https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/JBB/issue/feed Journal of Biotechnology and Biodiversity 2022-03-20T15:10:38-03:00 Marcos Giongo jbb@uft.edu.br Open Journal Systems <p>O Journal of Biotechnology and Biodiversity foi criado em 2010 e publica artigos originais, artigos de revisão, estudos de caso e comunicações breves sobre os fundamentos, aplicações e gestão da biodiversidade. O objetivo da revista é avançar e disseminar o conhecimento em todas as áreas afins de Ciências Agrárias, Química, Biotecnologia e Biodiversidade.</p> <p><img src="/periodicos/public/site/images/jbb/logo_jbb.JPG" width="916" height="209"></p> https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/JBB/article/view/12452 Determinantes socioeconômicos da participação dos caçadores no comércio de carne de caça no estado de Ibadan Oyo, Nigéria 2022-03-20T15:10:38-03:00 Bright Olunusi bolunusi212@gmail.com Gbolagade Akeem Lameed lamgbola2008@gmail.com Patience Abosede Olunusi olunusi331@gmail.com Akinyode Timothy Olawumi aremutim@gmail.com <p>Este estudo investigou os determinantes socioeconômicos da participação dos caçadores no comércio de carne de caça na metrópole de Ibadan. O Governo Local de Egbeda e o Governo Local de Oluyole foram propositadamente selecionados com base na intensidade do comércio de carne de caça lá. Trinta por cento da população de caçadores registrados nessas áreas do Governo Local foram selecionados aleatoriamente. Um total de 126 respondentes foram entrevistados por meio de um questionário semiestruturado. Os dados obtidos foram analisados ​​por meio de estatística descritiva e análise inferencial. O resultado revelou que (100%) dos entrevistados eram homens com maioria (93,7%) deles na faixa etária de 20 a 50 anos. A maioria (61%) tinha o ensino fundamental e os demais (38%) o ensino médio. Quarenta e quatro por cento, 35% e 21% tinham 11-15, acima de 15 e abaixo de 10 anos de experiência de trabalho, respectivamente. Mais da metade (61,5%) dos entrevistados tinha a caça como ocupação principal, enquanto 14,3% combinavam a agricultura com a caça. O lucro médio semanal dos caçadores varia de N4.000 a N50.000. A análise de correlação de Pearson não mostra relação significativa entre anos de experiência e lucro semanal (p&lt;0,05). Também mostrou uma relação estatisticamente significativa entre o lucro semanal e os meses de maior abundância de carne de caça aos caçadores (p&lt;0,05). O estudo conclui que o comércio de vida selvagem na área de estudo é influenciado pelo nível de educação, fonte alternativa limitada de renda e a lucratividade do comércio. O estudo recomenda que o Governo implemente políticas de trabalho que ajudem a regular e reduzir a exploração excessiva da vida selvagem; aumentar a eficiência do comércio de vida selvagem e garantir a sua continuidade.</p> 2022-03-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Bright Olunusi, Gbolagade Akeem Lameed, Patience Abosede Olunusi, Akinyode Timothy Olawumi https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/JBB/article/view/10916 Estufa automatizada com circulação forçada de ar para secagem vertical de placas de Fibroína 2022-03-20T14:59:58-03:00 Mayra Campista Corteletti mayra.ccorteletti@gmail.com Pablo Prata de Almeida pablo.prata@outlook.com Gerlane de Souza Pereira da Costa gerlanepereiras2016@gmail.com Ewerton Lyrio Nascimento ewerton.lyrio@gmail.com <p>Em processamentos aplicados a secagem de amostras que exigem um parâmetro com maior especificidade, o controle da temperatura interna e a homogeneização da câmara do equipamento é fundamental na redução de riscos de modificações aos princípios ativos, o que torna as Estufas com circulação forçada de ar