https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/JBB/issue/feed Journal of Biotechnology and Biodiversity 2020-05-24T19:26:30-03:00 Marcos Giongo jbb@uft.edu.br Open Journal Systems <p>O Journal of Biotechnology and Biodiversity foi criado em 2010 e publica artigos originais, artigos de revisão, estudos de caso e comunicações breves sobre os fundamentos, aplicações e gestão da biodiversidade. O objetivo da revista é avançar e disseminar o conhecimento em todas as áreas afins de Ciências Agrárias, Química, Biotecnologia e Biodiversidade.</p> <p><img src="/periodicos/public/site/images/giongo/jbb4.jpg"></p> https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/JBB/article/view/7733 Produção de dispositivo/protótipo de sintetização de scaffolds a base de fibroína e Aloe barbadensis 2020-05-22T20:44:54-03:00 Mayra Campista Corteletti mayra.ccorteletti@gmail.com Pablo Prata de Almeida pablo.prata@outlook.com Gerlane de Souza Pereira da Costa gerlanepereiras2016@gmail.com Thalia Henke thaliahenke@gmail.com <p>Esta pesquisa estabeleceu-se como princípio a edificação de um dispositivo/protótipo específico para síntese de scaffolds compostos por gel de <em>Aloe barbadensis</em> Miller e fibroína extraída de casulos de <em>Bombyx mori</em>, elaborados em prol do desenvolvimento de equivalentes dermo-epidérmico. Consistindo em um estudo experimental, com seleção de materiais e equipamentos afins, projeção e construção de um protótipo visando processamento em maior escala e melhor relação custo-benefício, tornando o produto final mais acessível para os que almejam. Desta forma, o desenvolvimento do dispositivo/ protótipo foi realizado constatando sua atuação no processo, sendo necessário a realização de análises físico-quimícas e microbiológicas dos andaimes produzidos.</p> 2020-01-06T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Journal of Biotechnology and Biodiversity https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/JBB/article/view/7852 Técnicas de sensoriamento remoto para delimitação de áreas queimadas no Tocantins através do processamento digital de imagens Landsat 8-TM 2020-05-22T20:41:15-03:00 Francisca Cassia da Silva Silva fcassia.silv@gmail.com Fabianna Rodrigues Pinheiro fabiannarosario@hotmail.com Igor Viana Souza igorvianasousa@gmail.com Victor Braga Rodrigues Duarte victorbrduarte@uft.edu.br Marcos Vinícius Cardoso da Silva markuz@uft.edu.br Augustus Caeser Frank Portella portella@uft.edu.br Marcos Giongo giongo@uft.edu.br <p>Métodos de detecção de áreas queimadas são fundamentais para que se possa realizar um levantamento histórico, bem como para o dimensionamento dos efeitos produzidos pelo fogo sobre o ambiente. Nesse sentindo o objetivo desse trabalho foi avaliar procedimento e metodologia para a delimitação de áreas queimadas através do processamento de imagens Landsat 8-TM, no período de maior ocorrência de focos de calor em três áreas, sendo estas localizadas nas regiões Leste, Sul e Norte do estado do Tocantins. Para a obtenção das áreas queimadas foram realizados procedimentos de classificação das imagens objetivando a classe de interesse (área queimada). Inicialmente foi realizado pré-processamento nas imagens sendo: correção radiométrica, atmosférica e correção do sistema de projeção. Após esta etapa, foi realizado o processamento das imagens para a obtenção do NDVI (Normalized Difference Vegetation Index) em imagens antes e depois do fogo, denominadas de Im1 e Im2. Após a obtenção do NDVI, as imagens foram comparadas pixel a pixel por subtração dos valores de NDVI, gerando uma imagem diferença. A classificação supervisionada apresentou melhor desempenho que a não supervisionada. As maiores ocorrências de áreas queimadas foram nas cenas 221/67 e 222/68 que está relacionada com o clima, vegetação, ocupação e uso do solo das regiões abrangidas por estas cenas.</p> 2020-05-22T17:28:30-03:00 Copyright (c) 2020 Journal of Biotechnology and Biodiversity https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/JBB/article/view/7853 Desempenho de sementes de feijão sob diferentes temperaturas 2020-05-22T20:41:11-03:00 Mártin Zanchett Groth martinzg07@hotmail.com Rodrigo Ferraz Ramos rodrigoferrazramos@gmail.com Cristiano Bellé crbelle@gmail.com Débora Leitzke Betemps debora.betemps@uffs.edu.br Nariane de Andrade narianedeandrade@hotmail.com Tiago Edu Kaspary tkaspary@inia.org.uy <p>O estudo avaliou o desempenho germinativo de sementes de feijão (BRS Expedito) de diferentes regiões do sul do Brasil submetidas a diferentes temperaturas de germinação (20, 25 e 30º C). Foram avaliados: germinação (GER), primeira contagem de germinação (PCG), índice de velocidade de germinação (IVG), massa seca da parte aérea (MSPA) e massa seca da raiz (MSR). As sementes de São Mateus (PR) apresentaram os maiores valores médios para as variáveis GER, PCG e IVG nas três temperaturas testadas. O aumento da temperatura (20 a 30 ºC) influenciou significativamente o acúmulo de biomassa seca nas raízes e da parte area das platulas de feijão. Os resultados indicam a existência de uma plasticidade fenotípica adquirida pela cultivar devido à adaptação local dos ecótipos.