As tecnologias digitais de informação e comunicação pelo prisma da linguagem digital

Resumo

O presente ensaio analisa as TDIC – Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação pelo prisma da linguagem, por atribuir às novas tecnologias o estatuto de linguagem digital. Toma como referência aspectos da Teoria Histórico Cultural, de matriz vigotskiana, e princípios da filosofia da linguagem discutida por membros do chamado Círculo de Bakhtin, para interpretar as tecnologias digitais, como uma nova linguagem humana, e suas implicações para a educação, Trata-se de uma leitura teórica sobre as TDIC, vistas como revolução da técnica humana, porque ultrapassa a ótica cotidiana de recursos como meros instrumentos. O intuito é evidenciar seus aspectos de desenvolvimento, compreendida como tecnologia intelectual que se configura na mediação que estabelece entre os sujeitos da troca social e comunicativa, de um lado, e da aprendizagem, de outro, e provoca mudanças epistemológicas quanto ao conhecimento sobre a aprendizagem humana. A partir desta ótica, é possível reconhecer as especificidades da linguagem digital, em relação à oralidade e à escrita, como uma linguagem autônoma e em construção, que permite articular conceitos como scripts, multimodalidade e hipertexto, assim como implementar noções como a de navegação e a de enunciados digitais. Esse novo conjunto enriquece as discussões teóricas e epistemológicas a respeito das TDIC no contexto educacional, e dá a reconhecer suas implicações para a aprendizagem e o desenvolvimento humano para além de seu viés utilitarista.

Palavras-chave: TDIC, Linguagem Digital, Instrumentos Digitais.

 

The digital technologies of information and communication by the prism of digital language                    

ABSTRACT. This essay analyzes TDIC - Digital Information and Communication Technologies through the prism of language, as it gives the new technologies the status of digital language. It takes aspects of Vygotsky's Historical Cultural Theory, and principles of the philosophy of language discussed by members of the so-called Bakhtin Circle, to interpret digital technologies as a new human language and their implications for education. It is a theoretical reading about TDICs, seen as a revolution in human technique, because it goes beyond the daily perspective of resources as mere instruments. The aim is to highlight its aspects of development, understood as intellectual technology that is configured in the mediation that establishes between the subjects of social and communicative exchange, on the one hand, and learning, on the other, and causes epistemological changes regarding knowledge about learning human. From this perspective, it is possible to recognize the specificities of digital language in relation to orality and writing as an autonomous and under construction language, which allows articulating concepts such as scripts, multimodality and hypertext, as well as implementing notions such as navigation and that of digital utterances. This enriches theoretical and epistemological discussions about TDIC in the educational context, and acknowledges its implications for learning and human development beyond its utilitarian bias.

Keywords: TDIC, Digital Language, Digital Instruments.

 

Las tecnologías digitales de información y comunicación por el prisma de la lengua digital

RESUMEN. Este ensayo analiza TDIC - Tecnologías digitales de información y comunicación -  a través del prisma del lenguaje, ya que le da a las nuevas tecnologías el estado del lenguaje digital. Se refiere a aspectos de la teoría histórica cultural vigotskiana y los principios de la filosofía del lenguaje discutidos por los miembros del llamado Círculo Bakhtin para interpretar las tecnologías digitales como un nuevo lenguaje humano y sus implicaciones para la educación. Es una lectura teórica sobre las TDIC, vista como una revolución en la técnica humana, porque va más allá de la perspectiva diaria de los recursos como meros instrumentos. El objetivo es resaltar sus aspectos de desarrollo, entendidos como tecnología intelectual que se configura en la mediación que establece entre los sujetos del intercambio social y comunicativo, por un lado, y el aprendizaje, por el otro, y provoca cambios epistemológicos con respecto al conocimiento sobre el aprendizaje humano.  Desde esta perspectiva, es posible reconocer las especificidades del lenguaje digital en relación con la oralidad y la escritura como un lenguaje autónomo y en construcción, que permite articular conceptos como guiones, multimodalidad e hipertexto, así como implementar nociones como navegación y el de los enunciados digitales. Esto enriquece las discusiones teóricas y epistemológicas sobre TDIC en el contexto educativo, y reconoce sus implicaciones para el aprendizaje y el desarrollo humano más allá de su sesgo utilitario.

