#CiênciaÚtil: Semana Nacional de Ciência e Tecnologia em escolas do campo

Resumo

Este artigo relata a execução do projeto #CiênciaÚtil, integrante da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) de 2017, que tinha como tema "A matemática está em tudo". Esse projeto foi executado em cinco escolas do campo na microrregião do Médio Mearim, Estado do Maranhão, por docentes e discentes da Universidade Federal do Maranhão. As atividades desenvolvidas foram constituídas de onze oficinas e uma mostra fotográfica, através das quais foram apresentadas para o público formado pelas comunidades escolar e local, informações e aplicações de pesquisas científicas, associadas a saberes populares, buscando despertar a atenção dos mesmos para os efeitos resultantes das ciências naturais e da matemática em seu cotidiano. Além disso, crianças e jovens foram estimulados a buscar novos conhecimentos referentes às carreiras científicas e tecnológicas. O projeto contou com a participação expressiva do corpo docente, discente e administrativo das escolas atendidas, bem como da comunidade em seu entorno. Durante sua execução foram atendidas 715 pessoas. Após as avaliações finais, comprovamos que as atividades realizadas atingiram seus objetivos, contribuindo para a ampliação da compreensão sobre ciência e tecnologia, detectados por meio do reconhecimento de sua relevância e pelas conexões feitas com suas realidades pelo público participante do projeto.

Palavras-chave: Divulgação Científica, Popularização da Ciência, Escolas do Campo, SNCT.

 

#UsefulScience: National Science and Technology Week in rural schools                   

ABSTRACT. This article reports on the execution of the #Useful Science project, part of the National Science Science Week (SNCT) of 2017. This project was executed in five rural schools in the micro-region of the Middle Mearim (MA), by teachers and students of the Federal University of Maranhão. The activities developed consisted of eleven workshops and a photographic exhibition, through which information and applications of scientific research associated with popular knowledge were presented to the public formed by the school and local communities, seeking to arouse their attention to the resulting effects of the natural sciences and mathematics in your daily life. In addition, children and young people were encouraged to seek new knowledge and scientific and technological careers. The project had a significant participation of the faculty, students and administrators of the schools served, as well as the community in its surroundings. During its execution, 715 citizens were served. After the final evaluations, we verified that the activities accomplished reached their objectives, contributing to the expansion of the understanding about science and technology, detected through the recognition of their relevance and the connections made with their realities.

Keywords: Scientific dissemination, Popularization of science, Rural schools, SNCT.

 

#CienciaÚtil: Semana Nacional de Ciencia y Tecnología en escuelas del campo

RESUMEN. Este artículo relata la ejecución del proyecto #CienciaÚtil, integrante de la Semana Nacional de Ciencia de Tecnología (SNCT) de 2017. Ese proyecto fue ejecutado en cinco escuelas del campo en la microrregión del Medio Mearim (MA), por docentes y alumnos de la Universidad Federal del Maranhão. Las actividades desarrolladas fueron constituidas de once talleres y de una muestra fotográfica, a través de las cuales fueron presentadas para el público formado por las comunidades escolares y locales, informaciones y aplicaciones de investigaciones científicas, asociadas a los saberes populares, buscando despertar la atención de los mismos para los efectos resultantes de las ciencias naturales y de las matemáticas en su cotidiano. Allá de eso, niños y jóvenes fueron estimulados a buscar nuevos conocimientos y carreras científicas y tecnología. El proyecto tuvo participación expresiva del cuerpo docente, alumnos y administrativo de las escuelas atendidas, bien como de la comunidad en su entorno. Durante su ejecución, fueron atendidos 715 ciudadanos. Después de las evaluaciones finales, comprobamos que las actividades realizadas lograron sus objetivos, contribuyendo para la ampliación de la compresión sobre ciencia y tecnología, detectados a través del reconocimiento de su relevancia y por las conexiones hechas con sus realidades.

Palabras clave: Divulgación científica, popularización de la ciencia, Escuelas del campo, SNCT.

Biografia do Autor

Regina Célia Sousa, Universidade Federal do Maranhão - UFMA

Doutora em Ciência e Engenharia de Materiais pela Universidade Federal de São Carlos. Mestre em Física da Matéria Condensada pela Universidade Federal do Ceará e Graduada em Física Licenciatura pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Professora Titular da UFMA e coordenadora do Laboratório de Caracterização Microestrutural de Materiais (LCMM). Professora colaboradora do Mestrado em Design (UFMA) e do Mestrado em Ensino de Física em Rede Nacional (UFMA).

Carolina Pereira Aranha, Universidade Federal do Maranhão - UFMA

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática (REAMEC). Mestre em Física da Matéria Condensada pela Universidade Federal do Maranhão e Licenciada em Física pela Universidade Estadual do Maranhão. Pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Tecnologias Digitais na Educação (GEP-TDE). Professora na Licenciatura em Educação do Campo (UFMA - Bacabal). Coordenadora do Laboratório de Ensino de Ciências (LEC).

