A participação das mulheres na Feira da Agricultura Familiar e Economia Popular Solidária do Território Inhamuns e Crateús - Ceará

Resumo

O artigo tem como objetivo analisar a participação das mulheres na Feira da Agricultura Familiar e Economia Popular Solidária do território de Inhamuns e Crateús, no Ceará, organizada pela Cáritas Diocesana de Crateús. Para tanto, contextualizamos o surgimento da Feira na região, a partir da sistematização desta experiência no âmbito da articulação de diferentes sujeitos.  A investigação fundamentou-se numa abordagem qualitativa por meio da pesquisa bibliográfica e pesquisa de campo, com embasamento nas seguintes abordagens teóricas: Economia Solidária; Economia Popular Solidária e Economia Feminista. Sustentamos dois argumentos resultantes da pesquisa: a) a Feira da Agricultura Familiar e Economia Popular Solidária do território de Inhamuns e Crateús constrói uma subjetividade vinculada à Educação do Campo e a uma Pedagogia do Movimento, sobretudo pelo fortalecimento da identidade com o território camponês atrelada à produção familiar e camponesa e b) as mulheres contribuem nesse processo numa dimensão educativo-pedagógica, uma vez que são formadas dentro da Feira, ao tempo que também influenciam na natureza da Feira, sobretudo por sua contribuição no fortalecimento da Economia Popular Solidária e em perspectiva feminista.

Palavras-chave: agricultura familiar, economia popular solidária, economia feminista, educação do campo.

 

The participation of women in the Family Farming and Popular Economy Solidarity Fair in the Inhamuns and Crateús territory of Ceará

ABSTRACT. The article aims to analyze the participation of women in the Family Farming and Popular Economy Solidarity Fair in the territory of Inhamuns and Crateús, in Ceará, organized by Caritas of the Diocese of Crateús. To this end, we contextualized the emergence of the fair in the region, based on the systematization of this experience in the context of the articulation of different subjects.  The research was based on a qualitative approach through bibliographic research and field research, with the following categories: Solidarity Economy; Popular Solidarity Economy and Feminist Economy. We sustain two arguments resulting from the research: (a) the Family Farming and Popular Solidarity Economy Fair of the territory of Inhamuns and Crateús builds a subjectivity linked to Rural Education and the so—called Pedagogy of the Movement, especially by strengthening the identity with the peasant territory linked to family and peasant production ,and, (b) women contribute to this process in an educational-pedagogical dimension, since they are formed within the Fair, while influencing the nature of the Fair, especially by their contribution to the strengthening of the Popular Solidarity Economy in a feminist perspective.

Keywords: family farming, popular solidarity economy, feminist economy, rural education.

 

La participación de las mujeres en la Feria Solidaria de la Agricultura Familiar y la Economía Popular en el territorio de Inhamuns y Crateús - Ceará

RESUMEN. El artículo tiene como objetivo analizar la participación de las mujeres en la Feria Solidaria de la Agricultura Familiar y la Economía Popular en el territorio de Inhamuns y Crateús, en Ceará, organizada por la Cáritas Diocesana de Crateús. Para ello, contextualizamos el surgimiento de la feria en la región, a partir de la sistematización de esta experiencia en el ámbito de la articulación de diferentes sujetos.  La investigación se basó en un enfoque cualitativo a través de la investigación bibliográfica y la investigación de campo, basada en los siguientes enfoques teóricos: Economía Solidaria; Economía Popular Solidaria y Economía Feminista. Sostenemos dos argumentos resultantes de la investigación: a) la Feria de la Agricultura Familiar y la Economía Popular Solidaria del territorio de Inhamuns y Crateús construye una subjetividad vinculada a la Educación del Campo y a una Pedagogía del Movimiento, especialmente por el fortalecimiento de la identidad con el territorio campesino vinculado a la producción familiar y campesina y b) las mujeres contribuyen a este proceso en una dimensión educativo-pedagógica, ya que se forman dentro de la Feria, a la vez que influyen en la naturaleza de la misma, especialmente por su contribución al fortalecimiento de la Economía Popular Solidaria y en una perspectiva feminista.

Palabras clave: agricultura familiar, economía popular solidaria, economía feminista, educación del campo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ydávila Vasconcelos Martins, Universidade Estadual do Ceará - UECE

Mestranda em Educação e Ensino no Mestrado Acadêmico Intercampi em Educação e Ensino (MAIE/UECE), especialista em Educação do Campo pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFCE/Campus Crateús). Graduada em Licenciatura Plena em Pedagogia pela Faculdade de Educação de Crateús - FAEC/UECE.