</p> 2020-05-22T19:08:45-03:00 Copyright (c) 2020 Journal of Biotechnology and Biodiversity https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/JBB/article/view/7876 Aplicação de redes neurais artificiais na cultura do mogno (Khaya spp. e Swietenia spp.) 2020-05-22T20:40:52-03:00 Marcos Cardoso Silva markuz.cardoso12@gmail.com Francisca Cássia Silva da Silva fcassia.silv@gmail.com Igor Viana Souza igorvianasousa@gmail.com Victor Braga Rodrigues Duarte victorbrduarte@uft.edu.br Yandro Ataíde yandro@outlook.com Maria Cristina Bueno Coelho mariacristina@uft.edu.br <p>Devido ao seu alto valor comercial e aceitação no mercado internacional, as espécies de mogno foram exploradas indiscriminadamente, mesmo em áreas protegidas, resultando em ameaça de extinção. As espécies de mogno são desejáveis ​​tanto em termos de cores e padrões de grãos quanto em suas propriedades físicas e mecânicas. Ambas as espécies têm características semelhantes e são consideradas resistentes ao ataque de fungos e cupins. A cultura do Mogno (<em>Khaya </em>spp. e <em>Swietenia </em>spp.) apresenta grande potencial produtivo no Brasil, sendo uma boa alternativa às culturas de maior expressão no país, por se tratar de madeiras nobres, e assim como o Mogno, as Redes Neurais Artificiais (RNAs) também são boas alternativas para estimar diferentes variáveis dendrométricas em diferentes culturas, e estudos comprovam que essa técnica vem produzindo ótimos ajustes, principalmente quando comparados aos modelos de regressão tradicionais. Sendo assim a presente revisão teve como objetivo trazer informações das diferentes aplicações das RNAs nas culturas do Mogno no Brasil.</p> 2020-05-22T19:25:21-03:00 Copyright (c) 2020 Journal of Biotechnology and Biodiversity https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/JBB/article/view/7788 Tempo de armazenamento e métodos de superação da dormência de pirê-nios de Byrsonima crassifolia (L.) Kunt 2020-05-22T20:40:48-03:00 Hygor Gomes de Almeida Sousa hygoralmeida.floresta@outlook.com Bruno Aurélio Campos Aguiar aguiar.florestal@gmail.com Maristela Lima Figueiredo Guimarães Epifânio maribiovida@gmail.com Renata Carvalho da Silva renatacsilva@mail.uft.edu.br Priscila Bezerra de Souza priscilauft@mail.uft.edu.br <p>Objetivou-se avaliar a germinação dos pirênios de <em>Byrsonima crassifolia</em> considerando períodos de armazenamento e métodos de superação de dormência. Utilizou-se delineamento inteiramente casualizado com 60 pirênios por tratamento, distribuídos em quatro repetições e oito tratamentos, semeados em sacos plásticos com dimensões de 17 x 22 x 0,15cm contendo solo do local das matrizes sendo realizadas regas diárias para manutenção da umidade do substrato. O armazenamento dos pirênios foi de 0, 60, 120 e 180 dias e os tratamentos totalizaram em 8 com testemunha, e outros realizado as superações química e mecânica. Os resultados obtidos permitiram concluir que os pirênios de <em>Byrsonima crassifolia</em> apresentaram melhor qualidade fisiológica quando armazenadas por 120 dias. A embebição em (H<sub>2</sub>SO<sub>4</sub>) por 40 minutos e (GA<sub>3</sub>) por 48 horas favoreceram a germinação e proporcionaram maiores índices de velocidade de germinação (IVG) em relação aos demais.