidade de Brasília, Brasília. Recuperado de: http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/UNB. Acesso em: 08 jul. 2019.

Perrenoud, P. (2008). Construindo competências – Entrevista com Philippe Perrenoud. Recuperado de: http://aprenderdireito8.blogspot.com.br/2008/12/construindocompetncias-entrevista-com.html. Acesso em: 08 out. 2019.

Pessotti, A. (1978). Escola da Família Agrícola: uma alternativa para o ensino rural (Dissertação de Mestrado). Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro.

Ramos, M. N. (2003). É possível uma pedagogia das competências contra-hegemônica? Relações entre pedagogia das competências, construtivismo e neopragmatismo. Recuperado de: www.revista.epsjv.fiocruz.br/upload/revistas/r39.pdf. Acesso em: 08 out. 2019.

Ramos, M. N. (2006). A pedagogia das competências: autonomia ou adaptação? 3. Ed. São Paulo. Cortez.

Ramos, M. N. (2002). A educação profissional pela Pedagogia das Competências: para além da superfície dos documentos oficiais. Edu Soc., Campinas, v. 23, n. 80, set. p. 401-422. Recuperado de: https://www.researchgate.net/publication/26357176. Acesso em: 10 jul. 2019.

Silva, M. L. S. (2017). Intervenção inovadora no Centro de Educação Profissional e Tecnológica Roberval Cardoso (Trabalho de Conclusão de Curso). Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. Recuperado de: http://www.genesis.puc-rio.br/media/biblioteca/TCC_Maria_Lucia_dos_Santos_da.pdf. Acesso em: 10 jul. 2019.

Sobreira, M. F. C., & Silva, L. H. (2014). Vida e construção do conhecimento na Pedagogia da Alternância. Revista Eletrônica de Educação, 8(2), 212-227. Recuperado de: http://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/viewFile/915/336. Acesso em: 08 out. 2019.

Teixeira, E. S., Bernartt, M. L., & Trindade, G. A. (2008). Estudos sobre Pedagogia da Alternância no Brasil: revisão de literatura e perspectivas para a pesquisa. Educação e Pesquisa, 34(2), 227-242. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1517-97022008000200002. Recuperado de: http://www.scielo.br/pdf/ep/v34n2/02.pdf. Acesso em: 08 out. 2019.

Publicado
2019-12-19
Como Citar
Ribeiro, L. M. L., & Santos, A. R. dos. (2019). Currículo e Pedagogia da Alternância: a experiência da Escola da Floresta em Rio Branco, Acre . Revista Brasileira De Educação Do Campo, 4, e7312. https://doi.org/10.20873/uft.rbec.e7312
Seção
Dossiê Temático: 50 anos da Alternância no Brasil