Mulheres, trabalhos e histórias: uma análise das trajetórias de vida em uma Comunidade Teuto-Brasileira do RS

Resumo

Este artigo apresenta as intersecções entre duas pesquisas realizadas em um mesmo município de colonização alemã, localizado na Encosta da Serra Gaúcha/RS. Ambas utilizaram ferramentas etnográficas de pesquisa, como entrevistas e observação participante registrada na forma de diário de campo, analisadas de maneira combinada. A primeira, realizada em Grupos de Mulheres e com representantes das Secretaria de Agricultura, Educação e do Sindicato dos Trabalhadores Rurais buscou investigar a sucessão geracional na agricultura familiar do município, focalizando nas mulheres jovens. A segunda realizou-se em uma Equipe de Estratégia de Saúde da Família, com usuárias que possuem diagnóstico de depressão, procurando compreender as experiências e significados envolvidos no processo de construção deste diagnóstico. Consideramos que as análises traçadas a partir destes movimentos de pesquisa trazem preciosas contribuições para que seja pensada a organização da comunidade, principalmente em termos de alternativas de trabalho e estratégias educativas em Educação do Campo que sejam capazes de promover a sucessão geracional da agricultura familiar no município e de incorporar a temática de gênero, gerando assim um real incremento em termos de qualidade de vida desta população.

Palavras-chave: Gênero, Educação, Trabalho, Qualidade de Vida, Saúde Mental.

 

Women, Works and Stories: An Analysis of Life Trajectories in a Teuto-Brazilian Community of RS                                                                   

ABSTRACT. This article presents the intersections between two studies conducted in the same municipality of German colonization, located in the Encosta da Serra Gaúcha / RS. Both used ethnographic research tools, such as interviews and participant observation recorded as a field diary, analyzed in a combined manner. The first, held in Women's Groups and with representatives of the Agriculture and Education Sector and the Rural Workers' Union, sought to investigate the generational succession in the family agriculture of the municipality, focusing on young women. The second was carried out in a Family Health Strategy Team, with users diagnosed with depression, trying to understand the experiences and meanings involved in the process of constructing this diagnosis. We consider that the analyzes drawn from these research movements bring valuable contributions so that the community organization is considered, especially in terms of work alternatives and educational strategies in Countryside Education that are capable of promote the generational succession of family agriculture in the municipality and to incorporate the theme of gender, thus generating a real increase in terms of the quality of life of this population.

Keywords: Gender, Education, Work, Quality of Life, Mental Health.

 

Mujeres, Trabajos e Historias: Un Análisis de las Trayectorias de Vida en una Comunidad Teuto-Brasileña del RS

 

RESUMEN. Este artículo presenta las intersecciones entre dos investigaciones realizadas en un mismo municipio de colonización alemana, ubicado en la Encosta da Serra Gaúcha / RS. Ambos utilizaron herramientas etnográficas de investigación, como entrevistas y observación participante registrada en forma de diario de campo, analizadas de manera combinada. La primera, realizada en Grupos de Mujeres y con representantes de la Secretaría de Agricultura, Educación y del Sindicato de los Trabajadores Rurales, buscó investigar la sucesión generacional en la agricultura familiar del municipio, enfocándose en las mujeres jóvenes. La segunda se realizó en un Equipo de Estrategia de Salud de la Familia, con usuarias que poseen diagnóstico de depresión, buscando comprender las experiencias y significados involucrados en el proceso de construcción de este diagnóstico. Consideramos que los análisis trazados a partir de estos movimientos de investigación traen preciosas contribuciones para que sea pensada la organización de la comunidad, principalmente en términos de alternativas de trabajo y estrategias educativas en Educación del Campo que sean capaces de promover la sucesión generacional de la agricultura familiar en el municipio y de incorporar la temática de género, generando así un real incremento en términos de calidad de vida de esta población.

Palabras-clave: Género, Educación, Trabajo, Calidad de Vida, Salud Mental.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tatiana Souza de Camargo, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Professora do Departamento de Ensino e Currículo, da Faculdade de Educação, da UFRGS. Professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde, da UFRGS. Atua em atividades de ensino de graduação na Licenciatura em Educação do Campo - Ciências da Natureza. Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Campinas (2003). Tem experiência na área de Educação, com pesquisa relacionada a ambiente e cultura nos currículos universitários. É Mestre em Educação em Ciências, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2008), com a dissertação "Você é o que você come? Os cuidados com a alimentação: implicações na constituição dos corpos". É Doutora em Educação, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2012), com a tese "O governo dos excessos: Uma análise das práticas de prevenção e controle do excesso de peso realizadas por profissionais da Atenção Básica à Saúde, em Porto Alegre/ RS". Em 2014, finalizou seu estágio de Pós-Doutoramento no Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática, da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, no qual fez parte do projeto de pesquisa "Inovação e Interdisciplinaridade na Educação em Ciências e Matemática no século XXI", (PNPD/CAPES). Nos últimos anos, têm desenvolvido pesquisas etnográficas na área de Estudos Culturais da Ciência e Educação, com ênfase nos temas relacionados a produção social do Corpo, Educação do Campo, Estudos em Ciência, Tecnologia e Sociedade, Educação em Ciências, Educação em Saúde e políticas de promoção de saúde.

