EXCESSO DE PESO EM ADULTOS DE UM MUNICÍPIO DE MINAS GERAIS EM 2019 E 2020

  • Ana Caroline da Silva Cruz Centro Universitário UNA
  • Juliana Mara Flores Bicalho Universidade Federal de São João del-Rei - UFSJ
  • Juscelino de Sousa Borges Neto Universidade Federal São João Del Rei Campos Centro Oeste
  • Tulio Gonçalves Gomes Residência Multiprofissional em Saúde do Adolescente - REMSA
Palavras-chave: Estado Nutricional, Adulto, Atenção Primária à Saúde, Pandemia COVID-19.

Resumo

Introdução: O excesso de peso é um dos fatores de risco para COVID-19 podendo levar ao desenvolvimento de manifestações mais severas da doença. O sobrepeso e a obesidade implicam uma condição de excesso de peso, que é caracterizado pelo acúmulo excessivo de gordura corporal e tem como causador principal a alimentação inadequada e o sedentarismo. Em 2020 com a ocorrência da pandemia COVID-19, parte da população teve que alterar a sua rotina, passando a trabalhar em home office, a não fazer exercícios físicos devido ao fechamento de academias, aumentando o consumo de alimentos calóricos por delivery e de álcool. Objetivos: Apresentar o estado nutricional de adultos (20 a 59 anos) acompanhados nas Unidades de Atenção Primária à Saúde através do Sistema de Vigilância Alimentar Nutricional - SISVAN em 2019 e 2020, ano do início da Pandemia. Método: Estudo descritivo. Para a classificação do estado nutricional de adultos, foi utilizado o índice de massa corporal (IMC) para adultos que leva em conta o peso e a estatura. Para cálculo do IMC divide-se o peso (em quilos), pela altura (em metros), elevada ao quadrado. O excesso de peso em adultos foi entendido nesse estudo pela soma de sobrepeso, obesidade I, II e III, ou seja, adultos com IMC maior ou igual a 25,0 kg/m². Resultados: Em 2019 foi registrado acompanhamento de 5867 adultos no SISVAN, que representa 4,5% dos adultos do município, sendo que 60,17% apresentavam excesso de peso. Em 2020, ano de início da pandemia de COVID-19, foi registrado 10523 acompanhamentos no SISVAN que representa 8% dos adultos do município, sendo 66,96% apresentavam excesso de peso de acordo com o IMC para adultos, o que representa um aumento de 11,3%.  Conclusão: É importante o registro do estado nutricional de adultos pelo SISVAN para garantir um melhor diagnostico da prevalência do excesso de peso, a fim de conhecer o real quadro deste problema no município, durante e após o início da pandemia COVID-19, possibilitando traçar novas medidas para o enfrentamento do excesso de peso com incentivo à adoção da prática de exercício e mudança de hábitos alimentares.