amplamente utilizadas e viáveis para tais aplicações. O presente projeto tem como objetivo a elaboração e a construção de estufa com circulação forçada de ar a partir de materiais de fácil acesso, com automatização por Arduino, sendo desenvolvida para secagem vertical de placas de Fibroína. Além da realização de testes específicos e aplicações estatísticas para validação. Caracterizando em um estudo experimental, com seleção de materiais e equipamentos apropriados, elaboração e construção do sistema de forma economicamente viável com funcionamento padronizado e controlado. Tendo em vista os aspectos observados, alcançou-se o desenvolvimento de um protótipo do equipamento, constatando sua funcionalidade dentro dos parâmetros objetivados. Apresentando uma boa alternativa na atuação do processo de secagem das placas de Fibroína com um bom controle dos fatores estimados.</p> 2022-03-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Mayra Campista Corteletti, Pablo Prata de Almeida , Gerlane de Souza Pereira da Costa, Ewerton Lyrio Nascimento https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/JBB/article/view/12644 Respostas fisiológicas de Aechmea setigera Mart. ex Schult. & Schult. f. (Bromeliaceae) cultivada in vitro 2022-03-20T14:56:48-03:00 Tatiane Carine da Silva tatisilva_22@hotmail.com Caroline Luiz caroline_luiz@yahoo.com.br Maiby Teodoro de Oliveira maibyoli@hotmail.com Marcelo Borghezan mborghezan@hotmail.com Rosete Pescador rosete.pescador@ufsc.br Paulo Cesar Poeta Fermino Junior paulo.fermino@ufsc.br <p>A propagação <em>in vitro</em> de bromélias é amplamente utilizada para produzir plantas visando a conservação. O objetivo desse trabalho foi avaliar as respostas fisiológicas de <em>Aechmea setigera</em> cultivada <em>in vitro</em> sob diferentes concentrações de 6-benzilaminopurina (BAP). O experimento foi conduzido em delineamento completamente casualizado com cinco tratamentos (0; 1,0; 2,0; 4,0 e 8,0 mg L<sup>-1</sup> de BAP). Após 90 dias de cultivo <em>in vitro</em> em meio de cultura MS líquido estacionário, foram avaliados parâmetros morfológicos e bioquímicos. O aumento das concentrações de BAP promoveu aumento da densidade estomática, redução do tamanho da planta e do número de raízes, mas aumentou o número de brotos. Existiu efeito significativo entre as doses de BAP e as massas fresca e seca. Elevadas doses de BAP (4,0 e 8,0 mg L<sup>-1</sup>) promoveu a redução dos teores de clorofila a e total, mas não alterou os teores de clorofila b e carotenóides. As concentrações de amido e carboidratos solúveis diminuíram com o uso de concentrações acima de 2,0 e 4,0 mg L<sup>-1</sup> de BAP, respectivamente. O teor de compostos fenólicos totais diminui com o aumento da concentração de BAP. As modificações avaliadas no metabolismo elucidam a plasticidade fenotípica nos processos de multiplicação <em>in vitro</em> de <em>A. setigera</em>.</p> 2022-03-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Tatiane Carine da Silva, Caroline Luiz, Maiby Teodoro de Oliveira, Marcelo Borghezan, Rosete Pescador, Paulo Cesar Poeta Fermino Junior https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/JBB/article/view/13256 Aplicação de tanase obtida de Aspergillus tamarii URM 7115 e seu efeito em suco de caju integral 2022-03-20T14:56:49-03:00 Miqueas Jamesse Gouveia miqueasgouveia@hotmail.com Marcelo Rodrigues Figueira de Mello marcelomello@barreiros.ifpe.edu.br Tatiely Gomes Bernardes tatielygb@gmail.com Tonny Cley Campos Leite toycly@gmail.com Amanda Reges de Sena amandareges@barreiros.ifpe.edu.br <p>Tanino Acil Hidrolase é uma enzima que catalisa a hidrólise de taninos hidrolisáveis e pode ser utilizada em diversas áreas industriais, como