André Flávio Gonçalves Silva, Universidade Federal do Maranhão - UFMA

Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática (REAMEC). Mestre em Física da Matéria Condensada com ênfase em Física Teórica e Computacional. Pesquisador no Núcleo de Pesquisa em Ensino de Física (NPEF). Professor na Licenciatura em Educação do Campo (UFMA - Bacabal). Coordenador-Adjunto do Laboratório de Ensino de Ciências (LEC).

Juliana Rodrigues Rocha, Universidade Federal do Maranhão - UFMA

Mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade Federal do Piauí. Especialista em Gestão Ambiental pela Faculdade Latino Americana de Educação e Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual do Piauí. Professora na Licenciatura em Educação do Campo (UFMA - Bacabal). Pesquisadora do Laboratório de Ensino de Ciências (LEC).

Referências

Azevedo, A. J. (2005). Sobre a Pedagogia da Alternância. Revista Científica Eletrônica de Pedagogia, (06), 1-10.

Baumgarten, M. (2012). O debate público de ciência e tecnologia: divulgação, difusão e popularização. In Kerbauy, M. T., Andrade, T. H., & Hayashi, C. (Orgs.). Ciência, Tecnologia e Sociedade no Brasil (pp. 85-96). São Carlos, SP: Alinea.

Brick, E. M., Pernambuco, M. M. C. A., Silva, A. F. G., & Delizoicov, D. (2014). Paulo Freire: interfaces entre Ensino de Ciências Naturais e Educação do Campo. In Molina, M. C. (Org.). Licenciaturas em Educação do Campo e o Ensino de Ciências Naturais: desafios à promoção do trabalho docente interdisciplinar (pp. 23-59). Brasília, DF: MDA (Série NEAD Debate; 23).

Bueno, W. C. (2010). Comunicação Científica e Divulgação Científica: Aproximações e Rupturas Conceituais. Informação & Informação, 15(1), 1-12. DOI: 10.5433/1981-8920

Bustamante, J. (1997). A integração da ciência, tecnologia e sociedade: o grande desafio da educação no século XXI. Revista Educação Brasileira, 19(39), 11-20.

Cachapuz, A., Gil-Perez, D., Pessoa de Carvalho, A. M., Praia, J., & Vilches, A. (2005). A necessária renovação do ensino de ciências. São Paulo, SP: Editora Cortez.

Carvalho, M. S. (2011). Realidade da Educação do Campo e os desafios para a formação de professores da Educação Básica na perspectiva dos movimentos sociais (Tese de Doutorado). Universidade Federal da Bahia, Bahia.

CGEE - Centro de Gestão e Estudos Estratégicos. (2017). A ciência e a tecnologia no olhar dos brasileiros. Percepção pública da C&T no Brasil: 2015. Brasília, DF: CGEE. Recuperado de: https://www.cgee.org.br/documents/10182/734063/percepcao_web.pdf

Decreto n. 5.101. (2004, 9 de junho). Institui a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. Recuperado de: https://www.jusbrasil.com.br/diarios/611137/pg-6-secao-1-diario-oficial-da-uniao-dou-de-11-06-2004

Decreto n. 7.352. (2010, 4 de novembro). Dispõe sobre a política de educação do campo e o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária - PRONERA. Recuperado de: http://portal.mec.gov.br/docman/marco-2012-pdf/10199-8-decreto-7352-de4-de-novembro-de-2010/file

Edital de Seleção Nº 02/2012 - SESU/SETEC/SECADI/MEC (2012, 31 de agosto). Chamada Pública para seleção de Instituições Federais de Educação Superior – IFES e de Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia - IFET, para criação de cursos de Licenciatura em Educação do Campo, na modalidade presencial. Recuperado de: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=13300-edital-02-2012-sesu-setec-secadi-31-agosto-2012-pdf&category_slug=junho-2013-pdf&Itemid=30192

Fares, D. C., Navas, A. M., & Marandino, M. (2007). Qual a participação? Um enfoque CTS sobre os modelos de comunicação pública da ciência nos museus de ciência e tecnologia. In X Reunión de la Red de Popularización de la Ciencia y la Tecnología en América Latina y el Caribe (RED POP - UNESCO) y IV Taller “Ciencia, Comunicación y Sociedad” (pp. 1-10). San José: Costa Rica.

Ferreira, A. B. H. (2010). Novo Aurélio - Dicionário da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro, RJ: Editora Nova Fronteira.

Flores, N. (2012). Divulgação de ciência na mídia: algumas reflexões. In Anais do XIV Congresso de Ciências da Comunicação na Região Nordeste (pp. 1-12). Recife, PE.

Germano, M. G., & Kulesza, W. A. (2007). Popularização da ciência: uma revisão conceitual. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, 24(1), 7-25. DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Gimonet, J.-C. (2007). Praticar e compreender a pedagogia da alternância dos CEFFAs. Petrópolis, RJ: Editora Vozes.

Houaiss, A. (2001). Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro, RJ: Editora Objetiva.

IBGE. (2016). Pesquisa nacional por amostra de domicílios: síntese de indicadores 2015. Rio de Janeiro, RJ.

