A CONTEXTUALIZAÇÃO NO ENSINO DE FÍSICA NA EDUCAÇÃO DO CAMPO: CONCEPÇÕES DE PROFESSORES EM FORMAÇÃO

Autores

  • Maria Irisleila de Sousa Creche Municipal Professora Maria Madalena Montenegro Pires, Campo Grande do Piauí, Piauí, Brasil.
  • Alexandre Leite dos Santos Silva Universidade Federal do Piauí (UFPI), Picos, Piauí, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.20873/riecim.v3i1.17080

Palavras-chave:

Formação de professores, Ensino de Física, Contextualização

Resumo

As concepções são elaborações que as pessoas constroem sob a influência do meio e das pessoas que as cercam. Na formação de professores podem ter impacto tanto no planejamento como nas práticas pedagógicas. O objetivo deste trabalho é compreender e discutir sobre as concepções dos estudantes de um Curso de Licenciatura em Educação do Campo com enfoque em Ciências da Natureza, da Universidade Federal do Piauí, sobre a contextualização no ensino de Física. A pesquisa foi realizada por meio de entrevistas. Os dados foram analisados com as etapas da Análise de Conteúdo. Os resultados indicaram que os estudantes possuem uma visão simplista da contextualização, vista apenas como relacionar o conhecimento escolar com o cotidiano. Constatou-se que reconhecem possuir dificuldades em contextualizar o ensino de Física na Educação do Campo.

Biografia do Autor

Maria Irisleila de Sousa, Creche Municipal Professora Maria Madalena Montenegro Pires, Campo Grande do Piauí, Piauí, Brasil.

Licenciada em Educação do Campo, com habilitação em Ciências da Natureza, pela Universidade Federal do Piauí (UFPI). Funcionária pública na Creche Municipal Professora Maria Madalena Montenegro Pires, Campo Grande do Piauí, Piauí, Brasil.

Alexandre Leite dos Santos Silva, Universidade Federal do Piauí (UFPI), Picos, Piauí, Brasil.

Doutor e Mestre em Educação pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), linha de pesquisa "Educação em Ciências e Matemática". Especialista em Supervisão, Inspeção e Gestão Escolar pela Universidade Cândido Mendes (UCAM). Possui licenciatura em Física pela UFU. É membro da Sociedade Brasileira de Física (SBF) e da Associação Nacional de Pesquisa em Educação (ANPED). É Professor Adjunto na Universidade Federal do Piauí (UFPI). Atualmente atua no Curso de Licenciatura em Educação do Campo (LEdoC), área Ciências da Natureza, no Campus Senador Helvídio Nunes de Barros (Picos, PI). Foi Coordenador da LEdoC no biênio 2019-2021. Coordena o Curso de Especialização em Ensino de Física, da UFPI, no campus de Picos. Professor colaborador no Mestrado Nacional Profissional de Ensino de Física, Pólo do Instituto Federal do Piauí (IFPI). É líder do Grupo de Estudos sobre Formação de Professores de Ciências e membro do Grupo de Pesquisa em Educação do Campo e Ensino de Ciências. É integrante do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Ensino de Ciências (NEsPEC). Coordena atualmente o projeto de extensão "Física na Comunidade". Tem experiência na área de Formação de Professores com enfoque em Ensino de Ciências, Ensino de Física e Educação do Campo.

Referências

BARBOSA, R. G. O Ensino da Física na Educação do Campo: descolonizadora, instrumentalizadora e participativa. Revista Brasileira de Educação do Campo, Tocantinópolis, v. 3, n. 1, p. 177 a 189. 2018. Disponível em: https://doi.org/10.20873/uft.2525-4863.2018v3n1p177. Acesso em: 10 ago. 2022.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Tradução de Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. São Paulo: Edições 70, 2011.

BELANÇON, M. P. O ensino de física contextualizado ao século XXI. Revista Brasileira de Ensino de Física, [s. l.], v. 39, n. 4, e4001, 2017. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1806-9126-RBEF-2017-0144. Acesso em: 10 ago. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: MEC/SEMTEC, 1999.

BRASIL. Ministério da Educação. Grupo Permanente de Trabalho de Educação do Campo. Referências para uma política nacional de Educação do Campo. Caderno de Subsídios.