alimentícia e farmacêutica. O presente trabalho teve como objetivo produzir tanase obtida de <em>Aspergillustamarii</em> URM 7115 sob fermentação submersa e verificar seu efeito no suco de caju integral. Foram analisados os teores de taninos totais, fenólicos totais, atividade antioxidante e alguns parâmetros físico-químicos (pH, °Brix, vitamina C e acidez total) antes e pós aplicação da enzima. Os ensaios demonstraram uma redução de no mínimo 50 % do teor total de taninos, aumento entre 47 a 54 % no teor de fenólicos totais além de ser verificado um aumento na atividade antioxidante total de 20 a 23 %. Ademais, as amostras do suco de caju integral antes e após aplicação enzimática apresentaram resultados aceitáveis para pH, °Brix, vitamina C e acidez total. O tratamento com a tanase em suco de caju integral, além da redução da adstringência foi observada outras vantagens como aumento da atividade antioxidante, menor turvação e manutenção da qualidade nutricional e físico-química.</p> 2022-03-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Miqueas Jamesse Gouveia, Marcelo Rodrigues Figueira de Mello, Tatiely Gomes Bernardes, Tonny Cley Campos Leite, Amanda Reges de Sena https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/JBB/article/view/11447 Avaliação fitoquímica e atividades biológicas do extrato do exocarpo do fruto de Protium spruceanum 2022-03-20T14:58:58-03:00 Antonio Carlos Pereira de Menezes Filho astronomoamadorgoias@gmail.com <p><em>Protium spruceanum</em> conhecido por “breu branco” é uma espécie vegetal medicinal. O estudo teve por objetivo, avaliar o extrato hidroetanólico do exocarpo do fruto maduro de <em>Protium spruceanum</em> quanto aos grupos fitoquímicos e atividades biológicas. Os frutos foram coletados e o extrato produzido por maceração estática em solução hidroetanolica 70%. As análises realizadas foram para organolépticas, físico-químicas quanto ao rendimento de extrato obtido, densidade relativa, pH, índice de refração e giro óptico, e para os ensaios biológicos, o extrato foi testado para ativdade de fotoproteção em UV-<em>Vis</em>, atividade antifúngica sobre <em>Candida</em> e antibacteriana sobre <em>Staphylococcus</em>, <em>Salmonella</em> e <em>Escherichia </em>pelo ensaio em disco (mm). O extrato apresentou coloração castanho claro e aromático. A prospecção fitoquímica qualitativa revelou a presença de ácidos orgânicos, açúcares redutores, fenóis, purinas, catequinas e duplas olefinas. O rendimento foi de 16,99%, densidade relativa de 0,965 g mL<sup>-1</sup>, pH 5,26, índice de refração 1,3987 n<sub>D</sub> e giro óptico de -99,8°. Na atividade de fotoproteção, o extrato exibiu atividade no comprimento de ondas UVC. Na atividade antifúngica, foi obtido potencial inibição para <em>C. guilliermondii</em> e <em>C. tropicalis</em> e para antibacteriano inibição para cepas de <em>S. aureus</em>,<em> E. coli</em>,&nbsp; e <em>S. sorovar </em>Enteritidis. O extrato do exocarpo do fruto maduro de <em>Protium spruceanum</em> demonstrou potencial efeito biológico.</p> 2022-03-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Antonio Carlos Pereira de Menezes Filho https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/JBB/article/view/12343 Análise bioeconômica da relação custo-benefício de dois protocolos de IATF utilizados em vacas zebuínas 2022-03-20T15:01:55-03:00 Jorge Luís Ferreira jlferreira@uft.edu.br Matheus Henrique Dias Rodrigues mh130499@gmail.com Gabriel Almeida Peres gabrielperes97@hotmail.com Murilo Ferreira da Silva Junior murilojunior123@gmail.com Mário Antônio Vilches Júnior mario.v.jr@hotmail.com Helcileia Dias Santos hdsantos@uft.edu.br José Bento Sterman Ferraz jbferraz@usp.br <p>O