Muriel Closs Boeff, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Psicóloga (CRP 07/26565) formada pela Universidade Feevale (2016), com ênfase em Processos Psicoterápicos de Intervenção. Bolsista CAPES, Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências - Química da Vida e Saúde, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Membro da Associação Gaúcha de Psicologia Humanista (AGAPH) e Psicóloga em formação na Abordagem Centrada na Pessoa - ACP. Coordenou o Faturamento Ambulatorial, do município de Santa Maria do Herval, entre 2013 - 2017. Bolsista de Iniciação Científica do Projeto de Pesquisa: Avaliação do Estado Emocional, Satisfação com a Vida e Capacidade Funcional de Idosos residentes em Instituições de Longa Permanência do Município de Ivoti/RS, coordenado pela Prof.ª Drª Geraline Alves dos Santos - Universidade Feevale (2013-2016). Voluntária do projeto de pesquisa: Análise de Parâmetros de Cognição, Composição Corporal, Atividade Física, Capacidade Funcional, Saúde Bucal, Características Psicológicas e Marcadores Genéticos e Bioquímicos da resposta ao Estresse Fisiológico: estudo do envelhecimento bem sucedido em idosos acima dos 60 anos residentes no município de Ivoti/RS, vinculado também a Universidade Feevale (2016). Oficineira do projeto Mais Educação, trabalhando questões de saúde mental com formandos do ensino fundamental do Colégio Estadual Dr. Alberto Schweitzer, Santa Maria do Herval (2014).

Referências

Braun, A. D., Johann, S. M. H., & Schimit, S. J. (2009). Do Velho Mundo para o BUCHERBERG ou BUCHERBERG um Novo Mundo!!! Nova Petrópolis, RS: Editora Amstad.

CNE/CEB. (2002). Resolução CNE/CEB 1, de 3 de abril de 2002. Recuperado de: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=13800-rceb001-02-pdf&category_slug=agosto-2013-pdf&Itemid=30192

______. (2007). Parecer CNE/CEB nº 23/2007, aprovado em 12 de setembro de 2007. Recuperado de: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=14344-pceb023-07&category_slug=outubro-2013-pdf&Itemid=30192

Gaviria, M. R., & Menasche, R. (2006) A juventude rural no desenvolvimento territorial: análise da posição e do papel dos jovens no processo de transformação do campo. Estudo & Debate, 13(1), 69-82.

Gaviria, M. R., & Pezzi, S. M. (2007). O poder simbólico da renda na mobilização social de jovens de comunidades rurais. In Menasche, R. (Org.). A agricultura familiar à mesa: saberes e práticas da alimentação no Vale do Taquari (pp. 43-57). Porto Alegre, RS: Editora da UFRGS.

Helman, C. G. (2009). Cultura, Saúde e Doença. Porto Alegre/RS: Artmed.

IBGE. (2014). Cidades@. Recuperado de: http://cod.ibge.gov.br/cxc

Kofes, S. (2007). Experiências sociais, interpretações individuais: Histórias de vida, suas possibilidades e limites. Cadernos Pagu, 3, 117-141. Recuperado de: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/1725t

Louro, G. L., Neckel, J. F., & Goellner, S. V. (Orgs.) (2003). Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo na educação. Petrópolis, RJ: Vozes.

Machado, C. J. B., & Menasche, R. (2012). Trabalho de homem, trabalho de mulher: olhares sobre a organização do lote a partir da produção. In Anais do Seminário Internacional Fazendo Gênero 10 (pp. 1-12). Florianópolis, SC.

Maia, C. J. (2004). Trabalho, família e gênero: estratégias de reprodução social camponesa no Médio Jequitinhonha. Mulher e trabalho, 4, 89-103.

MEC/CNE (2001). Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo. Recuperado de: http://pronacampo.mec.gov.br/images/pdf/mn_parecer_36_de_04_de_dezembro_de_2001.pdf

Mintz, S. W. (1984). Encontrando Taso, me descobrindo. Revista de Ciências Sociais, 27(1), 45-58.

Sen, A. K. (2001). Desigualdade reexaminada. Rio de Janeiro, RJ: Record.

Schneider, S., & Freitas, T. D. (2013). Qualidade de vida, diversificação e desenvolvimento: referências práticas para análise do bem-estar no meio rural. Olhares Sociais, 2(1), 121-142.

Schneider, S. (2004). Agricultura familiar e industrialização: pluriatividade e descentralização industrial no Rio Grande do Sul. Porto Alegre, RS: Editora da UFRGS.

Sposito, M. E. B. (2009). Introdução. In Saquet, M. A., & Sposito, E. S. (Orgs.) Território e Territorialidades: teorias, processos e conflitos (pp. 11-16). São Paulo, SP: Expressão Popular.

Stropasolas, V. L. (2011). Os desafios da sucessão geracional na agricultura familiar. Agriculturas, 8(1), 26-29.

Wedig, J. C., & Menasche, R.(2009). Entre o campo e a cidade: o lugar do consumo na mobilidade material e simbólica de jovens rurais. In Pinto, M. L., Pacheco, J. K. (Orgs.) Juventude, Consumo & Educação 2 (pp. 95-112). Porto Alegre,RS: ESPM.

Woortmann, E. F. (2000). Identidades e memória entre teuto-brasileiros. Horizontes Antropológicos, 6(14), 205-238.

Publicado
2018-12-23
Como Citar
Camargo, T., & Boeff, M. (2018). Mulheres, trabalhos e histórias: uma análise das trajetórias de vida em uma Comunidade Teuto-Brasileira do RS. Revista Brasileira De Educação Do Campo, 3(4), 1202-1220. https://doi.org/10.20873/uft.2525-4863.2018v3n4p1202

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##