Referências

1. World Health Organization - WHO. Obesity and overweight [Internet]. Genebra: World Health Organization; 2020 [cited 2020 Jan 15]. Available from: https://www.who.int/en/news-room/ fact-sheets/detail/obesity-and-overweight/
2. NCD Risk Factor Collaboration (NCD-RisC). Worldwide trends in body-mass index, underweight, overweight, and obesity from 1975 to 2016: a pooled analysis of 2416 population-based measurement studies in 128•9 million children, adolescents, and adults. Lancet [Internet]. 2017 Dec [cited 2020 Oct 5];390(10113):2627-42. Available from: https:// doi.org/10.1016/S0140-6736(17)32129-3
3. Organização Mundial da Saúde. Dia Mundial da Obesidade. Disponível online: https://bvsms.saude.gov.br/04-3-dia-mundial-da-obesidade/ (acessado 24/08/2021 22:30 )
4. Canella DS, Levy RB, Martins AP, Claro RM, Moubarac JC, Baraldi LG, et al. Ultra-processed food products and obesity in Brazilian households (2008-2009). PLoS One 2014; 9(3): e92752. https://doi.org/10.1371/ journal.pone.0092752
5. Louzada ML, Martins AP, Canella DS, Baraldi LG, Levy RB, Claro RM, et al. Alimentos ultraprocessados e perfil nutricional da dieta no Brasil. Rev Saúde Pública 2015; 49: 38. https://doi.org/10.1590/ S0034-8910.2015049006132
6. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de saúde: Norma Técnica do Sistema de Vigilância Alimentare Nutricional. Brasília: Ministério da Saúde, 2011. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/orientacoes_coleta analise_dados_antropometricos.pdf%20portaldab/documentos/errata_normatecnica_sisvan.p
7. World Health Organization (WHO). Coronavirus disease (COVID-19) pandemic. Geneva: WHO; 2020 [cited 2020 Sep 10]. Available from: https://www.who.int/EMERGENCIES/DISEASES/NOVEL-CORONAVIRUS-2019
8. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde: Boletim epidemiológico especial. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2021
9. Pinto AJ, Dunstan DW, Owen N, Bonfá E, Gualano B. Combating physical inactivity during the COVID-19 pandemic. Nat Rev Rheumatol. 2020; 16(7):347-8.
10. Hallal PC, Andersen LB, Bull FC, Guthold R, Haskell W, Ekelund U; Lancet Physical Activity Series Working Group. Global physical activity levels: surveillance progress, pitfalls, and prospects. Lancet. 2012;380(9838):247-57. Review.
11. Brasil. Ministério da Saúde. Vigitel Brasil 2019: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2020
12.Nota de posicionamento da ACT sobre Vigitel 2020 e 2021.ACTBr,2021. Disponível em: < https://actbr.org.br/post/nota-de-posicionamento-da-act-sobre-vigitel-2020-e-2021/18908/>. Acesso em: 25 de ago. de 2021.
13. Organização Mundial da Saúde. Coronavirus Disease (COVID-19) Pandemic. Disponível online: https: // www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019 (acessado em 10 de junho de 2021).
14. Organização Mundial da Saúde. Doença por Coronavírus (COVID-19) Conselhos ao Público. Disponível online:https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus2019/advice-for-public (acessado em 10 de junho de 2021)
15. Botero JP, Farah BQ, Correia MA, Lofrano-Prado MC, Cucato GG, Shumate G, et al. Impacto da permanência em casa e do isolamento social, em função da COVID-19, sobre o nível de atividade física e o comportamento sedentário em adultos brasileiros. einstein (São Paulo). 2021;19:eAE6156
16. Barros MBA, Francisco PMB, Zanchetta LM, César CLG. Tendências das desigualdades sociais e demográficas na prevalência de doenças crônicas no Brasil, PNAD: 2003- 2008. Ciênc Saúde Coletiva [Internet]. 2011 set [citado 2020 out 5];16(9):3755-68. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-81232011001000012
17. Yosaee S, Esteghamati A, Nazari Nasab M, Khosravi A, Alinavaz M, Hosseini B, et al. Diet quality in obese/ overweight individuals with/without metabolic syndrome compared to normal weight controls. Med J Islam Repub Iran 2016; 30: 376.
