Pedagogia da Alternância em comunidade pomerana de Santa Maria de Jetibá, Espírito Santo, Brasil

  • Edineia Koeler Universidade Federal do Espírito Santo - UFES / Europa Universität Viadrina - Frankfurt, Alemanha.
  • Erineu Foerste Universidade Federal do Espírito Santo - UFES
  • Alberto Merler Universidade de Sassari, Itália

Resumo

O artigo analisa aspectos da Pedagogia da Alternância, compreendida na perspectiva de Nosella (1977, 2012), e sua relação com a cultura pomerana. Toma como objeto de estudo a Escola Estadual Emílio Schroeder, situada em Alto Santa Maria, Santa Maria de Jetibá, Espírito Santo, Brasil, para entender como tal comunidade, com presença significativa do povo tradicional pomerano, compreende o projeto de alternância. Com abordagem qualitativo-descritiva, beneficia-se de narrativas de uma professora-monitora com significativa experiência em Escolas Família Agrícola e, adicionalmente, analisa um conjunto de documentos constituído por 52 fichas-questionários aplicadas em 2011 às famílias dos alunos. O tratamento interpretativo das respostas a quatro itens de tal instrumento permitiu constatar que, decorrida uma década da implantação do regime de alternância na escola, ocorrida em 2001, e não sendo os pais que responderam a tal instrumento os mesmos que lutaram pelo regime de alternância na escola, houve mudanças no significado atribuído pelas famílias e comunidade em geral a esse modelo educacional no contexto social analisado. Destaca-se que as dimensões culturais e identitárias do povo tradicional pomerano podem contribuir para a problematização do projeto escolar; que a iniciativa das comunidades rurais é fundamental para a conquista e permanência de projetos alternativos na educação do campo; que a pouca escolaridade dos pais pode ter reflexos imediatos no trabalho da escola, mas não os impede de buscar qualidade de ensino para os filhos.

Palavras-chave: Pedagogia da Alternância, Comunidade Escolar, Cultura Pomerana.

 

The Pedagogy of Alternation in pomerana community of Santa Maria de Jetibá, Espírito Santo, Brazil

ABSTRACT: The article analyzes aspects of the Alternation Pedagogy, understood from Nosella's perspective (1977, 2012), and its relationship with Pomeranian culture. It takes as its study object the Emílio Schroeder State School, located in Alto Santa Maria, Santa Maria de Jetibá, Espírito Santo, Brazil, to understand how such a community, with a significant presence of the traditional Pomeranian people, comprises the alternation project. With a qualitative-descriptive approach, it benefits from narratives of a teacher-monitor with significant experience in Agricultural Family Schools and, in addition, analyzes a set of documents consisting of 52 questionnaire forms applied in 2011 to student's families. The interpretative treatment of the responses to four items of this instrument showed that, after a decade of the implementation of the alternation regime in school, which occurred in 2001, and it was not the parents who responded to this instrument the same who fought for the alternation regime in the school. There have been changes in the meaning given by families and the wider community to this educational model in the social context analyzed. It is noteworthy that the cultural and identity dimensions of the traditional Pomeranian people can contribute to the problematization of the school project; whereas the initiative of rural communities is fundamental for the conquest and permanence of alternative projects in rural education; that parent's poor education may have immediate repercussions on schoolwork, but it does not prevent them from seeking quality education for their children.

Keywords: Pedagogy of Alternation, Scholar Community, Pomeranian Culture.

 

La Pedagogía de Alternación en una comunidad pomerana de Santa Maria de Jetibá, Espírito Santo, Brasil