Lia Pinheiro Barbosa, Universidade Estadual do Ceará - UECE

Doutora em Estudos Latino-Americanos/UNAM. Professora da Universidade Estadual do Ceará (UECE), no Programa de Pós-Graduação em Sociologia (PPGS), no Mestrado Acadêmico Intercampi em Educação e Ensino (MAIE) e na Faculdade de Educação de Crateús (FAEC). Bolsista PQ2/CNPq. Pesquisadora do Conselho Latino-Americano de Ciências Sociais (CLACSO). Líder do Grupo de Pesquisa Pensamento Social e Epistemologias do Conhecimento na América Latina e no Caribe. 

Referências

Arroyo, M.G., Caldart, R. S., & Molina, M.C. (Org.). (2011). Por uma Educação do Campo. Petrópolis, RJ: Vozes.

Barbosa, L. P. (2021). De las mujeres como energía vital y las reverberaciones de la lucha en defensa de los territorios y los comunes en América Latina. In Cisneros, A. C., Bustamante, M. O., & Nucamendi, M. N. (Orgs.). Territorios para la vida. Mujeres en defensa de sus bienes naturales y por la sostenibilidad de la vida (pp. 23-58). Tuxtla Gutiérrez, Chiapas: Universidad de Ciencias y Artes de Chiapas.

Barbosa, L. P., Bustamante, M. O., & Cisneros, A.C. (2020). Apresentação. O histórico caminhar das mulheres indígenas e camponesas na defesa dos territórios e dos bens comuns na América Latina. O Público e O Privado, 18(35), 09-16.

Barbosa, L. P., & Rosset, P. M. (2017). Educação do Campo e Pedagogia Camponesa Agroecológica na américa latina: aportes da La Via Campesina e da CLOC. Educação & Sociedade, 38(140), 705-724. https://doi.org/10.1590/es0101-73302017175593

Bustamante, M. O. (2019). La exclusión de las mujeres de la tierra. Una mirada en el espejo de la economía feminista. In Queiroga Díaz, N., & Dobrée P. (Org.). Luchas y alternativas para una economía feminista emancipatoria (pp. 269-283). Asunción: Centro de Documentación y Estudios/ Articulación Feminista Marcosur. https://doi.org/10.2307/j.ctvt6rkw2.18

Bustrón, M. A. G., & Guízar, J. M. C. (2019). Aportes desde la economía feminista a la construcción de otra economía no capitalista y no patriarcal. In Queiroga Diaz, N., & Dobrée, P. (Orgs.). Luchas y alternativas para una economía feminista emancipatoria (pp. 216-252). Asunción: Centro de Documentación y Estudios/Articulación Feminista Marcosur. https://doi.org/10.2307/j.ctvt6rkw2.16

Caldart, R. S. (2000). Pedagogia do Movimento Sem Terra: escola é mais do que escola. Petrópolis, RJ: Vozes.

Carvalho, H. M. (2012). O campesinato contemporâneo como modo de produção e como classe social. Curitiba.

Dobrée, P., & Diaz, N. Q. (2019). Perspectivas polifónicas para uma economía feminista emancipatoria. In Queiroga Diaz, N., & Dobrée, P. (Org.). Luchas y alternativas para una economía feminista emancipatoria (pp. 19-48). Asunción: Centro de Documentación y Estudios/ Articulación Feminista Marcosur. https://doi.org/10.2307/j.ctvt6rkw2.4

Freire, P. (1981). Ação cultural para a liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Goerck, C. (2005). Economia popular solidária: no processo de reestruturação produtiva brasileira. Revista Virtual Textos e Contextos, (4), ano IV.

Machado, L. C. P., & Machado, L. C. P. F. (2014). A dialética da agroecologia: Contribuição para um mundo com alimentos sem veneno. São Paulo: Expressão Popular.

Martins, Y. V. (2018). A formação da identidade política das mulheres camponesas: uma análise da marcha das margaridas (Trabalho de Conclusão de Curso). Universidade Estadual do Ceará, Crateús.

Moreira, S. L. S., Ferreira, P. A., & Siliprandi, E. (2018). Memorias das mulheres na agroecologia do Brasil. In Sánchez, G. P. Z., Vargas, G. C., & Siliprando, E. (Orgs.). Agroecologia em femenino. Reflexiones a partir de nuestras experiencias. SOCLA. Impreso en La Paz, Estado Plurinacional de Bolivia.

Singer, P. (2002). Introdução à economia solidária. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo.

Silva, M. L. V. (2014). Gritos, silêncios e sementes: As Repercussões do Processo de Des-reterritorialização empreendido pela Modernização Agrícola sobre o Ambiente, o Trabalho e a Saúde de Mulheres Camponesas na Chapada do Apodi/CE (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Ceará, Fortaleza.

Publicado
2022-04-30
Como Citar
Vasconcelos Martins, Y., & Pinheiro Barbosa, L. (2022). A participação das mulheres na Feira da Agricultura Familiar e Economia Popular Solidária do Território Inhamuns e Crateús - Ceará. Revista Brasileira De Educação Do Campo, 7, e12924. https://doi.org/10.20873/uft.rbec.e12924
Seção
Artigos / Articles / Artículos