Palabras clave: TDIC, Lenguaje Digital, Instrumentos Digitales.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Martins Bersi, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Fillho - UNESP

Rodrigo Martins Bersi. Mestrando em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da UNESP, Campus de Marília. Licenciado em História pela Universidade Estadual do Norte do Paraná - UENP, Campus Jacarezinho. Auxiliar de Técnico em Informática pelo Centro Paula Souza, ETEc, Campus Avaré. Atua com produção de textos em ambientes digitais e inclusão de softwares livres nas atividades escolares.

José Carlos Miguel, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP

Professor Associado vinculado ao Departamento de Didática e ao Programa de Pós-Graduação em Educação da UNESP, Câmpus de Marília. Livre-Docente em Educação Matemática, atuando nas áreas de Metodologia e Prática de Ensino de Matemática e Educação de Jovens e Adultos. Tem experiência como Diretor de Unidade Universitária e Chefe de Departamento de Ensino da UNESP. Coordena projetos de pesquisa e extensão universitária, com ênfase para ações de intervenção na realidade escolar, sendo autor de vários trabalhos científicos na forma de livros, capítulos de livros e artigos em periódicos.

Dagoberto Buim Arena, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP

Licenciado em Letras, mestre e doutor em Educação, livre docente em Leitura pela UNESP. Estágios pós-doutoral na Universidade de Évora, Portugal; no Instituto Nacional de Pesquisas Pedagógicas (INRP) em Lyon; no CELSA l'Ecole des hautes études en sciences de l'information et de la communication, Sorbonne Université, Paris IV; pesquisador convidado na Faculté des Lettres de Estrasburgo, França. Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação – UNESP – Marília.

Referências

Bakhtin, M. (2016). Os gêneros do discurso. Trad. Paulo Bezerra. São Paulo: Editora 34.

Barton, D., & Lee, C. (2015). Linguagem online: textos e práticas digitais. São Paulo: Parábola Editorial.

Carvallo, G., & Chartier, R. (Orgs.). (1999). História da leitura no mundo ocidental. Trad. Fulvia M. L. Moretto. São Paulo: Editora Ática.

Desbordes, F. (1995). Concepções sobre a escrita na Roma antiga. Trad. Fulvia M. L. Moretto. São Paulo: Editora Ática.

Foucambert, J. (2008). Modos de ser leitor. Trad. Lúcia P. Cherem. Curitiba: Editora UFPR.

Lévy, Pierre. (1993). As Tecnologias da Inteligência. Rio de Janeiro: Editora 34. (Coleção TRANS).

Girotto, C. G. S., & Souza, R. J. (2010). Estratégias de Leitura: para ensinar alunos a compreender o que leem In Menin, A. M, Girotto, C. G. S., Arena, D. B., & Souza, R. J. (Orgs.). Ler e Compreender: estratégias de Leitura (pp. 45-109). Campinas: Mercado de Letras.

Girotto, C. G. S. (2013). Reflexões sobre o leitor mirim: leitura, literatura infantil e biblioteca escolar. Ensino em Re-vista, 20, 341-355.

Parkes, M. (1999). Ler e escrever, interpretar o texto: práticas monásticas na Alta Idade Média. In Carvallo, G., & Chartier, R. (Orgs.). História da leitura no mundo ocidental (pp. 101-122). Trad. Fulvia M. L. Moretto. São Paulo: Editora Ática.

Rojo, R. H. R. (2015). Hipermodernidade, multiletramentos e gêneros discursivos. São Paulo: Parábola Editorial.

Souchier, E. (2015). Da “lettrure*1” à tela: ler e escrever sob o olhar das mídias informatizadas. Ensino Em Re-Vista, 22(1), 211-229.

Smith, F. (1989). Compreendendo a leitura: uma análise psicolinguística da leitura e do aprender a ler. Trad. Daise Batista. Porto Alegre: Artes Médicas.

Vygotsky, L. S. (1995). Pensamiento y lenguaje. In Vygotsky, L. S. (Org.). Obras escogidas (pp. 09-348). Madrid: Visor.

Publicado
2019-12-11
Como Citar
Bersi, R. M., Miguel, J. C., & Arena, D. B. (2019). As tecnologias digitais de informação e comunicação pelo prisma da linguagem digital. Revista Brasileira De Educação Do Campo, 4, e7063. https://doi.org/10.20873/uft.rbec.v4e7063
Seção
Artigos / Articles / Artículos