RESUMEN: Este artículo analiza aspectos de la Pedagogía de la Alternancia, según la perspectiva de Nosella (1977,2012),  y como se relaciona con la cultura pomerania. El objeto de la investigación es la Escuela Estatal Emílio Schroeder, situada en Alto Santa Maria, en Santa Maria de Jetibá, Espírito Santo,  Brasil, para comprender cómo una comunidad de este tipo, con una presencia significativa de los pueblos tradicionales de Pomerania, comprende el proyecto de alternancia. Bajo un enfoque cualitativo y descriptivo, el estudio se llevó a cabo a partir de las narraciones de una profesora con experiencia significativa en las Escuelas Familiares Agrícolas y, además, analiza un conjunto de documentos que consisten en 52 encuestas que fueron contestadas por las familias de los estudiantes en 2011. El análisis de las respuestas a los cuatro elementos que componían la investigación, revela que después de 17 años desde la introducción de la alternancia en esta escuela y no siendo los padres los mismos que lo defendieron, hubo cambios en el significado que las familias y la sociedad en general asocian a esta pedagogía. Sobresale las dimensiones culturales y de identidad de los pueblos tradicionales pomeranos que pueden contribuir a la problematización del proyecto escolar; considerando que la iniciativa de las comunidades agrícolas es esencial para la conquista y la permanencia de proyectos alternativos en la educación rural; que la poca escolaridad de los padres puede tener consecuencias inmediatas en el trabajo escolar, pero eso no les detiene en la busca por una educación de calidad para sus hijos.

Palabras clave: Pedagogía de la Alternancia,  Comunidad Escolar, Cultura Pomerana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edineia Koeler, Universidade Federal do Espírito Santo - UFES / Europa Universität Viadrina - Frankfurt, Alemanha.

Edineia Koeler é licenciada em História, mestra em Educação (UFES - 2016) na linha de pesquisa Cultura, Currículo e Formação de Educadores, e doutoranda em Educação pela UFES, orientada pelo Prof. Dr. Erineu Foerste, em cotutela com a EUROPA-UNIVERSITÄT VIADRINA. Atua como coordenadora da EEEFM Fazenda Emilio Schroeder, que adota a Pedagogia da Alternância.

Erineu Foerste, Universidade Federal do Espírito Santo - UFES

Graduou-se na Licenciatura Plena em Letras. Pós-graduou-se no mestrado em Educação pela Universidade Federal de Goiás (UFG), doutorado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e pós-doutorado na Universtät Siegen (UNI-Siegen) na Alemanha. É Professor Associado de Tempo de Dedicação Exclusiva (DE) da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Está vinculado ao Departamento de Linguagens, Culturas e Educação do Centro de Educação da Universidade Federal do Espírito Santo (DLCE/CE/UFES), em que realiza projetos de ensino-pesquisa-extensão no Curso de Letras. É membro do Colegiado do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Espírito Santo (PPGE/UFES). Fundou e lidera o Grupo de Pesquisa (CNPq) Culturas, Parcerias e Educação do Campo. Coordenada o Programa de Educação do Campo UFES. São temas de pesquisa: i) Sociolinguística (Diversidade Linguística: Línguas Minoritárias, Línguas de Imigração, Direitos Linguísticos, Bilinguismo, Contatos Linguísticos, Plurilinguismo, Trabalho com Literatura); ii) Educação Popular (Educação do Campo, Comunidades e Povos Tradicionais, Ação Comunitária, Pedagogia/Educação Social); iii) Memórias, Culturas e Educação. Coordena convênios e realiza missões acadêmicas internacionais com a Univeristät-Siegen (UNI-Siegen) na Alemanha, com a Justus Liebig Universität-Gießen (UNI-Gießen) na Alemanha, com a Europa-Universität Viadrina Frankfurt/Oder (EUV-Frankfurt) na Alemanha e com a Università degli Studi di Sassari (UNISS) na Itália. É membro filiado da Associação dos Docentes da Universidade Federal do Espírito Santo (ADUFES). É membro associado da Deutscher Lusitanistenverband e. V. (DLV) e da Deutscher Romanistenverband (DRV).

Alberto Merler, Universidade de Sassari, Itália

Alberto Merler é professor titular de Sociologia. Presidente do curso de Licenciatura em Serviços Sociais a nível europeu, coordena o Laboratório Foist para políticas sociais e processos de treinamento.Professor e colaborador do Laboratório Foist para políticas sociais e processos de treinamento, Departamento de Economia, instituições e sociedade, Universidade de Sassari, Itália.

Referências

Bahia, J. (2000). “O tiro da bruxa”: identidade, magia e religião entre camponeses pomeranos do Estado do Espírito Santo (Tese de Doutorado). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Biewer, L. (2003). História da Pomerânia [Textos de discussão do Curso sobre História da Pomerânia]. Recuperado de http://grosstuchen.cwsurf.de/GeschichtePommerns.html

Buber, M. (1987). Sobre comunidade. São Paulo: Perspectiva.