IBGE. (2015). Coordenação de Trabalho e Rendimento. Recuperado de: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv98887.pdf

INEP - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. (2017). Censo Escolar da Educação Básica 2016: Notas Estatísticas. Brasília, DF: INEP-MEC. Recuperado de: http://download.inep.gov.br/educacao_basica/censo_escolar/notas_estatisticas/2017/notas_estatisticas_censo_escolar_da_educacao_basica_2016.pdf

MCTIC - Ministério da Ciência, tecnologia e Inovação e Comunicações. (2016). Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação 2016-2022: Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Econômico e Social. Brasília, DF: MCTIC. Recuperado de: https://portal.insa.gov.br/images/documentos-oficiais/ENCTI-MCTIC-2016-2022.pdf

MCTIC - Ministério da Ciência, tecnologia e Inovação e Comunicações. (2017, 09 de setembro). O QUE É. Recuperado de: http://snct.mctic.gov.br/semanact/opencms/Textos/O-que-e

MCTI - Ministério da Ciência, tecnologia e Inovação e Comunicações. (2012). Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação 2012-2015: Balanço das Atividades Estruturantes 2011. Brasília, DF: Secretaria Executiva do MCTI. Recuperado de: http://livroaberto.ibict.br/218981.pdf

MEC - Ministério da Educação. (2006). Programa Nacional de Apoio às Feiras de Ciências da Educação Básica (FENACEB). Brasília, DF: Secretaria de Educação Básica. Recuperado de: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/EnsMed/fenaceb.pdf

Molina, M. C., & Freitas, H. C. A. (2011). Avanços e Desafios na Construção da Educação do Campo. Revista Em Aberto, 24(85), 17-31. DOI: http://dx.doi.org/10.24109/2176-6673.emaberto.24i85.2483

Molina, M. C., & Antunes-Rocha, M. I. (2014). Educação do Campo, História, Práticas e Desafios no âmbito das Políticas de Formação de Educadores - Reflexões sobre o Pronera e o Procampo. Revista Reflexão e Ação, 22(2), 220-253. DOI: http://dx.doi.org/10.17058/rea.v22i2.5252

Molina, M. C. (2015). Expansão das Licenciaturas em Educação do Campo: desafios e potencialidades. Revista Educar em Revista, (55), 145-166. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0104-4060.39849

Moreira, I. C., & Massarani, L. (2002). Aspectos Históricos da Divulgação Científica no Brasil. In Massarani, L. Moreira, I. C., & Brito, F. (Orgs.). Ciência e Público: caminhos da divulgação científica no Brasil (pp. 43-64). Rio de Janeiro, RJ: Casa da Ciência – Centro Cultural de Ciência e Tecnologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Moreira, I. C. (2006). A inclusão social e a popularização da ciência e tecnologia no Brasil. Inclusão Social, 1(2), 11-16.

Navas, A. M. (2008). Concepções de popularização da ciência e da tecnologia no discurso político: impactos nos museus de ciências (Dissertação de Mestrado). Universidade de São Paulo, São Paulo.

OCDE - Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico. (2016). Brasil no PISA 2015: Análises e reflexões sobre o desempenho dos estudantes brasileiros. São Paulo, SP: Fundação Santillana. Recuperado de: http://download.inep.gov.br/acoes_internacionais/pisa/resultados/2015/pisa2015_completo_final_baixa.pdf

Resende, L. P., & Rothberg, D. (2011). Estudos CTS, comunicação e democracia digital. In Hoffmann, W. A. M. (Org.). Ciência, tecnologia e sociedade: desafios para a construção do conhecimento (pp. 49-65). São Carlos, SP: EDUFScar.

Schall, V. T. (2005). Histórias, jogos e brincadeiras: alternativas lúdicas de divulgação científica para crianças e adolescentes sobre saúde e ambiente. In Massarani, L. (Org.). O pequeno cientista amador (pp. 9-21). Rio de Janeiro, RJ: Vieira & Lent Casa Editorial.

Sono Terápico. Recuperado de: https://www.sonoterapico.com.br/index.php?mod=paginas&pagina=colchao-quantico

Teixeira, E. S., Bernartt, M. L., & Trindade, G. A. (2008). Estudos sobre Pedagogia da Alternância no Brasil: revisão de literatura e perspectivas para a pesquisa. Revista Educação e Pesquisa, 34(2), 227-242. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1517-97022008000200002

Verdério, A. (2013). A formação de Educadores do Campo no Paraná no Âmbito do Pronera e da Luta pelo Direito à Educação. Revista Tamaoios, 9(2), 38-55. DOI: https://doi.org/10.12957/tamoios.2013.7939

Vergutz, C. L. B. (2012). O caminho da aprendizagem na pedagogia da alternância e o sujeito alternante. In Anais do IX Seminário de Pesquisa em Educação da Região Sul (pp. 1-18). Caxias do Sul, RS. Recuperado de: http://www.ucs.br/etc/conferencias/index.php/anpedsul/9anpedsul/paper/viewFile/3216/67

Zamboni, L. M. S. (1997). Heterogeneidade e subjetividade no discurso da divulgação científica (Tese de doutorado). Universidade de Campinas, São Paulo.

Publicado
2019-01-28
Seção
Artigos / Articles / Artículos