Organização da escola do campo: concepções e expectativas de professores

Resumo

Este texto é resultado de um projeto de pesquisa que objetivou analisar as concepções e expectativas de professores com relação à organização da escola do campo. Os estudos teóricos se deram em torno das Políticas de Educação do Campo, apoiados nos trabalhos de Arroyo (2007) e Caldart (2004, 2008). A metodologia teve abordagem qualitativa, sendo que para a coleta de dados foram utilizadas entrevistas semiestruturadas com professores de uma escola do campo, situada no Assentamento Carimã, município de Rondonópolis, Região Sudeste do Estado de Mato Grosso e análise do Projeto Político-Pedagógico da referida escola. As informações obtidas apontam para a preocupação dos entrevistados com a necessidade de aprofundar a compreensão acerca dos princípios democráticos que norteiam a gestão e a organização da escola do campo.

Palavras-chave: Política de Educação do Campo, Organização Escolar, Gestão Escolar.

 

Organization of contryside school: conceptions and expectations of teachers

ABSTRACT. This paper is the result of a research project which aimed at analyzing the conceptions and expectations of teachers regarding the organization of countryside school. The theoretical studies arose from the Countryside Education Policies, underpinned on the works of Arroyo (2007) and Caldart (2004, 2008). The methodology had qualitative approach, being that in order to collect the data, semistructured interviews with the teachers of a countryside school, situated in the Settlement Carimã, city of Rondonópolis, in the Southeast Region of the State of Mato Grosso and analysis of the Pedagogical Political Project of the referred school were utilized. The obtained information indicate a concern of the interviewed with the need of reinforcing the comprehension of the democratic principles which guide the administration and the organization of the countryside school.

Keywords: Countryside Education Policies, School Organization, School Administration.

 

Organización de la escuela rural: concepciones y expectativas de los profesores

RESUMEN. Este texto es el resultado de un proyecto de investigación que objetivó analizar las concepciones y expectativas de profesores con relación a la organización de la escuela rural. Los estudios teóricos se realizaron sobre las Políticas de Educación Rural, apoyados en los trabajos de Arroyo (2007) y Caldart (2004, 2008). La metodología tuvo un enfoque cualitativo, y para la recogida de datos se utilizaron entrevistas semiestructuradas con profesores de una escuela rural, situada en el Asentamiento Carimán, municipio de Rondonópolis, Región Sudeste del Estado de Mato Grosso y análisis del Proyecto Político Pedagógico de la referida escuela . Las informaciónes obtenidas indican la preocupación de los entrevistados con la necesidad de profundizar en la comprensión sobre los principios democráticos que orientan la gestión y la organización de la escuela agraria.

Palabras clave: Política de Educación Rural, Organización Escolar, Gestión Escolar.

Biografia do Autor

Lindalva Maria Novaes Garske, Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT

Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Mato Grosso (1986), Mestre em Educação Pública pela Universidade Federal de Mato Grosso (1998), Doutora em Educação Brasileira pela Universidade Federal de Goiás (2006) e Pós-Doutora em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso (2016). Professora associada da Universidade Federal de Mato Grosso. Coordenadora de Ensino do curso de Graduação em Pedagogia/ICHS/CUR/UFMT (2007-2008) e Diretora do Instituto de Ciências Humanas e Sociais/ICHS/CUR/UFMT (2009-2012). Secretária Municipal de Educação/Rondonópolis/Mato Grosso (1998-2000). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em política educacional, gestão escolar, movimentos sociais e educação e educação do campo. Professora e Vice-Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Educação/PPGEdu do Campus Universitário de Rondonópolis/UFMT (2014), membro do Grupo de Pesquisa em Educação Ambiental - GPEA e Lider do grupo de pesquisa Políticas públicas educacionais.

Lucimara Afonso Castilho, Secretaria Estadual de Educação de Mato Grosso

Lucimara Afonso Castilho, Mestra em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEdu) da Universidade Federal de Mato Grosso, Câmpus Universitário de Rondonópolis, Professora da Educação Básica da Secretaria Estadual de Educação de Mato Grosso. E-mail: luaffonso3@gmail.com.

Crisnaiara Cândido, Secretaria Estadual de Educação de Mato Grosso

Crisnaiara Cândido, Mestra em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEdu) da Universidade Federal de Mato Grosso, Câmpus Universitário de Rondonópolis, Professora da Educação Básica da Secretaria Estadual de Educação de Mato Grosso. E-mail: biocric@msn.com.