objetivo foi avaliar a viabilidade econômica de dois experimentos realizados nos anos de 2019 e 2020, em que o primeiro experimento (P1) avaliou o efeito de dose adicional de Prostaglandina (PGF2α) e o segundo (P2) o efeito da associação de butafosfan e cianocobalamina, na taxa de prenhez de vacas de corte submetidas a inseminação artificial em tempo fixo (IATF). Para os cálculos foram considerados os custos fixos e aleatórios da prática, em reais (R$), praticados na região de Araguaína-TO em 13/05/2021. As análises financeiras foram realizadas pelo Microsoft Excel® considerando 100 vacas por tratamento de cada experimento. Foi verificado, em ambos os experimentos, que os grupos tratados tiveram maiores custos por IATF (R$: 63,98 e 67,58) em relação ao controle (R$: 60,58 e 60,58) para o P1 e P2 respectivamente, com menor custo por prenhez (R$: 95,97 e 110,26) em relação ao controle (R$: 146,58 e 133,29) resultando em melhor retorno e viabilidade econômica. Na comparação entre os protocolos (P1 e P2), P1 teve uma receita liquida de R$ 12. 853,35 e um investimento no custo de IATF de R$ 360,00. Entretanto, apesar de haver diferença financeira nessa simulação, a escolha por um ou outro protocolo deve ser tomada considerando a necessidade do rebanho, sendo que ambos os protocolos de IATF experimentais tiveram incrementos nos índices zootécnicos e resultados financeiros em comparação ao controle.</p> 2022-03-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Jorge Luís Ferreira, Matheus Henrique Dias Rodrigues, Gabriel Almeida Peres, Murilo Ferreira da Silva Junior, Mário Antônio Vilches Júnior, Helcileia Dias Santos, José Bento Sterman Ferraz https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/JBB/article/view/12628 Germinação de sementes de Handroanthus serratifolius (Vahl) S. O. Grose em substrato contendo resíduos agroindustriais 2022-03-20T15:10:20-03:00 Carolina Rafaela Barroco Soares carolinabarroco@gmail.com Karen Janones da Rocha karenrocha@unir.br Kenia Michele de Quadros Tronco kenia.tronco@unir.br <p>A Agricultura tem grande influência na economia rondoniense, mas o setor gera resíduos que podem ter diferentes destinações. E uma alternativa promissora para o destino final desses resíduos é o seu uso como substratos, minimizando assim impactos social, econômico e ambiental. O objetivo do trabalho foi avaliar os substratos obtidos a partir de diferentes concentrações resíduos agroindustriais, na germinação de Handroanthus serratifolius (Vahl) S. O. Grose. O delineamento utilizado foi o de blocos casualizados, cinco tratamentos e quatro repetições. Os tratamentos resultaram em diferentes combinações de areia e resíduo agroindustrial: T1 – 0%:100% (testemunha); T2 – 75%:25%; T3 – 50%:50 %; T4 – 25%:75%; e T5 – 0%:100%. Diariamente, foi avaliada a porcentagem de germinação (G%) e, após a estabilização da germinação aos 27 dias, foram calculados o índice de velocidade de germinação (IVG), tempo médio de germinação (TMG) e velocidade média de germinação (VMG) das sementes e as médias de germinação foram submetidas aos testes normalidade, homogeneidade a 5% de significância e análise de variância ao teste de Tukey (P ≥ 0,95). A porcentagem de germinação variou de 9% a 71%, e foi verificado 100% de sanidade das sementes e ausência de plântulas anormais. Verificou-se que o tratamento 2 apresentou diferença significativa entre os demais tratamentos, o substrato com os melhores resultados foi o T2 (G% = 71%; IVG =11; TMG = 17 dias; VMG = 0,0606 sementes.dia-1). O substrato com 25% resíduos + 75% areia destacou-se dos demais tratamentos, resultando nos melhores resultando na melhor germinação.