18. Martins AP, Levy RB, Claro RM, Moubarac JC, Monteiro CA. Participação crescente de produtos ultraprocessados na dieta brasileira (1987-2009). Rev Saúde Pública 2013; 47(4): 656-65. https://doi. org/10.1590/S0034-8910.2013047004968
19. Canella DS, Levy RB, Martins AP, Claro RM, Moubarac JC, Baraldi LG, et al. Ultra-processed food products and obesity in Brazilian households (2008-2009). PLoS One 2014; 9(3): e92752. https://doi.org/10.1371/ journal.pone.0092752
20. Andrade GC, da Costa Louzada ML, Azeredo CM, Ricardo CZ, Martins APB, Levy RB. Out-of-Home Food Consumers in Brazil: What do They Eat? Nutrients 2018; 10(2): 218. https://doi.org/10.3390/ nu10020218
21. Louzada ML, Martins AP, Canella DS, Baraldi LG, Levy RB, Claro RM, et al. Alimentos ultraprocessados e perfil nutricional da dieta no Brasil. Rev Saúde Pública 2015; 49: 38. https://doi.org/10.1590/ S0034-8910.2015049006132
22. Canhada SL, Luft VC, Giatti L, Duncan BB, Chor D, Fonseca MJMD, et al. Ultra-processed foods, incident overweight and obesity, and longitudinal changes in weight and waist circumference: the Brazilian Longitudinal Study of Adult Health (ELSA-Brasil). Public Health Nutr 2019; 23(6): 1076-86. https://doi. org/10.1017/S1368980019002854
23. Carvalho, D. et al. A pandemia da COVID-19 e as mudanças no estilo de vida dos brasileiros adultos: um estudo transversal, 2020. Epidemiol. Serv. Saúde 29 (4). 2020. https://doi.org/10.1590/S1679-49742020000400026
24. Bhutani S, Cooper JA. COVID-19 related home confinement in adults: weight gain risks and opportunities. Obesity (Silver Spring) [Internet]. 2020 May [cited 2020 Aug 11]. Available from: https://doi. org/10.1002/oby.22904
25. Sallis JF, Adlakha D, Oyeyemi A, Salvo D. An international physical activity and public health research agenda to inform COVID-19 policies and practices. J Sport Health Sci [Internet]. 2020 May [cited 2020 Aug 11]:9(4):328-34. Available from: https:// dx.doi.org/10.1016%2Fj.jshs.2020.05.005
26. Elliston KG, Ferguson SG, Schuz N, Schuz B. Situational cues and momentary food environment predict everyday eating behavior in adults with overweight and obesity. Health Psychol [Internet]. 2017 Apr [cited 2020 Aug 11];36(4):337-45. Available from: https://doi. org/10.1037/hea0000439
27. Lee IM, Shiroma EJ, Lobelo F, Puska P, Blair SN, Katzmarzyk PT; Lancet Physical Activity Series Working Group. Effect of physical inactivity on major non-communicable diseases worldwide: an analysis of burden of disease and life expectancy. Lancet. 2012;380(9838):219-29.
28. Kohl HW 3rd, Craig CL, Lambert EV, Inoue S, Alkandari JR, Leetongin G, Kahlmeier S; Lancet Physical Activity Series Working Group. The pandemic of physical inactivity: global action for public health. Lancet. 2012;380(9838):294-305. Review.
29. Ding D, Lawson KD, Kolbe-Alexander TL, Finkelstein EA, Katzmarzyk PT, van Mechelen W, Pratt M; Lancet Physical Activity Series 2 Executive Committee. The economic burden of physical inactivity: a global analysis of major noncommunicable diseases. Lancet. 2016;388(10051):1311-24.
30. Peçanha T, Goessler KF, Roschel H, Gualano B. Social isolation during the COVID-19 pandemic can increase physical inactivity and the global burden of cardiovascular disease. Am J Physiol Heart Circ Physiol [Internet]. 2020 Jun [cited 2020 Aug 11];318(6):1441- 6. Available from: https://doi.org/10.1152/ ajpheart.00268.2020
31. Salganick MJ, Heckathorn DD. Sampling and estimation in hidden populations using respondent-driven sampling. Social Methodol [Internet]. 2004 Dec [cited 2020 Aug 11];34(1):193-240. Available from: https:// doi.org/10.1111/j.0081-1750.2004.00152.x
Publicado
2021-11-01
Como Citar
Cruz, A. C. da S., Flores Bicalho, J. M., Borges Neto , J. de S., & Gomes, T. G. (2021). EXCESSO DE PESO EM ADULTOS DE UM MUNICÍPIO DE MINAS GERAIS EM 2019 E 2020. Arquivos Brasileiros De Educação Física, 4(2), 113 - 122. https://doi.org/10.20873/abef.2595-0096v4n2p113122