Brasília, DF: MEC, 2005.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Orientações Curriculares para o Ensino Médio: Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2006.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC): educação é a base. Brasília, DF: MEC/CONSED/UNDIME, 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução CNE/CP Nº 2, de 20 de dezembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). Brasília: MEC, 2019.

CALDART, R. S. Educação do campo. In CALDART, R. S. et al. (Orgs.). Dicionário da Educação do Campo. 2. ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012. p. 257-265.

DIAS, F. F.; LEONEL, A. A. Escolas do campo: um olhar sobre a legislação e práticas implementadas no ensino de física. Revista Ensaio; Belo Horizonte, v. 20, n. e2874, 2018. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1983-21172018200113. Acesso em: 10 ago. 2022.

ESQUINCALHA, A. C.; DETONI, H. R. Um mapeamento de pesquisas em ensino de física sobre gêneros e sexualidades. Revista Interdisciplinar em Ensino de Ciências e Matemática, [S. l.], v. 2, n. 2, p. 186–202, 2022. Disponível em: https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/RIEcim/article/view/14878. Acesso em: 20 jun. 2023.

FERNANDES, C. S.; MARQUES, C. A.; DELIZOICOV, D. Contextualização na formação inicial de professores de ciências e a perspectiva educacional de Paulo Freire. Revista Ensaio, Belo Horizonte, v.18, n. 2, p.9-28, 2016. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1983-21172016180201. Acesso em: 10 ago. 2022.

FERNANDES, F. C. R.; PRESTES, A. Contextualização e interdisciplinaridade: revisando conceitos e aplicações no ensino de física e ciências. Revista Univap, São José dos Campos, v. 27, n. 55, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.18066/revistaunivap.v27i55.2623. Acesso em: 10 ago. 2022.

FERREIRA, M. A.; MÜNCHEN, S. A contextualização no ensino de ciências: reflexões a partir da Educação do Campo. Revista Insignare Scentia, [s. l.], v. 3, n. 4, p. 380-399, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.36661/2595-4520.2020v3i4.11825. Acesso em: 10 ago. 2022.

FORTUNATO, I.; LAFRANCO, A. C. P. M. Educação do Campo e o ensino de Física: um

mapeamento de teses e dissertações. Periferia, Duque de Caxias, v. 13, n. 1, p. 243-258. 2021. Disponível em: https://doi.org/10.12957/periferia.2021.55955. Acesso em: 10 ago. 2022.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 54. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

GONZÁLEZ, C. V. Reflexiones y Ejemplos de Situaciones Didácticas para uma Adecuada Contextualización de los Contenidos Científicos en el Proceso de Enseñanza. Revista Eureka sobre Enseñanza y Divulgación de las Ciencias, [s. l.], v.1, n. 3, p. 214-223. 2004. Disponível em: http://dx.doi.org/10.25267/Rev_Eureka_ensen_divulg_cienc.2004.v1.i3.05. Acesso em: 10 ago. 2022.

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere. Caderno 13. Notas sobre Maquiavel, o

Estado e a política. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

HEWITT, G. P. Física conceitual. 9 ed. Porto Alegre: Bookman, 2002.

JAIME, P. J. G. Música e ruído nos livros didáticos: a procura pela contextualização do conhecimento no ensino meio de física. Caderno de Física da UEFS, [s. l.], v. 18, n. 1, 1501.1-11, 2020. Disponível em: http://dfisweb.uefs.br/caderno/vol13n2/s6Artigo3PedroPonczek_Musica.pdf. Acesso em: 10 ago. 2022.

KATO, D. S.; KAWASAKI, C. S. As concepções de contextualização do ensino em documentos curriculares oficiais e de professores de ciências. Ciência & Educação, Bauru, v. 17, n. 1, p. 35-50, 2011. Disponível em: http://educa.fcc.org.br/pdf/ciedu/v17n01/v17n01a03.pdf. Acesso em: 10 ago. 2022.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MOLINA, M. C. Contribuições das licenciaturas em educação do campo para as políticas de formação de educadores. Educação Social., Campinas, v. 38, n. 140, p.587-609, 2017. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/es0101-73302017181170. Acesso em: 10 ago. 2022.