</p> 2022-03-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Carolina Rafaela Barroco Soares, Karen Janones da Rocha, Kenia Michele de Quadros Tronco https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/JBB/article/view/13255 Rendimento do filé de tucunaré (Cichla cf. monoculus) Osteichthyes, Cichlidae em diferentes cortes da cabeça 2022-03-20T14:56:50-03:00 Shirley Silva Cosme shirlcosme@gmail.com Alex Guimarães Sanches alexsanches.eng@gmail.com Maryelle Barros da Silva agromaryelle@gmail.com Elaine Gleice Silva Moreira elaine.moreira230@gmail.com Carlos Alberto Martins Cordeiro camcordeiro2006@gmail.com <p>O tucunaré (<em>Cichla</em> cf. <em>monoculus</em>), é um peixe muito apreciado para o consumo, porém são poucos os estudos relacionados ao seu processamento e rendimento. Deste modo, objetivou-se neste trabalho avaliar o efeito do corte da cabeça sobre os parâmetros morfométricos relacionados ao rendimento do filé. Para isso, 60 exemplares de tucunaré foram dividos e submetidos ao corte oblíquo e reto da cabeça. As carcaterísticas morfométricas e a composição centesimal foram investigados. O corte oblíquo da cabeça resultou em maior peso e rendimento do tronco limpo e do filé com e sem pele em relação ao corte reto. Quanto aos resíduos, o rendimento da cabeça foi mais associado ao corte reto, enquanto o peso e o rendimento da pele com o corte oblíquo. Com relação as análises morfométricas, a altura do peixe influencia positivamente no rendimento do filé, enquanto a composição centesimal é afetada pela condição de cultivo. Nas condições deste estudo e visando o melhor aproveitamento e rendimento do filé do tucunaré, recomenda-se o corte oblíquo da cabeça.</p> 2022-03-13T17:42:42-03:00 Copyright (c) 2022 Shirley Silva Cosme, Alex Guimarães Sanches, Maryelle Barros da Silva, Elaine Gleice Silva Moreira, Carlos Alberto Martins Cordeiro https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/JBB/article/view/13286 Alternativas ao paraquat para o controle químico de azevém, aveia e buva 2022-03-20T14:56:52-03:00 Alfredo Junior Paiola Albrecht ajpalbrecht@yahoo.com.br Leandro Paiola Albrecht lpalbrecht@yahoo.com.br Mauricio Paulo Batistella Pasini mauricio.pasini@gmail.com André Felipe Moreira Silva afmoreirasilva@alumni.usp.br Willian Felipe Larini willian.larini@gmail.com Debora Cristine Neuberger debora.neuberger@outlook.com <p>Com o banimento do paraquat, é necessário planejar o uso de herbicidas alternativos na dessecação de plantas daninhas. Neste sentido desatacam-se herbicidas como glufosinate, saflufenacil, diquat, glyphosate, clethodim, em diferentes associações. Acredita-se que o glufosinate, sobretudo em associações, seja eficaz no controle de <em>Lolium perenne </em>ssp<em>. multiflorum</em> (azevém), <em>Avena fatua </em>(aveia) e/ou <em>Conyza sumatrensis </em>(buva). Objetivou-se avaliar a eficácia de glufosinate isolado, ou em associações, no controle de azevém, aveia e buva, como alternativa ao paraquat. O experimento foi conduzido em área experimental&nbsp; localizada no município de Cruz Alta, estado do Rio Grande do Sul (RS), Brasil, em novembro de 2020. Foi utilizado delineamento inteiramente casualizado, com quatro repetições. Os tratamentos foram compostos pela aplicação de glufosinate, saflufenacil, diquat, glyphosate e clethodim, isolados ou em associações. Foi avaliado o controle de azevém, aveia e buva, aos 7, 14 e 28 dias após aplicação. O glufosinate em associações foi eficaz no controle das plantas daninhas, sendo quase sempre superior ao observado para diquat isolado ou em misturas. Para se antingir a mesma eficácia das associações, a dose de glufosinate deve ser de no mínimo 700 g i.a. ha<sup>-1</sup>. A aplicação de glufosinate (400 g i.a. ha<sup>-1</sup>) em associações com saflufenacil, glyphosate e clethodim foi eficaz no controle de azevém, aveia e buva. A aplicação isolada de glufosinate se mostrou eficaz no controle de todas as plantas daninhas na dose máxima aplicada (700 g i.a. ha<sup>-1</sup>). O glufosinate, isolado ou em associações, caracteriza-se assim alternativa ao paraquat no controle de plantas daninhas.