</p> 2020-05-22T20:01:00-03:00 Copyright (c) 2020 Journal of Biotechnology and Biodiversity https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/JBB/article/view/7886 Análise dos estoques de carbono no solo sob diferentes coberturas vegetais no Brasil 2020-05-24T19:26:30-03:00 Josué Luiz Marinho Junior josue.marinho@hotmail.com Dayane de Souza Lima daythi16@gmail.com João Lucas Aires Dias jlucas.florestal@gmail.com Renisson Neponuceno de Araújo Filho renisson@uft.edu.br <p>Atividades antrópicas têm causado a elevação da concentração dos gases de efeito estufa na atmosfera, principalmente devido mudanças causadas no uso da terra, que alteram a capacidade dos solos em armazenar o CO2. O presente estudo busca revisar publicações atuais sobre mudanças no estoque de carbono do solo sob diferentes coberturas vegetais publicados nos últimos anos e realizar uma avaliação crítica e sistêmica do assunto, considerando as metodologias utilizadas em cada trabalho e os diferentes tipos de manejo e uso dos solos em várias regiões do Brasil. Para a coleta de dados foram selecionados 35 artigos publicados nos últimos dez anos que se correlacionavam com o tema. Feito o levantamento dos artigos buscou-se caracterizar os ecossistemas brasileiros e resumir os principais dados publicados sobre os estoques de carbono nos ecossistemas e posteriormente os as estimativas dos estoques em ambientes sob mudança uso do solo. Os resultados apontaram que as diferentes coberturas vegetais apresentam distintas, entretanto positiva capacidade em estocar carbono no solo no Brasil e que variáveis como o manejo, a textura, atributos físicos, químicos e biológicos são fatores significativos e podem e influenciam diretamente nos resultados.</p> 2020-05-22T20:11:14-03:00 Copyright (c) 2020 Journal of Biotechnology and Biodiversity https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/JBB/article/view/7724 Importância do Acinetobacter baumannii no ambiente hospitalar 2020-05-22T20:40:21-03:00 Edson Wagner Silva Cangussu edsonwcangussu@gmail.com <p>As espécies de <em>Acinetobacter</em> são conhecidas como importantes patógenos oportunistas, principalmente em pacientes imunocomprometidos e hospitalizados. Frequentemente a disseminação de <em>A. baumannii</em> ocorre através do contato entre pacientes, ou através dos profissionais de saúde, direta ou indiretamente. O <em>A. baumannii</em> tem sido o cerne da atenção da comunidade científica e médica. Face o exposto o presente trabalho visa descrever, através de revisão literária sistemática, sobre essa espécie, sua patogenicidade e virulência, assim como relatar sobre a prevalência e incidência como agente infeccioso no ambiente hospitalar. Realizou-se um levantamento bibliográfico em periódicos das línguas portuguesa e inglesa, no perídio de 2000 a 2019, nas bases de dados MEDLINE e LILACS. Foram analisados e inseridos no trabalho 34 trabalhos. As espécies do gênero <em>Acinetobacter</em> apresentam uma gama de fatores de virulência que viabilizam a sobrevida e adaptação dos micro-organismos no ambiente e a aquisição de resistência é realizada por um número variado de mecanismos. Os pacientes imunocomprometidos e submetidos a ventilação mecânica são comumente colonizados e infectados por essa espécie bacteriana. Com base no levantamento bibliográfico pode-se aferir que o <em>A. baumannii </em>a cada dia tem ganhado destaque e relevância como agente infecioso no ambiente hospitalar. De forma especial sua participação como agente etiológico em pneumonia associada à ventilação mecânica mostra o quanto é importante estratégias visando métodos profiláticos e preventivos.</p> 2020-05-22T20:23:18-03:00 Copyright (c) 2020 Journal of Biotechnology and Biodiversity https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/JBB/article/view/7725 Pseudomonas aeruginosa: caracterização antigênica e produção anticorpos 2020-05-22T20:44:52-03:00 Diego Rodrigues Ribeiro biomedicina@msn.com <p>A <em>Pseudomonas aeruginosa</em> destaca-se ao longo dos anos entre os agentes infecciosos frequentemente isolado em ambientes hospitalares. Atualmente as infecções hospitalares causadas por <em>P. aeruginosa</em> representam um desafio para a terapêutica antimicrobiana. Uma alternativa frente aos micro-organismo multirresistentes tem sido a busca de vacinas.&nbsp; O presente trabalho visa verificar através de revisão de literatura o que há de concreto e as perspectivas concernentes a caracterização de antígenos de <em>P. aeruginosa</em> e, por conseguinte a produção e aplicabilidade de anticorpo. Fez-se um levantamento bibliográfico em periódicos das línguas portuguesa e inglesa entre os anos 1980 a 2019 sendo analisados e inseridos no trabalho 24 obras. No âmbito vacinal, os recursos disponíveis se baseiam em antígenos oriundo de toxinas de fatores de virulência conhecidos de espécies de <em>P. aeruginosa</em>, tais como; exotoxina-A, proteases e elastases, e componentes do LPS. Notou-se uma escassez na literatura quanto a temática. Pesquisas devem ser conduzidas na caracterização de antígenos e por conseguinte produção de anticorpos.</p> 2020-05-22T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Journal of Biotechnology and Biodiversity