MOREIRA, M. A. Desafios no ensino de Física. Revista Brasileira de Ensino de

Física, [s. l.], v. 43, n. 1, e20200451, p. 1-8, 2021. Disponível em:

https://doi.org/10.1590/1806-9126-RBEF-2020-0451. Acesso em: 10 ago. 2022.

OLIVEIRA, S. S. Concepções alternativas e ensino de biologia: como utilizar estratégias diferenciadas na formação inicial de licenciados. Educar em Revista, Curitiba , n. 26, p. 01-18, 2005. Disponível em: https://www.redalyc.org/comocitar.oa?id=155016204015. Acesso em: 10 ago. 2022.

PIETROCOLA, M. A. Construção e realidade: o papel do conhecimento físico no entendimento do mundo. In PIETROCOLA, M. A. (Org.). Ensino de física: conteúdo, metodologia e epistemologia numa concepção integradora. Florianópolis: Ed. UFSC, 2001. p. 9-32.

RODRIGUES-MOURA, S. O ensinar e o aprender física em tempos remotos: um (re)olhar sobre a experiência formativa. Revista Interdisciplinar em Ensino de Ciências e Matemática, [S. l.], v. 1, n. 1, p. 91–102, 2021. Disponível em: https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/RIEcim/article/view/11798. Acesso em: 20 jun. 2023.

RAMOS, T. C. et al. Um panorama das questões de física do ENEM: desafios no âmbito da interdisciplinaridade e contextualização. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v. 6, n. 2, p.5513-5519, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.34117/bjdv6n2-012. Acesso em: 10 ago. 2022.

RICARDO, E. C. Problematização e contextualização no ensino de física. In CARVALHO, A. M. P. (Coord.). Ensino de física. São Paulo: Cengage Learning, 2010, p. 29-52.

RIHS, A. R.; DICKMAN, A. G.; LEITE, C. Uma abordagem contextualizada da física no curso de engenharia ambiental e sanitária. Revista Brasileira de Ensino de Física, [s. l.], v. 44, e20210335, 2022. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1806-9126-RBEF-2021-0335. Acesso em: 10 ago. 2022.

SASSERON, L. H. Alfabetização Científica e documentos oficiais brasileiros: um diálogo na estruturação do Ensino da Física. In CARVALHO, A. M. P. (Coord.). Ensino de Física. São Paulo: Cengage Learning, 2010. p. 1-28.

SILVA, F. N. S. et al. Educação do Campo e ensino de Ciências no Brasil: uma revisão dos últimos dez anos. Revista Brasileira de Ensino de Ciências e Tecnologia, Ponta Grossa, v. 12, n. 1, p. 226-244, 2019. Disponível em: https://periodicos.utfpr.edu.br/rbect/article/download/7547/pdf. Acesso em: 12 jun. 2019.

SZYMANSKI, H. Entrevista reflexiva: um olhar psicológico sobre a entrevista em pesquisa. In SZYMANSKI, H. (Org.). A entrevista na pesquisa em educação: a prática reflexiva. 3 ed. Brasília: Liber Livro, 2004, p. 9-62.

VIZZOTTO, P. A.; MACKEDANZ, L. F. Alfabetização Científica e a Contextualização do conhecimento: um estudo da Física aplicada ao trânsito. Revista Brasileira de Ensino de Física, [s. l.], v. 42, e20190027, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1806-9126-RBEF-2019-0027. Acesso em: 10 ago. 2022.

Downloads

Publicado

2023-08-08

Como Citar

SOUSA, Maria Irisleila de; SILVA, Alexandre Leite dos Santos. A CONTEXTUALIZAÇÃO NO ENSINO DE FÍSICA NA EDUCAÇÃO DO CAMPO: CONCEPÇÕES DE PROFESSORES EM FORMAÇÃO. Revista Interdisciplinar em Ensino de Ciências e Matemática, [S. l.], v. 3, n. 1, p. e23002, 2023. DOI: 10.20873/riecim.v3i1.17080. Disponível em: https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/RIEcim/article/view/17080. Acesso em: 18 abr. 2024.