</p> 2022-03-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Alfredo Junior Paiola Albrecht, Leandro Paiola Albrecht, Mauricio Paulo Batistella Pasini, André Felipe Moreira Silva, Willian Felipe Larini, Debora Cristine Neuberger https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/JBB/article/view/13287 Doses de nitrogênio em cultivares de feijão-comum em sistema plantio direto recém-instalado 2022-03-20T14:56:52-03:00 Almir Salvador Neto almirasn_salvador@hotmail.com Anderson Prates Coelho anderson_100ssp@hotmail.com Orlando Ferreira Morello ofmorello@hotmail.com Leandro Borges Lemos leandro.lemos@unesp.br Fabio Luiz Checchio Mingotte flcmingotte@gmail.com <p>Os primeiros anos da adoção do sistema plantio direto pode promover alterações no equilíbrio do solo que impactam diretamente em manejos, como a adubação nitrogenada. Objetivou-se avaliar o desempenho agronômico e qualitativo de cultivares de feijão-comum sob doses de nitrogênio em cobertura no primeiro ano de adoção do sistema plantio direto. O experimento foi conduzido na safra de inverno em delineamento de blocos casualizados em esquema de parcelas subdivididas, com quatro repetições. As parcelas foram constituídas de três cultivares de feijão (IAC Alvorada, IAC Milênio e Pérola) e as subparcelas por quatro doses de N (ureia) aplicadas em cobertura (0, 70, 140 e 210 kg ha<sup>-1</sup>). O feijão foi semeado em sistema plantio direto após a cultura do milho, que apresentou produção de palhada de 7,0 Mg ha<sup>-1</sup> de massa seca. As cultivares IAC Alvorada e IAC Milênio foram mais eficientes e responsivas do que a cultivar Pérola. As cultivares IAC Alvorada e IAC Milênio apresentaram, na média, produtividade e rendimento de peneiras 12,5 e 15,2% superior à cultivar Pérola, respectivamente. As doses de nitrogênio em cobertura e as cultivares de feijão-comum promovem diferenças no desempenho agronômico e qualidade de maneira independente. A produtividade das cultivares de feijão apresentam incrementos lineares com as doses de nitrogênio em cobertura no primeiro ano de adoção do sistema plantio direto, indicando maior exigência de N do que a dose ideal de 90 kg ha<sup>-1</sup> de N recomendada para a cultura.</p> 2022-03-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Almir Salvador Neto, Anderson Prates Coelho, Orlando Ferreira Morello, Leandro Borges Lemos, Fabio Luiz Checchio Mingotte https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/JBB/article/view/13335 Biocontrole de Fusarium oxysporum f. sp. cubense por Pseudomonas spp. em banana “Prata anã” 2022-03-20T14:56:53-03:00 Lara Cristine da Silva Vieira larinha_cristine@outlook.com Cristine Vanz Borges cristine.vanzb@gmail.com Shirley Nascimento Costa shirleykosta@gmail.com Zalmar Santana Gonçalves zalmarufrb@hotmail.com Bruno Laecio da Silva Pereira engdmmelo@gmail.com Fernando Haddad fernando.haddad@embrapa.br <p>A bananeira apresenta diversos problemas fitossanitários, tendo destaque a murcha de Fusarium causada pelo fungo <em>Fusarium oxysporum </em>f. sp<em>. cubense </em>(Foc).&nbsp; O uso de microrganismos como o Pseudomonas, tem sido uma alternativa para o biocontrole dos fitopatógenos<em>.