Referências

André, M. E. D. A. (1983). Texto, contexto e significado: algumas questões na análise de dados qualitativos. Cadernos de Pesquisa, 45(1), 66-71. Recuperado de: http://www.fcc.org.br/pesquisa/publicacoes/cp/arquivos/599.pdf.

Arroyo, M. G. (2007). Políticas de Formação de educadores(as). Cadernos CEDES, 27(72), 157-176. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-32622007000200004

Caldart, R. S. (2004). Elementos para construção do Projeto político pedagógico da educação do campo. In Molina, M. C. (Org.). Contribuições para a construção de um projeto de Educação do Campo (pp. 10-31). Brasília, DF: INCRA.

Caldart, R. S. (2008). Sobre Educação do Campo. In Santos, C. A. et al. (Orgs.). Educação do Campo: Campo – Políticas Públicas – Educação (pp. 67-86). Brasília, DF: Articulação Nacional Por Uma Educação do Campo.

Carvalho, A. L., & Cunha, E. V. R. (2012). Educação do campo: perspectivas para construção de um currículo em movimento. In Garske, L. M. N., & Cunha, E. V. R. (Orgs.). Educação do campo: intencionalidades políticas e pedagógicas (pp. 29-53). Cuiabá, MT: EdUFMT.

D’Agostini, A., Taffarel, Z. C., & Santos Júnior, C. L. (2012). Escola ativa. In Caldart, R. S. et al. (Org.). Dicionário da Educação do Campo (pp. 313-324). São Paulo, SP: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular.

Decreto nº 7.352 (2010, 04 de novembro). Dispõe sobre a Política de Educação do Campo e o Programa Nacional de Educação e Reforma Agrária-PRONERA. Brasília. Recuperado de: http://portal.mec.gov.br/docman/marco-2012-pdf/10199-8-decreto-7352-de4-de-novembro-de-2010/file

Escola Municipal Rural Fazenda Carimã. (2014). Projeto Político Pedagógico da Escola do Campo (Material impresso).

Fernandes, B. M., Cerioli, P. R., & Caldart, R. S. (2011). I Conferência Nacional “Por uma Educação do campo” (Texto Preparatório). In Arroyo, M. G., Caldart, R. S., & Molina, M. C. (Orgs.). Por uma Educação do campo. (pp. 21-63). Petrópolis, RJ: Vozes.

Garcia, R. (2008). Consolidação das políticas educacionais do campo. Tangará da Serra, MT: Gráfica e Editora Sanches.

Haddad, F. (2012). Direito a educação. In Caldart, R. S. et al. (Orgs.). Dicionário da Educação do Campo (pp. 215-222). São Paulo, SP: Expressão Popular.

Hora, D. L. (2007). Gestão educacional democrática. Campinas, SP: Alínea.

Jesus, S. M. S. A. (2004). Aspectos paradigmáticos da Educação do Campo que ampliam as condições de construção de um projeto de educação emancipatória. In Molina, M. C., & Jesus, S. M. S. A. (Orgs.). Contribuições para a construção de um projeto de Educação do Campo (pp. 66-73). Brasília, DF: Articulação Nacional Por Uma Educação do Campo.

Kolling, E. J., Nery, Ir. I. J., & Molina, M. C. (1999). Por uma educação básica do campo. Brasília, DF: Articulação Nacional Por Uma educação básica do campo.

Lei nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996. (14a ed.). (2017). Dispõe sobre as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Centro de Documentação e Informação. Brasília, DF: Câmara dos Deputados, Edições Câmara.

Libâneo, J. C. (2013). Organização e gestão da escola: teoria e prática. São Paulo, SP: Heccus Editora.

Lüdke, M., & André, M. E. D. A. (1986). Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo, SP: EPU.

Resolução CNE/CBE nº 1 (2002, 03 de abril). Dispõe sobre as Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo. Brasília: MEC/SECAD. Recuperado de: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=13800-rceb001-02-pdf&category_slug=agosto-2013-pdf&Itemid=30192

Severino, A. J. (1998). O projeto político-pedagógico: uma saída para a escola. Revista de Educação AEC, 27(107), 81-91.

Triviños, A. N. S. (1987). Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo, SP: Atlas.

Publicado
2019-01-28
Seção
Artigos / Articles / Artículos