Castelluber, A. (2014). Ensino primário e matemática dos imigrantes e docentes germânicos bem Santa Leopoldina, Espírito Santo – Brasil (1857-1907) (Tese de Doutorado). Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória.

Dettmann, J. M. (2014). Práticas e saberes da professora pomerana: um estudo sobre interculturalidade (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória.

Fehlberg, J., Menandro, P., & Meira, R. (2011). Terra, família e trabalho entre os descendentes de pomeranos do Espírito Santo. Barbarói - Unisc. Impresso, 34, 80-100.

Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Fazenda Emílio Schroeder. (2014). Projeto Político-Pedagógico [Documento institucional]. Santa Maria de Jetibá, ES, Brasil.

Foerste, E. (2005). Parceria na formação de professores. São Paulo: Cortez.

Foerste, E. (2016a). Por uma articulação nacional do povo tradicional pomerano no Brasil. In Seibel, I., Foerste, E., Ullrich, H. F., Jacob, J. K., & Heinemann, J. C. (Orgs.). O povo pomerano no Brasil (pp. 58-69). Santa Cruz do Sul: Edunisc.

Foerste, E. (2016b). Língua pomerana na atualidade: um diálogo sobre patrimônio cultural do povo tradicional pomerano. In Seibel, I., Foerste, E., Ullrich, H. F., Jacob, J. K., & Heinemann, J. C. (Orgs.). O povo pomerano no Brasil (pp. 70-85). Santa Cruz do Sul: Edunisc.

Foerste, E., Schütz-Foerste, G. M., & Merler, A. (2013). Educação do campo: diálogos interculturais em terras “capixabas”. Vitória: Edufes.

Freire, P. (2005). Pedagogia do oprimido. (46a ed.). São Paulo: Paz e Terra.

Gerke, J. (2007). Saberes e formação de professores na pedagogia da Alternância (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória.

Hartuwig, A. V. G. (2011). Professores(as) Pomeranos(as): um estudo de caso sobre o Programa de Educação Escolar Pomerana - Proepo - desenvolvido em Santa Maria de Jetibá/ES (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória.

Heinemann, J. C. (2008). Bons soldados e excelentes agricultores. IHUonline: Revista do Instituto Humanista Unisinos, (271). Recuperado de http://www.ihuonline.unisinos.br/edicao/271

Jacob, J. K. (1992). A imigração e aspectos da cultura pomerana no Espírito Santo (Vol. 3, Coleção Memórias). Vitória.

Jacob, J. K. (2011). Cidades irmãs pomeranas: Vila Pavão (ES) e Espigão do Oeste (RO). Nova Venécia: Gráfica Cricaré.

Koeler, E. (2018). Uma professora pomerana e sua comunidade: lutas coletivas pelo direito à educação. Curitiba: Appris.

Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. (1996, 23 de dezembro). Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm

Nosella, P. (2012). Origens da Pedagogia da Alternância no Brasil. Vitória: Edufes.

Nosella, P. (1977). Uma nova educação para o meio rural (Dissertação de Mestrado). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

Schaeffer, S. C. B. (2012). Descrição fonética e fonológica do pomerano falado no Espírito Santo (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória.

Siller, R. R. (1999). A constituição da subjetividade no cotidiano da Educação Infantil (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória.

Tressmann, I. (2005). Da sala de estar à sala de baile: estudo etnolinguístico de comunidades camponesas pomeranas do Estado do Espírito Santo (Tese de Doutorado). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Weber, M. G. (1998). A escolarização entre descendentes pomeranos em Domingos Martins (Dissertação de mestrado). Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória.

Publicado
2019-12-19
Como Citar
Koeler, E., Foerste, E., & Merler, A. (2019). Pedagogia da Alternância em comunidade pomerana de Santa Maria de Jetibá, Espírito Santo, Brasil. Revista Brasileira De Educação Do Campo, 4, e7129. https://doi.org/10.20873/uft.rbec.e7129
Seção
Dossiê Temático: 50 anos da Alternância no Brasil