</em> Com o objetivo de investigar a capacidade de controle da rizobactéria do gênero <em>Pseudomonas </em>em relação à atividade do fungo <em>Fusarium oxysporum </em>f. sp<em>. cubense </em>(Foc), foi realizado dois experimentos em condições de casa de vegetação. O delineamento foi inteiramente casualizados (DIC) com três tratamentos, três controles e 10 repetições. Os tratamentos do primeiro experimento consistiram em aplicar <em>Pseudomona</em>s <em>spp.</em> no substrato, com adição de Foc com e sem intervalo de tempo. Após período de inoculação no substrato infestado por Foc e <em>Pseudomonas</em>, realizou-se o plantio das mudas de bananeira nos tubetes. No segundo experimento, o intervalo de aplicações foi o mesmo do experimento de pré-inoculação, porém o <em>Fusarium</em> foi inoculado primeiro, posteriormente a bactéria e em seguida foram transferidos para o substrato. A utilização de <em>Pseudomonas</em> em tratamentos diferentes, com intervalo de tempo não foi eficiente para o controle do Foc<em>. </em>Observou-se que o índice de doença foi menos severo no tratamento sem intervalo de tempo para inoculação de <em>Fusarium e Pseudomonas, </em>sendo o melhor tratamento para o biocontrole do <em>Fusarium</em> em plantas de banana da cultivar Prata Anã. A utilização de bactérias do gênero <em>Pseudomonas spp</em>. é uma alternativa economicamente viável para controle da Murcha de Fusarium.</p> <p>&nbsp;</p> 2022-03-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Lara Cristine da Silva Vieira, Cristine Vanz Borges, Shirley Nascimento Costa, Zalmar Santana Gonçalves, Bruno Laecio da Silva Pereira, Fernando Haddad https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/JBB/article/view/13955 Efeito do nitrogênio mineralizado através da decomposição de resíduos vegetais na absorção de milho (Zea mays L.) na zona ecológica da sava-na sudanesa da Nigéria 2022-03-20T14:56:53-03:00 Noah Alabi Oyebamiji noahoye06@gmail.com Oluwatoyin Abimbola Babalola noahoye06@gmail.com David Olusegun Adelani noahoye06@gmail.com <p>Um experimento de campo foi projetado para determinar o efeito do nitrogênio mineralizado (N) através da decomposição da biomassa foliar de espécies de árvores agroflorestais como resíduos para destacar sua absorção pelo milho em condições de savana do Sudão. O experimento foi estabelecido como fatorial 3 x 4 x 2 em um delineamento de parcelas subdivididas com três repetições para duas safras. Os fatores considerados incluem: controle, espécies de biomassa (<em>Albizia lebbeck e Parkia biglobosa</em>) como parcelas principais, quatro níveis de fertilizante nitrogenado (0, 40, 80, 120 kg N ha<sup>-1</sup>) como subparcelas e duas variedades de milho (DMR -ESR-7 e EVAT 2009) como sub-subparcelas. Os dados foram analisados por meio de Análise de Variância (ANOVA). A composição química da biomassa de <em>A. lebbeck</em> apresentou maiores teores médios de N (32,4 g kg<sup>-1</sup>) e C (186,4 g kg<sup>-1</sup>) e menor relação C:N média (57,5) do que <em>P. biglobosa</em> e isso afetou suas taxas de decomposição, portanto, <em>A. lebbeck</em> se decompôs mais rápido que <em>P. biglobosa</em>. 56% do N nos sacos de lixo foram liberados nas primeiras 2 semanas de incorporação da biomassa e aumentaram progressivamente até 10 semanas após o plantio (WAP). A absorção total de N pelo milho foi menor (2,8 kg N ha-1) em <em>P. biglobosa</em> e maior (8,6 kg N ha<sup>-1</sup>) em parcelas corrigidas de <em>A. lebbeck</em>. Conclui-se então que a absorção total de N pela cultura do milho aumentou rapidamente entre 4-6 WAP, e o impacto foi óbvio em parcelas alteradas com biomassa de <em>A. lebbeck</em> do que em parcelas de <em>P. biglobosa</em> durante as duas safras.</p> 2022-03-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Noah Alabi Oyebamiji, Oluwatoyin Abimbola Babalola, David Olusegun Adelani